O que é Pediculose? Tratamento, Prevenção e Transmissão

A pediculose é caracterizada pela presença de certas espécies de piolhos em roupas ou em áreas do corpo com pelos.

0 148

A pediculose (popularmente conhecida como infestação por piolhos) é uma condição que afeta, principalmente, crianças em idade escolar e suas famílias. Os piolhos podem se fixar nos cabelos de qualquer pessoa.

Independentemente das condições de higiene, esses insetos podem ser encontrados em todos os tipos de lugares, como residências ou escolas, tanto no campo quanto na cidade – não importa quão limpo, sujo, rico ou pobre seja o local ou a pessoa que enfrenta essa situação.

O que é pediculose?

A pediculose é caracterizada pela presença de certas espécies de piolhos em roupas ou em áreas do corpo com pelos. Os seres humanos podem ser infestados por três diferentes variedades:

  • O piolho da cabeça (Pediculus humanus capitis);
  • O piolho do corpo ou das roupas (Pediculus humanus corporis);
  • O piolho-da-púbis, também denominado de “chato”, como é mais popularmente conhecido (Phthirus pubis).

Os piolhos se alimentam diretamente do sangue dos seres humanos. Os seus ovos, que são chamados de lêndeas, aderem aos cabelos graças à ação de uma substância intensamente pegajosa. Todavia, ao contrário das pulgas, os piolhos não são capazes de dar grandes saltos, mas, em compensação, podem se mover muito rapidamente.

Durante uma infestação por piolhos da cabeça (Pediculus humanus capitis), esses parasitas geralmente vivem no couro cabeludo do indivíduo. Os piolhos afetam, sobretudo, as crianças em idade escolar.

De fato, uma infestação por piolhos é algo muito comum e, conforme mencionado, não deve ser atribuída à falta de higiene, embora apresente maior incidência em locais superpopulosos e com más condições sanitárias.

A infestação por piolhos-da-púbis ou chatos (Phthirus pubis) geralmente ocorre por contato pessoal, como durante uma relação sexual.

Uma infestação por piolhos corporais (Pediculus humanus corporis) se manifesta, na maioria das vezes, em condições de superlotação, nas quais as pessoas moram juntas, por exemplo, em abrigos, campos de refugiados ou prisões.

Esses piolhos vivem nas dobras das roupas, onde depositam seus ovos. Apenas quando encontram as condições ambientais adequadas para se alimentarem do sangue de um hospedeiro migram para a pele do ser humano.

Os piolhos são seres microscópicos, dificilmente visíveis a olho nu.

O que são os piolhos?

Os piolhos são insetos muito pequenos, quase do tamanho de uma semente de gergelim (entre 2 e 3 milímetros de comprimento). Apresentam, em sua maioria, corpos claros e cinzentos. Todavia, sua coloração pode variar.

Os piolhos se alimentam de quantidades muito pequenas de sangue proveniente do couro cabeludo e podem viver de 1 a 2 dias sem se alimentar.

Eles põem seus ovos e os prendem aos cabelos, em uma área próxima ao couro cabeludo. Tanto os ovos quanto suas cascas recebem o nome de lêndeas. Estas, por sua vez, são ovais, medem 0,08 mm de comprimento por 0,3 mm de largura e possuem uma coloração entre amarelo e branco.

Algumas lêndeas imitam as cores do cabelo, tornando ainda mais difícil a tarefa de visualizá-las, levando muitos a confundirem com gotas de shampoos ou sprays. Elas se prendem aos cabelos com uma substância pegajosa que as mantém firmes no lugar. Após deixar os ovos, as lêndeas vazias permanecem junto à raiz do cabelo.

Qual é o ciclo de vida dos piolhos?

Os piolhos vivem por aproximadamente 28 dias. Desenvolvem-se em 3 fases: ovo (também chamado lêndea), ninfa e piolho adulto.

  • Ovo: as lêndeas incubam entre 6 e 9 dias. Os ovos são comumente encontrados a uma distância de 4 a 6 mm do couro cabeludo e não sobrevivem se estiverem mais distantes;
  • Embora pareça um piolho adulto, a ninfa é muito menor (do tamanho de uma cabeça de alfinete, isto é, por volta de 1,5 mm). As ninfas tornam-se adultas em aproximadamente 7 dias após sua eclosão;
  • Piolho adulto. Nesta fase, o inseto pode se multiplicar rapidamente e gerar até 10 ovos por dia que, por sua vez, levam apenas entre 12 e 14 dias para atingir a idade adulta.

Cumpre ressaltar que este ciclo pode se repetir a cada 3 semanas, caso a pediculose não seja devidamente tratada.

Causas

A principal causa de uma infestação por piolhos é, na maioria dos casos, a transmissão de uma pessoa a outra por meio do contato de suas cabeças. As relações sexuais também são causas importantes da pediculose.

Os piolhos não tendem a deixar o corpo humano, de modo que apenas em condições excepcionais podem se espalhar por meio de roupas ou objetos compartilhados, como colchões, pentes ou roupas de cama.

Estes são os chamados piolhos corporais ou das roupas. Não obstante, os especialistas não confirmam a existência dessa forma de transmissão. Parasitas sem asas e hematófagos, os piolhos se alimentam com o sangue humano, várias vezes ao dia, motivo pelo qual não abandonam naturalmente o organismo hospedeiro.

As lêndeas são depositadas diretamente nos cabelos ou nas fibras dos tecidos. Com o tempo, elas se transformam em ninfas que, uma vez adultas, passam a ser conhecidas como piolhos. Exceto pelo tamanho, as ninfas são muito parecidas com os parasitas já adultos.

Até que se desenvolvam e amadureçam completamente, as ninfas mudam de pele três vezes no espaço de duas a três semanas. As fêmeas dessa espécie começam a botar ovos logo após a fertilização, produzindo, cada uma, de 90 a 140 ovos aproximadamente.

Transmissão

Os piolhos, muitas vezes, migram de um cabelo para outro, independentemente da higiene pessoal das pessoas envolvidas na transmissão.

Eles realizam esse movimento por meio do contato entre os cabelos das pessoas em questão e, em menor medida, através de cobertores, escovas e pentes, travesseiros, chapéus, bonés, encostos de cabeça de transportes públicos ou toalhas que são usadas por várias pessoas em um curto período de tempo.

Estes piolhos podem viver cerca de dois dias e meio separados de um ser humano. Vale ressaltar, contudo, que os animais domésticos não transmitem os piolhos da cabeça (Pediculosis capitis).

Os piolhos-da-púbis são transmitidos quase exclusivamente por contato físico, sobretudo, durante a relação sexual. Em raras ocasiões, eles podem ser transmitidos compartilhando roupas de cama, cobertores, colchões ou roupas íntimas.

Essa espécie é encontrada principalmente nos pelos das áreas genital e anal. Entretanto, também pode afetar outras partes do corpo, como as axilas, as coxas, o tórax, as sobrancelhas e os cílios. Os chatos podem sobreviver por, no máximo, dois dias sem contato com um ser humano.

Os piolhos corporais, por sua vez, são transmitidos mediante o contato físico propiciado pela proximidade das pessoas em lugares superlotados (como prisões, colégios, transportes públicos, abrigos) e pelo compartilhamento de roupas. Porém, o aparecimento desse tipo de piolho não é algo muito comum.

Os piolhos das roupas e suas lêndeas são encontrados nas partes do corpo cobertas. Portanto, a coceira ocorre particularmente nesses locais, causando os arranhões característicos. Separados do corpo humano, estes piolhos podem viver de sete a dez dias.

Tratamento

O tratamento para a pediculose deve ser iniciado logo após a confirmação do diagnóstico.  As medidas a serem tomadas devem ser diferentes, de acordo com cada tipo de piolho.

Cada tipo de pilho tem um tratamento mais indicado.

Piolhos da cabeça

Para o combate aos piolhos da cabeça é altamente recomendável combinar medicamentos que podem ser encontrados em shampoos ou loções. Embora ambas as formas sejam eficazes, as loções são mais indicadas, pois não se diluem em água e, assim, não sofrem nenhuma redução na concentração de seus princípios ativos.

Lembre-se de que não é necessário cortar os cabelos ou raspá-los integralmente, como se fazia antigamente com as crianças que sofriam infestações por piolhos, basta utilizar os medicamentos indicados e, depois, passar um pente para piolhos nos cabelos.

Tratamento capilar com fármacos para eliminar os piolhos

Em muitos tratamentos, são empregados certos remédios capazes de matar esses incômodos insetos. As substâncias ativas incluem aletrina, permetrina ou piretrina (extrato de flores de crisântemo), que estão disponíveis em qualquer farmácia e não requerem receitas médicas para serem adquiridos.

Dependendo da área do corpo afetada, podem ser utilizados, para o tratamento da pediculose, shampoos, emulsões ou géis. É importante pentear os cabelos com lêndeas quando ainda estiverem secos, a fim de evitar que a diluição do produto em água diminua sua eficácia para exterminar os piolhos.

As lêndeas são particularmente resistentes, por isso, é necessário repetir o tratamento após uma semana, para garantir a eliminação de todas as larvas que, porventura, tenham sobrevivido à primeira intervenção.

Para melhorar as perspectivas do tratamento, as seguintes indicações devem ser observadas:

  • Mantenha o produto na cabeça durante todo o tempo necessário para surtir efeito, o que pode variar de 10 a 15 minutos, dependendo do produto utilizado. Para não ter dúvidas, leia e siga, sempre, as orientações do fabricante;
  • Cubra a cabeça com uma touca e depois enxágue com água em abundância;
  • Aplique o produto generosamente;
  • Repita o processo após 7 dias;
  • Certifique-se de que os cabelos não estão muito molhados, caso contrário, as substâncias ativas podem perder o efeito;
  • Diferentes tratamentos para a pediculose não devem ser seguidos ao mesmo tempo;
  • Durante a aplicação da loção, proteja seus olhos, nariz e boca;
  • Gestantes e lactentes devem evitar o tratamento farmacológico. Nestes casos, é preferível optar pela retirada dos piolhos com um pente específico para esse fim.

Pente antipiolhos

Além do tratamento com medicamentos especiais contra piolhos, você deve pentear os cabelos com um pente especificamente fabricado para livrar a cabeça destes insetos e suas lêndeas.

       

Os pentes antipiolhos têm dentes muito duros e próximos uns aos outros, sendo capazes de prender tanto os piolhos quanto as lêndeas. Para utilizá-lo adequadamente, você deve pentear o cabelo, da raiz até as pontas.

Limpe o pente após cada movimento em uma toalha ou lenço branco para verificar se ainda há piolhos. Caso ainda haja piolhos adultos ou ninfas, repita a operação. Confira, a seguir, algumas recomendações úteis:

  • Ao iniciar o penteado, o mais importante é ter tempo e paciência para assegurar sua efetividade;
  • Tenha em mãos todos os utensílios necessários: uma toalha, uma escova ou pente normal, um pente antipiolhos, lenço de papel, uma lata de lixo, grampos e prendedores de cabelos;
  • Coloque a toalha sobre os ombros;
  • Umedeça os cabelos: pentear e desembaraçar com um pente normal facilitará o procedimento;
  • Separe os cabelos em pequenas mechas. Fique atento para não reunir muito cabelo em cada mecha, pois isso dificultará o acesso do pente antipiolhos ao couro cabeludo;
  • O pente antipiolhos deve ser colocado o mais perto possível do couro cabeludo. Em seguida, movimente-o suavemente ao longo de todo o cabelo várias vezes e em todas as direções;
  • É aconselhável prender os cabelos já penteados, separando-os das mechas que ainda não o foram;
  • Após cada movimentação, lave o pente com água e use um pano limpo para remover os piolhos ou lêndeas que ficaram presos a ele;
  • Após esse procedimento, lave todas as roupas e toalhas usadas e aspire a área de extração.
Siga corretamente o procedimento para se livrar dos piolhos!

Se o uso de medicamentos for associado à utilização de um pente antipiolhos, as seguintes diretrizes são recomendadas para um tratamento de 17 dias:

  • Dia 1: use a loção antipiolhos e, a seguir, passe o pente;
  • Dia 5: volte a pentear os cabelos, a fim de eliminar as ninfas recém-nascidas;
  • Dia 7 a 10: reutilize o medicamento antipiolhos;
  • Dia 13: penteie o cabelo e verifique se ainda há infestação por piolhos;
  • Dia 17: penteie o cabelo molhado novamente para uma checagem final.

Se as sobrancelhas e os cílios estiverem infestados de piolhos, aplique azeite de oliva ou vaselina várias vezes ao dia. Depois de alguns dias, você pode remover os piolhos e lêndeas com uma pinça.

Se você está combatendo a pediculose sem utilizar shampoos ou loções específicas, mas apenas o pente antipiolhos (devido, por exemplo, à gravidez ou à lactância), penteie os cabelos a cada quatro dias, isto é, nos dias 1, 5, 9, 13 e 17.

Infestação por piolhos-da-púbis

A infestação por chatos é tratada, como a dos piolhos da cabeça, com meios antiparasitários, cuja aplicação deve ser repetida, também, após uma ou duas semanas. O paciente deve seguir as mesmas orientações descritas acima para interromper a cadeia de transmissão.

Piolhos corporais

Como os piolhos corporais permanecem, acima de tudo, presos às roupas e só migram para o corpo humano para se alimentarem, é muito importante tratar adequadamente todas as roupas e os tecidos usados. Em caso de infestação por piolhos, a roupa deve ser lavada, incluindo as roupas de cama, a 60 graus Celsius.

Os armários, colchões, travesseiros e almofadas devem ser higienizados com inseticidas ou colocados em sacos plásticos por duas semanas no freezer. Antes de voltar a utilizar essas roupas, o corpo deve estar completamente limpo.

Sendo assim, lave absolutamente todas as roupas usadas nas 24 horas anteriores à detecção da pediculose. Se você não tiver como garantir, em casa, a precisão quanto aos 60 graus Celsius, leve as roupas a uma lavanderia ou, em último caso, descarte-as.

Outra possibilidade que pode ser contemplada, por exemplo, para bichinhos de pelúcia, consiste em colocá-los em sacos plásticos hermeticamente fechados e armazená-los no congelador por duas semanas.

Os pentes, escovas, grampos de cabelo e pinças devem ser lavados normalmente com o auxílio de uma escova de dentes ou de unhas.

Remédios caseiros para pediculose

Existem muitos remédios caseiros para eliminar os piolhos, mas o tratamento mais eficaz pode ser obtido a partir da combinação de produtos específicos para piolhos, vendidos em farmácias, com o ato de eliminar os piolhos mortos com a ajuda de um pente.

Outros métodos também podem ser eficazes, mas existe o risco de os parasitas não serem completamente eliminados e a infecção persistir.

Desse modo, evite aplicar óleos caseiros na cabeça ou direcionar uma fonte de calor para a sua cabeça na tentativa de eliminar os piolhos: visitas à sauna ou aplicação direta de calor direto por meio de um secador de cabelo também não são remédios eficazes.

Essas medidas podem, na prática, gerar o efeito contrário e trazer consequências negativas, como queimaduras no couro cabeludo.

Prevenção

Uma infecção por piolhos pode ser evitada com sucesso caso certas medidas sejam tomadas e algumas precauções sejam devidamente observadas. No caso dos piolhos da cabeça, é essencial iniciar o tratamento o mais rapidamente possível.

Além disso, é importante notificar as pessoas mais próximas a você como familiares, amigos ou colegas de escola para evitar a transmissão. Em qualquer caso, após o início do tratamento com produtos específicos, as crianças podem ir à escola sem problemas e sem risco de transmitir piolhos aos seus pares.

Na verdade, ao contrário do que alguns pais acreditam e costumam responder nas pesquisas realizadas sobre o assunto, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a par das recomendações oferecidas pela maioria dos organismos científicos internacionais, aconselha não isolar a criança que tenha sido infestada por piolhos.

Essa medida, além de contribuir para estigmatizar a criança, não apresenta eficácia demonstrada, devendo, portanto, ser evitado em todas as situações.

Para prevenir a pediculose provocada por piolhos corporais é fundamental cuidar da higiene das roupas e do próprio corpo. Os pais devem estar atentos a esses critérios, bem como educadores, colegas de trabalho e estudo e todos os que, de uma forma ou de outra, atuam e convivem em penitenciárias e abrigos coletivos.

Uma infestação por piolhos-da-púbis pode ser prevenida evitando-se a relação sexual com uma pessoa infestada. O mais apropriado é iniciar o tratamento conjunto caso o casal detecte esse problema. Depilar a área pubiana pode ser uma opção para reduzir o risco de infestação.

Mantenha a higiene íntima em dia!

Evolução

A evolução de uma pediculose depende da velocidade com que a infestação por piolhos foi detectada e diagnosticada e o tratamento adequado iniciado. Não se esqueça: quanto antes você tomar as providências necessárias, mais cedo a situação será resolvida. Normalmente, os tratamentos tradicionais são muito eficazes.

É recomendável repetir o tratamento após 7 a 14 dias, pois desta forma as lêndeas que foram deixadas no cabelo são completamente eliminadas.

É de fundamental importância, no caso de infestação em crianças em idade escolar, informar a respectiva instituição de ensino para que os professores e os pais dos colegas de turma estejam alertas e uma infestação massiva possa ser evitada.

Complicações

Estes parasitas são transmissores potenciais de certas doenças, especialmente os piolhos das roupas.

Isso acontece principalmente porque muitos piolhos são infectados pela bactéria Bartonella quintana, que é capaz de gerar doenças infecciosas, tais como a febre tifoide ou a doença de Werner-His, enfermidade também conhecida como febre das trincheiras.

Sintomas

Cerca de metade das pessoas com pediculose não apresentam, inicialmente, quaisquer sintomas. Isso significa que leva algum tempo até que a quantidade de piolhos cresça o suficiente para o sistema imunológico da pessoa afetada reagir.

Em diversas situações, os pacientes de uma infestação por piolhos sentem coceiras agudas que tendem a aparecer prioritariamente no período noturno. Na maioria das vezes, pápulas vermelhas e urticária também se formam nas áreas afetadas.

Em outros casos, podem surgir eczemas devidos aos arranhões provocados pelo ato de se coçar. A vermelhidão e a própria coceira presentes na pele se devem à saliva dos piolhos, que é tóxica e se rompe a cada bicada.

Na infestação por piolhos, o couro cabeludo é afetado em primeiro lugar e os eczemas geralmente são produzidos na nuca e atrás das orelhas.

Os piolhos-da-púbis também costumam causar manchas avermelhadas nas roupas íntimas, ocasionadas pelas fezes destes insetos ou pequenas lesões na superfície da pele, surgidas no momento em que o parasita pica para se alimentar.

Uma inspeção mais detalhada com o auxílio de um microscópio revelará, na vizinhança dos folículos pilosos, a existência de pequenas lesões puntiformes ao redor da pele avermelhada.

Em alguns casos de infestação por piolhos-da-púbis é possível encontrar hematomas em tons de azul-escuro, com até dois centímetros e meio de largura que, embora não gerem dor, causam pequenos sangramentos na pele circundante ao ponto em que o parasita se alimentou.

Diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico de infestação por piolhos, o médico inspecionará todo o corpo com uma lupa e boa iluminação. É importante verificar as axilas, os pelos pubianos e os cílios. A cor cinza-amarelada dos piolhos torna difícil reconhecê-los em tons de peles mais claros.

Quando eles começam a se alimentar de sangue, os parasitas assumem uma cor avermelhada e, por tal motivo, se tornam mais facilmente visíveis.

Em caso afirmativo, um pente especial facilitará, ainda no consultório ou ambulatório médico, a busca por piolhos ou seus ovos (lêndeas).

Se ocorrer a pediculose devido à infestação por piolhos-da-púbis, o médico atentará não apenas para os parasitas – e suas respectivas lêndeas em si – mas também para a presença de hematomas característicos causados pelas picadas destes parasitas.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.