Acabe com a dor nas articulações das mãos

0 21

Trata-se de uma doença crônica denominada Artrite Reumatoide, e portanto, não há cura para a condição. O que acontece é que os sinais que acometem a saúde das pessoas podem ter o controle.
Aqueles que têm muita dificuldade com apresentação de dor nas articulações das mãos, pés, punhos e afins, além de inflamações, chegam, em muitas situações, a destacarem incapacitação para exercícios corriqueiros da vida comum.

A condição acomete as articulações, como os dedos dos pés e das mãos, os ombros, os cotovelos, os joelhos e afins.

É também uma patologia que é autoimune, significando ressaltar que o corpo, através de um sistema imunológico, prejudica o próprio organismo. As razões do acometimento da doença são consequências do fator de origem da artrite, que ainda não têm o conhecimento científico.

Não se trata de uma patologia comum, conforme a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), apresentando dados de 0,5 % a 1,5 % da sociedade – numa quantidade de um homem com a doença para cada três mulheres portadoras.

Ainda, a condição da doença é grave e precisa ser conscientizada sobre o seu problema e consequências.

A Artrite reumatoide, de forma geral, inicia o surgimento entre a faixa etária dos 35 a 55 anos, porém, é possível também que adolescentes e crianças possam sofrem com a condição. Nessa situação, em que surge anteriormente aos 16 anos de idade, ela é denominada de Artrite crônica juvenil.

Dores nas juntas dos dedos das mãos ao acordar

Dores nas juntas ou articulações dos dedos das mãos, logo ao acordar, são sintomas de início comum da patologia. Caso você, de fato, sofra da artrite reumatoide, há diversas alternativas de tratar com eficácia os problemas, entre elas as injeções com o medicamento de cortisona.

Não há testes exatos nem sinais que, de forma isolada, confirme a doença. O especialista fará o diagnóstico da doença baseando-se, sobretudo, em história clínica do portador e em testes clínicos.

Dores e rigidez nas juntas, de forma geral, iniciam nos pés e nas mãos, prejudicando todos os lados do organismo. A rigidez e a dor podem ter uma elevação lenta durante algum tempo, porém, em algumas situações, os sinais aparecem de forma rápida, de um dia para o outro.

De acordo com a patologia avançando, cotovelos, quadris, pescoço, joelhos e ombros são prejudicados. Outros sinais da patologia podem ter os critérios a seguir:

A dor pode ter o alívio com água quente. Ao tomar um banho com água em temperatura morna, o resultado é visível – ajuda mesmo.

  • Mãos inchadas e avermelhadas;
  • Perda de peso;
  • Fadiga;
  • Febre;
  • Articulações mais sensíveis;

Para a confirmação de diagnóstico, o especialista pode requisitar testes sanguíneos para aferir o procedimento de inflamação do organismo. Estes relatórios promovem o fornecimento de pistar relevantes, visto que a artrite reumatoide é a consequência de um impacto no sistema imune do corpo, e não resultado de articulações desgastadas naturalmente.

Tratamento para dores nas juntas dos dedos das mãos

O diagnóstico adequado e precoce da AR têm maior importância em relação ao tratamento ter adequação para detalhes históricos do paciente. Caso a patologia não seja cuidada de modo adequado, pode atingir a condição de deformidades dos dedos das mãos, levando o paciente a ser incapaz de proceder hábitos corriqueiros.

Para a definição do melhor rumo a ser tomado, o especialista leva em consideração o fator da intensidade da doença, juntamente de outras patologias que estejam presentes, como exemplo do diabetes, e a forma cotidiana do portador da artrite.

O tratamento é possível em uma diversidade de vertentes, por isso, além de reumatologistas, há a possibilidade de proceder com especialistas fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, psicólogos e, em determinadas situações, cirurgiões ortopedistas e fisiatras.

Remédios e procedimentos cirúrgicos são as opções alternativas de tratamento da artrite reumatoide. Há, contudo, outros fatores que possibilitam o auxílio no aprimoramento da qualidade de vida. Não são todas que funcionam para os portadores de artrite reumatoide, e é fundamental consultar especialista, antes de quaisquer atitudes:

  • Evitar carregar pesos auxilia a redução de pressão nas articulações;
  • Manter uma alimentação com vegetais, frutas e grãos, além de índice baixo de caloria e de gordura saturada;
  • Acupuntura e massagem possibilitam o auxílio de dores e diminuição de inflamações, porém devem ser realizadas sempre com pessoal credenciado;
  • Técnicas de relaxamento, tais como tai-chi e meditação, entre uma variedade de possibilidades, possibilitam o auxílio ao cuidado com as dores;
  • Leitura de livros divertidos ou filmes de comédia, assim como escutar músicas que adora, possibilitam o auxílio a relaxar e desfocar a dor;
  • Atividades físicas com moderação, realizadas de forma regular, auxiliam na redução de rigidez e dor nas articulações ou juntas, assim como o fortalecimento muscular.
  • É imprescindível que se comece lentamente, com exercícios de alongamento, prosseguimento para levantamento de peso e andar de bicicleta. Não esqueça que o acompanhamento profissional é importantíssimo para isto.

Dores nas articulações dos dedos das mãos e pés

O processo se inicia com ausência de óleos nas articulações. Elas surgem de maneira travada e, às vezes, com um pouco de inchaço. Caso nada seja realizado, com o tempo começam as dores. Em quadros de maior avanço da patologia, o fator do incômodo é absurdo, com o osso encostando no outro. É a artrose se destacando de maneira efetiva.

Ainda que o desgaste das juntas seja associado ao avanço da faixa etária, é possível o acometimento de quaisquer articulações do organismo, inclusive das mãos.

Conforme o Centro de Controles e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, 40% da sociedade mundial apresente ou apresentará a osteoartrite – terminologia utilizada por especialistas – que se destaca entre o punho e os dedos.

Antes de qualquer coisa, é importante saber as diferenças entre a artrose e a artrite. Esta denominação menciona inflamações de articulações, possibilitando ser consequência de traumas, infecções ou, ainda, patologias autoimunes.

A artrose, em contrapartida, trata-se de um fator degenerativo que inicia na cartilagem entre articulações e ossos, procedimento que faz com que os movimentos estão prejudicados.

Com essa espécie de amortecedor degradado, o ato de fricção eleva a uma condição de quase impossibilitar o movimento dos dedos. Ainda que a osteoartrite esteja associada ao fato de envelhecer, os sintomas não tardam o seu surgimento. Na faixa etária dos 40 anos, uma média de 10 a 20% do público feminino está indiciada a ter artroses nas mãos.

Entretanto, a faixa etária não é o fator único em questão. Os fatores históricos familiares e exercícios que exigem muito dos dedos, associam-se a manifestações precoces.

Até mesmo, a utilização abusiva de aparelhos celulares pode desencadear o transtorno. A rizartrose – passo da patologia que se manifesta no polegar – está cada vez mais corriqueira em nossa sociedade, por exemplo.

Os polegares, por conseguinte, são os órgãos mais utilizados em momento de digitar num celular. Ao passo que um manuseio desmedido, pode acometer as estruturas das mãos, resultando em dores horríveis,

Um fato com menor evidência, porém muito forte pelos médicos, é a questão da obesidade com a osteoartrite, nas mãos. Portanto, não fosse a sobrecarga dos tornozelos e joelhos, há índices de massa corporal elevada que geram o aumento do risco dos desgastes nos dedos e suas cartilagens, de acordo com estudos.

De forma especial, o punho, dedos e afins, precisam ser cuidados. O descanso, a cada 50min de serviço, deve acontecer em 10min, pelo menos, sem utilizar as mãos. O repouso anterior ao período de exaustão, evita dores nas articulações e estresse.

Cuidados como estes, são válidos para a prevenção do problema e também para o seu tratamento.

Em casos de diagnósticos da osteoartrite, há a possibilidade do especialista traçar estratégias de terapias, conforme os sinais e limitações do portador.

Não há medicamentos capazes de evitar patologias progressivas. O que acontece é o tratamento com antiinflamatórios e analgésicos.

Algumas pessoas costumam perceber aprimoramento da situação com a utilização de glucosamina, condroitina e colágeno. Esses elementos servem como uma espécie de reforço para as juntas, mas ainda se ausentam evidências conclusivas em relação a eles.

Como medicamentos aleatórios e isolados não aprimoram a movimentação dos dedos, é possível requisitar o suporte de terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas.

O intuito é fazer o trabalho da força dos músculos e ampliar a movimentação, que pode ser realizada através de atividades físicas. Os últimos recursos utilizados para melhorar a condição do portador da patologia é o procedimento cirúrgico. Entretanto, há pouca indicação em virtude da possibilidade de limitar a movimentação posteriormente.

       

Em razão de que a artrose não possui cura, é válido fazer exercícios, perder peso, encurtar o tempo aos aparelhos eletrônicos, conversar com especialistas sobre a suplementação e atender às dicas a seguir:

  • Manter a mão reta e dedos unidos. Em seguida, dobrar os dedos ao meio e voltar a posição de início.
  • Começar com a mão aberta e bem relaxada. Dobrar o polegar em sua palma, fazendo o toque na parte abaixo do mindinho.
  • Deixar a mão em posição relaxada, fechando devagar como se fosse apertar, porém, sem força.
  • Fazer a forma de “o” com o dedo polegar, encostando na pontinha de cada um dos demais dedos. Repetir lentamente o processo, diversas vezes em ambas as mãos.
  • Deixar a mão em local liso. Afastar o polegar e, depois, o indicador. Repetir com os demais dedos, até que fiquem juntos.

Apertar a bolinha é uma prática válida?

Ainda que seja uma atividade amplamente utilizada para o exercício das mãos, a bolinha de borracha nem sempre é uma boa dica – ainda mais se a pessoa já possui artrose.

O portador de artrose não tem graus de resistência e não atua de modo específico nas regiões musculares. A recomendação, nessas situações, é a recorrência a aparelhagem indicada e supervisionada por especialistas.

Dores nas juntas do corpo

A dor nas articulações, denominada também como dores articulares, são sensações desconfortáveis, de dores ou incômodos em uma ou demais articulações do organismo.

A dor nas articulações das mãos, por exemplo, pode acometer o movimento dos músculos e possibilitam quadros gravíssimos o suficiente para a limitação do movimento.

Os portadores costumam fazer a descrição das dores nas juntas como inflamações, desconfortos, sensações de queimação ou, ainda, rigidez.

As articulações destacam-se por ser estruturas de complexidade, com a inclusão de, além de extremidades dos ossos, a membrana sinovial, cartilagem, ligamentos, bursas e tendões, e é em virtude delas que podemos nos movimentar. As articulações têm movimentos constantes, de maneira a desencadear muitos problemas nessas áreas.

Fatores desencadeadores

A dor nas articulações das mãos pode ser motivada por uma diversidade de lesões ou patologias. Sem que dependa de uma motivação, a dor articular pode desencadear um quadro de muito incômodo.

Artrite reumatoide é uma patologia autoimune que motiva a rigidez, inflamação e dor nas articulações das mãos. A osteoartrite que faz o envolvimento no crescimento de osteófitos – denominados de “bico de papagaio”, ao passo que surjam na coluna – e a cartilagem degenerativa de articulações. É a razão comum de dores das articulações em pessoas adultas na faixa etária dos 45 anos.

A dor das articulações pode ter um motivador pela bursite – que são as inflamações de bursas. Estas são bolsas repletas de líquidos que fazem a proteção a absorção dos impactos nos ossos, gerando a permissão dos movimentos musculares e dos tendões de forma livre em relação aos ossos.

Diversas outras razões podem ser desencadeadoras de dor nas articulações das mãos e afins. Acompanhe:

  • Condromalácia da patela;
  • Patologias autoimunes – lúpus e artrite reumatoide;
  • Doença de Lyme;
  • Gota – geralmente no dedão do pé;
  • Patologias de infecções, com a inclusão da Síndrome viral de Epstein-Barr;
  • Esforço acima do normal ou utilização excessiva, com a inclusão de torções e tensões;
  • Hepatite A, B ou C;
  • Sarampo;
  • Gripe;
  • Caxumba;
  • Parvovirose;
  • Febre reumática;
  • Rubéola;
  • Lesões, inclusive fratura;
  • Varicela (catapora);
  • Artrite séptica;
  • Osteomielite;
  • Tendinite;

Cuidados

Dores crônicas nas áreas do corpo afeta cerca de 15 milhões de indivíduos brasileiros, de acordo com estatísticas do Ministério da Saúde. Ao passo que não seja tratada, a inflamação e a dor nas regiões e articulações podem ter evolução para patologias mais graves, como a osteoartrite.

De forma diferente do que se possa prever, não é apenas o público da terceira idade que necessita ter atenção a essa condição. Dores nas articulações podem acometer o organismo de qualquer pessoa, independentemente da idade.

Caso as articulações iniciem o processo de dores sem razão aparente, um dos principais motivos e recomendações médicas é a aplicação de gelo e calor para o alívio das dores.

Em situação de dor que não reduza, o fundamental é consultar especialistas para que determinem a existência ou não de condições mais sérias.

Aqui estão alguns cuidados necessários para a adoção de um tratamento das dores articulares, e ainda a prevenção do desgaste para patologias futuras – ainda que não se destaquem existências de fatores que previnam a patologia articular.

Controlar o peso

O peso elevado pode modificar até mesmo o modo do caminhar da pessoa, aumentando a pressão articular e as dores.

A obesidade, de forma geral, está ligada aos hábitos que são de sedentarismo e musculatura com menor tonificação – aspectos que causam uma pior da sobrecarga nas regiões de articulações.

Alimentos saudáveis e atividades físicas regulares são fundamentais para o mantimento de articulações saudáveis.

Pratique atividades físicas

Praticar atividades físicas é fundamental para o mantimento de articulações em bom funcionamento, até porque elas auxiliam o aprimoramento do equilíbrio e controle do peso excessivo. Ainda, atividades que promovem o fortalecimento das funções musculares reduzem a sobrecarga de articulações e facilitam o alívio das dores.

Musculaturas fortes geram estabilidade maior do organismo, eliminando tensões de articulações. Ao início de exercícios físicos de impacto baixo, como andar de bicicleta, caminhar ou nadar, para a redução das pressões sobre articulações são ótimas atividades.

Modificações nas alimentações

O consumo de alimentação rica em vitamina D e cálcio, como derivados do leite, o espinafre e couve, são relevantes para o mantimento de densidade óssea do organismo, de modo a evitar transtornas como a patologia de osteoporose. Esta dieta auxilia a manter saudáveis os ossos.

Não permaneça sentado por muito tempo

Ao passo que as articulações sejam utilizadas, a lubrificação será ainda maior. Portanto, aqueles que ficam sentados por longos tempos são mais propensos a sentirem dores nas articulações do organismo.

Ainda, aqueles que têm movimentos mais assíduos são propensos a ter musculaturas mais alongadas, o que age na proteção das articulações. Em todo ocaso, a coluna continua sendo a maior vítima dos momentos sem movimentação. É importante levantar-se em alguns momentos, para fazer caminhadas e alongamentos.

Largar o cigarro

O cigarro promove a fumaça que reduz a massa dos ossos, tornando as articulações mais fracas.

Ossos fracos elevam o risco de lesões. Ainda, o ato de fumar causa um aumento nas inflamações do organismo, que possibilitam o prejuízo de articulações e dores. De forma recente, houve a demonstração de que fumar é o fator de risco maior do desenvolvimento de artrite reumatoide e, há a possibilidade de desencadear uma gravidade maior da patologia.

Descanse os pés

Usar salto alto pode ser o motivador de dores crônicas na área dos pés, caso seja utilizado com muita assiduidade. O salto alto também é responsável por provocar modificações em áreas mecânicas do andar, modificação a maneira como o organismo tem equilíbrio e sobrecarga de articulações.

Faça uso de massagens

O relaxamento dos músculos é essencial para a liberação de tensões musculares. O recebimento de massagens regulares promove o auxílio do relaxamento muscular e das articulações, além da revigorar o corpo. É possível fazer automassagem, requisitar auxílio de parentes ou amigos ou recorrer a especialistas.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.