Soja, glúten, leite e açúcar podem provocar desenvolvimento de doenças

0 1.891

Nutróloga Dayse Caldeira defende substituição dos antinutrientes soja, glúten, leite e açúcar por alimentos funcionais

Infertilidade, hipotireoidismo, enxaqueca, depressão, artrite, diabetes e hipertensão. Essas são apenas algumas das doenças que podem ter origem no consumo contínuo de soja, glúten, leite e açúcar. Segundo a nutróloga Dayse Caldeira, o motivo é a presença, nesses alimentos, dos chamados antinutrientes, substâncias que atrapalham o funcionamento do organismo e dificultam a absorção de nutrientes importantes para uma vida saudável.

“A soja é rica em ácido fítico, um antinutriente que diminui a absorção do cálcio, do ferro e do zinco, entre outros minerais importantes, além de inibir a digestão de proteínas”, afirma Dra. Dayse. O grão também aumenta o requerimento das vitaminas D e B12 e inibe a conversão de T4 e T3, hormônios ligados ao funcionamento da tireoide.

dayse-caldeiraJá o glúten contém gliadina, uma proteína que não pode ser digerida pelo organismo humano e, por isso, tem efeito tóxico sobre a mucosa do intestino delgado, resultando na destruição das vilosidades intestinais e causando má absorção. “Esse processo acontece com todas as pessoas, independente do surgimento ou não de sintomas. Portanto, essa história de que somente os celíacos têm sensibilidade ao glúten não procede. Todos deveríamos evitá-lo”, ressalta a médica.

A nutróloga chama a atenção também para o consumo exagerado de açúcar. “Evitemos ao máximo o açúcar que, junto aos carboidratos simples (doces, pães, arroz branco e massas refinadas) são alimentos que causam picos do hormônio insulina. Esses alimentos consumidos em excesso e associados ao sedentarismo, desequilíbrio hormonal e estresse, ocasionam doenças degenerativas crônicas”, lembra.

 

Receitas de saúde

       

Para substituir os antinutrientes, Dayse Caldeira propõe o uso de alimentos funcionais, como a linhaça, o grão de bico, o alho, as frutas vermelhas, a chia, a batata doce etc. “Se os antinutrientes podem ajudar a provocar doenças, os alimentos funcionais auxiliam na prevenção e diminuição das doenças crônicas não transmissíveis, como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. A busca pela longevidade com qualidade de vida está em hábitos alimentares com menos produtos industrializados e aditivos químicos e no retorno ao consumo de alimentos mais saudáveis, como na época de nossos avós”, avalia.

Durante o I Encontro Brasileiro de Longevidade e Qualidade de Vida da Sociedade Brasileira para Estudos de Fisiologia (SOBRAF), que acontece no dia 11 de outubro, em São Paulo, a nutróloga vai ensinar receitas caseiras sem antinutrientes e com muito sabor. Uma das dicas é o leite vegetal, que pode ser feito em casa e utilizado no lugar do leite de vaca (da cabra ou qualquer outra fêmea de mamífero), que não é um alimento recomendado para o organismo humano. Segundo a especialista, o produto contém mais de 25 frações proteicas alergênicas, como a betalactoglobulina – considerada a mais perigosa.

O consumo do leite animal pode estar relacionado a artrite, dores em geral, esclerose, acne, tumores de próstata e de mama, Mal de Parkinson, infertilidade e obesidade, entre outras doenças.

 

Dr Ítalo Rachid é um outro destaque do evento

Nessa entrevista de 45 minutos e que já foi visto mais de 150 mil pessoas, o Dr Ítalo Rachid aborda que não é apenas a qualidade de alimentos que interfere na disposição e funcionamento do seu corpo, mas sim a combinação desses alimentos. Nós não estamos buscando a fonte da juventude eterna. Estamos procurando entender que esse processo de envelhecimento pode ser modificado na sua intensidade e velocidade.

 

banner-encontro-longevidade-no-terceira-idade

 

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.