O que causa insônia? O Terceira Idade explica!

0 1.905

A insônia é um mal que atinge mais de 2 milhões de brasileiros por ano, e cerca de 40% da população tem este problema. E muitas pessoas ainda tem dúvidas sobre o que causa insônia e como ela pode ser tratada.

Seria interessante antes de analisarmos o que causa insônia, entender melhor o que é a insônia. Basicamente, refere-se a uma diminuição da quantidade e da qualidade do sono, como por exemplo, dificuldades para dormir, acordar no meio da noite e não conseguir voltar a dormir, acordar muito cedo, entre outros.

A grande questão é que tudo isso acaba tendo consequências no nosso dia a dia, pois geralmente a pessoa acorda muito cansada e ao longo do dia, pode ficar um pouco sonolenta, irritada, etc., chegando inclusive a ter um impacto direto sobre tarefas relativamente simples.

O que causa insônia?

Pode-se considerar que uma pessoa tem insônia quando leva mais de 30 minutos para adormecer, ou passa cerca de 30 minutos acordada no meio da noite, dormindo frequentemente menos de 6 horas e 30 minutos por noite e acorda muito cedo sem conseguir voltar a dormir.

Sabe-se que o ideal é dormir de 7 a 8 horas por noite, portanto, para algumas pessoas dormir 5, 6 horas já é o suficiente. Acordam bem-dispostas e não apresentam qualquer sinal de cansaço. Isso não significa que sofram com insônia.

Algumas pessoas podem sofrer de uma insônia transitória, ou seja, algum problema, alguma preocupação que as leva a perder o sono. Mas como o nome diz, é transitória e em poucos dias passa. Entretanto, caso essa situação aconteça pelo menos 3 vezes por semana e por pelo menos 3 meses, já é considerada uma insônia crônica.

O que causa a insônia pode ser um fator orgânico como a síndrome das pernas inquietas ou a apneia do sono. A síndrome das pernas inquietas é comum em mulheres grávidas e em pessoas acima dos 60 anos e a pessoa tem a sensação que as pernas estão queimando e isso faz com que elas se levantem e não conseguem dormir.

E a apneia do sono se caracteriza por acordar durante várias vezes ao longo da noite, causando uma enorme fadiga logo que acordam e podendo ocasionar problemas de memória e concentração.

A insônia tende a se tornar mais constante com a idade em razão do envelhecimento do cérebro causando uma mudança no relógio biológico.

Vale ressaltar que algumas doenças podem estar relacionadas à insônia, como por exemplo, a asma…

E, na maioria dos casos, o que causa a insônia são fatores psicológicos:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Estresse;
  • Situação traumática;
  • Pensamentos negativos.

Existem casos onde situações muito estressantes podem levar à insônia, como a perda de um ente querido, a perda de um emprego, até mesmo o nervosismo antes de uma prova ou uma entrevista de emprego, por exemplo. Geralmente, nesses casos, a insônia dura alguns dias e a partir do momento que o problema é resolvido, ela desaparece.

As causas mais comuns são:

  • Mudança de fuso-horário;
  • Ansiedade ou depressão;
  • Doenças como refluxo gastrointestinal, mal de Parkinson, Mal de Alzheimer, hipertrofia da próstata, AVC.
  • Medicamentos;
  • Consumo de álcool, cafeína e nicotina;
  • Dores como da artrite;
  • Mudanças no horário de trabalho;
  • Apneia do sono;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Falta de atividade física;

Insônia é grave?

Na verdade, a insônia em si não é uma doença, mas um sintoma de alguma coisa. É um sinal que nosso corpo está dando que alguma coisa não está funcionando bem.

A insônia torna-se crônica quando ocorre pelo menos 3 vezes por semana e por mais de 3 meses. O grande problema aqui é que acaba afetando extremamente a qualidade de vida da pessoa. Não conseguem se concentrar na escola ou no trabalho, há uma queda no desempenho, as pessoas tendem a ficar mais irritadas, há um maior risco de acidentes de carro e no trabalho.

É muito importante identificar o que causa a insônia para que essa situação seja solucionada o mais breve possível.

As pessoas começam a se sentir muito angustiadas quando a hora de ir para a cama vai se aproximando. Já começam a ter vários pensamentos negativos relacionados ao sono, como “não vou conseguir dormir”, “não vou dormir o suficiente”, etc.

A insônia em si não é grave, mas o que causa a insônia é que pode ser grave.

Insônia é problema genético?

Em 2017, pesquisadores holandeses descobriram que 7 genes poderiam estar associados à insônia. E seriam esses mesmos genes que estariam presentes na síndrome de pernas inquietas.

Na verdade, o que causa a insônia em maior grau é o estresse, mas esse estudo na Holanda mostrou que pode haver uma causa genética. Este estudo se baseou em fazer uma análise do DNA de 113 mil pessoas na Grã-Bretanha e nos Países Baixos.

Além dessa análise, foi perguntado a essas pessoas se tinham dificuldade em adormecer ou dormiam a noite toda sem nenhuma interrupção. Descobriram que havia muitas semelhanças genéticas em todos aqueles que relataram que tinham dificuldade para dormir.

Foi somente uma primeira pesquisa, mas é uma questão que deve ser levada em consideração. Novos estudos terão que ser feitos para haver a real comprovação desta pesquisa.

Quais os sintomas da insônia?

A insônia pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Dificuldade em adormecer;
  • Interrupções no sono;
  • Acordar muito cedo;
  • Sensação de cansaço excessivo ao acordar;
  • Fadiga e sonolência ao longo do dia;
  • Irritabilidade ou ansiedade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dor de cabeça;
  • Falta de energia.

Algumas pessoas não entendem porque dormiram o suficiente e mesmo assim acordam muito cansadas. É fundamental

Quais medicamentos que podem causar insônia?

Como já foi dito, algumas doenças podem causar a insônia, logo, o que causa a insônia pode, em alguns casos, estar diretamente ligado a certos medicamentos administrados para o tratamento de certas doenças.

Alguns medicamentos para controlar a pressão arterial, antialérgicos, corticoides, antidepressivos e estimulantes podem acarretar a insônia. Lembrando que alguns medicamentos que possuem na sua composição cafeína também podem causar a insônia.

O ideal é, caso você esteja sofrendo de insônia, conversar com seu médico até mesmo para avaliar se medicamentos que você esteja tomando possuem efeitos colaterais, os quais estejam afetando seu sono.

       

O que causa insônia na adolescência

A adolescência é marcada por uma fase com muitas mudanças tanto do corpo quanto emocionais e a insônia está aumentando bastante entre os adolescentes.

É uma fase onde cada adolescente atravessa de uma forma, mas a maioria tem uma maior necessidade de afirmação e assumir novas responsabilidades. E todas essas mudanças podem afetar seu sono.

O que causa insônia na adolescência está muito frequentemente relacionada a:

  • Ficar até tarde no celular ou no computador;
  • Ficar no videogame até tarde;
  • Exposição a muito barulho;
  • Doenças;
  • Apneia do sono;
  • Mudança nos horários de dormir. Isso é muito normal durante as férias;
  • Mudança de fuso-horário;
  • Estresse;
  • Sobrecarga de tarefas extracurriculares;
  • Praticar exercícios físicos intensos ante de dormir;
  • Fazer uma refeição pesada antes de ir para cama.

É muito normal antes de uma prova, os adolescentes perderem o sono devido à ansiedade. Mas isso tende a desaparecer. Muitos adolescentes adoram ficar até tarde no celular, no computador ou assistindo TV e esse excesso de estímulos pode interferir bastante na sua qualidade de sono.

E basta algumas mudanças de hábitos para que o adolescente volte a ter uma boa qualidade de sono:

  • Estabelecer um horário para se deitar e se levantar, inclusive nos fins de semana;
  • Evitar exposição excessiva à luz antes de dormir;
  • Praticar exercícios físicos durante o dia;
  • Evitar álcool, cafeína e cigarro;
  • Evitar levar para a cama o celular e computador;
  • Ler um livro para relaxar.

Entretanto, é importante estar atento a determinados sinais:

  • Queda no rendimento na escola.
  • Estar sempre cansado;
  • Falta de concentração.

Alguns estudos apontam que, a insônia na adolescência pode ser um sinal de depressão e ansiedade. Segundo esses estudos, esses adolescentes se mostraram mais ativos à noite e seriam mais propensos à depressão, ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo e fobia social.

Nota-se uma diminuição do sono em torno de 2 horas entre os 12 e 20 anos. Para compensar tudo isso, o adolescente dorme até tarde nos fins de semana. Só que, algumas vezes, os pais negligenciam esse comportamento, associando-o à preguiça. Aqui que está a grande questão: pode ser que seja um problema neurofisiológico relacionado à adolescência.

Veja também: Xaropes caseiros para acabar com a tosse

O que causa insônia em bebês

Deve-se ter em mente que o hábito de dormir é algo que é introduzido pelos pais à rotina das crianças e isso pode trazer consequências no futuro.

Até os 6 meses de idade, é muito comum os bebês acordarem devido à alimentação. Contudo, problemas do sono podem ser observados quando há uma enorme dificuldade para dormir e até mesmo a manter o sono.

Caso se perceba que o bebê acorde muito durante a noite, até mesmo ronca enquanto dorme ou para de respirar, pode ser que esteja com algum problema nas amígdalas ou adenoides.

E bebês asmáticos é bem comum que apresentem uma tosse constante durante a noite, impossibilitando-os de dormir. Nesse caso, é fundamental consultar o pediatra para prescrever uma medicação adequada.

Veja alguns sinais:

  • O bebê acorda muitas vezes durante a noite;
  • Solicitam a presença dos pais;
  • Acontece durante muitas noites;
  • Dura cerca de 3 meses.

O mais aconselhável é que se faça uma avaliação tanto médica quanto psicológica para se averiguar verdadeiramente o que causa a insônia.

O que é insônia rebote?

Já se sabe que o que causa a insônia pode estar relacionada a uma série de fatores e, em casos mais severos, é necessária a administração de alguns medicamentos para auxiliar nesse processo.

A utilização de certos medicamentos como os soníferos tende a melhorar a qualidade do sono, só que algumas vezes uma determinada pessoa pode apresentar uma maior tolerância a esses medicamentos e têm a necessidade de aumentar suas doses e se forem retirados de forma repentina podem ocasionar a insônia rebote.

Na maioria das vezes, os médicos prescrevem medicamentos que não causam dependência, mas isso vai variar muito de pessoa para pessoa. Algumas podem ter maior tolerância e outras nem tanto. Lembre-se de informar ao seu médico se faz uso de qualquer outra medicação, a fim de se evitar efeitos colaterais.

Resumindo, a insônia volta a estar presente quando não há mais seu controle através de medicamentos. Isso acontece quando tais medicamentos são tomados em grandes quantidades ou por um longo período e a partir do momento que há a interrupção desses medicamentos ocasiona a insônia rebote e faz com que as pessoas voltem a tomá-los.

Por isso, é muito importante seguir rigorosamente as orientações do médico e só interromper o uso de medicamentos sob sua orientação.

Qual médico procurar em caso de insônia?

O ideal é consultar seu médico particular para que ele identifique o que causa a insônia. É bem provável que ele peça para você relatar como você dorme, qual o horário que se deita e se levanta, se faz uso de algum medicamento, se você fuma ou toma bebidas alcoólicas, enfim, ele poderá traçar um diagnóstico mais preciso se baseando tanto no seu relato como em exames clínicos.

Ele vai avaliar se algum problema de saúde está ocasionando a insônia. E, dependendo do caso, ele pode te encaminhar para clínicas que tratam especificamente de problemas de sono.

Nestas clínicas, talvez seja solicitado que você faça um exame chamado de polissonografia, ou seja, um exame para diagnosticar com mais precisão a insônia. Esse exame consiste basicamente, enquanto você dorme, de monitorar e registrar todas as fases do seu sono inclusive de identificar se você sofre ou não de apneia do sono.

Se por um acaso, você não possui um médico particular, pode se consultar com um clínico geral, um neurologista ou um psiquiatra.

Lembrando sempre que, apenas o médico que pode prescrever o medicamento para o tratamento da insônia. Nunca tome um medicamento por conta própria e siga à risca as orientações do médico.

Como você pode ver, o que causa a insônia pode estar relacionado a diferentes fatores. O mais importante é identificar sua causa para depois iniciar um tratamento. Em alguns casos, uma simples mudança de hábitos pode reduzir muito ou sintomas ou mesmo acabar de uma vez com a insônia, mas em outros torna-se necessário a administração de alguns medicamentos ou terapias para tratar o problema.

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.