Sintomas de Leucemia: Bebê, Aguda, Idosos e no Sangue

Os sintomas de leucemia são diversos e seu diagnóstico efetivo requer um profissional da saúde qualificado, bem como exames laboratoriais e através de imagem.

0 53

Nos dias de hoje é muito comum que algumas doenças sejam especificamente conhecidas por causar muita dor, morte ou sofrimento, como a Leucemia, por exemplo. Por outro lado, você conhece os sintomas de Leucemia?

É bastante comum que as pessoas conheçam a doença, mas não sabem como ela se manifesta. Muitos duvidam que podem desenvolver a doença, mas é sempre importante ficar atento quanto aos sintomas. Quanto mais cedo reconhecer a leucemia e começar o tratamento, maiores são as chances de melhora efetiva.

Portanto, a presente matéria aborda os sintomas principais da leucemia para que você saiba exatamente o que está ocorrendo com seu corpo quando começar a desconfiar dessa doença.

Entenda o que é a leucemia

Antes de falar sobre os sintomas de leucemia, é importante entender exatamente o que é a leucemia. Assim sendo, se você nunca ouviu falar sobre esta doença ou, então, pouco conhece sobre ela, este é o momento ideal para conhecer um pouco melhor esse tipo de câncer.

É um pouco complicado explicar e compreender a leucemia em todo seu âmbito, porém, o mais básico para se dizer sobre ela é o fato de que ela é uma doença que ataca demais o corpo e deixa de protegê-lo corretamente. Como assim?

Pois bem, a leucemia é um tipo de câncer que ocorre na formação das células sanguíneas, o que dificulta a capacidade do próprio organismo de combater infecções. O que, por sua vez, faz com que ele fique mais fragilizado e propenso a infecções e machucados aparentes, como os hematomas. Também é comum que ele pare de produzir as células brancas e o corpo não consiga combater doenças que podem aparecer com a imunidade baixa.

Este câncer afeta principalmente a medula-óssea e apresenta diversos tipos, podendo ocorrer em qualquer idade sem restrições. Acontece que ela é uma doença rara e o tratamento para sua forma mais agressiva é mais longo e requer mais atenção, por outro lado, é a que apresenta sintomas mais aparentes. Em contrapartida, a leucemia mais lenta não apresenta muitos sintomas aparentes, porém, requer tratamentos mais simples e em um período mais curto de tempo.

Por se tratar de uma doença que afeta poucas pessoas, o check-up anual deve ser feito de forma a ficar de olho no seu desenvolvimento. Pois, quanto mais rápido se descobrir e diagnosticar corretamente a doença, mais rápido será o tratamento.

Os sintomas de leucemia são diversos e seu diagnóstico efetivo requer um profissional da saúde qualificado, bem como exames laboratoriais e através de imagem. Apesar das curas pela natureza experimentais, todos os tratamentos aprovados por estudos médicos exigem a presença do médico durante o tratamento. Logo, não há tratamentos caseiros que previnem ou curam a leucemia.

Sintomas de leucemia

Como dito anteriormente, a forma mais agressiva de leucemia apresenta sintomas mais aparentes nas pessoas. Entretanto, estes sintomas são bastante comuns de outras doenças e é exatamente por isso que seu diagnóstico só deve ser feito por meio de um médico habilitado.

É importante ressaltar isto, pois quando procuramos algo no Google, é comum que algumas pessoas fiquem desesperadas e comecem a se automedicar. Só que é necessário tomar muito cuidado quando consultamos o Dr. Google, pois ele pode piorar mais a situação e fazer com que fiquemos desesperados à toa.

Pessoas que tem leucemia menos agressivo, ou seja, em desenvolvimento lento, tendem a não apresentar muito os sintomas. Contudo, isso não significa, de forma alguma, que elas não apresentam nenhum. Os sintomas de leucemia tendem a aparecer de forma mais agressiva naquelas pessoas que têm a doença em desenvolvimento rápido, o que significa que é mais perigosa e requer um tratamento mais profundo.

Os principais sintomas de leucemia são:

  1. Dor nos ossos e nas articulações ao longo do corpo;
  2. Suores noturnos;
  3. Febre junto de suor noturno;
  4. Fadiga;
  5. Sensação constante de fraqueza;
  6. Inchaço e desconforto na região abdominal;
  7. Pescoço, virilha e axilas mais inchados que o normal;
  8. Perda de peso excessiva e sem esforço;
  9. Sangrar nas gengivas;
  10. Manchas arroxeadas na pele;
  11. Pequenas pintas vermelhas sob a pele em qualquer parte do corpo;
  12. Sangrar e apresentar hematomas negros com maior facilidade;
  13. Calafrios;
  14. Tonturas;
  15. Infecções frequentes.

Sintomas de leucemia infantil

Todos sabemos que reconhecer os sintomas de leucemia infantil é bem mais difícil. Pois dependendo da idade da criança, ela ainda não é capaz de expressar exatamente aquilo que está sentindo. Muitas vezes, os sintomas descritos no item anterior são difíceis para a compreensão da criança e, portanto, ela pode não expressar isso. E muitas delas, como os hematomas, podem estar ligadas a brincadeiras e não à uma doença séria.

Por outro lado, sempre há formas de se perceber a presença da leucemia, mesmo que a criança não reclame muito de algumas dores. Para além do exame médico anual, que é muito importante para prevenir inúmeras doenças, há outras formas de se reconhecer a leucemia infantil.

Perceba que a criança começa a emagrecer e ter falta de apetite intensa, ela pula uma ou mais refeições frequentemente? Passa mal se come pouco? Comece a suspeitar de anemia neste caso. Porém, se vier acompanhada de palidez, fraqueza e cansaço sem motivos aparentes, pode começar a desconfiar de leucemia.

É muito comum que as gengivas comecem a inchar e sangrar em crianças, bem como apresentar tosse e dificuldades respiratórias antes não existentes. Tudo isso contribui para o diagnóstico do médico, só que somente ele pode avaliar o caso da melhor forma possível, logo, não se desespere à toa achando que seu filho tem sintomas de leucemia infantil.

De uma forma ou de outra, mesmo que não seja leucemia, a observação constante do que acontece com crianças é importante, uma vez que a leucemia é um dos vários tipos de câncer que afetam crianças. Como já dito, nem sempre uma criança consegue expressar bem o que ela está passando e ter atenção quanto a este fato é fundamental para compreender que a observação dos pais, professores e parentes próximos, evita a piora do quadro de inúmeras doenças.

Manchas de leucemia

Assim como pesquisar doenças no Google pode ser perigoso, alguns sintomas nem sempre indicam alguma coisa precisa. Quando se fala nos sintomas de leucemia, temos como principal exemplo os hematomas.

Veja bem, hematomas são muito comuns em qualquer idade e podem aparecer em qualquer região do corpo. Eles se sobressaem quando machucamos uma certa região do corpo e causa um inchaço dolorido. Um hematoma nada mais é que o tecido da pele machucado e tentando se curar por meio do próprio organismo.

Os hematomas são manchas que variam de cor, apresentando uma aparência mais amarelada, esverdeada, arroxeada ou negra dependendo da batida. Em batidas mais leves é comum que fique amarelada, enquanto que em machucados mais sérios, as negras são predominantes.

Os hematomas são um sintoma comum de várias doenças, além de ser uma resposta natural do corpo aos diversos machucados que podemos fazer. Entretanto, as manchas de leucemia têm sua especificidade e devem sem motivo de atenção quando começam a ocorrer.

Um dos sintomas de leucemia, como bem visto anteriormente, são as manchas de leucemia… O que são elas exatamente? São os diversos hematomas que aparecem em várias regiões de nosso corpo sem qualquer explicação.

Ou seja, você aparece com manchas amarelas e negras o tempo todo? Mas não lembra de ter se machucado ou ferido aquela região? à medida em que aumentam os hematomas e menos você lembra de ter realmente machucado aquela parte do corpo, é motivo para desconfiança.

Procure um médico e relate o que está acontecendo, peça exames e comece a ficar atento quanto ao aparecimento de outros sintomas. Se é que já não estão presentes e você ainda não tinha reparado.

Quais as principais causas da leucemia?

       

Existe apenas uma causa para o desenvolvimento da leucemia, que é uma alteração genética adquirida e não hereditária, ou seja, não se passa de mãe para filho, como algumas pessoas pensam.

Contudo, não é porque existe apenas uma causa para o desenvolvimento da leucemia que isso significa que não existem fatores de risco. Dentre os principais, estão:

  1. Fumar;
  2. Anteriormente ter feito tratamento para câncer;
  3. Exposição a determinados produtos químicos;
  4. Distúrbios genéticos.

Os sintomas de leucemia variam de acordo com a saúde da pessoa, por isso que é bom ficar atento aos fatores de risco e saber quais os sintomas mais comuns da doença. Até porque, temos sorte de hoje poder entender melhor um pouco desse câncer de caráter maligno, porque muitas doenças têm causas desconhecidas até hoje.

Uma causa desconhecida, gera menos tratamento, porque não se sabe como combater efetivamente o que está atacando seu organismo. Se você não tem um tratamento, poucas são as chances de se conseguir curar a doença em questão, portanto, por mais difícil que seja a leucemia e seu tratamento, ainda há uma chance de se compreender a complexidade dessa doença.

Hemograma e leucemia

Para elucidar ainda melhor como podem ser detectados os sintomas de leucemia, têm-se uma breve explicação sobre o que é o hemograma e sua relação direta com a hemofilia neste tópico.

É importante entender que o hemograma é um exame completo que mede os níveis de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas presentes na corrente sanguínea. Desse modo, estuda-se as alterações da célula em relação a quantidade e sua aparência, uma vez que são detectadas certos tipos de alteração, têm-se o diagnóstico de determinada doença.

Como isso se liga a leucemia?

Pois bem, a leucemia está ligada diretamente a uma má formação das células sanguíneas, assim sendo, o hemograma e o exame de sangue comum são os principais exames para seu diagnóstico.

Entretanto, não se desespere com os resultados alterados. Assim como seu médico irá te esclarecer isso, um hemograma alterado não necessariamente indica leucemia. Pode se tratar de muitas outras doenças que mexem com a quantidade e aparência das células sanguíneas. A confirmação só irá ocorrer efetivamente através de um estudo feito a partir de células presentes na medula óssea.

Como ocorre o diagnóstico da leucemia?

Como foi afirmado no tópico anterior, uma parte do diagnóstico para a leucemia é feito a partir de células sanguíneas e exame de medula óssea. Mas nem sempre apenas esses exames são capazes de nos dizer exatamente em que nível está sua doença ou como combatê-la de fato.

Estes dois exames juntamente com os sintomas de leucemia já são o suficiente para assustar as pessoas, porém, os médicos não recuam com tanta facilidade. É provável que seu tipo de câncer seja lento ou que se trate de outra doença, para tanto, alguns exames como a biópsia e a punção lombar são estritamente fundamentais.

Depois disso, um exame de imagem deve ser feito, também, para se ter certeza do que está ocorrendo internamente no seu corpo. Até porque, este tipo de coisa não pode ser observado por nós e requer ajuda de equipamentos especiais. Se o baço estiver inchado e confirmar-se a formação de ínguas nas axilas, virilha e pescoço, é muito provável que você tenha leucemia.

A descoberta pode demorar um pouco e os exames podem ser intensos, até pode parecer que nunca irá terminar, mas em dado momento os médicos saberão exatamente do que se trata. Isto permitirá que um tratamento adequado seja planejado exclusivamente para você, seu organismo e o tipo de leucemia presente em seu corpo.

Ressalta-se aqui que apenas médicos podem fazer o diagnóstico, não confie no que o Google apresenta, procure um especialista, não inicie um tratamento por conta própria e, principalmente, não faça um diagnóstico próprio e omita informações do seu médico em função disso. Eles estudam para poder ajudar da melhor forma nestas situações.

Leucemia tem cura?

Depois dessa matéria toda sobre os sintomas de leucemia, você provavelmente está preocupado com a possibilidade de se ter leucemia e ainda morrer por causa disso. Pois tenha calma, porque apesar de ser um tratamento longo e ser um tipo de câncer, a leucemia tem cura sim nos dias de hoje.

A forma de tratamento varia de acordo com o tipo de leucemia que você apresenta e alguns tratamentos podem ser mais agressivos que outros. Ainda assim, é comum que muitas doenças não apresentem uma cura ainda nos dias atuais, logo, a presença de cura para leucemia é uma forma de esperança para que estas pessoas possam lutar por suas vidas.

Tipos de tratamento para leucemia

Cada tratamento apresentado aqui segue uma forma de aplicação, que deve ser feito com auxílio médico e podem variar de acordo com os seus sintomas de leucemia. Além disso, mais de um tratamento pode ser feito simultaneamente, bem como pode ser acrescentado ou retirado do seu tratamento à medida que se desenvolve a doença, para melhor ou pior.

Quimioterapia

É a forma mais comum de combate ao câncer e depende da avaliação médica feita pelo seu oncologista. A quimioterapia pode causar cansaço excessivo, perda de cabelo e queda das unhas dependendo do tratamento. Apenas um medicamento pode ser utilizado ou uma mistura de vários, o que faz com que suas consequências sejam diversas.

Radioterapia

A radioterapia no combate a leucemia utiliza de raios-X e outros feixes de altíssima intensidade para danificar as células malignas presente no corpo humano, inibindo seu crescimento e desenvolvimento. O que, consequentemente, ajuda a tratar os sintomas de leucemia pois as massas linfonodais são diminuídas no tratamento para cura. Ela também serve para preparar o paciente para o transplante de medula.

Terapia biológica

Tratamento bastante conhecido e muito utilizado no tratamento de leucemia, pois é uma forma que os médicos encontraram do próprio corpo conseguir reconhecer as células malignas e combatê-las. Este tratamento auxilia o sistema imunológico e faz com que ele trabalhe melhor diante dos problemas no organismo.

Transplante de célula tronco

Quando se fala em transplante, já se consegue entender basicamente o que está por vir: a troca total de um órgão não saudável por outro completamente saudável. Desse modo, ao se trabalhar com as células tronco, pretende-se reconstruir a medula destruída por conta da quimioterapia e da radioterapia.

Este tratamento é indicado para destruir as células causadora da leucemia e fazendo com que a medula volte a produzir células normais e saudáveis. O que melhorará o organismo e eliminará os sintomas de leucemia aos poucos. Em alguns casos, recomenda-se o transplante total de medula óssea.

É importante compreender exatamente o que é o transplante de medula óssea, porque ele pode ser a solução da leucemia em determinados pacientes. Novamente, o processo será longo e doloroso, muitos pacientes ficam cansados demais e depressivos demais para continuar. A ajuda psicológica e uma rede de apoio são essenciais nesse momento, pois pode ser muito difícil lutar contra o câncer, mas é mais difícil ainda fazer isso sozinho.

A leucemia não é impossível de se vencer, há cura, só que é demorado e nem sempre os resultados serão positivos. Portanto, cuide-se bem e saiba que somente um diagnóstico feito por um médico de confiança pode confirmar suas suspeitas. Não se automedique e, muito menos, deixe de lutar pela sua vida se o resultado dos exames não for o que se espera. Siga em frente e não desista!

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.