Graviola Cura Cancer? Como Preparar?

0 1.157

A graviola é outra “fruta milagrosa” que ultimamente, tem sido apontada como uma provável cura para o câncer. Mas a graviola cura câncer? Na verdade, ela possui um composto natural “quimiopreventivo anticancerígeno” poderoso chamado acetogenina que pode ajudar no tratamento de determinados tumores.

No entanto, esse composto presente principalmente nas folhas e nas sementes da graviola, não é capaz de curar o câncer. Infelizmente, ele apenas ajuda na prevenção da doença como tantos outros agentes quimiopreventivos presentes em demais alimentos como frutas, legumes e verduras.

A boa notícia é que existem vários estudos reunindo todos os esforços para comprovar a eficácia da graviola ou chegar a alguma conclusão sobre como a acetogenina pode ser ingerida e aproveitada pelo organismo. O que se descobriu é que ela ataca as células doentes sem danificar as saudáveis, um bom ponto de partida.

Em contraste, ainda não há evidências suficientes para saber se as folhas de graviola podem ser usadas em chás sem que percam suas propriedades no calor ou quais seriam os efeitos da ingestão de suas folhas ou ao torrar as sementes.

Por enquanto, na sua intenção de evitar o câncer, o ideal é manter a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes e verduras capazes de anular a agressão das células cancerígenas, regular a reprodução de novas células e atacar as malignas, prevenindo a doença.

Mesmo assim, vamos entender abaixo a razão da popularidade da graviola na cura do câncer e como podemos nos beneficiar dessa fruta “pseudo milagrosa”.

Confira!

O que é a graviola?

graviola cura câncerA graviola é uma fruta tropical muito conhecida no Brasil.
A graviola é uma fruta tropical muito conhecida no Brasil.

A graviola (Annona muricata) é uma fruta tropical considerada nativa mesoamericana da família dos Annonaceae muito conhecida no Brasil, apesar de ter suas origens desconhecidas, porém atribuídas às Índias Ocidentais.

Atualmente, seu cultivo se estenda por toda a América tropical e inclusive na África, se espalhando também por outras partes do mundo, mas tendo como zona ecológica predominante, a zona tropical úmida.

Popularmente conhecida também como araticum, jaca do Pará, coração de rainha e outros nomes regionais, a graviola tem uma aparência única de forma ovalada, que pode chegar a pesar até dois quilos e meio.

Sua casca é verde-pálida com espinhas e farpas e a polpa branca amarelada, suculenta, macia, muito saborosa e refrescante, que pode ser consumida diretamente in natura ou usada em diversas preparações diferentes, como sucos, milk-shakes, geléias, sorvetes e inúmeras sobremesas.

A graviola nasce de uma árvore caducifólia, que na época da queda das folhas não se pode colher a fruta. As flores nascem entre os meses de outubro e janeiro e os frutos entre os meses de dezembro e abril. É uma árvore muito resistente aos ventos fortes, estiagens e danos causados por cupins e afins.

Propriedades da graviola

graviola cura câncer: propriedades
A graviola cura câncer devido às suas muitas propriedades.

Inicialmente, o consumo da graviola era apenas para fins alimentícios, fazendo parte da dieta de muitos nativos de tribos indígenas do norte do país. No entanto, alguns estudos científicos encontraram muitas propriedades medicinais desta planta, que passou a ser utilizada de muitas outras formas.

Isso porque a graviola é uma fruta de baixa caloria (62 cal/ 100g), mas que possui 0,8g de proteína/100g e fonte de carboidrato com 1,9g/100g de fibra alimentar, além de cálcio, magnésio, manganês, potássio e vitaminas B1, B2, B6.

Devido à essa composição, a graviola também é muito indicada para o controle de peso, obviamente por causa das suas baixas calorias e grande quantidade de fibras, que dão uma sensação de maior saciedade.

Mas muito além da composição acima, a graviola se tornou muito popular pelas propriedades fitoquímicas de suas folhas, frutos e sementes, entre eles:

  • acetogenina (annonaceous acetogenins),
  • lactonas alcalóides isoquinolínicos,
  • taninos,
  • cumarinas,
  • procianidinas,
  • flavonóides,
  • ácido esteárico e ácido elágico,
  • fitosteróis (beta-sitosterol, estigmasterol),
  • ácido gama-amino butírico (GABA).

Assim, só esses antioxidantes fazem com que a graviola também tenha efeito rejuvenescedor, auxiliando no envelhecimento precoce. Portanto, a graviola pode ter muitos benefícios. E é o que vamos ver abaixo.

Benefícios da graviola

graviola cura câncer: benefícios
Graviola cura câncer e tem muitos outros benefícios.

A graviola tem despertado o interesse de alguns cientistas do Brasil, pois muitas pesquisas revelaram um ingrediente ativo muito poderoso que é um fitoquímico (acetogenina) aliado a muitas outras substâncias benéficas.

Muitos desses estudos mostraram que a graviola é capaz de proteger o coração, devido à sua propriedade hipotensora, muito benéfica para o controle da pressão alta; propriedade vasodilatadora, antiespasmódica (relaxa músculo liso), e propriedade sedativa, que ajuda a desacelerar o ritmo cardíaco.

Além disso, estudos recentes descobriram uma correlação de sua propriedade anti-inflamatória com a inibição de mediadores inflamatórios do organismo, podendo favorecer o tratamento da artrite, inchaço e dor nas articulações.

Mas o que tem mais chamado a atenção dos pesquisadores é o fato da relação do seu ingrediente fitoquímico, a acetogenina, com a cura do câncer, que vamos discutir abaixo.

Graviola cura câncer?

A graviola cura câncer através da sua prevenção.
A graviola cura câncer através da sua prevenção.

Na realidade, de acordo com a Fundação do Câncer no Brasil, não há uma evidência definitiva que comprove que a graviola cura câncer. No entanto, muitos estudos têm sido analisados em laboratórios, cujos resultados têm sido positivos devido à sua propriedade antimutagênica de proteção celular.

Um dos estudos, mostrou que extratos de graviola foram muito eficazes contra células cancerígenas multirresistentes, sendo capazes de eliminar alguns tipos de células de câncer no fígado e seios, normalmente resistentes a algumas drogas quimioterápicas específicas.

Segundo os estudos, esse efeito de proteção contra o câncer pode estar relacionado aos compostos antioxidantes potentes presentes na graviola, como por exemplo, acetogenina.

De acordo com estes estudos, ao contrário das drogas quimioterápicas tradicionais, a acetogenina foi capaz de diferenciar as células cancerígenas das saudáveis, atacando somente as células doentes sem danificar as saudáveis, além de deter seu o crescimento dessas células doentes em 48 horas.

Esse processo é chamado de quimiotaxia natural, no qual é realizado a locomoção das células em direção a um gradiente químico. Desse modo, a acetogenina é direcionada para atacar as células doentes ou malignas que contêm substâncias químicas específicas, preservando as saudáveis.

O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, por exemplo, pode comprovar que o fator quimioterápico pela acetogenina da graviola sobre as células cancerígenas teria sido superior à ação da adriamicina, um dos citotóxicos mais agressivos atualmente empregados na quimioterapia para o tratamento do câncer.

Então, qual o veredito? Graviola cura câncer ou não?

       

Apesar de muitos outros estudos estejam sendo realizados, todos eles são ainda considerados recentes para se ter uma uma comprovação completa para dizer se a graviola cura câncer a partir dos seus ingredientes encontrados na graviola.

No entanto, as pesquisas continuam e desde 1997 foi constatado resultados positivos em cânceres pulmonares, de próstata, de mama, de bexiga, de reto, esófago e cólon, além de também ser eficaz no tratamento da leucemia.

Sendo assim, talvez muito em breve teremos a comprovação científica da eficácia da graviola contra o câncer. Neste meio tempo, as recomendações são as mesmas. Isto é, somente um médico é capaz de prescrever qualquer terapia ou medicação antes de usar qualquer tipo de terapia alternativa contra o câncer.

Leia mais: Sintomas de câncer de mama. Fotos, idade, etc.

Mais benefícios da graviola

Além dos seus benefícios no combate e na prevenção do câncer, a graviola também possui muitas outras propriedades que podem ser benéficas para o tratamento de inúmeras outras condições.

Como por exemplo, antibacterianas, antiparasitárias, antiespasmódicas, antifúngicas, adstringentes (tratamento da acne), inseticidas, hipotensoras (diminui a pressão arterial) e vermífugas, eméticas (induz vômito), analgésicas, anticonvulsivas, estimulantes digestivas e adjuvantes no fortalecimento da tonicidade cardíaca.

Assim, a graviola pode ser usada para ajudar no tratamento de doenças, como gastrite, úlcera, obesidade, prisão de ventre, diabetes, problemas digestivos, doenças no fígado, hipertensão, depressão, insônia, enxaquecas, gripes, vermes, diarreia e reumatismos.

Leia mais: Benefícios da graviola: Contra o Câncer, Para Emagrecer e muito mais!

Como consumir a graviola

Não há comprovações suficientes de que graviola curar câncer
Não há comprovações suficientes de que graviola curar câncer

Como vimos, a graviola possui inúmeras propriedades que podem ajudar no tratamento de muitas doenças como a diabetes. Isso porque ela é rica em fibras, que auxiliam na absorção mais lenta da glicose (açúcar) pelo organismo, ajudando a controlar seus níveis no sangue.

No entanto, como qualquer outro alimento rico em açúcares, mesmo sendo fruta, diabéticos devem ter muita cautela quanto à quantidade e horários de consumo. Recomenda-se ½ unidade média, equivalente a uma porção da fruta.

A graviola pode ser consumida in natura, batida com água em sucos, cápsulas e na forma de chá com a infusão de suas folhas. Porém, a orientação médica é fundamental quanto à quantidade a ser consumida diariamente, em todas as suas formas de consumo.

Há quem prescreve uma preparação de pó das folhas de graviola, em cápsulas ou em colheres de chá, entre 15 a 20 minutos antes de cada refeição.

Como prevenção, a dose correta é de aproximadamente 50 mg. Já como tratamento, dose deve ser de 500 mg multiplicada por 2 (1 g) ou até por 4 (2 g), de acordo com o estado e gravidade da doença.

Leia mais: Câncer de pele: causas, sintomas e tratamentos

Contraindicações e efeitos colaterais da graviola

A graviola cura câncer mas tem contraindicações e efeitos colaterais.
A graviola cura câncer mas tem contraindicações e efeitos colaterais.

Embora a graviola traga muitos benefícios, ela também possui algumas contraindicações e alguns efeitos colaterais.

Um dos seus principais efeitos colaterais é o fato de baixar a pressão arterial, portanto é contraindicada para pessoas hipotensas, devido às suas propriedades sedativas e calmantes.

Além disso, a graviola também possui um determinado químico que se consumido em grandes quantidades, cai na corrente sanguínea e chegar até o cérebro causando mudanças no funcionamento do sistema nervoso, levando a danos nervosos como desordem na coordenação dos movimentos, além de sintomas semelhantes ao mal de Parkinson.

A graviola também pode ser prejudicial para quem possui caxumba, aftas ou ferimentos na boca, por causa da sua acidez. As gestantes também devem evitar o consumo pelo risco de aborto.

Portanto, se informe com o seu médico ou nutricionista, para determinar suas necessidades bioquímicas específicas e sensibilidades a alimentos diferentes.

Leia mais: Câncer De Ovário: Tem Cura? Sintomas, Sangramento, Fotos

Tratamentos naturais

Além dos tratamentos químicos indicados pelos médicos, como a quimioterapia e radioterapia, alguns pacientes na sua luta contra o câncer usam também suplementos de ervas medicinais para aliviar os sintomas desses tratamentos.

No entanto, os suplementos de ervas como da graviola não devem substituir o principal tratamento do câncer. Até porque, alguns suplementos podem interagir com a quimioterapia e reduzir a eficácia dos agentes quimioterápicos.

Se você quer mesmo prevenir o câncer ou ajudar no seu tratamento, não só graviola cura câncer, mas há alimentos que podem ser incluídos na sua dieta com propriedades igualmentes benéficas às da graviola.

Dentre as substâncias que ajudam na prevenção do câncer estão os carotenóides, como o beta-caroteno encontrado na cenoura e o licopeno presente no tomate; os flavonóides presentes na uva; os isotiocianatos contidos no brócolis, repolho e rabanete; os fenólicos presentes no feijão, entre muitos outros.

Além disso, existem alguns remédios naturais de eficácia contrastada e comprovada que estão ganhando cada vez mais espaço como alternativo aos tratamentos químicos.

Todos eles têm demonstrado eficácia para o tratamento de alguns tipos de câncer, sem que hajam efeitos colaterais como baixar a imunidade, provocar a queda de cabelos, debilidade física, perda progressiva de peso, além de vômitos constantes e incontroláveis (efeitos eméticos) produzidos pelos quimioterápicos.

Leia mais: O que é Canabidiol? Para que Serve? Preço e Onde Comprar

Conclusões finais

Agora que já sabemos se graviola cura câncer, podemos ficar mais confiantes quantos aos novos estudos e pesquisas com os medicamentos naturais.

Apesar de ainda não haver uma cura do câncer comprovada, quando esta for encontrada, será mesmo um verdadeiro milagre. Um milagre mais perto de acontecer que podemos imaginar.

Até lá, o ideal é ficar alerta à sua prevenção, mantendo hábitos saudáveis como os exercícios físicos regulares, uma dieta equilibrada rica frutas, legumes e verduras, ricas em vitaminas, sais naturais e fibras.

Só assim, você estará realmente se protegendo e prevenindo contra o câncer e não vai mais ficar em dúvida se graviola cura câncer.

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.