Criança e Idoso: Você acha que a infância e a velhice têm coisas bem parecidas?

há uma "leve" diferença: muitos anos e experiências no meio

1 2.932

É muito comum ouvirmos as pessoas dizerem dos mais idosos “que são como crianças”. Será mesmo que a criança e o idoso são parecidos? De fato todos nós temos uma criança interior que chora, faz birra, quer brincar em determinadas situações. Aquela parte da gente que “parece que não cresceu, que ficou solta no tempo, que chama nossa atenção quando se sente sozinha”.

Mas o que nos faz comparar a criança e o idoso não são estas “questões existenciais” e sim, a possível fragilidade, a ingenuidade devido afastamentos da modernidade e o fato de por muitas vezes não conseguirem se defender ou responder pelos seus atos. Comportamentos estes, consequentes de quem está passando por momentos de perda e não de ganhos, como acontece com criança.

Criança e Idoso: muito diferentes apesar de semelhanças funcionais

A criança se projeta para frente, em franco desenvolvimento, cheia de energia. O idoso se projeta para onde? Para um futuro que ele desconhece, apesar de tanta experiência acumulada. E isso muitas vezes dá medo. Então a pessoa idosa por vezes e sem escolha se entrega aos cuidados de outros a fim de que receber ajuda para concluir sua jornada. A criança se entrega aos cuidados para que possa construir sua jornada.

infancia-velhice-2

Quanto às semelhanças funcionais podemos dizer que a dependência muitas vezes coloca ambos, criança e idoso em condições de vulnerabilidade. Tal vulnerabilidade fazem com que justamente estes dois perfis etários sejam alvos dos maiores índices de violência no mundo.

Podemos citar como vulnerabilidade devido dependência a necessidade de ajuda semelhante à ambos quanto:

  • tomar decisões
  • lidar com atividades de vida diária (vestuário, alimentação e higiene pessoal no caso dos idosos dependentes devido autonomia prejudicada)
  • gerenciar rotina
  • proteger-se fisicamente (seja devido órgãos sensoriais limitados ou ausência da autonomia)
  • realizar certas atividades/tarefas que envolviam capacidades aprimoradas como leitura, fazer manual, lidar com multifunções…)
conheça!
saiba mais aqui

Criança e Idoso: o contato social deve ser feito de forma bem diferente

Ao lidar com a pessoa idosa devemos respeitá-la como um “adulto maduro”, não como uma criança. Olhar para esse “adulto maduro” representa olhar para todas as áreas de uma vida, para todos os assuntos e ciências possíveis, mesmo com reflexões ainda não concluídas.

A pessoa idosa é a representação da existência humana completa, independente do tanto de idade alcançada. Sim! A pessoa idosa também pode ser vista como uma “criança experiente” e com criança experiente a gente não apenas brinca, mas também aprende. Aprende a perceber o quanto podemos melhorar nosso estilo de vida, o quanto realmente compensa trabalhar tanto, o quanto vale a pena viver mesmo com tantos desafios e quantas oportunidades todos nós temos para começar outra vez!

Então, FELIZ DIA DE “TODAS AS CRIANÇAS”!

 

1 comentário
  1. Gal Rosa Diz

    Obrigada!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.