Dicas para economizar com seu Pet

0 418
Pets! Eles são lindos e alegram a casa. Mas fique atento para que os cuidados com seu animal de estimação não desestabilize suas finanças!

Ana e Carlos não pretendiam ter animais domésticos. Mas, de repente, herdaram dois cachorros: uma veio do filho que foi morar fora e o outro de um sobrinho que teve filho e não soube administrar a situação.

Em menos de 3 meses o casal se viu enrolado com despesas inesperadas.

“No começo levávamos os dois para dar banho toda semana, comprávamos a ração mais cara do pet shop e nos divertíamos nesses grandes centros comprando brinquedinhos e camas estilosas”, conta Carlos. Resultado: um rombo na conta de 600 reais!

Quando vimos o quanto gastamos em tão pouco tempo paramos para fazer contas e tomamos decisões que diminuíram muito nossas despesas.

Com Pierre Mascaratto o problema foi outro. Ele tem três animais em casa, dois cachorros e um gato, e sempre economizou em tudo que podia. Mas há 2 meses o cachorro mais velho ficou muito doente e precisou fazer exames, além de uma cirurgia séria.

“Eu não tinha dinheiro guardado e precisei me virar para pagar a cirurgia. Consegui dividir o valor de R$400,00 no cartão de crédito e estou tentando economizar para voltar a me organizar financeiramente”, conta.

E esses exemplos são muito mais comuns do que imaginamos. Na hora de comprar ou adotar um companheiro é muito importante que a pessoa coloque na ponta do lápis o que vai gastar e se organize muito bem para não ter surpresas ao longo do caminho. Afinal, segundo  dados da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), o gasto médio mensal com um cachorro é de R$231 e com um gato R$189. Isso sem contar as despesas inesperadas. Um valor alto, certo?

Pensando nisso, listamos algumas dicas e sacadas simples que vão te ajudar na economia do seu pet:

1.Se você ainda não tem um pet…

  • Um gato sai mais em conta do que um cachorro e dá menos trabalho. Se você fica fora o dia todo, por exemplo, tem mais um motivo para preferir um felino. Já pensou nisso?
  • Se quiser um cachorro, pense na possibilidade de adotar. Primeiro porque, no Brasil, temos mais de 30 milhões de animais abandonados. Além disso, comprar um cachorrinho é bem caro. Algumas ONGs organizam feiras de adoção e “divulgam” seus pets através das redes sociais. Fique de olho!
  • Lembre-se que, ao comprar ou adotar, você terá algumas despesas iniciais que podem te desestabilizar. Entre elas: vacinas (se ele ainda não tomou todas), comida, uma coleira, potinhos de comida… Então, antes de tomar essa decisão, faça contas, junte dinheiro e esteja preparado. Segundo o Instituto Pet Brasil, os gastos iniciais com seu pet variam entre 500 e 1.000, dependendo do tamanho do animal.

2. Se você já tem um animalzinho e precisa economizar:

Reduza os banhos no pet

Uma vez ou outra é bom levar seu cachorro para tomar banho no pet.

“Lá eles cortam as unhas dos animais, escovam os dentes e fazem a tosa, se necessário”, explica Renata Becaccha, veterinária. Mas você não precisa levar seu cachorro para tomar banho toda semana. Aproveite um dia mais tranquilo e dê banho no seu pet em casa mesmo. Compre um shampoo específico para pet e lembre-se de secar muito bem o pelo e orelhas do seu animal.

Para ajudar, duas dicas: proteja o ouvido do seu cachorro com algodão e tenha em mãos um bom secador de cabelo. Com esse hábito você economiza, em média, R$100 por mês.

3. Pare e pense na comida!

Dar ração para seu pet é prático, mas pode sair caro. Por outro lado, você não pode sair comprando a ração mais barata, sem perguntar ao veterinário se deve ou não optar por uma marca qualquer.

“Muitas rações tem muita gordura, por exemplo, e podem fazer mal para o pet”, explica Renata Por isso, ao tentar economizar com comida, converse com um profissional. Uma boa opção é substituir a ração (que custa, em média, R$100) por comida caseira. Arroz, carne magra, frango, cenoura são boas opções para seu pet.

Mas lembre-se: nada de temperar a comida deles como se fosse a sua. Sal, cebola e outros temperos devem passar longe da dieta do seu companheiro. Ou seja, não é só pegar a comida do dia a dia e servir para seu animalzinho.

4. Lembre-se que seu pet pode ficar doente

O maior perrengue que pessoas costumam passar com seu pet é quando ele fica doente. Diferente de nós, os pets não costumam ter convênio e gastos com exames, cirurgias e veterinários dificilmente estão no radar de seus donos. Por isso, o ideal é que os animais, desde filhotes, tenham uma poupança. Se tudo der certo seu animalzinho terá problemas bem mais tarde – a partir dos 7 ou 8 anos – e, até lá dá para juntar um bom dinheiro.

Que tal R$50 ou R$60 por mês?

5. Fuja das tentações!

Você sabia que o mercado pet movimenta R$17 bilhões por ano?

E não estamos falando apenas de cuidados essenciais, claro. Quem nunca teve vontade ou comprou uma cama estilosa, roupinhas e brinquedos caríssimos para alegrar a vida de seu pet? Pois é. Mas esses gastos, fora de controle, são como os supérfluos que atrapalham nossas finanças.

Ou seja, devemos passar longe. A cama do seu pet pode ser feita com, por exemplo, um lençol antigo e a roupinha precisa ser quente (no inverno) e não toda estilosa (as mais modernas e diferentes costumam ser as mais caras!).

Por fim, seu cachorrinho se diverte com brinquedos e se distrai quando você não está em casa. Isso é verdade! Mas uma bolinha (o brinquedo preferido da maioria deles) custa R$5. Então, será mesmo que você precisa comprar aqueles brinquedos caríssimos  que, no geral, ficam apenas acumulando poeira?

E lembre-se: seu pet não mede seu amor com compras caras e sim com carinho e atenção.

Pesquise antes de comprar

Na hora de fazer as compras de seu pet, encare a tarefa como se estivesse indo ao supermercado.

Ou seja, será que o pet shop do bairro não é bem mais caro que grandes centros especiais que vendem produtos para seu pet?

Faça uma pesquisa e veja o quanto você pode economizar ao reservar 1 hora do seu fim de semana para comprar, por exemplo, a ração do mês todo em um grande mercado pet. Além disso, nesses locais você encontra mais opções, marcas e tamanhos diferentes para sua pesquisa. Muitas dessas lojas ainda tem cartão de fidelidade: quanto mais você compra, mais descontos você tem.

Você pode ficar impressionado com a variação de preço de um simples shampoo ou coleira. Então, tenha paciência, pesquise, faça contas e encare as despesas de seu bichinho de estimação da mesma maneira que encara as suas: com controle e planejamento.

 

vignoli

José Vignoli

Consultor financeiro

Educador financeiro do portal MBF

Porta voz do SPC Brasil

www.meubolsofeliz.com.br

email: vigplan@uol.com.br

Leia também:

Idosos usam a internet para compras?