Entorse de Tornozelo – Fisioterapia, Tratamento Causas

1 1.300

Lesões no tornozelo são muito comuns entre as pessoas, especialmente atletas. A mais comum é chamada “entorse de tornozelo”, na qual a articulação do tornozelo, que conecta o pé com a parte inferior da perna, é lesionada através de um movimento de torção. Na maioria das vezes, a entorse de tornozelo pode causar muita dor e impossibilita os movimentos dos pés.

Neste artigo vamos tratar tudo sobre entorse de tornozelo, desde causas e diagnósticos, tratamentos, fisioterapia e demais medidas que devem ser tomadas após a lesão para sua devida recuperação. De posse dessas informações é possível reduzir o tempo de recuperação e quem sabe até, evitar que a entorse de tornozelo ocorra no futuro com exercícios específicos. Mas antes, é necessário entender como o tornozelo funciona.

Anatomia do tornozelo

Mulher com as mãos no tornozelo de dor devido entorse de tornozelo
Entorse de tornozelo: entenda a anatomia do tornozelo.

Para entender o que acontece quando você torce o tornozelo é preciso saber um pouco sobre a anatomia dessa área. Basicamente, o tornozelo é uma combinação de duas juntas ou articulações.

A primeira e mais importante dessas articulações é formada pela tíbia, fíbula (ossos da perna) e o tálus (osso do pé), que juntos formam a junta talocrural. A tíbia também é conhecida por “osso do queixo” da perna e a fíbula de osso da panturrilha.

Assim, a tíbia e a fíbula juntas formam o que chamamos de “Garfo crural”, onde o tálus se encaixa perfeitamente. A tíbia e a fíbula são ligadas por dois ligamentos, o ligamento tibiofibular anterior e o posterior.

A segunda articulação é formada pelo tálus, calcâneo (osso do calcanhar) e o osso navicular formando a junta talocalcaneonavicular. As funções mais importantes dessas duas juntas, talocrural e talocalcaneonavicular, são mobilidade e estabilidade, respectivamente.

Como se dão os movimentos do tornozelo

Como o tornozelo é uma combinação de 2 juntas ou articulações há muitos movimentos possíveis. Os movimentos formados pela articulação talocrural são: dorsiflexão (movimento de levantar o pé em relação à canela) e flexão plantar (movimento de dobrar o pé em relação ao solo). Já a articulação talocalcaneonavicular permite que o tornozelo desempenhe os movimentos de inversão (dobrar o pé para dentro) e eversão (dobrar o pé para fora) .

O que é o entorse de tornozelo?

Entorse de tornozelo: movimento de torção contrária do tornozelo.
Entorse de tornozelo: movimento de torção contrária do tornozelo.

Tecnicamente, o entorse de tornozelo é um movimento giratório de torção anormal do tornozelo. Ou seja, é o movimento forçado do tornozelo e do pé em direção à linha média do corpo. Ou seja, é um movimento de inversão (para dentro ao invés de para fora), ultrapassando o limite de resistência dos ligamentos, resultando em danos à estas estruturas.

A entorse de tornozelo pode ocorrer com qualquer um, mas é muito comum entre atletas. Do ponto de vista médico, a entorse de tornozelo causa uma lesão ligamentar ou lesão dos ligamentos, que são fortes bandas de tecido fibroso que mantém os ossos juntos e a articulação estável.

A lesão mais comum é a ruptura parcial ou total dos ligamentos e da cápsula articular lateral do tornozelo, o chamado complexo ligamentar lateral. A estrutura mais frágil e mais frequentemente lesada é o ligamento talofibular anterior (LTFA).

Normalmente, este tipo de lesão ocorre durante atividades físicas como andar, correr ou saltar. Às vezes, pode até ocorrer em simples movimentos, como levantar da cama de mal jeito ou posicionar os pés bruscamente no chão.

Ligamentos envolvidos na entorse do tornozelo

Portanto, já entendemos que basicamente, o tornozelo é a articulação entre a perna e o pé que possui uma estrutura formada pela união de três ossos: tíbia, fíbula e tálus. Ou seja, para manter todos os ossos do tornozelo juntos eles devem estar cercados por múltiplos ligamentos. A principal função desses ligamentos do tornozelo é aumentar a estabilidade.

Sendo assim, para fazer com que o tornozelo seja capaz de desempenhar vários movimentos diferentes, a articulação deve também ser instável por si só. Portanto, para compensar por esta instabilidade a articulação do tornozelo é formada por inúmeros ligamentos.

Isto é, o tornozelo é uma estrutura óssea que precisa ser estável e ao mesmo tempo flexível para permitir movimentos de pés precisos e fortes o suficiente para impulsionar o corpo às atividades físicas necessárias como andar, correr e saltar. Além disso, deve também ser capaz de absorver os impactos do solo.

A configuração óssea do tornozelo é como uma pinça, onde o tálus (osso do pé em formato de cubo localizado na extremidade inferior dos pés) encaixa-se entre a fíbula e a tíbia (ossos da perna) sendo envolto por uma cápsula espessa e dois complexos ligamentares, um lateral e outro medial.

Existem inúmeras articulações, mas apenas três apresentam um papel importante nessa função biomecânica que nos permite os movimentos, são elas: talocrural, subtalar e tibiofibular.

  • Articulação talocrural – é formada pela extremidade inferior da tíbia e fíbula (ossos da perna) com o dorso do tálus (osso do pé).
  • Articulação subtalar – entre o tálus e o calcâneo (osso do calcanhar).
  • Articulação tibiofibular – é formada pela extremidade inferior da tíbia e da fíbula.

Ligamentos da região lateral do tornozelo

A estabilidade do tornozelo se dá através de três ligamentos (partes moles) importantes, conforme abaixo:

  • Complexo ligamentar colateral medial: tem origem no maléolo tibial e na inserção dos ossos navicular, tálus (osso do pé) e calcâneo (osso do calcanhar), formado pelos: ligamento tibiotalar anterior e posterior, tibiocalcâneo e tibionavicular, que juntos formam o forte ligamento deltóide, que possui duas camadas, uma superficial e uma profunda.
  • Complexo ligamentar colateral lateral: tem origem no maléolo fibular e inserção nos ossos tálus e calcâneo; formado pelos: ligamento talofibular anterior e posterior e ligamento calcaneofibular.
  • Sindesmose tibiofibular: tem origem na tíbia e inserção na fíbula; formado pelos: ligamento tibiofibular anterior e posterior e interósseos.

No caso de uma entorse de tornozelo, a região mais comumente afetada é sempre a região do complexo de ligamentos colateral lateral do tornozelo. Ou seja, os principais ligamentos lesionados são o ligamento talofibular anterior (LTFA) e o calcaneofibular (LCF). No entanto, são raros os casos em que o ligamento talofibular posterior (LTFP) é rompido.

Músculos envolvidos na estabilização do tornozelo

O tornozelo também é envolvido por vários músculos. Esses músculos permitem mover o tornozelo, assim como também estabilizam o tornozelo. Eles também são capazes de compensar qualquer perda de estabilidade após a entorse de tornozelo. Portanto, eles também são vitais para evitar que a entorse de tornozelo venha a ocorrer no futuro.

Existem 3 músculos que estabilizam sua articulação do tornozelo:

  • Músculo fibular longo e curto;
  • Músculo Tibial posterior;
  • Músculos da panturrilha.

Os músculos fibular longo e curto correm ao longo do lado lateral da perna e do tornozelo. Eles possuem a função de realizar a eversão do tornozelo. Pois naturalmente, o seu tornozelo deseja realizar a inversão devido à sua construção, por isso, esses músculos são ótimo estabilizadores. Já os músculos tibiais posteriores e da panturrilha estão localizados na parte posterior da perna e executam principalmente a dorsiflexão do pé.

O que ocorre durante a entorse de tornozelo

Diagrama de Entorse de tornozelo: a lesão causa inflmação dos tecidos devido a torção.
Entorse de tornozelo: a lesão causa inflamação dos tecidos devido a torção.

O ligamentos, que fazem a ligação entre os ossos do tornozelo, são lesionados quando uma forçamos um alongamento de movimento contrário. Isto é, quando giramos os pés para dentro em movimento invertido ou de inversão (para dentro ao invés de para fora).

Por exemplo, ao andar em solo instável o seu tornozelo deve estabilizar os ligamentos e músculos que o cerca. Durante uma contração muscular repentina ao pisar em falso, seus músculos devem reagir rapidamente para evitar esse movimento indesejável.

Normalmente isso ocorre em relação à inversão, por causa do formato natural da articulação do tornozelo. Quando a resposta dos músculos é para retardar o movimento, o corpo aplica uma tensão sobre os ligamentos.

Isto diminui o movimento ainda mais, no entanto, a força é tão grande que torce ou até rompe os ligamentos, ocorrendo a entorse. Uma entorse de tornozelo causada por inversão é a mais comum, mas um trauma por eversão também pode ocorrer em raras ocasiões.

Causas comuns de entorse de tornozelo

A entorse de tornozelo podendo ocorrer das seguintes maneiras:

  • Pisando em falso ou de mal jeito enquanto corre, subindo ou descendo degraus ou durante simples movimentos como descer da cama ou de local mais alto;
  • Pisar em superfícies irregulares de forma brusca, como um buraco;
  • Um jogador pisar em outro durante alguma atividade esportiva. Como por exemplo, durante um drible ou dividida de bola em partida de futebol,fazendo com que os pés do outro jogador gire para dentro. Ou durante uma partida de basquete em que o jogador sobe para um arremesso e aterrissa de mal jeito ao pisar no chão ou sobre os pés do outro jogador, girando o pé para dentro.

Estatísticas médicas de entorse de tornozelo

Cerca de 90% das lesões ocorrem desta maneira, pela inversão forçada do tornozelo. E, normalmente a torção acontece quando pisamos “em falso”, quando o piso é irregular, durante um tropeção ou quando uma quantidade de força incomum é aplicada à articulação.

Os entorses de tornozelo representam 25% dos casos ortopédicos e 20 % de todas as lesões esportivas. Isto é, chega a ser uma lesão por dia para cada 10.000 pessoas, isto é, 18.000 entorses por dia ou 750 entorses por hora no Brasil.

Principais sintomas de entorse de tornozelo

Diagrama de Entorse de tornozelo: tornozelo inchado e de coloração roxa por causa da lesão.
Entorse de tornozelo: tornozelo inchado e de coloração roxa por causa da lesão.

Quando o tornozelo é lesionado por uma entorse ou torção, rompimento de ligamento, lesão do tendão ou fratura, ocorre uma inflamação no local. Isto é, os vasos sanguíneos “vazam” permitindo que líquidos escorram para o tecido muscular macio que envolve as juntas.

Glóbulos brancos, responsáveis pela inflamação, migram para a área afetada, e ocorre um aumento no fluxo sanguíneo. As mudanças mais comuns ocorridas durante a inflamação, incluem dor, inchaço e hematoma, que podem afetar os dois lados da articulação, dependendo das estruturas acometidas.

Os sintomas de uma entorse de tornozelo dependerá da severidade da lesão. Basicamente há 3 graus de entorses de tornozelo: Grau 1, 2 e 3. Ou seja, quanto maior for o grau, mais severa será a lesão, a dor e os sintomas. Da mesma forma, maior será o tempo de recuperação. Não importa o grau, todas elas apresentarão um ou mais sintomas comuns, como abaixo:

  • Inchaço pelo aumento de fluído nos tecidos: às vezes, o inchaço é tão severo que você pode deixar um recuo na área inchada ao pressionar com o dedo;
  • Dor devido aos nervos mais sensíveis: a região das juntas dói e pode até pulsar. A dor se eleva pressionando a área ou tentando girar o tornozelo ou pés em certas direções (dependendo de quais ligamentos estejam envolvidos, tentando andar ou ficar em pé;
  • Vermelhidão, hematomas e aumento da temperatura na área afetada devido ao aumento de fluxo sanguíneo.

1. Entorse de tornozelo Grau 1

A entorse de tornozelo de grau 1 causa uma leve torção ou alongamento do ligamento talofibular anterior. Por ser leve ou apenas ter alongado os músculos, sem que haja lesão aos ligamentos, os sintomas deverão ser mais suaves. Normalmente a torção irá causar inflamação leve, dor repentina e mínima e nenhuma mudança de coloração.

Quando você desempenha uma inversão passivamente, isso irá causar apenas uma dor mínima e um certo desconforto momentâneo. Você será capaz de andar logo em seguida. Talvez mancar por alguns minutos até que passe a pressão. O tempo de recuperação de uma entorse de tornozelo grau 1 é de menos de semanas, se não for no mesmo dia ou em poucas horas.

2. Entorse de tornozelo Grau 2

       

A entorse de tornozelo de grau 2 é um pouco mais severa. Neste caso, há uma ruptura causada no ligamento talofibular anterior. Normalmente a dor é maior, a inflamação também e ocorrem mudanças na coloração da pele na área afetada. Com isso, andar já fica um pouco mais difícil nas primeiras semanas, mas os sintomas desaparecerão devagar. O tempo de recuperação de uma entorse de tornozelo grau 2, normalmente é de 2 a 4 semanas.

3. Entorse de tornozelo Grau 3

A entorse de tornozelo de grau 2 é de rompimento completo do ligamento talofibular anterior. Neste caso, isso causa uma quantidade de dor significante, inflamação da área bastante proeminente e coloração da lateral do tornozelo. Normalmente, os outros ligamentos da lateral do tornozelo também são alongados e às vezes também podem conter rompimentos. Andar pode ser bastante difícil, mas não impossível. Sendo que o tempo de recuperação de uma entorse de tornozelo grau 2, normalmente é de 4 a 6 semanas.

Quando procurar pelo médico

Normalmente, uma entorse de tornozelo comum não exige marcar uma consulta no ortopedista ou fazer uma visita à emergência. O problema consiste em diferenciar uma torção comum de uma lesão mais séria ou até a presença de fraturas. Observe os sintomas abaixo, caso um ou mais ocorrerem, procure um médico:

  • Dor severa ou incontrolável, mesmo medicada, elevando os pés e colocando gelo;
  • Impossibilidade de movimentos ou andar sem dor severa;
  • Não apresentar melhora dentro de 5 a 7 dias. A dor pode não desaparecer por completo, mas deve parecer melhorar;
  • Recomenda-se uma visita ao médico após 1 a 2 semanas após a lesão para ajudar com exercícios de flexibilidade e resistência.

As indicações para procurar a emergência de um hospital ou pronto-socorro médico são as mesmas. No entanto, os sintomas abaixo sugerem a presença se fraturas, ou lesões mais sérias que exigem tala para imobilizar e controlar a dor e melhor a recuperação:

  • Dor severa ou incotrolável;
  • Pé ou tornozelo deformado ou extremamente inchado;
  • Impossibilidade de andar sem dor extrema;
  • Dor intensa ao pressionar o maléolo medial ou lateral, saliências de cada lado do tornozelo.

Diagnóstico de entorse de tornozelo

Normalmente, os diagnósticos são feitos com base no relato do ocorrido por parte do paciente, além de um exame físico ao observar os sinais e sintomas da área afetada junto a um estudo radiológico do pé e tornozelo através da radiografia.

Durante o exame físico da entorse de tornozelo, o médico efetua a palpação da área afetada para localizar os pontos dolorosos e avaliar a extensão da lesão. Alguns testes são feitos para auxiliar na classificação da lesão e indicar a presença de instabilidade ligamentar e de outras lesões que podem estar associadas.

É comum o pedido de raio X para determinar ou excluir possíveis fraturas, principalmente se a dor for intensa, não houver movimento ou não puder apoiar o pé no chão. Alguns médicos podem até pedir exame de Ressonância Magnética para avaliar o tipo de lesão ligamentar, se houve lesão cartilaginosa e/ou contusão óssea. Para assim, avaliar quais estruturas foram também acometidas.

Principais exames e testes em caso de entorse de tornozelo

O médico precisa examinar por fraturas ou outras lesões mais sérias para o tratamento imediato:

  • Exame físico para determinar lesões de nervos ou artérias dos pés;
  • Palpação e testes de movimento dos pés e tornozelo para determinar as áreas envolvidas;
  • Teste no tendão de Achilles por sinais de ruptura;
  • Teste de raio X e ressonância magnética para determinar a presença ou não de fraturas com mais precisão.

Principais tratamentos para entorse de tornozelo

Entorse de tornozelo: compressas de bolsa de gelo para aliviar o inchaço e a dor.
Entorse de tornozelo: compressas de bolsa de gelo para aliviar o inchaço e a dor.

O tratamento em casa, ou caseiro é sempre direcionado à aliviar as dores e ajudar no processo de cura para que a recuperação seja mais rápida. Como as dores são causadas pela inflamação a área afetada, recomenda-se reduzir a inflamação e evitar que ocorra novamente. O mais importante é deixar que o seu corpo faça o que ele precisa fazer para se recuperar. Iso significa que ele deve ser capaz de reparar o tecido lesionado. Para tanto, recomenda-se o seguinte para ajudar na recuperação:

1. Compressas

Normalmente o corpo humano tenta se recuperar de lesões aumentando o fluxo sanguíneo em relação ao tecido lesionado. Todo esse sangue para esta irrigação extra contém todos os nutrientes necessários. Por esta razão, nem sempre recomenda-se aplicar gelo sobre o tornozelo. O gelo neutraliza esse aumento de fluxo sanguíneo na área lesionada e irá reduzir o inchaço, a vermelhidão e a temperatura, mas também a recuperação.

Para uma recuperação mais rápida, recomenda-se massagear gentilmente a área mais afetada para aumentar ainda mais esse fluxo sanguíneo. Alguns médicos também recomendam alternar as compressas de gelo, com massagem ou compressas quentes. Sendo que é bom aplicar as compressas logo após o ocorrido. Apenas lembre-se de não aplicar as compressas de gelo diretamente na pele.

Coloque uma toalha entre a bolsa ou saquinho de gelo e a área lesionada. Recomenda-se aplicar as compressas por 20 minutos, dando um intervalo de 20 minutos entre as aplicações. Isto vai evitar as queimaduras que costumam ocorrer se o gelo for aplicado diretamente na pele ou por muito tempo seguido.

Repouso moderado

O repouso absoluto não é o melhor remédio. Se possível, o melhor seria continuar movimentando os pés evitando aumentar a dor ou demais lesões e estressar os tecidos já inflamados. Se for uma lesão de grau 1 não será um problema. No entanto uma entorse de tornozelo de grau 2 ou até 3 pode ser bastante dolorido por algumas semanas.

Imobilização

É bom usar talas ou botas que imobilizam o tornozelo para evitar mover a área lesionada e dar mais estabilidade sem lesionar a área ainda mais. As faixas podem ser usadas, mas elas não fornecem o suporte necessário para prevenir os movimentos. Deve-se tomar cuidado para não bloquear a circulação colocando-as muito apertadas. As muletas também pode ajudar na locomoção sem precisar colocar o peso sobre o tornozelo lesionado.

Elevar os pés

Manter a área lesionada o mais alto possível irá ajudar o corpo a absorver os fluídos vazados para os tecidos. O ideal é elevar os pés acima da linha do coração. Uma cadeira reclinável é excelente.

Anti-inflamatórios

Os medicamentos anti-inflamatórios irão ajudar a diminuir a dor e combater a inflamação e inchaço. Muitos desses medicamentos podem ser comprados sem prescrição médica, como ibuprofeno e paracetamol. No entanto, consulte um médico antes de se automedicar ou se você tem alguma condição médica relevante ou toma outros medicamentos.

O que esperar após a entorse de tornozelo?

Dependendo do grau da lesão, após seis semanas da entorse de tornozelo, já pode-se esperar 90% de recuperação com bons resultados e o retorno das principais funções. No entanto, é possível que alguns sintomas ainda resistam. Como por exemplo, dor nos ossos e juntas ou instabilidade das articulações do tornozelo.

Há casos em que, mesmo após seis meses, 20 a 30% dos pacientes ainda sofrem com algum grau de desconforto ou leve instabilidade da articulação. Por isso, uma consulta para examinar se a recuperação foi completa ou se há algum outro sintoma tardio. Mas isso apenas de o tornozelo não parecer estar se recuperando.

Se você pode observar que o tornozelo ainda dói depois de duas semanas ou a inflamação persiste ou piora, isso pode indicar alguma outra lesão de ligamentos ou até fratura previamente não detectada. Consulte um médico imediatamente para mais exames.

Exercícios de fisioterapia para entorse de tornozelo

A prática de exercícios de fisioterapia é muito importante para a recuperação do tornozelo após a lesão. Os dois exercícios abaixo poderão ajudar a restaurar a estabilidade e aumentar a força e resistência dos músculos dos pés para evitar problemas futuros. (saiba também como acabar com as dores nas articulações).

Exercícios para recuperar a estabilidade do tornozelo

Quando treinamos a estabilidade do tornozelo, colocamos carga no tecido lesionado. O seu corpo precisa dessa carga para reparar o tecido da forma correta, Este exercício também ajuda a prevenir futuras lesões.

Depois de torcer o tornozelo, os ligamentos nunca voltarão a ser como antes. Por isso, o tornozelo pode ficar um pouco instável no futuro. No entanto, isso pode ser superado treinando os músculos do tornozelo para reagir mais rapidamente a qualquer movimento repentino. Basta seguir o seguinte:

  • Fique em pé sobre o tornozelo lesionado;
  • Dobre o joelho levemente e continue olhando para frente;
  • Tente segurar a posição por mais tempo possível;
  • Repita várias vezes seguidas.

Nos primeiros dias será mais difícil fazer o exercício. Mas depois de treinar por alguns dias, você já vai notar uma melhora. Para dificultar ainda mais, tente fazer o exercício de olhos fechados.

Exercício para aumentar a força e resistência dos músculos dos pés

Este exercício foi criado para aumentar a força e a resistência dos músculos dos pés e das pernas. Normalmente, depois de torcer o tornozelo a pessoa fica sem andar por alguns dias, reduzindo a força nos pés dos músculos da perna. Para aumentar essa força e ajudar no processo de cura, você pode fazer o seguinte exercício:

  • Fique em pé com as pernas levemente afastadas;
  • Fique na ponta dos pés e volte devagar;
  • Repita o mesmo 10 vezes seguidas.

Repita o exercício 3 vezes por 2 vezes ao dia. Se achar muito fácil, dificulte usando apenas uma perna só. Você pode adicionar peso para dar mais força (5kg a 8kg).

Como prevenir a entorse de tornozelo

Como você pode perceber, tratar a entorse de tornozelo não é tão difícil assim. Basta você ser paciente, seguir as instruções médicas e fazer os exercícios de fisioterapia corretamente. A prevenção da entorse de tornozelo pode ser tão simples como usar o calçado adequado ou tão difícil quanto treinamento de equilíbrio para atletas.

  • mantenha os tornozelos fortes e flexíveis. Procure por exercícios de fisioterapia para fortalecer as articulações;
  • use calçados adequados para suas atividades. Eles devem ser estáveis o suficiente para dar suporte adequado ao tornozelo (salto alto e plataformas não são os mais indicados para evitar a entorse de tornozelo);
  • Se você for esportista, considere usar proteção para suporte extra;
  • Evite fazer exercícios em solos com obstáculos e instáveis;
  • Remova qualquer obstáculo ou perigos para possíveis tropeços de casa ou do quintal ou jardim.

Conclusão

A maioria dos casos de entorse de tornozelo possuem uma boa recuperação sem maiores complicações ou dificuldades. A cirurgia é raramente necessária em casos de torção leve ou moderada (grau 1 ou 2).

Às vezes pode ser considerada quando a pessoa com torção severa (grau 3) é um atleta profissional ou alguém que provavelmente colocará muito estresse na articulação no futuro (pessoas obesas).

Os exercícios para manter a flexibilidade e força podem ser iniciados logo que o inchaço desaparecer e você puder andar sem dor. Consulte o seu médico antes de iniciar qualquer tratamento fisioterapêutico.

Boa sorte na sua recuperação!

Recomendados Para Você:

       
1 comentário
  1. Dito Diz

    Parabéns pelas dicas! A fisioterapia é super importante.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.