Conheça as doenças de pele mais comuns

0

A pele pode ser atingida por afecções específicas, infecções, doenças genéticas ou por sintomas que podem representar outros tipos de doenças.

Atualmente, há uma enorme preocupação por parte das pessoas, independente da idade, com possíveis doenças de pele muito devido às altas radiações dos raios UVA e UVB. E estão buscando cada vez mais formas de prevenção e tratamento.

Leve sempre em consideração que alguns sintomas são de doenças de pele mais comuns, nem todas possuem a mesma gravidade. Caso perceba lesões inabituais na pele, procure ajuda de um médico especialista.

O que é doença de pele?

Primeiramente, é bom saber que a pele é um órgão que mais do que protege os outros órgãos do corpo. É através dela que há o contato com o mundo exterior, protegendo os outros órgãos de infecções, feridas e de raios solares nocivos.

Na verdade, a pele é responsável por regular a temperatura e proteger os outros órgãos do corpo de bactérias, fungos e vírus. Entretanto, ela pode ser alvo de doenças que podem irritar, inflamar e obstruir.

A maioria das doenças de pele são benignas, mas é necessário estar bem atento pois podem mascarar doenças mais sérias, como por exemplo, o câncer de pele.

A pele é dotada de uma extrema sensibilidade e é responsável pelo sentido do tato. Alguns até a consideram como o reflexo de nossos estados de espírito.

Veja algumas das doenças de pele mais comuns:

  • Psoríase

É muito comum e é caracterizada por lesões que descamam e são avermelhadas, apresentando-se normalmente em forma de placas.

Suas causas ainda não foram totalmente esclarecidas, mas acredita-se que há uma predisposição genética e o processo sistema imunológico da pessoa.

  • Eczema

Muito comum no inverno e na maioria das vezes é causado pelo contato com substâncias que causam alergia ou irritação. Vale lembrar que o banho quente muito prolongado também pode ser um fator desencadeante.

  • Vitiligo

O vitiligo é quando há a perda progressiva da pigmentação da pele e as áreas que frequentemente são afetadas são o cabelo, cílios, sobrancelha, olhos, tecidos internos da boca e do nariz. É bom lembrar que não é uma doença contagiosa.

  • Rosácea

É caracterizada por áreas vermelhas no rosto e algumas vezes é confundida com queimaduras de sol, em razão de seu aspecto semelhante. Pode aparecer também secura ocular, pálpebras avermelhadas, nariz alargado e lesões similares à acne.

  • Urticária

É uma reação alérgica e pode se apresentar sob forma de manchas, causando coceiras e inchaço. Pode ser causada por medicamentos, alimentos, infecções e fatores ambientais, como por exemplo, climas quentes ou frios.

  • Eczema atópico

Também é chamado de dermatite atópica e seus sintomas são: pele muito seca, alterações na cor da pele, erupções que coçam e podem apresentar crostas, sangramentos, feridas que formam líquidos e bolhas.

Geralmente, pessoas que têm rinite, alergias e bronquite são mais suscetíveis de apresentarem dermatite atópica.

  • Pitiríase rósea

Caracteriza-se por manchas rosadas ou brancas pelo corpo que podem coçar ou descamar. Vale lembrar que não aparece no rosto, entretanto, não há ainda um tratamento específico, mas alguns medicamentos podem ser ministrados para aliviar os sintomas.

  • Disidrose

É um processo inflamatório na pele que através do acúmulo de líquido pode provocar o aparecimento de bolhas e que, ao estourarem, ocasionam a descamação da pele. Geralmente, as áreas mais atingidas são as palmas das mãos e solas dos pés.

  • Escaras

São feridas que aparecem em pessoas que ficam por um longo período acamadas ou em cadeiras de rodas. E são causadas pela fricção entre a pele e a superfície externa.

  • Alopecia

Conhecida por queda de cabelo e tem-se observado seu aumento mesmo em pessoas mais jovens. Apesar de haver um fator genético envolvido, muitas vezes situações intensas de estresse podem provocar a alopecia.

Essas são doenças de pele mais comuns e não são contagiosas. Basta procurar por um médico especialista para prescrever o melhor tratamento.

Quais são as doenças de pele mais comuns causadas por fungos?

As doenças de pele mais comuns causadas por fungos são as micoses, sendo ocasionadas pela reprodução de fungos em humanos. Afeta mais frequentemente as unhas e a pele dos pés.

O ideal é procurar um dermatologista, que dará um diagnóstico preciso e prescreverá um tratamento. O grande problema é a automedicação, pois o problema pode se alastrar e atingir áreas vizinhas.

Geralmente, o tratamento é feito através de pomadas, esmaltes especiais e medicamentos anti-fúngicos internos e externos.

Alguns fungos podem atingir as camadas mais profundas da pele e penetrar no corpo, provocando micoses profundas e assim, o tratamento é um pouco mais difícil. Essas doenças se produzem habitualmente em pessoas cuja imunidade é mais baixa e que apresentam doenças crônicas, assim como aquelas que fazem uso de antibióticos a longo prazo.

Existem fatores que contribuem para as doenças de pele causadas por fungos:

  • Fissuras, abrasões devidas à transpiração ou a uma pele muito seca. Muitas vezes, as partes entre os dedos não são secadas corretamente e o uso de sapatos muito apertados pode piorar o problema
  • Doenças cardiovasculares, varizes, imunidade baixa, problemas endócrinos e estresse
  • A exposição a alguns materiais em ambientes de trabalho, principalmente em indústrias metalúrgicas e químicas. Alguns atletas também podem apresentar micoses das unhas e pés.

A doença pode ser transmitida por um contato estreito com o paciente ou coisa que ele usa. Podemos citar as saunas, piscinas e outros lugares públicos com uma alta umidade. As condições ideais para a propagação dos fungos são o calor e a umidade. Além disso, a unha é composta principalmente por queratina e é uma excelente nutrição para os fungos. E uma vez na unha, o fungo cresce e se multiplica lentamente. Pouco a pouco, vai destruindo a unha e se espalha para a pele ao redor. Pode atingir a região entre os dedos e formar fissuras. Depois, caso não seja tratado, a pele pode começar a ficar vermelha e feridas se produzem. Geralmente, esse processo se desenvolve sobre a parte de baixo do pé e dos dedos.

Quem dá o diagnóstico dessas doenças?

O diagnóstico e o tratamento são ministrados por um dermatologista. Alguns medicamentos podem ser prescritos de acordo com o estado de saúde do paciente, a presença ou ausência de outras doenças.

O grande problema é que as doenças de pele mais comuns causadas por fungos se desenvolvem lentamente e progressivamente. Em casos raros, pode inclusive afetar órgãos internos. Por outro lado, é necessário ficar atento a possíveis reações alérgicas que podem aparecer.

Muitas pessoas preferem utilizar esmaltes e pomadas antifúngicas. É bom lembrar que tais esmaltes podem ajudar somente nos primeiros estágios da doença e não podem ser aplicados na totalidade das unhas e em muitos casos, é aconselhável o uso de medicamentos na parte interna. Por outro lado, alguns cremes são eficazes para a pele e não penetram na unha.

No tratamento de uma infecção fúngica, é importante fazer uma desinfecção de toda a área onde o fungo entrou em contato.

Outra doença de pele causada por fungos é a frieira e, geralmente causa coceira, queimação e pele quebradiça nos espaços compreendidos entre os dedos.

Algumas coisas podem ser feitas para evitar as doenças de pele mais comuns causadas por fungos:

  • Não usar sapatos muito apertados;
  • Depois da piscina, tomar uma ducha;
  • Não colocar sapatos sem meias;
  • Usar chinelos em casa;
  • Secar bem a área entre os dedos e mesmo as unhas.

Quais são as doenças de pele mais comuns causadas por bactérias?

As doenças de pele mais comuns causadas por bactérias são ocasionadas pela presença e crescimento de bactérias em uma determinada área da pele. Sabe-se que a pele funciona como uma barreira para a entrada de bactérias, mas às vezes isso não é possível.

As duas principais bactérias que causam tais doenças são a Staphylococcus e a Streptococcus. Na verdade, essas bactérias compõem a flora normal da pele, mas podem penetrar na pele através de arranhões, punções ou queimaduras.

Podem afetar uma determinada área, formando bolhas ou podem se expandir para outras áreas vizinhas. As pessoas com um sistema imunológico deficiente, os diabéticos e portadores de outras doenças são mais propensas a essas infecções bacterianas.

Por isso, é muito importante a limpeza de algum corte ou arranhão, por exemplo. Quando apresentar um corte ou um arranhão, recomenda-se lavar com água e sabão para prevenir o risco de uma infecção.

Veja algumas doenças de pele mais comuns causadas por bactérias:

  • Impetigo

É uma das doenças de pele mais comuns causadas por bactérias. Há a formação de crostas e é altamente contagiosa. As áreas mais afetadas são pernas, braços, pescoço e face. A melhor forma de prevenção é a assepsia e em alguns casos, faz-se necessário o uso de antibióticos locais ou orais. Vale lembrar que as lesões se rompem e produzem um líquido e algumas vezes, há a formação de lesões ulceradas e profundas na pele.

  • Erisipela

Causada pelo Estreptococo, o qual penetra na pele através de uma ferida, úlcera da perna, micose interdigital ou pé de atleta. Geralmente, seu aparecimento é rápido e pode provocar febre alta, calafrios, mal-estar e uma placa vermelha na pele. Na maioria das vezes, é preciso recorrer a um serviço médico de urgência.

Os diabéticos e os obesos são os mais afetados. O tratamento é à base de antibióticos e o quanto antes se der início ao tratamento, melhor. Assim evita-se a formação de abcessos ou um quadro infeccioso mais sério.

  • Furúnculo

Denomina-se uma infecção muito grande da glândula sebácea e pode se manifestar no pescoço, face, axilas e nas nádegas. Seu início pode ser observado com um nódulo pequeno e que, em alguns casos, pode doer bastante. Geralmente, o furúnculo se rompe sozinho e se cicatriza.

  • Fasceite necrosante

É como se fosse uma erisipela mais profunda, chegando a destruir o músculo e se não forem tomadas medidas urgentes, pode ser até fatal.

  • Foliculite

É uma infecção do folículo piloso e pode ser causado por uma fricção crônica da pele, uso de produtos químicos, suor excessivo ou exposição à água.

  • Celulite

É causada pela ação do Streptococcus que penetra na pele através de uma ferida ou irritação da pele. Pode aparecer na face, braços e pernas. Frequentemente, mordidas de animais, humanos e lesões de água podem causar essa infecção. Os sintomas observados são inchaço no local, febre, calafrios e dor de cabeça.

       
  • Escarlatina

Muito comum em crianças e a erupção na pele surge como uma lixa e composta por pontos vermelhos. A bactéria, no caso, Streptococcus, produz toxinas que são liberadas na corrente sanguínea, causando uma erupção cutânea. Pode aparecer no pescoço, testa, bochecha, pernas e peito.

Quais doenças de pele mais comuns são contagiosas?

Saiba quais são as doenças de pele mais comuns e que são altamente contagiosas:

  • Herpes

Seu contágio é através do contato direto com a lesão. Pode ser pelo beijo, uso de toalhas, banheiro, roupas e até pelo ar.

  • Impetigo

É altamente contagioso e as bactérias penetram na pele por pequenas feridas, picadas de insetos e as crianças são as mais sujeitas a este tipo de infecção. O contágio se faz pelo contato com a pessoa infectada, por roupas, copos, etc.

  • Varicela

Também conhecida como catapora, é transmitida através do ar. As erupções cutâneas coçam e se transformam em crostas.

  • Sarna

É provocada por um ácaro que se espalha pelo corpo. Caracteriza-se por bolinhas vermelhas que coçam muito. E é mais observada em lugares onde não há um saneamento básico apropriado.

Vale lembrar que ambientes fechados aumentam muito a chance da proliferação de bactérias como também pouca higiene do espaço compartilhado por um número grande de pessoas. Por isso, é tão importante manter hábitos de higiene os mais saudáveis possíveis.

Mas algumas medidas podem ser tomadas para a prevenção de doenças de pele contagiosas:

  • Evitar tomar banhos muito quentes

A pele mais seca é mais propensa a infecções cutâneas pois há uma redução da camada de gordura natural da pele.

  • Ter bons hábitos de higiene

Lavar as mãos, evitar contato com animais que não se saiba a procedência e também não compartilhar roupas e objetos pessoais

Doenças de pele causadas por estresse. É possível?

Está mais do que comprovado que o estresse pode ser o fator desencadeante ou agravante para doenças de pele mais comuns. Alguns problemas de pele tais como a psoríase, o eczema, a acne ou mesmo o prurido podem ser causados pelo estresse e de uma má qualidade de vida.

O estresse está presente em todo lugar. Ao lado do estresse chamado de psicológico, ou seja, aquele ligado a problemas de relacionamento, pessoais ou profissionais, às condições de vida e acontecimentos externos, existe também números casos de estresses fisiológicos devido aos episódios da vida, como por exemplo, a adolescência e gravidez e os patológicos, ligados às doenças.

Dessa forma, doenças de pele mais comuns podem gerar um estresse importante e serem responsáveis por uma diminuição da qualidade de vida. Mais as afecções se instalam, maiores são as consequências, como a acne, psoríase, dermatite atópica, prurido, vitiligo, etc.

Tais doenças são difíceis de suportar e acentuam ainda mais o estado de estresse de uma pessoa. Vale lembrar que outras doenças como a dermatite seborreica, a rosácea é também favorecida por um estado de estresse, mas o eczema está entre as doenças de pele mais comuns.

Os médicos explicam que quando o cérebro não vai bem, cria-se uma camada molecular a partir do hipotálamo e assim os hormônios do estresse se propagam no organismo e chegam até a pele, fragilizando-a.

Sobre doenças causadas por estresse

No que se refere à acne, os efeitos são visíveis com a aparição repentina de espinhas. Muitas vezes, verrugas, herpes, uma transpiração excessiva, o eczema, as psoríases aparecem involuntariamente em razão de contrariedades e emoções.

Algumas doenças são suscetíveis de serem agravadas ou geradas pelo estresse. E este pode desencadear uma doença pré-existente.

Algumas doenças cutâneas podem se manifestar como uma ação direta de um estresse psicológico ou patológico, por exemplo, quando a força das unhas pode ser alterada e ficarem quebradiça após uma gravidez ou uma cirurgia.

Muitas pessoas questionam a relação entre doenças de pele mais comuns e o estresse. Acontece que, a pele faz a barreira entre o interior de nosso organismo e o mundo em volta.

Para as dermatites inflamatórias, estudos mostram que uma pessoa com um estresse agudo, pontual, suprime a ação de certas células imunitárias, enquanto que um estresse crônico induz, ao contrário, a uma ativação destas mesmas células. Mesmo que ainda haja muitas suposições em relação a esse aspecto, vale ressaltar que o estresse modifica consideravelmente o sistema imunológico cutâneo.

Resumindo, talvez não possamos fazer grande coisa para combater uma doença que nos atinge, mas podemos preveni-la ao saber gerenciar melhor nosso estresse e isso é muito importante. Sabe-se que lidar bem com o estresse é um poderoso preventivo contra algumas doenças.

Veja também: Tudo sobre cansaço mental

Doenças de pele mais comuns no rosto

As pessoas têm uma preocupação enorme quando percebem alguma alteração na pele do rosto. Veja abaixo as doenças de pele mais comuns no rosto:

  • Acne

Cravos e espinhas são muito frequentes na época da adolescência, mas podem aparecer em adultos e muitas vezes são causados por estresse, problema hormonal ou alimentação inadequada.

O estresse desencadeia a produção de glândulas sebáceas e com isso o surgimento de acnes. Os especialistas recomendam que não devem ser mexidas para não ocasionar um maior processo inflamatório.

  • Herpes

Como já foi dito, a herpes pode aparecer na região dos lábios e é causada por um vírus do próprio corpo que é desencadeado por uma situação de estresse, exposição ao sol e baixa imunidade. Vale lembrar que é contagiosa e deve-se evitar o contato com outras pessoas.

  • Rosácea

Caracteriza-se por uma vermelhidão no rosto e pode apresentar nódulos, pus e inchaço. Geralmente o estresse é o grande causador, assim como o consumo de álcool e a exposição ao sol.

  • Olheiras

Não chega a ser uma doença em si, mas algumas manchas mais escuras podem surgir embaixo dos olhos e é preciso uma atenção especial para não se agravar.

  • Envelhecimento precoce

Na verdade, não se trata de uma doença, mas pode ocasionar o aparecimento de manchas no rosto. Há uma perda de elasticidade e isso propicia o surgimento de linhas de expressão, rugas e manchas.

O ideal é fazer uma hidratação diária da pele, ter uma alimentação equilibrada, evitar o cigarro e álcool, evitar a exposição solar e, principalmente, saber lidar com o estresse.

Como evitar doenças de pele

Atualmente, há uma maior preocupação da população mundial principalmente no que se refere à prevenção do câncer de pele, que é uma das doenças de pele mais comuns observadas nos dias de hoje.

Muitas doenças de pele podem ser evitadas se adotarmos bons hábitos e assim muitas delas nem surgiriam. Uma grande parte dos problemas de pele provém do que se come. As gorduras, os açucares e os conservantes provocam frequentemente muitas doenças.

Vale ressaltar que o estresse representa um fator importantíssimo como desencadeante de várias doenças e a partir do momento em que se conseguisse administrá-lo, poder-se-ia evitar muitas delas.

Agora, as pessoas que sofrem de doença de pele, devem redobrar sua atenção em relação ao sol. O sol é o inimigo número 1 de uma série de doenças, como por exemplo, a acne e o eczema. Além disso, caso veja algo errado, vá imediatamente ao dermatologista.

Sobre o câncer de pele

O câncer de pele é o tipo de câncer bem frequente e vem aumentando a cada dia que passa. Sabe-se que a exposição aos raios ultravioletas do sol é a principal causa, mesmo se outros fatores de risco existam.

Pode se manifestar por uma lesão cutânea que sangra um pouco e que não se cicatriza, um pequeno sinal escuro com uma borda irregular ou inflamatória, etc. O câncer de pele não é o dos mais graves e quando tratados adequadamente, apresentam 100% de cura.

Existem dois tipos de câncer de pele: os carcinomas e os melanomas. Os carcinomas são os mais frequentes e aparecem mais em pessoas com mais de 50 anos de idade.

As lesões encontram-se, geralmente, no pescoço, no rosto e nas mãos. Se detectados a tempo, são facilmente tratados e apresentam quase que praticamente 100% de cura.

E os melanomas são tumores que se formam a partir das células que fabricam a melanina, o pigmento da pele. Esses tipos são perigosos pois podem provocar metástases.

Pode atingir todas as idades, mas é muito raro aparecer antes da puberdade. Normalmente, apresentam-se sob a forma de sinais escuros e a menor dúvida, recomenda-se procurar um médico.

De fato, uma das melhores coisas a serem feitas para evitar as doenças de pele são:

  • Evitar a exposição prolongada ao sol;
  • Uso diário de protetores solares;
  • Manter uma dieta equilibrada;
  • Hidratação;
  • Limpeza da pele e sua higienização;
  • Combater o estresse.

Tratamento para doenças de pele mais comuns

Sabe-se que as doenças de pele mais comuns afetam bastante a qualidade de vida das pessoas, pois geralmente causam muito desconforto.

Por isso, quanto mais cedo forem diagnosticadas e tratadas, melhores serão os resultados. Geralmente, dependendo do caso, os dermatologistas prescrevem medicamentos orais, como antibióticos e anti-histamínicos conjuntamente com pomadas ou cremes.

Somente o médico especialista é capaz de analisar o problema e indicar o melhor tratamento, até pelo fato que as pessoas possuem características diferentes e podem reagir de forma diferenciada ao tratamento.

As doenças de pele mais comuns podem ser originadas de uma série de fatores, sendo necessário uma investigação mais detalhada para poderem ser tratadas da forma correta.

Mas, como foi dito, algumas medidas podem ser tomadas para evitar seu aparecimento, como uma menor exposição ao sol, uma melhor alimentação e uma mudança de hábitos diários, como por exemplo, combater situações que causem o estresse.

E ao perceber qualquer alteração na pele, não hesite em procurar ajuda profissional. Essa é a melhor forma de prevenção, assim como de evitar que o problema se torne mais grave.

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.