O método SUPERA: eficácia na aprendizagem

0 291

Para quem ainda não conhece, o Método SUPERA se embasa na Teoria de Inteligências Múltiplas de Howard Gardner, que faz a descrição da grande diversidade de estilos e talentos de aprendizagem, resultando num modo flexível de procedimento de ensino e a forma como deve ter a condução para que se alcance de forma efetiva a todos os públicos.

O SUPERA está a par de conceituações e descobertas científicas como a neuroplasticidade do cérebro, que revela a habilidade cerebral de alteração quando está sendo estimulado.

Por muitos anos, era possível acreditar que, ao passo que estamos envelhecendo, as conectividades relacionadas às funções neurais se tornam imutáveis. Porém, estudos apresentam que, com estimulação, o cérebro consegue se transformar e aprender, elevando suas habilidades.

Outra conceituação que embasa o método SUPERA é o método da metacognição. Este método, nada mais é, que a consciência despertada, em virtude de estratégias utilizadas para o aprendizado.

O caráter eficaz dessa aprendizagem varia conforme a construção estratégica cognitiva e metacognitiva que torna possível ao indivíduo o planejamento e monitoramento de desempenho.

A metacognição pode, ainda, atuar como um influente em relação ao caráter motivador da aprendizagem, visto que, em virtude de os estudantes terem o controle e gestão dos seus próprios procedimentos relacionados a cognição, isso gera a noção de responsabilidade sobre o desempenho escolar, o que acaba gerando confiança naquilo que é capaz.

Indicação do Método SUPERA

O Método SUPERA é o que norteia o curso, e é indicado para todas as pessoas que tenham idade acima de 4 anos. Para esta faixa etária, tem-se o “Brincar para aprender”, que trata-se de uma metodologia lúdica com a qual a criança consegue pensar além da caixa.

A partir dos cinco anos de idade, o estudante já pode iniciar o programa básico do Método SUPERA, por meio das apostilas Abrindo Horizontes e do Ábaco.

Material Didático

O SUPERA consegue trabalhar com materiais didáticos exclusivos, que promovem a combinação do milenar ábaco japonês Soroban, que disponibilizam apostilas com métodos desafiadores, dinâmicas de grupos, jogos de tabuleiros e, ainda, jogos virtuais.

Existe uma variedade de suportes pedagógicos que promovem o atendimento a quaisquer tipos de públicos, tornando as aulas muito contagiantes e divertidas. Desse modo, o método SUPERA consegue garantir que o estudante desenvolva múltiplas habilidades inteligentes, justamente por ativas e exercitar todas as regiões cerebrais.

Ábaco

O ábaco é uma ferramenta utilizada para calcular, produzida há muito tempo, no Oriente, porém, ainda muito utilizada em instituições do Japão e China. Nas salas de aula, com o método SUPERA, utiliza-se o tipo Soroban para o desenvolvimento de capacidades como o raciocínio lógico e a atenção.

A partir da prática do ábaco, os estudantes promovem o aprendizado de cálculos mentais com as expressões de subtração, multiplicação, divisão e adição. Em graus avançados, os estudantes estão aptos a realizar contas de maior complexidade, com mais rapidez do que uma calculadora.

Este suporte faz o auxílio ao estudante a ter concentração e atenção para o procedimento de exercícios diários. A atividade de atenção é a rota para a potencialização de outras capacidades, como a velocidade do raciocínio e a memória. O ábaco se destaca também como um aliado fortíssimo para desenvolver a coordenação motora.

Apostilas

As apostilas do SUPER são produzidas pela Coordenação Pedagógica Nacional do SUPERA. As apostilas Abrindo Horizontes são de exclusividade do método SUPERA e são atualizadas periodicamente.

Elas são passíveis de atividades convidativas ao cérebro para que haja em exercício de reflexão, para pensar e expandir os limites da mente, com um efeito potencializador às suas capacidades.

Os exercícios desenvolvidos aprimoram o raciocínio lógico, a habilidade de análise e síntese, a criatividade, o estudo de forma e espaço, de modo a proporcionar o desenvolvimento de várias habilidades como o fator disciplinar para a elaboração de estratégias e a capacidade de solução de problemas, de maneira criativa e rápida.

Jogos

O método SUPERA atua com diversos tipos de jogos da temática didática-pedagógica para o desenvolvimento de capacidades de cognição, emoção e social. Os jogos disponibilizam aos estudantes um ambiente para exploração de critérios reais que estão ao redor deles, abrindo portas para vivências desafiadoras e ricas.

Dessa forma, eles estão aptos a serem mais confiantes em suas habilidades de elaboração de estratégicas em relação a cenários desafiadores e novos.

Dinâmicas e vídeos motivacionais

Para diversos dos estudantes do método SUPERA, os vídeos e dinâmicas são exercícios incríveis e estimulantes. São maneiras relevantes de atuar no desenvolvimento da liderança, da capacidade de se expressar, no relacionamento interpessoal e na autoestima.

O método, em questão, utiliza diversas dinâmicas e vídeos que exercitam os valores éticos, honestos, solidários, de responsabilidade social e de respeito ao próximo.

Exercícios Neuróbicos

As atividades neuróbicas são aquelas de caráter aeróbico para as funções neurais. Essas práticas agem no estímulo de sinapses e produzem redes de conexões. As neuróbicas têm exigência da utilidade de diversos sentidos e movem o cérebro para além de sua rotina, aprimorando o desempenho da atividade cerebral.

Os fundamentos da neuróbica concernem a exercícios rotineiros de maneiras diferenciadas, como atividades com o ábaco – sendo que dessa forma, os olhos estarão vendados – e a escovação de dentes com a mão não dominante.

Jogos Virtuais

O Método SUPERA virtual é um endereço eletrônico de jogos que foi feita por especialistas neurocientistas internacionais. Este site pode ser acessado em qualquer sala de aula ou até mesmo em casa.

Ele conta com uma programação personalizada de atividades cerebrais, e o estudante consegue o aprimoramento de suas capacidades cognitivas como a visão de espaço, a linguagem, a memória, o raciocínio lógico, a atenção. A programação ainda auxilia o estudante a partir de um ajudante virtual, que com o passar da prática, estará apto a analisar o progresso do aluno.

Sobre o Método

O método SUPERA tem base na Teoria de Inteligências Múltiplas, que, como já mencionado, faz discrições sobre a vasta técnica de maneiras de se aprender e os modos flexíveis do processo de ensino, como deve ser realizado para que se alcance os estudantes de maneira efetiva.

Alguns teóricos do Método

Jean Piaget, defensor de que o conhecimento trata-se de uma construção que interage entre os objetos do conhecimento e o sujeito em atividade. Conforme critérios mencionados pelo estudioso, os jogos são, basicamente, um ato semelhante a função, numa atividade de atitudes individuais já compreendidas, de modo a gerar um sentimento prazeroso pela atividade do lúdico e domínio de ações.

Para ele, os jogos possuem duas funcionalidades: a consolidação de esquemas já compostos e a geração do prazer ou o equilíbrio da emoção ao indivíduo.

Lev Vygotsky, que é conhecido por priorizar a funcionalidade mediadora cultural e linguística na composição humana, é um dos estudiosos relevantes para o método SUEPRA.
Vygotsky traz a inclusão de conceituações incontornáveis no setor de desenvolvimento de aprendizagem. Uma das conceituações mais relevantes é o de Zona de Desenvolvimento Proximal, que tem proximidade com o que se diferencia entre o que a criança está apta a fazer sozinha e aquilo que não consegue, mas compreende e faz com o auxílio de adultos ou quem saiba.

De acordo com o estudioso, a atividade lúdica traz influências gigantes para que se possa desenvolver o  ser humano. É por meio do lúdico que a criança consegue aprender ações, atitudes; que a curiosidade passa a ser estimulada, que consegue adquirir autoconfianças e iniciativas.

Os jogos conseguem proporcionar o desenvolvimento de linguagem, de concentração e de pensamentos.

Kurt Lewin, também é um dos estudiosos mencionados no método SUPERA, pois é responsável pelo desenvolvimento da prática de Dinâmica de Grupo como uma ferramenta e metodologia educativa de fazer treinos das habilidades dos seres humanos, considerando como o objetivo fundamental a forma como eles se comportam através de discussões, exposições e decisões em grupos – metodologia totalmente diferenciada do ensino tradicional.

David Ausubel, reforça o fator relevante da aprendizagem ter significado para o estudante. O estudioso ressaltava que, ao passo que conhecemos mais, também aprendemos mais.
Para o estudioso, o aprendizado de forma significativa amplia e reconfigura ideias já disponíveis na estrutura da mente e, por meio disso, tem capacidade de relacionamento e acesso de conteúdos.

“Quanto maior o número de links feitos, mais consolidado estará o conhecimento” – Ausubel

Reuven Feuerstein, um pioneiro do Programa de Enriquecimento Instrumental, e participante da conceituação de Experiência de Aprendizagem Mediada (EAM), promove o reforço da relevância do ensino para o pensamento com o auxílio de um ambiente mediador e aberto.

O centro da Teoria da Modificabilidade Cognitiva Estrutural é a conceituação de inteligência, sendo modificável e plástica, com caráter de que pode ser refletida e pensada.

De acordo com o estudioso, a inteligência pode ter seu desenvolvimento em um lugar onde se aprende de forma mediada, construído por meio da teoria da Experiência da Aprendizagem Mediada.

Edgar Morin que destaca a teoria da Complexidade, como uma ligação necessária para a união dos conhecimentos, que devem ter transcendência aos segmentos e linearidades. O saber complexo não limita-se à ciência, pois existe em poesia, literatura, artes.

Uma variedade de obras artísticas disponibilizam pensamentos profundos sobre a vida. De acordo com Morin, deve-se fazer o rompimento da ideia de que as artes ficam de um lado e o pensamento da ciência de outro.

Philippe Perrenoud parte do fundamento de que as pessoas têm o desenvolvimento humano por meio de relações com o meio em que vivenciam, a partir das habilidades que enxerga não como uma rota, mas um efeito de adaptação humana às suas condições existentes.

Dessa maneira, cada ser, de forma diferente, desenvolve habilidades relacionadas a resolução de problemas que fazem relação ao fato de superar cenários, como um norteador.

Exemplificando, pode-se dizer que é o fato de saber nortear-se ao rumo de volta para a residência, através de um fragmento da rua que pode ser utilizada como referência, mobilizando as habilidades de mapeamento de espaço e seu reconhecimento; ter postura frente a dificuldades infantis, que desperta habilidades pedagógicas; saber como fazer a construção de recursos, o que faz o estímulo de habilidades lógicas e matemáticas, entre outras.

Henry Wallon traz a conceituação teórica de que somos indivíduos completos – com movimento, cognição e afeto – e o método SUPERA se relaciona com o estudante, também de maneira completa, com movimento, cognição e afeto. Isso significa que os docentes são elementos privilegiados do meio do estudante.

Documento da ONU Life Skills Education in Schools, que faz a definição das habilidades para a vida como competências que destacam o desenvolvimento de comportamentos que se adaptam e são positivos para a capacitação individual dos seres ao agirem em relação a desafios e demandas da vida comum.

O composto dessas competências que promovem bem estar e saúde são a resolução de problemas, a tomada de decisões, o pensamento crítico e criativo, a comunicação com eficácia, habilidades de relacionamento interpessoal, a empatia, a autoconsciência, a postura frente ao estresse e às emoções.

Art. 32. Lei de Diretrizes e Bases Nacionais, que argumenta sobre o fator que desenvolve o aprendizado e sua capacidade, considerando a aquisição de habilidades e conhecimentos e a composição de valores e atitudes.

Larry Katz, criador do método “neuróbica”, que seria a GINÁSTICA DO CÉREBRO. Pelo autor, a neuróbica trata-se da inversão da ordem de movimentos convencionais da nossa rotina, de modo a modificar a maneira de percepções.

O intuito é agir de maneira consciente sobre as atitudes que se destacam pelo cérebro e pela emoção. São atividades que seguem da leitura, ao oposto de discutir com alguém desconhecido, porém que tratem de fatores emocionais, físicos e mentais do organismo.

“São esses hábitos que ajudam a estimular a produção de nutrientes no cérebro desenvolvendo suas células e deixando-o mais saudável” – Larry Katz

Pilares fundamentais do Método

São quatro pilares imprescindíveis da educação para o séc XXI. Para que possa dar a resolução do composto de missões, a educação deve ter uma organização em volta de quatro pilares fundamentais para a aprendizagem:

  • Conhecer e aprender – adquirindo instrumentos de compreensão;
  • Aprender a elaborar para que possa ter ações sobre o meio em questão;
  • Aprender a conviver juntos para a participação e cooperação com outros em diversos exercícios humanos;
  • Aprender a ser, por meio do fundamental que faz a integração das três atitudes anteriores.

Método e a Ciência

A neuroplasticidade do cérebro é capaz de fazer a modificação da consolidação de novos aprendizados. O cérebro é capaz se fazer uma reorganização em si, formando novos conectivos entre os neurônios. Além dos elementos da genética, o local em que o indivíduo reside e as atitudes desse indivíduo se destacam na neuroplasticidade.

       

Por muitos anos, era dito que o envelhecimento tornava as funções neurais imutáveis. Estudos, por conseguinte, apresentaram que novas aprendizagens fazem com que o cérebro nunca para de se modificar.

A metacognição se destaca pela tomada de consciência de estratégias que cada ser utiliza para o seu aprendizado.

A eficácia de se aprender é relativa ao fato de construir estratégicas metacognitivas e cognitivas que tornem possível ao ser humano o planejamento e monitoramento de desempenho, que faz a permissão de tomada de consciência dos procedimentos que usa para aprendizagem e orientação de decisões adequadas em relação às estratégias usadas em cada atividade.

Ainda, é capaz de analisar a eficácia, modificando-as quando não conseguem produzir resultados almejados.

Trata-se de aprender a aprender, o que, por diversas vezes, não acontece nas instituições de ensino.
A metacognição consegue ainda atuar como influente em relação a motivação, pois os estudantes podem fazer o controle e gestão de próprios processos de cognição, dando-lhes a percepção de responsabilidade em relação ao seu desempenho escolar e gerando confiança sobre suas próprias competências.

Objetivos do Método

O SUPERA utiliza diversos recursos para o fortalecimento das funções dos neurônios. Desde que sejam fortalecidas, essas ligações beneficiam os estudantes em todas as suas atividades, seja em casa, na escola, no trabalho ou afins. Tudo isso em relação aos fatores qualitativos de vida e aprimoramento de desempenho.

Essas ligações correspondem a diversas competências que podem ser mencionadas como a concentração, a atenção, a memória, a habilidade de visão de espaço, o raciocínio lógico-matemático, além de também preverem o estímulo da relação interpessoal e intrapessoal, de muito valor, atualmente, para o mercado profissional.

Os recursos do Método SUPERA permitem que o trabalho sobre o cérebro ocorra de modo harmonioso e equilibrado. Ao passo que em uma academia, trabalhe-se o corpo pelo seu todo, a ginástica do cérebro realizada pela metodologia, em questão, objetiva o exercício do cérebro pelo seu todo.

Ao tirarmos o cérebro daquilo que ele está acostumado a realizar, de forma principal, ao atender aos critérios de variedade, novidade e nível de dificuldade que cresce, estamos estimulando e desenvolvendo novas redes de neurônios e produzindo neurotrofinas conhecidas como noradrenalina, endorfina, dopamina, adrenalina, etc.

Todas elas têm um aumento de quantidade e de qualidade das sinapses, de modo a ampliar a capacidade desse processo, com a reserva de cognição cerebral.

A ginástica cerebral consegue gerar muitas vantagens ao órgão de um prazo bem pequeno, relativos a aumentos do desempenho e ainda a superação de critérios dificultosos como TDAH, algumas sequelas de AVC, por exemplo, vantagens a longo prazo, que tenha relação com a qualidade de vida e saúde, auxiliando ainda na prevenção do declínio da mente e também a não desenvolver patologias cerebrais degenerativas.

O que mais acomete um cérebro e sua funcionalidade é a mesmice, a rotina. Dessa forma, com uma vida que estimule e seja uma fonte de desafios, o cérebro tem um aprimoramento de sua função, juntamente de uma alimentação saudável, atividades físicas, boas noites de sono, controlando o estresse e ansiedade.

Ferramentas do Método

O Ábaco é um dos recursos utilizados para estimular a cognição humana, auxiliando no desenvolvimento da capacidade do foco entre diversas tarefas do dia-a-dia com qualidade.

Ao aprender a realizar o isolamento dos estímulos que distraem, o ábaco auxilia na realização de cálculos, mantendo o foco nas atividades. Todos que calculam buscam o acerto, por isso, é importante manter a concentração.

O acerto consegue ativar o sistema tido como recompensa na região cerebral. Essa atividade, em todas as aulas, promove o fortalecimento de elementos celulares nervosos e as ligações dos neurônios, proporcionando, de forma consequente, em aprimoramento de tarefas diárias.

Através de variações nas modalidades do ábaco, os estudantes conseguem fazer o estímulo da memória, da agilidade do raciocínio e raciocínio lógico. O ábaco é um recurso não somente estimulante cognitivamente, porém para desenvolver também as capacidades interpessoais.

História

O Ábaco é um recurso muito usado na China há mais de 2500 anos, denominado de SUAN-PAN. Nos 600 anos mais recentes, ele teve adaptação pelos japoneses que o chamaram de SOROBAN.

No país do Japão, ele consegue integrar o currículo, partindo da 3ª série do nível fundamental de ensino, com um programa para o aumento da prática em melhor idade, visto que, com o uso de calculadoras, a utilização do ábaco reduziu bastante, gerando problemas de saúde, aumento de taxas de patologias degenerativas cerebrais.

As apostilas Abrindo Horizontes

Abrindo Horizontes são as apostilas do Método SUPERA que disponibilizam várias tarefas de estimulo de competências como concentração e atenção, raciocínio lógico-matemático, interpretação de leitura, o pensamento lateral, a capacidade de análise e síntese, a criatividade e o pensamento estratégico para que se tome decisões.

O aumento da dificuldade e a medida adequada disponível pelas tarefas faz o ativamento do sistema de recompensa cerebral, produzindo a sensação de prazer e bem-estar, proporcionando ainda a autoconfiança positiva e a autoestima dos estudantes.

O professor SUPERA consegue trabalhar com compreensão de todas as estratégias utilizadas pelos estudantes para o procedimento das tarefas de raciocínio lógico e passatempos, que estão presentes nas obras Abrindo Horizontes.

A apostila traz essa denominação em virtude de seus objetivos que são o auxílio aos estudantes ao aprimoramento de suas competências da cognição, observando as rotas que cada um opta para a resolução de desafios disponíveis pelas tarefas.

Através de questões de como se encontrou respostas específicas, o professor – apenas como um mediador do conhecimento – auxilia os estudantes a tomada de consciência de como encontraram a aprendizagem e as estratégias utilizadas para resolver os exercícios.

Os Jogos Pedagógicos

Os jogos são recursos que estimulam qualquer indivíduo. São exercitados com cautela para apresentar ao estudante a vantagem alcançada em função de capacidade cognitivas, emocionais e sociais para a vida.

Ao passo que vivenciamos o jogo, fazemos o desenvolvimento de capacidades como o pensamento lateral, o raciocínio logico-matemático, as estratégias de tomada de decisões, a criatividade, a capacidade de análise e síntese, o trabalho em equipe e competitividade em um local saudável.

Essas competências também, com destaque de fortalecimento, são uteis nas tarefas diárias dos estudantes. Esse é o diferencial entre jogar em casa e jogar um jogo com o método SUPERA.

Educadores SUPERA

Os profissionais SUPERA fazem o contexto do jogos e assuntos com quaisquer competências, através de histórias cotidianas, de maneira que, além de se prestarem a cenários e situações, os estudantes consegue enxergar a relevância da atividade do jogo para fortalecer o próprio cérebro, aprimorando o desempenho nas tarefas mais corriqueiras, no ambiente profissional, em casa, nas relações profissionais e interpessoais.

A aprendizagem pelo jogo

O exercício e a aprendizagem dos jogos também promovem o desenvolvimento dos processos da metacognição, visto que modifica o conhecimento adquirido pelos estudantes.

O aumento de suas capacidades cognitivas, para que haja o auxílio na reflexão de cenários diferenciados, tornam possíveis as análises, críticas, exames e sistematização de informações. Dessa forma, o estudante tem consciência de seus processos metais e possível controle gradativo.

As crianças que apresentam dificuldades para se concentrar e aprender podem conquistar resultados extremamente satisfatórios, ao passo que a metodologia de ensino são os jogos.

Estes promovem o estímulo ao estudante, despertando curiosidades, motivação, gerando uma maneira de aprendizado prazeroso, de modo lúcido, diferente de aprendizado forçado, sob pressão.

O ato disciplinas também pode ter seu desenvolvimento por meio de jogos, visto que há a necessidade de uma ordem para o efetivo da tarefa e, ao passo que existe um interesse por aquilo que está sendo divulgado, a criança traz a contribuição para isto.

Desde o início, os jogos em relação a vida das crianças são essenciais e importantes, visto que ao passo que elas brinquem, exploram e manuseiam tudo aquilo ao seu redor, por meio de esforços mentais e físicos.

É importante dizer que, os jogos disponibilizam vantagens comportamentais e cognitivas para a vida não apenas dos jovens e crianças, porém também de pessoas mais maduras e adultos, visto que o cérebro se transforma sempre quando ocorre uma nova aprendizagem. Para tanto, não existe restrição de faixa etária.

Conforme os objetivos, o profissional do método SUPERA deve:

  • Dar propostas de normas, ao invés de impor essas regras, fazendo com que o estudante tome a decisão e elabore-as;
  • Promover a troca de informações para alcançar acordos sobre as normas;
  • Permitir o julgamento de regras que devem ser dispostas a cada cenário;
  • Estimular a iniciativa e seu desenvolvimento, tanto da confiança quanto da agilidade;
  • Promover a contribuição de autonomia desenvolvida.

O profissional deve gerar cenários que faça o envolvimento ao estudante de forma emocional, para buscar soluções de problemas. Este educador não dirá “faça assim”, porque isso interromperá o procedimento de construção de conhecimento que está passando por um processo de reproduzir conhecimento apenas.

As competências cognitivas que o jogo propicia são:

  • percepção visual (tamanho, detalhes, cor, forma, lateralidade, posição, complementação), raciocínio lógico-matemático;
  • memória (auditiva, visual, cinestésica);
  • coordenação motora viso manual (fina e ampla);
  • orientação temporal e espacial (em duas e três dimensões);
  • percepção auditiva,
  • planejamento e organização;
  • expressão linguística (escrita e oral).

Os exercícios lúdicos agem em todas as categorias de inteligência. São elas:

  • inteligência lógico-matemática: fato que se interessa por questões que envolvem ordenação e sequências;
  • inteligência linguística: fato que facilita a utilização da linguagem escrita e oral;
  • inteligência espacial: fato que se interessa em quebras cabeças (formatos de figuras sólidas e planas);
  • inteligência intrapessoal e interpessoal: capacidade de relacionamento em grupo;
  • inteligência musical: domínio de alturas, sons e tonalidades;
  • inteligência corporal cinestésica: habilidade de apreensão de pequenos e grandes movimentos;

Dinâmicas de Grupo

As dinâmicas no SUPERA objetivam o estímulo da relação intrapessoal e interpessoal, a capacidade de liderança, a oralidade dos estudantes, as mudanças de atitude, as atitudes positivas e a motivação.

Pode ser considerada uma ferramenta significativa para a colocação de pessoas em grupo em movimento por meio de brincadeiras, jogos, atividades, ao passo que vivem cenários simulados, gerando sensações reais, sendo que o que estão ali podem agir de maneira autentica, aperfeiçoando condutas, em análise de sua própria atitude.

Neuróbicas

Modificar quaisquer coisas na maneira como realizamos nossas tarefas diárias, que estamos geralmente em função automática, é realizar a neuróbica. Ao escovarmos os dentes com a mão não dominante, ao banharmos à noite com luz apagada ou olhos bem fechados, fazemos a exigência maior do sentido do tato do que da visão. Isso significa tirar o cérebro do seu ambiente de conforto.

Ao longo das aulas no SUPERA, os estudantes podem realizar as neuróbicas. Os estudantes calculam no ábaco e, ao fazerem a anotação do resultado na apostila, utilizam a mão que não costumam utilizar para escrever.

Objetivando proporcionar um aprimoramento do desempenho dos estudantes e ganho em sua qualidade de vida, o SUPERA permite os embasamentos em ferramentas metodológicas da documentação da Organização Mundial da Saúde em relação ao ensino de competências para a vida nas escolas, que desenvolvem a habilidade psicossocial.

A habilidade psicossocial é a competência de cada ser humano em permanecer num estado de bem-estar da mente, demonstrando isso em seu comportamento de adaptação e de forma positiva, a interação com outros, com o ambiente e sua cultura.

Ao embasarmos também a prática dos 4 pilares já mencionados, busca-se aprender a conhecer, de modo a adquirir os recursos compreensivos; aprender a produzir para que possa agir sobre aquilo que está vivendo; aprender a viver de forma conjunta, objetivando a participação e colaboração com outros indivíduos em diversas tarefas humanas; e aprender a ser, por aquilo que é fundamental, integrando os três pilares anteriores.

O método SUPERA abrange todo o desenvolvimento de capacidade cognitivas, emocionais e sociais dos estudantes.

Todos estes recursos juntos – as apostilas Abrindo Horizontes, o ábaco, as dinâmicas, as neuróbicas e os jogos — disponibilizam ao cérebro a variedade, a novidade e o desafio crescente.

Além de uma variedade de metodologias, de variedades para explicação e práticas, é estimulado ao cérebro a opção sobre a maneira de aprendizado que melhor lhe encaixe.

Os estudantes têm o respeito pelo seu ritmo de aprendizagem, alcançando individualmente o seu tempo, de acordo com os desafios que lhes sejam disponibilizados.

O SUPERA é o mais avançado recurso pedagógico de estímulo da cognição e, por isso, apresenta um grande potencial diferente para a instituição de ensino.

Além de ser uma ótima ferramenta de marketing, a metodologia aprimora o desempenho dos estudantes e aumenta os graus de aprovações escolares.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.