Filosofias de um Cuidador Familiar

experiências de filha, mulher e profissional de volta ao essencial

0 548

 

Esses dias de paralização têm sido um aprendizado, uma exaltação das coisas mais simples, da casa, da família e de tudo o que nos cerca. Esse final-de-semana resolvi ficar em casa para economizar o combustível, que estava pouco, e aproveitei para estar com a minha família, com a qual não se deve economizar combustível. E como “cuidador familiar” já fazia tempo que devia estar cuidando mais de mim.

Decidi estar comigo mesma também. Fazia tempo que não conseguia realmente dormir em um sábado à tarde. Que delícia! Cobertinha quentinha, um bocado de almofadas e lá se foram duas horas bem gastas com o meu descanso. Estava com a minha lombar em frangalhos, resultado de horas e horas sentada ao computador. Ainda bem que voltei para a ginástica essa semana. Já me sinto mais disposta.

Outro dia li sobre o assunto e vi que existem pessoas que são mais diurnas ou noturnas e rendem mais quando estão no seu melhor fuso horário. É um fator a se considerar na busca por um emprego. Respeite o seu organismo que ele irá funcionar melhor. O mesmo vale para o tempo de sono. Eu preciso de 8 horas diárias, se durmo menos, preciso repor depois.

(e o cuidador familiar que não consegue?)

O meu cérebro funciona muito bem à noite, apesar de não ter problemas com horários diurnos. Só não aprecio acordar muito cedo e gosto de cuidar de mim nesta parte do dia: fazer Reiki, tomar um bom café, fazer ginástica. A vida começa mesmo após o almoço. Trabalhar depois das 19 horas tem sido uma constante. Esse é o momento em que consigo me concentrar nas pesquisas, leituras e escritas, como faço agorinha mesmo.

SOBRE AS PARCERIAS

Gosto de trabalhar em parceria, sempre se aprende bastante, porque amplia o horizonte. Aprendi há alguns meses que é o pensar diferente que faz com que nos tornemos mais evoluídos. No entanto, algumas pessoas ainda têm muita dificuldade de se posicionar, concordar, ou mesmo discordar de você. E o medo da reação do outro?

Um desafio para fazer esse tipo de aliança é encontrar pessoas que estejam na mesma sintonia que a sua, que acreditem nos mesmos ideais. No meu caso, funciona bem me relacionar com gente proativa, que planeja junto, mas não fica esperando orientação para agir. Honra os combinados.

Como autônoma penso que ter bons parceiros de trabalho ajuda a dar visibilidade, traz clientes, renova as energias. Evita o isolamento, humaniza. Creio que nas relações amorosas acontece situação similar. O bom relacionamento inspira, traz amigos, renova as energias. Algo muito bom para o cuidador familiar.

DESAFIOS NOS RELACIONAMENTOS

Esses dias assisti a uma palestra sobre relacionamentos no CONAVAS. De acordo com a psicologia positiva, o primeiro ponto marcante desse universo é que não existe a pessoa certa, mas sim, pessoas com as quais será possível acontecer uma troca de aprendizado, respeitando as suas particularidades. É crescer junto. O príncipe encantado existe somente nos contos de fadas, não é real.

Um exemplo verdadeiro para mim está relacionado à maneira como demonstramos os nossos sentimentos para o outro. No meu caso, sinto-me amada quando recebo pequenos presentes que mostram que sou lembrada e querida, podem ser coisas simples como uma flor do jardim, um bombom, uma xícara de chá.

Também gosto de ser ouvida, de compartilhar experiências e ser incentivada positivamente. Receber um abraço, um beijo. E acho que todo cuidador familiar também gosta!

Em muitos momentos acabo fazendo para os outros aquilo que gostaria que fizessem por mim e isso me satisfaz, de uma certa maneira. Não fico esperando o beijo ou abraço, vou lá e dou. Peço a xícara de chá. Também compreendo que a outra pessoa tem as suas maneiras de dar afeto e procuro valorizar isso.

No fim das contas, percebi que não acho legal medir o valor do outro pela quantidade de presentes que ele lhe dá. Prefiro alguém que me ajude com os problemas do dia-a-dia e me dê carinho.

EXPERIÊNCIAS COMO PROFESSORA

Como professora há quase dez anos, sei que ninguém é unanimidade, embora seja sempre um pouco doído perceber que desagradamos. No final, o que queremos é ser unanimidade. Coisa de louco! Estou evoluindo nesse sentido, sofrendo menos.

As aulas são assim: pequenos projetos que são postos à prova a cada turma. Não adianta achar que porque deu certo com um grupo, dará com o outro. Não existe regra minha gente! As pessoas são diferentes e possuem exigências e necessidades diferentes.

E isso vale também para a minha experiência como cuidadora familiar principal da minha mãe. Aprendi com a Gal Rosa que todos somos cuidadores, em maior ou menor grau. Irá depender das prioridades de cada um.

Dou muita sugestão de como lidar com pessoas que têm algum tipo de demência baseada no que acontece na minha casa, mas cada caso é um caso. Sempre tem que testar para saber se dará certo.

E pode dar certo uma vez, duas. Não tem regra. Por isso, a minha observação sobre o comportamento humano tem se intensificado. São as sutilezas da convivência que irão nos guiar pelo melhor caminho.

Uma palavra, um gesto, uma feição, podem dizer tudo o que precisamos. No entanto, ainda somos capazes de dar primeiras e segundas chances, mesmo que a nossa intuição diga o contrário.

SOBRE A INTUIÇÃO (algo importante para o cuidador familiar)

A intuição é igual palavra de mãe. Sabemos que ela não erra, mas preferimos não lhe dar ouvidos para não corrermos o risco de parecermos injustos.

O que é a intuição? Encontrei um artigo da Revista Super Interessante que fala que a intuição é um conhecimento que está dentro de nós mesmos, embora poucos se utilizem dele porque pode ser considerado incerto, inexato.

       

No entanto, o texto diz que grandes cientistas enfatizaram o potencial intuitivo como forma de encontrar respostas inovadoras. Amei essa parte: “o matemático e filósofo Blaise Pascal referia-se à intuição como o produto da capacidade da mente de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, graças às infinitas conexões inconscientes que tornam possível à mente consciente fazer escolhas”.

Entendo que com a arteterapia venho aprimorando essa capacidade que foi descrita no trecho anterior. Não basta nos enchermos de informações se não somos capazes de conectá-las ao restante da memória e ao que acontece à nossa volta.

No entanto, é necessário ter autoconfiança, saber pausar para refletir, treinar o olhar a ver além do óbvio. Nem sempre 1+1=2.

O AMOR INCONDICIONAL

O amor sempre foi uma palavra difícil para mim. Um grande esforço dizer: eu te amo. Alguns falam com tanta facilidade que perde até a credibilidade. Sempre achei que para falar “eu te amo” tem que acreditar de verdade, sentir.

E o que seria isso? Tenho comigo que amar está bem próximo do aceitar, do perdoar, do cuidar, do respeitar. Atitudes do cuidador familiar genuíno.

Amar é fundamental para qualquer um e em qualquer situação. Seja na vida pessoal ou no trabalho. Fazer por fazer é péssimo, é sinal de que algo está errado. Então precisa refletir e encontrar um sentido para esse fazer não se tornar um ato vazio. Hoje em dia só contrato pessoas que amam o que fazem, não há melhor pré-requisito.

Eu só consegui cuidar da minha mãe da forma que ela merecia quando redescobri o meu amor por ela. A aceitei como ela é agora e me desprendi do que ela foi um dia. E olha que mesmo assim, os desafios aparecem e podem nos tirar do prumo.

O que me faz seguir em frente? O amor de filha. Os momentos bons que ainda temos juntas ajudam bastante.

E é esse amor que me motiva a encontrar um novo sentido para o meu trabalho como consultora de imagem. O lidar com a morte se aproximando, a velhice chegando, me faz entender que ainda tenho muito a contribuir. Posso fazer a diferença na autoestima dessas pessoas.

Não enxergo a minha experiência como algo fora do comum, muitos passam pelas mesmas situações. São as soluções que nos diferem. Uso a minha intuição e a capacidade comunicativa para lidar com os problemas, busco conhecimentos que agregam.

O QUE ME INSPIRA

É engraçado como quando estamos com o olhar voltado para determinado tema, o universo conspira a nosso favor. Tenho assistido a vários filmes interessantes sobre o envelhecimento e a sua relação com a juventude. O movimento intergeracional me fascina. Olha que coisa simples e ao mesmo tempo tão bonita de se ver?

Alguns desses filmes que tenho gostado tanto, são: “Um Senhor Estagiário” e “A Última Palavra”. Atores consagrados, dão um show de interpretação. No primeiro, Robert De Niro vira estagiário depois de se aposentar e aos poucos ganha o respeito e a confiança de toda a equipe da empresa, incluindo a sua proprietária.

No segundo, Shirley MacLane descobre que tem uma condição de saúde crônica e que pode levá-la à morte a qualquer momento. Assim ela decide organizar a sua partida e como parte disso, contrata uma jovem para escrever o seu obituário.

O impacto dessa relação na vida da escritora é enorme. O compartilhar experiências, os erros e acertos, se tornam elementos fundamentais para que o legado de Shirley seja compreendido.

HONRANDO AS RAÍZES

No meu trabalho relacionado à imagem pessoal, busco honrar as nossas raízes, com a intenção de construir um futuro consistente. É importante entender de onde nós viemos, qual é o nosso conceito de positivo ou negativo.

Não faço isso na intenção de moldar um ser humano com atitudes artificiais, mas sim, com atitudes conscientes e mais objetivas.

Na minha atuação como filha, honro as escolhas da minha mãe, dou a ela o tratamento que imagino que ela faria. Já enquanto namorada, procuro ser fiel aos meus valores, à minha personalidade, aos meus objetivos de vida. Nem sempre o caminho é direto, acontecem algumas curvas e desvios, mas é fundamental manter o foco no que realmente interessa para você. Aprenda a dizer não.

E como cuidadora familiar busco tudo isso!

Com carinho,

Julia Bello

estilista e consultora de moda

cuidadora familiar

site: www.juliabello.com.br

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você sabe o que é um Cuidador Familiar?

Clique no botão abaixo para fazer parte de uma rede de suporte entre famílias e profissionais
EU QUERO!
Fique tranquilo, não enviamos spam!
close-link