Perda de memória na Terceira idade nem sempre é normal

0

A memória é o nosso bem mais precioso, afinal, é nela que ficam registrados os momentos que passamos de divertimento ou de emoção, armazenadas obrigações que já desenvolvemos, tarefas que precisamos cumprir, nomes de pessoas que conhecemos e muitas outras informações importantes no nosso dia a dia.

Entretanto, a partir da faixa etária dos 40, a capacidade de armazenar informações sofre um processo lento e gradativo de deterioração. Diversos pesquisadores acreditam que o envelhecimento causa uma perda de células nervosas em uma pequena região na parte frontal do cérebro que leva a uma diminuição da produção de um neurotransmissor denominado acetilcolina. Diante disso, como a acetilcolina é importante para o aprendizado e para a memória, a ausência da mesma pode prejudicar a memória.

Se a perda de memória ocorrer com frequência ela deve ser observada, pois pode significar diversos problemas. Por isso, é importante buscar ajuda de um médico para que ele faça um tratamento a fim de reverter os problemas de memórias.

Quando o esquecimento deve ser levado à sério?

O esquecimento deve ser levado a sério quando passa a causar interferências no cotidiano. Ou seja, você não consegue lembrar de locais que colocou os objetos, não lembra de nomes de pessoas que sempre estiveram presentes no seu cotidiano, esquece o fogo acesso depois que termina de cozinhar, entre outros.  O ideal é ficar atento em casos de esquecimento de memórias recentes, como tarefas que fez no dia anterior.

É importante deixar claro que a memória comprometida pode estar relacionada com a incidência de algumas doenças, como Alzheimer ou até mesmo por causa do efeito colateral de medicamentos para tratar traz problemas de saúde. Outros problemas que podem trazer danos ao funcionamento do nosso cérebro são os distúrbios emocionais como depressão e estresse.

E o tratamento?

O tratamento será realizado de acordo com o que for diagnosticado no idoso. Vale ressaltar que não existem medicamentos específicos que ajudam a tratar a perda de memória, porém, alguns tratamentos podem corrigir o problema ao qual a perda da memória está relacionada.

       

É essencial manter também bons hábitos alimentares, pois as células do organismo necessitam de oxigênio para transformar os nutrientes absorvidos dos alimentos em energia. Isso porque a má alimentação pode gerar uma diminuição da capacidade de comunicação entre as células, dificultando o funcionamento mental.

Veja outras dicas para ficar com a memória ativa:

– Leia algo novo diariamente;

– Faça atividades diferenciadas todos os dias para ativar o cérebro;

– Realize joguinhos que estimulem o cérebro e que envolvam o raciocínio como palavras cruzadas, sudoku, xadrez, dominó, jogos de perguntas e respostas, jogos de cartas e quebra-cabeças;

– Tenha uma boa noite de sono;

– Anote tudo que for importante em um caderno ou uma agenda;

– Faça cursos para estimular o seu conhecimento.

 

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.