Dor de dente: saiba como aliviar, remédios caseiros e o que fazer

0 2.147

A dor de dente é realmente uma situação muito incomoda. Além do desconforto é um grande indicativo de problemas na saúde bucal. Saber o que fazer é uma forma de alivio e também prevenção.

Os nossos dentes são ossos expostos, no entanto possuem ainda grande sensibilidade. Desta forma problemas na saúde bucal podem desencadear dores intensas.

Nem sempre a dor de dente está relacionada a carie. Sendo essa também um fator, mas não o único que surge. Por isso é importante entender a dor de dente e saber principalmente sua origem.

Bem sabemos também que nem sempre é possível ir ao dentista no mesmo instante que surge uma dor de dente. Seu dentista pode ter muitos pacientes e com isso ter necessidade de agendamento para realizar o seu atendimento.

Com isso você fica praticamente desamparado com a dor de dente. O objetivo deste guia é levar informação para você não ficar desamparado neste momento.

Por isso este é um guia ultra completo sobre a dor de dente e seus causadores, bem como formas de alivio e principalmente identificar a situação que desencadeia esta dor de dente.

Então venha comigo em mais uma jornada de aprendizado e entenda absolutamente tudo sobre a dor de dentes. Tudo isso de forma clara e objetiva além de didática simples. Junte-se a mim nesta jornada e continue lendo.

Entendendo o que é a dor de dente

dor de dente

Embora a dentição humana seja ossos expostos estes ossos possuem terminações nervosas. A dor de dente é uma excitação destas terminações nervosas que desencadeiam fortes incômodos.

A dor de dente pode ser um indicativo de problemas sérios de saúde bucal. Geralmente a dor de dente é uma resposta mais extrema a um problema visto que dentes não possuem muita sensibilidade.

Entretanto isso não é uma regra. Existem pessoas que possuem grande sensibilidade nos dentes e isso pode causar a dor de dente mesmo se haver problemas na saúde bucal.

Pessoas que sofrem de hipersensibilidade dentária podem sentir dor de dente quando ingerem alimentos em temperaturas um pouco mais elevadas. O mesmo também se aplica quando consumido alimentos gelados.

A hipersensibilidade geralmente é sentida sempre que os dentes são expostos a estes tipos de alimentos. Sendo assim há dor de dente quando consumido um simples cafezinho quente ou quando se toma um suco gelado e principalmente quando se mastiga gelo.

Quando a situação não é desencadeada pela hipersensibilidade é responsável por outros problemas na saúde bucal. Existem doenças infecciosas que pode causar a dor de dente como a periodontite e a gengivite.

A cárie também é um responsável pela dor de dente já que pode provocar lesões nos dentes significativamente profundas em estágios avançados. Neste caso é necessário reparar a lesão para não haver mais dor ou incômodo.

Ouros tipos de lesão também podem incorrer em dor de dentes ou dor na gengiva que pode ser confundido com a dor no dente. No entanto estas são mais incomuns como aftas na boca e outras inflamações regionais ou mesmo micro lesões ocorridas durante a mastigação.

As partes anatômicas dos dentes

 

Para conhecer os causadores da dor de dente é preciso ir além dos sintomas. É preciso conhecer as partes do dente de forma anatômica e assim perceber quais as partes que são afetas e onde de desencadeia a dor de dente.

Todas as partes do dente funcionam em conjunto, sendo assim é necessário um bom funcionamento para ter dentes normais, fortes e sem dor. Cada tipo de lesão pode atacar uma destas camadas do dente, embora algumas partes não sejam tão sensíveis a dor outras pode ser muito mais.

Então vamos entender esta anatomia para finalmente perceber como a dor de dente opera com base na partes do dente. Sim os dentes possuem várias partes anatômicas embora possamos ver o que parece ser apenas uma parte, mas há divisão clara e isso você pode ver agora.

Começaremos da parte externa para a parte interna, ou seja, de dentro para fora. Desde a parte mais exposta até as partes que não são visíveis. Então acompanhe.

Esmalte

 

Não este não é o esmalte que se passa nas unhas das mulheres para ficarem mais belas e coloridas. No entanto é uma camada que gera a proteção dos dentes tornando-os mais fortes e resistentes e assim evitando diversos problemas de saúde bucal.

O esmalte do dente é uma parte super mineralizada e com isso adquire grande resistência. O esmalte dos nossos dentes em termos de comparação com a mesma espessura é muito mais forte que outros ossos do nosso corpo.

Sendo assim quando você está sorrindo o que é exibido é na verdade o esmalte do seu dente. Este esmalte cobre toda a parte externa dos dentes. No entanto mesmo sendo muito duro e resistente ainda sofre graves lesões da ação acida das bactérias da cárie.

As bactérias da cárie se instalam e começam a produzir ácidos sobre o esmalte do dente. Estes ácidos afetam a mineralização da região e com isso vai se tornando cada vez mais fraca.

Isso ocorrer até o ponto de causar sérias lesões nesta camada e adentrar para as próximas. É justamente devido a essa super resistência do esmalte que a cárie demora muito para penetrar no dente.

Depois que a cárie ultrapassa essa camada tende a progredir muito mais rápido já que a resistência foi superada. Por isso é sempre bom manter uma boa taxa de recorrência de consultas ao seu dentista para evitar que as cáries se tornem grande ou permanecem tempo demais nos dentes até causar lesões mais sérias.

Dentina

dor de dente

A dentina é a segunda camada dos dentes e se encontra logo abaixo do esmalte e também acima da polpa. Embora seja ainda uma área bastante mineralizada é muito mais frágil que a primeira camada de esmalte.

A dentina ainda se caracteriza devido a sua maior sensibilidade já que está muito próxima da polpa que é uma região de grande sensibilidade devido à região nervosa estar significativamente próxima.

Esta é uma camada que desempenha uma função muito especifica. Tem como função a redução do impacto nos dentes causada pela alimentação e trituração de alimentos.

Toda esta proteção evita impactos maiores na polpa e também nas raízes e com isso reduz a possibilidade de danos bem como dores profundas nos dentes.

Sem esta ação dos dentes sofreriam impactos muito mais diretos que produziriam não apenas dores como também rachaduras e até mesmo fraturas nos dentes.

Fraturas por mais que sejam mínimas se tornam grandes problemas. Visto que proporcionam condições favoráveis para as bactérias se instalarem e o desenvolvimento das cáries se tornam muito mais intenso e o avanço destas lesões se torna ainda mais rápido e doloroso.

Polpa

 

A polpa do dente é uma região bem interna e por incrível que parece é muito mais macia. Isso se dá pela grande quantidade de vasos sanguíneos que há nesta região e também as terminações nervosas.

Sendo assim podemos afirmar que a polpa é responsável por manter a vitalidade dos dentes. Oferecendo assim a nutrição adequada e a reposição de cálcio necessária para manter a região saudável e ainda levar à superfície o esmalte que mantém a proteção do dente.

Esta região é a responsável por desencadear a dor de dente como alerta de perigo. Sendo assim quando algo está errado nos dentes a polpa envia sinais elétricos para o cérebro que é recebido pelos receptores da dor. Surgindo assim a famigerada dor nos dentes.

Quando há um problema grave de cáries nos dentes e quando esta afeta regiões muito profundas é necessário realizar a remoção completa da polpa. É justamente por esse motive que o canal é realizado.

Embora a polpa tenha função vascular do dente ela não é capaz de realizar uma reposição completa. É por isso que um dente não pode sarar sozinho depois de danificado.

Uma vez danificado gravemente é preciso remover a polpa para não continuar desencadeando a dor de dente. Isso também explica porque os dentes tende a escurecer depois de um canal realizado. Isso porque não recebe mais a nutrição necessária havendo assim a morte do dente.

Raiz

 

As raízes dos dentes são à base de fixação destas peças ósseas no maxilar. As raízes dos dentes são dois terços maiores que os próprios dentes e com isso garante a fixação sem abaulamentos.

As raízes contam ainda com partes que auxiliam a manter os dentes presos. Estas partes são como perninhas que podem ser uma ou mesmo três destas perninhas que garantem ainda mais fixação.

É por isso que uma extração de dente pode ser difícil e dolorosa já que a natureza tratou de fixar muito bem as peças de forma individual. Além disso, divo a profundidade das raízes do dente é normal que a dor de dente tenha ramificações e possa ser sentida no maxilar ou mesmo na cabeça.

Este é ocaso das dores de dente que faze até a cabeça doer, o maxilar inteiro e ainda os ouvidos. Radiografias das raízes dos dentes mostrar que alcançam até bem perto do queixo na mandíbula inferior e próxima a linha das narinas na mandíbula superior. Realmente estão bem profundas estas raízes.

Os tipos de dores de dente

 

A dor de dente não tem apenas uma causa como já mencionei anteriormente. Isso porque existem vários fatores que impactam de diferentes formas tanto n dente com nos receptores nervosos da polpa.

Conhecer cada tipo de dor de dente é essencial para tomar as melhores medidas para reparar ou atenuar o problema. Por isso vamos explanar cada um dos tipos de dores mais comuns e que surgem com maior freqüência.

Assim poderemos entender de forma clara e cientifica cada um destes processos e ainda todas as umas das consequencias de cada processo. Mais tarde este conhecimento será bastante útil para determinar o que fazer para aliviar a dor de dente.

Então fique atento e continue lendo e vamos entender agora cada um destes problemas em detalhes. Veja abaixo.

Sensibilidade momentânea

 

A sensibilidade momentânea ocorrer quando comemos alimentos frios ou gelados. Este tipo de dor de dente ocorrer apenas durante este momento e não trás consequencias mais graves para a sua saúde bucal.

Este é o tipo de dor de dentes mais comum e afeta centenas de milhares de pessoas. Essa sensibilidade excessiva dos dentes pode ocorrer em determinado momento da vida e depois desaparecer completamente de forma súbita ou mesmo perdurar pela vida toa. Isso depende muito de caso para caso.

A alta sensibilidade pode ocorrer devido a falhas no esmalte, alimentos muito ácidos como o limão, por exemplo, podem remover partes do esmalte e com isso despertar uma sensibilidade maior que podem durar alguns dias.

Fatores genéticos também podem contribuir para a sensibilidade. Isso porque pode haver falhas na criação e manutenção da camada externa do dente deixando-o sempre mais vulnerável.

Geralmente este tipo de dor de dente tem formas de alivio e ainda é possível atenuar o problema. Sobre isso falaremos mais adiante em tópicos específicos.

Sensibilidade após tratamentos dentais

 

Os tratamentos dentais por mais simples que sejam podem causar sensibilidade por determinado tempo. Isso de dá ao abaulamento da polpa do dente que consequentemente sofre inchaço e aumento da sensibilidade.

Com isso é possível sentir dor de dente quando em contato com alimentos gelados ou quentes e ainda ao mastigar alimentos mais rígidos. Este tipo de dor embora seja bastante inconveniente é passageira.

Sendo assim não é necessário tratamentos além do já realizado e sim cuidados durante o consumo dos alimentos. Tente não ingerir alimentos muito quentes e nem gelados nesta fase do seu tratamento.

Os mesmo cuidados se aplicam aos alimentos mais duros que não devem ser mastigados do mesmo lado do tratamento. Dependendo do tratamento dentário realizado também é possível que haja um incômodo, inflamação ou alguma perturbação da gengiva.

A gengiva também pode desencadear dores que podem ser confundida com a dor de dente. Assim é natural ter sensibilidade após tratamentos dentários de vários tipos.

Dor aguda ao morder

 

Este tipo de dor de dente não é do grupo das dores comuns. Na verdade a dor aguda ao morder é indicativa de falha na estrutura do dente. Estas falhas podem estar relacionadas a diversas partes do dente.

É possível que seja falha na camada externa conhecida como esmalte. Também pode haver rachaduras no dente, irritação da polpa, cáries corroendo tanto o esmalte como também a dentina e polpa.

Dentes com abaulamentos, um pouco soltos também pode apresentar dores agudas ao morder algo. Este tipo de dor não passa sozinho ou com medicamentos.

É necessário ir ao seu dentista para realizar uma avaliação e o tratamento adequado para o tipo de problema identificado.

Dor com mais de 30 segundos após ingerir alimentos

 

Ter sensibilidade nos dentes é bem diferente das dores duradouras que se mantém mais de 30 segundos. Embora a sensibilidade seja bastante comum as duradouras são indicativas de problemas mais graves.

Dores duradouras indicam lesões graves e irreversíveis na dentina e com isso exigem tratamento muito mais invasivo. Como os danos são irreversíveis não é possível manter esta polpa no dente.

Dessa forma é necessário remover a polpa do dente para não voltar a ter dores novamente. Este procedimento é o conhecido canal que tem como função eliminar completamente o interior do dente como a dentina e polpa e substituir por cimento dentário e assim eliminar completamente a dor.

O procedimento do canal pode também requerer a substituição da coroa dentaria. Esta substituição é feita através de peças artificiais que são fixadas na regia que a corrosão pelas bactérias da cárie foi mais acentuada.

Esta substituição de coroa dá ao dente o reparo necessário e este nunca mais terá dor. Isso porque não tem mais sua parte interna natural e sim substituída por outra artificial.

Neste tipo de procedimento o dente perde a sua vitalidade e com isso pode adquirir uma coloração mais escura. No entanto ultimamente existem tratamentos que evitam esta desvitalização e escurecimento do dente que foi realizado canal.

Pressão constante e dor, sensibilidade ao toque e gengiva inchada

 

Este grupo de do pertence aos sintomas de inflamações na gengiva. As infecções mais comuns são causadas pela gengivite e periodontite. Este quadro é caracterizado por sintomas não diretamente relacionados aos dentes.

É possível também presenciar vermelhidão na gengiva e até mesmo abscesso em casos mais graves e quando não é feito o tratamento nas fases iniciais. Se houver abscesso é necessário perfuração e limpeza pelo dentista.

Em casos mais simples o tratamento é feito através do uso de antiinflamatórios e também antibióticos.

Geralmente pode se levar de 3 a 7 dias para ter resultados com os tratamentos antiinflamatórios. Por tanto é necessário ainda utilizar medicamentos analgésicos para alivio da dor durante este período de tratamento.

Dor na arcada dentaria superior com pressão e dor maçante

 

A dor na arcada dentaria superior com pressão e maçante pode vir também acompanhada com dores de cabeça. Neste tipo de caso também é comum perceber desalinhamentos dos dentes ou mesmo de toda a arcada dentaria.

Esta característica se desenvolve devido ao bruxismo. Bruxismo é quando há ranger de dentes e forte pressão das mandíbulas uma contra a outra de forma involuntária.

O bruxismo geralmente ocorre durante o sono, por isso a pessoa que o possui não percebe este ranger de dentes e tem dificuldades para descobrir a origem da dor.

As principais causas da dor de dente

 

Como já venho mencionando existem diversos fatores que podem desencadear as dores de dente. Agora vamos esclarecer cada um destes fatores e o que eles causam que desencadeiam as dores no dente.

O dente pode ser afetado de diversas maneiras pelos agentes externos e com isso sofrerem falhas estruturais. Estas falhas consequentemente desencadeiam dores que se apresentam com as listadas acima.

Então vamos ao ponto e entender todas estas causas de forma mais completa. Então continue lendo.

Cáries

 

As cáries são as principais responsáveis por causar dor de dente e também é o problema de saúde bucal mais comum. Na bica humana existem diversas bactérias que vivem ali e realizam seus processos químicos.

As bactérias realizam processos químicos na boca e estes químicos se transformam em ácidos. Os ácidos por sua vez começam a desgastar os tecidos dos dentes e criar fissuras.

Estas fissuras se continuarem expostas às bactérias da cárie vão agravando ainda mais. Com isso surgem buracos no esmalte do dente. Uma vez vencido o esmalte do dente as cáries tem ainda mais facilidade para continuar seu processo de corrosão.

Estes buracos vão ficando cada vez maior e se tornam até visíveis a olho nu. Não obstante as cáries vão se acumulando e produzindo buracos cada vez maiores que pode se agravar e com isso afetar outras partes do dente como a dentina chegando à polpa e finalmente encontrando até mesmo a raiz do dente.

A cárie pode finalmente se tornar irreversível quando atinge a polpa do dente. Neste caso o tratamento deve ser remover todo o material interno do dente e realizar um preenchimento artificial e possivelmente instalação de coroa dentária sintética.

A cárie é produzida pela bactéria Streptococcus mutans. A título de curiosidade a cárie pode ser transferida por meio do beijo. Existem três tipos de caries que são:

Coronária

 

Este tipo de cárie atinge principalmente a coroa dentária. A coroa dentária é a parte superior dos dentes, ou seja, a parte totalmente visível. Também conhecida como área de mastigação.

       

Este tipo de cárie é o mais comum e se forma devido ao acúmulo de alimentos nos dentes que se transformam em placas bacterianas. A sujeira nos dentes juntamente com a umidade e temperatura são ideias para a proliferação e sobrevivências das bactérias da cárie.

Radicular

 

A cárie radicular é um tipo menos comum e surge em decorrência de fatores específicos. Normalmente a raiz dos dentes está protegida pela gengiva, como já conta com esta proteção não tem esmalte como na parte coronária.

Este tipo de cárie ocorre quando há retração da gengiva o que facilita o acesso das bactérias nesta região. Este tipo de cárie é mais agressivo e consume facilmente o dente já que esta região não conta com o esmalte como já mencionei.

 Recorrentes

 

As cáries recorrentes são aqueles persistentes que insistem em surgir nos dentes afetados ou mesmo em outros dentes. Mesmo após restaurações este tipo de lesão tende a surgir.

Quando o paciente possui este tipo mais agressivo de cáries precisa ter cuidados muitos maiores com a sua saúde bucal com escovação e uso do fio dental ao longo do dia a dia.

Desgastes do esmalte

 

O desgaste no esmalte provoca dores distintas nos dentes, pode se apresentar como sensibilidade a alimentos quentes ou frios, alimentos ácidos, dor ao mastigar e até mesmo contato com o ar quando soprado em direção ao rosto em boca aberta.

O desgaste do esmalte tem sempre um causador associado. Então vamos ver agora estes tipos de causadores.

Alimentação inadequada

 

A alimentação tem um grande papel na saúde bucal. Os alimentos abrasivos ou muito ácidos são os principais e mais comuns responsáveis do desgaste do esmalte. Alimentos como refrigerantes lideram esta lista, limões também pode causar este mesmo impacto bem como abacaxi e outros alimentos.

Quando há este tipo de lesão nos dentes geralmente são perceptíveis quase de imediato com sensibilidade e incômodo nos dentes. Estes alimentos devem ser evitados em quantidades excessivas, principalmente os refrigerantes que além de acidez possuem muito açúcar que é prejudicial à saúde e aos dentes.

Escovação incorreta

 

Embora escovar os dentes seja benéfico é preciso ter discernimento quando colocado em prática. Escovar os dentes demasiadas vezes ao longo do dia pode causar danos ao esmalte e com isso causar sensibilidade e ainda vulnerabilidade às cáries.

Escovar os dentes com muita força pode causar sangramentos na gengiva e ainda a retração da gengiva aumentando o risco de cáries do tipo radicular. É necessária uma boa escovação, mas agressividade está longe de ser a solução adequada.

Também é necessário tomar cuidado com cremes dentais muito abrasivos. Se você perceber que determinado creme dental causa desconforto ou sensibilidade após o uso substitua por outro até encontrar o mais conveniente para você.

Clareamentos

 

Os procedimentos de clareamento são naturalmente abrasivos e causam sensibilidade afetando significativamente o esmalte. Portanto se você realizou algum clareamento ficará com os dentes desprotegidos do esmalte por algum tempo, mas não se preocupe, neste caso há reposição natural em poucos dias e com isso a sensibilidade passa.

Bruxismo

 

O bruxismo é um quadro inconsciente que repercute como ranger de dentes. Geralmente o bruxismo acontece durante o sono e muitas das vezes a pessoa nem sequer percebe.

No entanto pode ocorrer também mesmo em estado de vigília quando a pessoa está distraída seja lendo ou vendo TV. O bruxismo faz com que os dentes se desalinhe e também pode causar até mesmo rachaduras e fraturas em casos mais extremos.

Normalmente também compromete a camada protetora de esmalte e com isso pode desencadear dores e sensibilidade. Esta condição requer tratamento para evitar os rangeres de dentes constantes.

Retrações gengivais

 

As retrações da gengiva proporcionam condições para o desenvolvimento de cáries nas raízes dos dentes, nem sempre são perceptíveis e por isso podem se manifestar apenas com a dor.

Outro problema causado pela retração das gengivas é que também proporciona o surgimento de infecções e inflamações como é o caso da gengivite.

A formação de placas bacterianas entre as gengivas e os dentes podem também dar origem ao periodontite. Sendo assim é essencial ter cuidados especiais quanto à retração de gengivas.

Traumas

 

Traumas diversos podem levar a dor de dente. É possível ter fraturas, abaulamentos ou lesões nas gengivas que podem acarretar em dor de dente. Lesões como quedas, esbarrões e até mesmo mastigação de alimentos muito duros ou demasiado crocantes podem desencadear este tipo de acontecimento.

Pulpite

 

A pulpite é a inflamação da polpa do dente e com isso há muito estímulo nas terminações nervosas da região. Isso por causar muita dor de dente. Geralmente este quadro surge após procedimentos dentários como restauração e substituição de coroa.

Neste caso o seu dentista irá sugerir os melhores medicamentos que podem ser antiinflamatórios e principalmente analgésicos para alívio da dor. Com o tempo a inflamação cessa e com ela a dor de dente.

Nascimento do dente siso

 

O nascimento do dente siso causa muita dor de dente, na gengiva e até mesmo dores de cabeça. Isso porque estes dentes além de estarem muito localizados no fundo da boca são grandes e levanto muito a gengiva para nascerem.

É possível que os dentes sisos estejam desalinhados já que este quadro é bastante comum. Em casos de dentes sisos desalinhados pode ser necessário a extração e tratamentos para a inflação e a dor com analgésicos.

Também é possível que o maxilar não tenha espaço para comportar os novos dentes. Se não houver espaço pode criar muita tensão nos ossos da mandíbula que causam muita dor mesmo. Da mesma forma estes sisos devem ser extraídos para aliviar a tensão gerada.

Uso de aparelhos odontológicos

 

O uso de aparelhos odontológicos tem a função corretiva do alinhamento dos dentes. Tudo isso é feito através do esforço, sendo assim os dentes são forçados a irem para as posições corretas.

Todo este esforço para realinhar os dentes causa bastante dor principalmente nas etapas iniciais. Com isso é natural sentir dor considerável nestas etapas, mas não excessivas a ponto de incomodar muito.

Sinusite

 

A sinusite é uma inflamação da maçã do rosto e nas partes internas dos ossos faciais. Esta dor pode irradiar para a mandíbula e dar a impressão de estar nos dentes.

Este tipo de doença é diagnosticado através de raios-x do rosto e são tratados com antiinflamatórios e analgésicos. Os seios do rosto ou maçã do rosto são cavidades ocas e com o surgimento de inflamação nesta região é muito comum a irradiação da dor.

Os seios do rosto estão logo acima das raízes dos dentes da mandíbula superior. Desta forma são regiões intimamente ligadas e a dor se espalha facilmente.

Ínguas

 

O surgimento de ínguas no pescoço podem também causar dores de dentes. As ínguas na verdade são glândulas do sistema linfático que se irritam e incham quando há alguma infecção no corpo.

Uma simples infecção de garganta pode desencadear a evolução de uma íngua no pescoço e com isso também irradiar para os dentes causando assim a dor de dente.

Neste caso o tratamento deve ser aplicado para a garganta inflamada, já que de forma direta não há relação com os dentes e a sua bucal. Neste caso é possível perceber a causa.

Isso porque há dores na garganta primeiro, evolução das ínguas e depois sim as dores vão para os dentes. Além disso, a dor de dente não se apresenta durante a mastigação.

Os grupos de riscos

 

Por mais que todas as pessoas estejam suscetíveis as dores de dente existem situações e condições que colocam algumas pessoas em grupos de riscos. Um dos grupos de riscos de maior destaque são as pessoas que consumem muito açúcar.

As crianças, por exemplo, são verdadeiras formiguinhas e não vivem sem um doce. Nesta fase da vida é muito mais natural ter dor de dente justamente por isso.

Neste caso a prevenção é um fator determinante. Ensine seus filhos a ter uma alimentação mais equilibrada e não permita o consumo abusivo de doces. Além de mal aos dentes o açúcar também pode desencadear diabetes do tipo 2, obesidade e ainda problemas cardíacos.

Pessoas que não possuem boas condições de saneamento básico e que ainda são totalmente dependentes de sistemas do governo para tratamentos dentais infelizmente são as mais vulneráveis.

Isso porque não tem acesso à higienização com ótimas condições e também não consegue tratamentos em quadros iniciais dos problemas de saúde bucal. Tudo isso gera o agravamento da situação e com isso vem a dor de dente. Este, por sinal, é o grupo mais prejudicado.

Dor de dente na gestação

 

As dores de dente na gestão são sentidas pela maioria das mulheres. Muitas ficam na dúvida se são cáries ou mesmo se podem prejudicar o seu bebe de alguma forma.

Na verdade esta é uma situação comum e está diretamente relacionada com o aumento da progesterona na corrente sanguínea. A progesterona não está apenas relacionada com a dor de dente.

Este hormônio é muito necessário na gravidez, mas ele também aumenta a sensibilidade à dor. Por isso é mais comum ter dores de cabeça, nas costas e dentes durante a gestação.

Neste caso o uso de analgésico pode ser a melhor solução, mas atenção é preciso consultar o seu médico. Se automedicar pode colocar a sua gestão em risco, a sua saúde e ainda a do seu bebê. Então nada de ir à farmácia e perguntar ao farmacêutico o que é bom para a dor, visite o seu médico.

Dor nos dentes de leite

 

Os dentes de leite são muito mais sensíveis e menores, portanto as cáries podem avançar com muito mais facilidade nas crianças do que nos adultos. Além disso, o consumo de açúcar em excesso é um fator determinante.

Outro problema associado às crianças é a dificuldade de manterem hábitos bucais saudáveis. Sendo muito comum esquecer-se de escovar os dentes o longo do dia.

Neste caso é preciso ter um acompanhamento mais de perto e criar rotinas para estimular a saúde bucal. É nesta fase da vida que desenvolvemos os hábitos de adulto, então quando a criança aprende direitinho pratica a vida toda.

O que fazer quando surge a dor de dente

 

Surgiu a dor de dente o ideal é consultar o seu dentista o mais breve possível principalmente se você realizou algum procedimento dentário. No entanto sabemos bem que na maioria das vezes é impossível conseguir atendimento imediato mesmo em dentistas particulares.

Se não conseguir um agendamento breve com seu dentista procure um médico para lhe receitar algum analgésico. Jamais use medicamentos por conta própria, isso pode trazer graves problemas para a sua saúde.

Além disso, também é possível aplicar alguns métodos caseiros para o alívio da dor e assim conseguir “segurar as pontas” até o dia do agendamento com o seu dentista.

Sobre métodos caseiros vamos falar em um bloco específico. Assim você consegue combater os sintomas sem mesmo ter que sair de casa ou usar medicamentos.

Diagnósticos da dor de dente

dor de dente

Surgiu uma dor nos dentes é sempre o dentista que deve ser consultado. Ele usará das ferramentas necessárias para avaliar o seu sintoma e assim apontar o que realmente está desencadeando esta situação.

Para análise da dor de dente geralmente é feito um exame visual, mas nem sempre isso pode ser a solução completa. Então são utilizados dois possíveis métodos que são tanto o exame físico como também o de imagem, entenda melhor sobre cada um.

Exame físico

 

O exame físico é aquele clássico que o dentista usa seus instrumentos tanto reflexivo (espelhos) como pinças, sugador e demais que seja pertinente a situação.

Neste tipo de exame o dentista procura características aparentes que possam explicar a origem da dor de dente. Geralmente as cáries são visíveis, a periodontite também, inflamações nas gengivas e placas bacterianas, bem como fraturas e outras lesões.

Nos casos que não há causa aparente ou mesmo que haja suspeitas de lesões ocultas pode ser indicado e sugerido o uso de radiografias. Veja como são feitas.

Uso de radiografias

 

As radiografias são utilizadas quando não é possível detectar visualmente a origem do problema. O problema pode estar oculto por debaixo da gengiva como cáries e ainda sisos nascendo. Existem radiografias mais completas que envolvem toda a mandíbula e radiografias simples que são localizadas em dentes específicos.

De acordo com os seus sintomas o dentista usará a melhor forma para aquela situação.

Dor de dente tem cura?

 

Esta é uma pergunta clássica, dor de dente tem cura? A resposta é sim para a grande maioria dos problemas associados. Cáries, gengivites e outros problemas têm cura e costumam ser muito simples de tratar.

As cáries são tratadas com restaurações ou mesmo canais conforme a necessidade. Gengivites com raspagens e uso de medicamentos e outros problemas de acordo com sua maneira.

A dor de dente não tem cura quando se trata de questões temporárias, isso porque não requerem cura e sim tempo de recuperação ou mesmo em casos especiais como na gravidez que são originadas pelos hormônios, neste último caso só há medicação para alívio o problema se cura apenas ao final da gestação.

Não obstante as exceções a maioria das dores de dente são tratáveis e ainda com recuperação muito rápida.

Eu não me esqueci das receitas caseiras para aliviar as dores de dente e é esse o próximo tema. Então venha comigo para uma das etapas mais buscadas quando o assunto é a dor de dente que são as receitas caseiras. Confira no próximo bloco.

Receitas caseiras para dor de dente

 

As receitas caseiras têm como foco alívio da dor de dente e de outros sintomas decorrentes, mas não é meio de cura e sim para você ter mais tempo até conseguir o atendimento com o seu dentista. Sendo assim são métodos de alívio e depois você deve ir ao dentista.

Água morna com sal

 

A água morna com sal é uma forma de se obter alívio quando o assunto é a gengivite e a periodontite. Isso porque o sal tem ação antimicrobiana e pode contribuir significativamente para a redução da infecção no local.

Para isso faça um bochecho com água morna e sal. Quanto às quantidades de vê ser meio copo d’água e uma colher de sopa rasa de sal de cozinha mesmo. Faça bochechos de até 30 segundos e repita o processo ao longo do dia ou a cada hora.

Óleo do cravo da Índia

 

O óleo do cravo da Índia tem propriedades analgésicas e antiinflamatórias e, portanto excelente para dor ou inflamação que esteja desencadeando a dor de dente.

Para utilizar este método você pode utilizar um cotonete com três gotas do óleo e aplicar no local específico. Os resultados costumam ser muito bons. Você pode refazer esta aplicação até três vezes no dia.

Própolis e chá de macela

 

A própolis é uma poderosa antimicrobiana sendo utilizada até mesmo com princípio em remédios homeopáticos. Já o chá de macela é antiinflamatória e calmante ao mesmo tempo.

Este remédio caseiro é utilizado como bochecho. Para preparar o seu é bem simples. Faça um chá com folhas secas de macela, cuidado para não ficar muito forte.

Depois é só colocar 5 a 6 gotas da própolis e seu bochecho está pronto. Você pode refazer o bochecho ao longo do dia, mas não exagere.

Vinagre com sal

 

Esta receita também tem ênfase em combater os micróbios que estão desencadeando a inflamação. Por mais que o gosto não seja muito bom os resultados são melhores.

Faça bochechos com a mistura, mas não precisa ficar muito salgado. Assim o vinagre potencializa o sal e tudo da certo. Talvez possa até arder então o primeiro bochecho deve ser com pouquinha quantidade. Repita de uma em uma hora e descanse um pouco, pois pode ser um tanto abrasivo e acabar tirando o esmalte do dente.

Esse foi o nosso guia completo sobre a dor de dente. Aprendemos muito e como sempre tudo isso é para você se sentir ainda melhor. Deixa seu comentário e compartilha o artigo com o amigo ou familiar que está precisando de alívio.

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.