Estomatite Infantil: Tratamento Caseiro, Remédio, O que comer?

0 2.998

A estomatite infantil ou herpética é uma inflamação na mucosa da boca, causada por um vírus, que resulta no aparecimento de manchas avermelhadas na superfície da mucosa da boca e na garganta, provocando até sangramentos.

No início, a estomatite infantil costuma ser confundida com aftas comum, mas podem aumentar de tamanho e se ligarem umas às outras, se rompendo e tornando-se muito dolorosas. Embora também afete adultos, causa maior desconforto e dor nas crianças pequenas. Seus sintomas mais comuns são afta na boca, afta na garganta, dificuldade para engolir e febre alta.

Neste artigo vamos esclarecer o que é estomatite infantil, suas causas, sintomas e principais tratamentos para se livrar da doença.

Estomatite infantil: O que é?

estomatite infantil: criança com afta no lábio interno
Estomatite infantil é uma infecção viral que acomete as crianças de até anos.

A estomatite infantil é uma infecção viral da cavidade bucal das crianças, que afeta as paredes mucosas que revestem o interior da boca, causando dolorosas lesões, muito parecidas com aftas. Geralmente, a estomatite infantil é causada por dois tipos de vírus: o da herpes simples do tipo 1 (HSV-1), ou pelo vírus coxsackie responsável por causar a síndrome mão-pé-boca, que além das feridas na boca, também acarreta o surgimento de bolhas nos pés e mãos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o vírus da herpes simples do tipo 1 é extremamente comum entre em bebês e crianças antes de completarem 6 anos de idade, acometendo 90% da população Brasileira.

Principais características e sintomas da estomatite infantil

língua com estomatite infantil
Estomatite infantil afeta as mucosas da boca inclusive a língua.

Na maioria das vezes, a estomatite infantil causa lesões esbranquiçadas muito semelhantes às aftas comuns, só que em maior quantidade. Essas lesões são desconfortáveis e muito doloridas, podendo incomodar em contato com o alimento, causar dor e a recusa até do leite materno.

A maioria dos casos de estomatite infantil afeta não só as mucosas da boca da criança, mas toda a região bucal com a língua, garganta e gengiva, podendo acometer até o esôfago. Normalmente, as feridas podem variar de 1 a 5 milímetros de tamanho e de coloração cinza, amarela no meio (placas de pus) e bastante vermelhas por fora.

Além disso, as crianças podem apresentar hálito forte, febre alta de até 40ºC insistente que permanece alta e por mais de 3 dias, inchaço das amígdalas, e redução significativa do apetite e de sede por conta da dificuldade de engolir. Outra complicação acarretada pela estomatite é a gengivite, como é o nome técnico da inflamação das gengivas que provoca sangramentos na região. Outros sintomas comuns são:

  • Feridas na parte externa da bochecha;
  • Irritabilidade;
  • Choro persistente;
  • Baba constante.

Grande parte dos casos de estomatite infantil se dá em períodos mais frios do ano, em ambientes fechados e aglomerados, perfeitos para a proliferação do vírus HSV-1 responsável pela doença.

Caso esses sintomas se apresentem, é fundamental procurar um pediatra para que seja feito um diagnóstico e se inicie um tratamento adequado. Crianças com idade suficiente sabem como dizer quando há algo incomodando na boca ou garganta. Já os bebês estão mais vulneráveis, pois não tem como se comunicar de forma apropriada. Por isso, é preciso ficar atento aos sinais e características da doença.

Diagnóstico da Estomatite Infantil

Estomatite infantil debaixo da língua
Estomatite infantil debaixo da língua

Diagnosticar a estomatite infantil é relativamente simples, qualquer pediatra pode detectar com facilidade através de um exame clínico simples. Apesar de não ser grave, deve ser diagnosticada logo no início e tratada corretamente, para não representar riscos para a criança. O único fator de risco, está relacionado ao vírus da herpes, que também pode atingir os olhos.

Portanto, ao sinal de olhos avermelhados, irritados e sensíveis, além dos sintomas citados acima, procure imediatamente um médico ou o serviço de pronto-atendimento mais próximo. Pois, em alguns casos, a infecção viral pode atingir a córnea, acarretando danos mais graves e permanentes na visão das crianças.

É importante não confundir a estomatite infantil com a estomatite aftosa, mais comum a partir dos 6 anos de idade, mas que também pode ocorrer em crianças menores. Ao contrário da estomatite infantil, a aftosa não é contagiosa e desaparece sozinha em cerca de duas semanas. O seu principal sintoma é a ferida dolorosa dentro da boca, e o tratamento é feito com pomadas, medicamentos e enxágues bucais.

Contágio da estomatite infantil

criança com estomatite infantil com dedo na boca
Estomatite infantil costuma passar por contato de pele na pele

O contágio da estomatite infantil pode se dar por vários motivos, inclusive e principalmente devido à baixa imunidade. Tanto o vírus da herpes simples quanto o coxsackie são transmitidos por qualquer tipo de contato entre crianças ou adultos infectados.

A contaminação ocorre através da troca de secreções, contato pele a pele ou colocar a mão contaminada na boca. Por esse motivo, a doença é mais comum entre crianças de 1 a 5, ou até mais novas, em idade escolar. Principalmente, quando as crianças ingressam nas creches, agravando com a proximidade com outras crianças.

Por esta razão, recomenda-se não enviar a criança com estomatite infantil para a creche ou escola. É importante ressaltar também que a primeira estomatite é sempre a pior, visto que o sistema imunológico da crianças é “pego de surpresa”.

Normalmente, nesta idade, ele ainda não está em fase de desenvolvimento e não é forte o suficiente para se defender da ação viral. Embora infectadas para o resto da vida pelo vírus, essas crianças tratadas corretamente, dificilmente sofrerão outros episódios de estomatite infantil ao decorrer da vida.

Outra forma de contágio seria por conta de algumas medicações em excesso, como por exemplo no caso das crianças que fazem algum tipo de tratamento. Nestes casos, a estomatite infantil se desenvolve sem que haja contato, devido a uma reação natural do organismo.

Tratamento da Estomatite Infantil

criança com estomatite infantil limpando as gengivas
Estomatite infantil é tratada com medicamentos analgésicos

O tratamento da estomatite infantil é sintomático, ou seja, o objetivo é combater os sintomas da infecção. O pediatra irá definir os medicamentos a serem administrados – que poderão ser mais fortes ou mais fracos, dependendo da dor, do número de e do tamanho das lesões.

Normalmente, são usados remédios orais à base de analgésicos para aliviar as dores e antitérmicos para controlar a febre. No entanto, em casos de vírus, não há mais o que fazer, pois a crise não se cura com antibióticos. Medicamentos tópicos podem ser administrados para ajudar com a dor e a cicatrização das feridas. Os medicamentos vão ajudar na ingestão de alimentos e líquidos pela criança.

Outro ponto importante é manter a boca da criança sempre limpa, para reduzir as chances de pioras e recontaminação. A limpeza pode ser feita com gaze e água fresca ou por meio da escovação habitual dos dentes. Atenção aos sinais de desidratação, pois como a criança tem dificuldades para engolir, é comum que recusar mamar ou até mesmo água. Portanto, mantenha-a hidratada.

Alimentação especial como tratamento

Por acometer a boca e provocar incômodo ao ingerir alimentos, a alimentação tem um papel fundamental para ajudar no tratamento e aliviar a dor e o desconforto. Portanto, tente oferecer à criança alimentos pastosos, como purês, sopas ou frutas amassadas.

       

Para ajudar a aliviar a dor, os alimentos gelados, como sorvete, iogurte ou suco, de preferência que não sejam cítricos são os mais indicados. É bom evitar alimentos muito temperados, quentes ou ácidos, para não agredir mais a mucosa.

Uma boa receita caseira contra a estomatite aftosa e que também pode ajudar no alívio das dores da estomatite infantil, é o suco de cenoura com beterraba. Basta bater no liquidificador uma cenoura crua ralada, um copo de água e uma beterraba cozida, até ficar com um aspecto homogêneo. Coe e beba, 30 minutos antes das refeições.

Tratamento caseiro para estomatite infantil

Alguns tratamentos caseiros também podem ajudar no alívio da dor e dos sintomas da estomatite infantil. Mas é bom lembrar que todos esses tratamentos devem ser feitos apenas em crianças maiores e nunca em bebês, sempre sob consulta médica.

Bocejos

Uma das receitas seria uma solução à base de carqueja. Para preparar a solução, misture 60 gramas de carqueja em um litro de água e deixe descansar por 15 minutos. Em seguida, dê a solução para a criança fazer bochechos, e cuspir.

Outros bochechos também podem ser feitos com uma solução de 50 gramas de alfavaca seca em um litro de água, após 15 minutos da mistura. Os bochechos podem ser feitos várias vezes ao dia.

bicarbonato de sódio

O bicarbonato de sódio puro também é muito eficaz e utilizado para diminuir a dor, neutralizar a acidez e a inflamação da estomatite, já que o seu efeito destrói as responsáveis pela afta.

Adicione um pouco de água em uma colher de chá de bicarbonato de sódio para fazer uma pasta e aplique na lesão. No entanto, o bicarbonato de sódio deve ser usado com cuidado, pois também prejudica tecidos saudáveis da mucosa bucal, e a afta demora mais para desaparecer.

Aplique a pasta na área afetada usando os dedos ou um cotonete. Deixe descansar por alguns minutos e, em seguida, enxágue a boca com água morna. Faça isso três ou quatro vezes por dia.

Cravo da índia

Uma outra opção seria mascar o cravo da índia algumas vezes ao dia, devido as suas propriedades bactericidas e efeito antisséptico e anestésico. No entanto, o gosto do cravo nem sempre é aceito pelas crianças.

Fermento lácteo

Outra dica é usar fermento lácteo com própolis que, ao serem misturados, podem ser aplicados sobre a lesão como emplastro para aliviar a dor e acelerar o processo de cicatrização.

Coentro

O coentro é um dos melhores ingredientes para o tratamento da estomatite infantil, pois o coentro contém propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e antifúngicas. O coentro reduz a dor e o desconforto associado com as erupções na pele.

Ferva um punhado de folhas de coentro em um copo de água. Coe a solução e faça um gargarejo com água morna, pelo menos, três ou quatro vezes por dia. Você também pode ferver um copo de água e adicionar uma colher de chá de sementes de coentro, deixar descansar por algum tempo, coar, e enxaguar a boca com a solução três ou quatro vezes por dia.

Mel

O mel é uma substância extremamente suave, mas ótimo antisséptico e bactericida. Aplique uma colher de chá de mel com cuidado na área afetada. No início dói, mas em seguida alivia a dor e a inflamação. Repita a aplicação várias vezes ao dia.

Outra opção é misturar uma colher de chá de mel e um quarto de colher de chá de açafrão em pó, para fazer uma pasta fina. Aplique a pasta sobre a área afetada e deixe por alguns minutos. Enxágue a boca com água morna e repita o processo duas vezes por dia.

Duração da infecção por estomatite infantil

bebê com estomatite infantil com brinquedo na boca
Estomatite infantil: a melhor prevenção é hábitos de higiene saudável

A infecção costuma durar entre uma semana a dez dias, tornando-se mais branda com o passar do tempo. Se o quadro persistir além de 20 dias é preciso levar a criança ao médico para avaliar a presença de outros vírus ou bactérias que podem se aproveitar e criar novas colônias de doenças.

Caso haja reincidências de estomatite infantil, o médico deverá investigar o caso por possíveis causas. Normalmente, as crises recorrentes estão relacionadas à baixa imunidade, por isso devem ter avaliação de um especialista.

Medidas Preventivas da estomatite infantil

Infelizmente, não existe uma forma de prevenção que garanta 100% que seu filho não contraia a infecção. Já que o vírus pode ser encontrado tanto em adultos como em crianças e o contágio é através do contato.

O que pode ser feito é evitar o contato com quem já está doente, evitando assim os riscos da criança ser infectada também. Portanto, recomenda-se que crianças infectadas pelo vírus não frequentem as escolas ou creches neste período.

Da mesma forma, é preciso tomar algumas medidas higiênicas como por exemplo, lavar as mãos das crianças com frequência, não levar as mãos na boca. Caso a criança ainda utilizar chupetas ou mamadeiras, lavar e esterilizar diariamente esses utensílios e separá-los dos demais de outras crianças não infectadas.

Referências externas

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – “Revisão – Etiologia e tratamento da estoma estomatite aftosa recorrente”, 2012.
Revista de Clínica e Pesquisa Odontológica – ”Ulceração aftosa recorrente em crianças: revisão”, 2005.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.