Fases do desenvolvimento infantil de Jean Piaget

0 779

Acompanhar o desenvolvimento infantil é muito importante para saber se a criança está desenvolvendo bem. Existem marcos importantes que devem ser observados.

Jean Piaget foi um grande pesquisador e através de suas pesquisas estabeleceu as fases do desenvolvimento infantil. Estas fases são sempre um marco de acompanhamento do progresso biológico e também cognitivo.

É natural os pais terem dúvidas quanto ao desenvolvimento infantil e principalmente se casa fase está no devido lugar. Além de um indicativo de saúde normal as fases do desenvolvimento das crianças são marcadas por características especificas.

Saiba como identificar o estrabismo nas crianças

No guia de hoje vamos explorar todas as fases do desenvolvimento infantil de Jean Piaget e assim você entenderá perfeitamente como se dá as fases de desenvolvimento das crianças.

Então se prepare e venha comigo em uma jornada épica rumo ao conhecimento. É assim que você pode acompanhar o crescimento dos seus filhos e garantir que todas as fases estejam ocorrendo de maneira adequada.

Entendendo o desenvolvimento infantil

desenvolvimento infantil

O desenvolvimento infantil se caracteriza pelo progresso psicomotor que toda criança normal deve passar. Sendo assim este é um processo que envolve todos os seres humanos em suas fases iniciais da vida.

A escala de desenvolvimento infantil tem como objetivo acompanhar o crescimento das crianças até os seis anos de idade. O crescimento e consequentemente desenvolvimento são graduais e com isso há diversos marcos importantes que podemos ver e analisar.

Esta escala de desenvolvimento infantil é ótima para os pais entenderem como funciona o crescimento da criança e assim saber quando se deve buscar um especialista da saúde.

Todos os pais ficam ansiosos para ver o seu bebe dar o primeiro sorriso. Para começar a engatinhar e também andar e dizer as primeiras palavras. No entanto poucos são os pais que tem conhecimento de quando cada uma destas fases ocorre.

É justamente neste momento que a escala de desenvolvimento infantil entra em cena. É um sistema de comparação graduado em diversas fases e utilizamo-las para determinar se a criança está crescendo adequadamente não apenas em aspectos físicos como altura e como também aspectos mentais e comportamentais.

Tendo esta escala em mãos e sabendo as fases fica muito mais fácil compreender o progresso natural do seu filho. Além disso, fica muito mais fácil também recorrer a um profissional quando necessário.

Assim os pais ficam mais tranquilos porque sabem exatamente qual a próxima fase e quando ela ocorre. Assim cada aprendizado do dia a dia pode ser analisado de forma muito mais técnica.

Os tipos de desenvolvimento

 

As crianças não passam apenas por um tipo de desenvolvimento de cada vez. Na realidade são diversos tipos de desenvolvimento simultâneo e com isso o pequeno ser humaninho vai se tornando um adulto.

É preciso entender esta escala e os tipos de desenvolvimento de forma completamente individual. Por isso vou esclarecer cada um dos tipos e assim você será capaz de analisar e ainda mensurar o desenvolvimento infantil em todas as esferas.

As crianças possuem uma plasticidade muito maior que os adultos. Justamente por isso aprendem tão rápido, na verdade aprendem até mais rápido que os adultos já que esta plasticidade vai sendo reduzida conforme crescemos.

Então vamos a listas dos tipos de desenvolvimento e a suas principais características.

Desenvolvimento físico

 

O desenvolvimento físico está diretamente relacionado ao crescimento do corpo e também ao ganho de habilidades diretamente associadas. Este tipo de desenvolvimento pode ser visto sob a forma de crescimento da estrutura física.

Além disso, capacidades como se sentar, engatinhar e ainda começar a andar estão todas associadas ao desenvolvimento físico. O desenvolvimento físico da criança também tem forte relação com o desenvolvimento mental.

Ambas as características se desenvolvem em conjunto. Com o aumento do progresso neste campo a criança passa a se tornar cada vez mais ativa pulando, correndo gritando e ainda começam a produzir sons específicos.

Desenvolvimento cognitivo

 

O desenvolvimento cognitivo esta relacionado com as capacidades de aprender a linguagem, desenvolver a atenção, raciocínio lógico, pensamento criativo, consciência de si mesmo, memórias e capacidade de resolução de problemas.

O desenvolvimento cognitivo é uma parte muito importante no ser humano. Através deste aspecto podemos perceber o mundo tal como ele é também formular a visão pessoal de mundo bem como é viver nele.

Os bebês pensam, no entanto forma como fazem isso é muito diferente dos adultos. Todas estas capacidades vão continuar se desenvolvendo ao longo tempo.

Uma parte muito interessante do desenvolvimento cognitivo é a sua relação à memória. É justamente por isso que a grande maioria das pessoas não consegue se lembrar de momentos quando tinha idade inferior a três anos de idade.

Isso porque nesta idade não há pleno desenvolvimento das capacidades de armazenamento de memórias e com isso não conseguimos sintetizar e armazenar as lembranças desta época da vida.

Nesta fase é muito importante a interação da criança com diversos objetos. Por isso os brinquedos que estimula o processo cognitivo são muito indicados nesta etapa da vida.

Através dos brinquedos a criança já começa a lidar com situações e ainda a formular brincadeiras e aprende também a resolução de problemas através deste tipo de interação com os objetos.

Desenvolvimento social

 

O desenvolvimento social é uma função diretamente relacionada ao neocórtex. Esta é a parte frontal do cérebro e é através dela que desenvolvemos a capacidade social.

Nesta etapa a criança já passa a lhe dar com os adultos através da linguagem e consegue expressar o que sente. Também pode aprender normas sociais, culturais e demais conformidades que vemos em nosso dia a dia.

Nesta etapa do desenvolvimento as crianças passa ater mais interesse em interagir tanto com adultos como com outras crianças. Também pode marcar o inicio da fase de perguntas já que busca entender o mundo a sua volta.

Desenvolvimento afetivo

 

Aqui as crianças passam a desenvolverem suas emoções e sentimentos. Os bebês demonstram sinais de emoção ainda nas fases iniciais da vida e isso pode ser percebido pelo sorriso e contentamento quando estão próximos dos seus pais.

O amor é um sentimento oriundo de emoções positivas que a criança passa a sentir. Com o tempo estas capacidades vão expandindo até se tornar algo similar ao que os adultos possuem.

Também é através da experimentação de emoções dos pais que a criança forma sua primeira grade emocional. Por isso brigas e conflitos constantes na frente das crianças podem impactar de forma muito negativa em suas capacidades emocionais.

É importante que as crianças aprendam primeiro as emoções positivas que os humanos podem sentir para depois ao ficarem adultas tenderam mais a emoções positivas do que negativas.

Fatores que impactam no bom desenvolvimento infantil

 

Existem fatores que corroboram para um melhor desenvolvimento da criança e outros fatores que podem comprometer este progresso. É importante entender estes fatores de riscos e assim evitá-los e ainda proporcionar as melhores condições para o crescimento da criança.

Um dos fatores mais benéficos ao desenvolvimento adequado é o ambiente e também o vínculo afetivo. Crianças que vivem em ambientes saudáveis se tornam saudáveis e isso além de lógico e bem intuitivo.

O oposto se aplica a ambiente onde há muitas pessoas, barulhos constantes e ainda brigas familiares com grande freqüência. É preciso entender que as crianças aprendem mais com a imitação de comportamento do que com as palavras.

Dessa forma por mais que alguém tente ensinar boas maneiras a uma criança com as palavras o que ela absorve mesmo é o comportamento dos seus educadores.

Pais que ensinam algo aos filhos, mas que eles mesmos não cumprem perde a autoridade e respeito com os filhos. Isso porque a incongruência com o que é ensinado com o que de fato é presenciado é muito grande.

Veja este exemplo ilustrativo, se um pai ensina que seu filhos deve falar baixo e manter conversas agradáveis, mas na prática vive gritando, xingando e dando broncas o que a criança irá aprender é seu comportamento e não as palavras ditas.

Além destes fatores existem outros que você pode conferir aqui abaixo:

Hereditariedade

 

O fator hereditário tem um grande papel no desenvolvimento infantil. Se os pais da criança demoraram mais para falar, engatinhar e andar é bem provável que seus filhos também levem mais tempo para aprender tudo isso.

A hereditariedade pode afetar no comportamento e no desenvolvimento físico. No entanto, na maioria dos casos não há impacto no desenvolvimento de forma geral, ou seja, mesmo que um pouco tardio o crescimento é ainda normal.

Nutrição

desenvolvimento infantil

A nutrição é essencial para o desenvolvimento físico e cognitivo. Visto que o cérebro e o corpo de modo geral requerem vários nutrientes para manter suas funções intactas e ainda progredir no que diz respeito ao crescimento.

A desnutrição pode retardar o desenvolvimento ou mesmo torná-lo ineficaz. Por isso uma alimentação saudável e rica em uma ampla gama de nutrientes se faz completamente necessária.

Ambiente

 

Ambientes que não geram estímulos suficientes podem retardar o desenvolvimento intelectual da criança. Já ambientes que possuem significativa quantidade de estímulos pode acelerar o processo de aprendizagem.

Sendo assim o impacto do ambiente nas fases de desenvolvimento é muito grande e significativo. Além disso, o ambiente pode desempenhar papel muito importante no nível intelectual deixando a criança ainda mais inteligente do que o nível médio.

Problemas físicos

 

Para uma criança se desenvolver completamente bem é necessário ter todas as capacidades físicas. Crianças que possuem limitações físicas podem ter dificuldades de aprendizado e com retardo no desenvolvimento.

Um bom exemplo disso são crianças surdas que podem levar muito mais tempo para desenvolverem a linguagem e estabelecer algum tipo de comunicação.

Os marcos no desenvolvimento infantil

 

Os marcos do desenvolvimento infantil são aspectos que se desenvolvem em determinada idade. Estes marcos apontam para o desenvolvimento normal quando ocorrem no período certo.

Muitos pais sabem se os seus filhos estão desenvolvendo de maneira adequada, pois conhecem estes marcos. E importante também ressaltar que pode haver alterações mínimas de criança para criança e ainda estar dentro da normalidade.

Caso você percebe uma grande diferença entre os marcos que já deveriam ter sido alcançados é importante consultar um pediatra para ter certeza absoluta do desenvolvimento da criança até aquele momento.

Entendendo os marcos fica muito mais fácil acompanhar o desenvolvimento em todos os campo e assim saber se está tudo bem com o seu bebê. Então vamos conferir uma tabela que aponta tanto as idades como também cada um dos marcos importantes do desenvolvimento pessoal.

Marcos até os primeiros 12 meses de idade

 

Recém nascido

  • Dormi grande parte do dia e da noite podendo chegar a 20 horas de sono
  • Fica sugando com a boca com grande frequência
  • Chora se perturbado ou quando há algum desconforto

4 semanas

  • Leva as mãos na boca e nos olhos
  • Inicia movimentos de cabeça de um lado ao outro
  • Segue movimento de objetos com o rosto e também com o olhar
  • Tem respostas aos sons do ambiente seja se assustando ou mesmo chorando
  • Projeta o corpo na direção das vozes ou sons que lhe chama a atenção
  • Possui capacidade para focar nos rostos que estão interagindo com ele

6 semanas

  • Observação dos objetos em seu campo de visa é normal até ver o que acontece na televisão
  • Sorri quando alguém interage com ele
  • Consegue se virar ficando deitado de bruços

3 meses

       
  • Já mantém a cabeça firme quando é colocado sentado
  • Quando deitado de bruços é capaz de elevar a cabeça em até 45º para ver o que esta a sua volta
  • Realiza movimentos de abrir e fechar as mãos
  • Faz força com os pés e pernas quando segurado em pé em superfícies planas
  • Realiza movimentos na tentativa de alcançar brinquedos ou objeto que chamam sua atenção
  • Segue objetos com o olhar e também com a cabeça quando passam pelo seu campo de visão
  • Observa com grande atenção os rostos e as expressões faciais
  • Sorri quando ouve a voz da pessoa que mais cuida, seja pai, mãe ou avós
  • Produz grunhidos na tentativa de pronunciar palavras que ouve a sua volta

5 a 6 meses

  • Mesmo quando segurado de pé já mantém a cabeça firme
  • Consegue se sentar sozinho quando há algum apoio, nesta fase já não é mais possível deixar a criança sozinha em camas de casal porque ela vai tentar se levantar
  • Alterna de posição deitado de bruços para barriga para cima muito facilmente
  • Tenta alcançar e recolher objetos chama sua atenção
  • Reconhece as pessoas familiares mesmo a distancia
  • Consegue prestar atenção nas vozes humanas, parecendo até que já as entende
  • Sorri com espontaneidade
  • Quando alegre expressão isso com gritinhos
  • Tentam falar para os brinquedos que chama sua atenção

7 meses

  • Já consegue se sentar mesmo sem apoio, a partir desta fase já não param mais quietas nos lugares onde são deixadas
  • Consegue sustentar o seu peso corporal quando colocadas de pé
  • Pega objetos e passa de uma mão para a outra
  • Consegue segurar a própria mamadeira enquanto se alimenta
  • Procuram objetos que caíram de suas mãos
  • Reconhece o próprio nome e anda responde quando o ouve
  • Começa a combinar vogais com consoantes balbuciando suas primeiras palavras
  • Tem respostas a brincadeiras como “cadê o neném?”

9 meses

  • Senta-se com grande facilidade e agilidade
  • Tenta buscar e recolher objetos que estão longe do seu alcance
  • Tem resposta quando um brinquedo é tirado de suas mãos
  • Já consegue engatinha se mantendo sopre os pés e as mãos
  • Consegue ficar de pé se apoiando nas paredes
  • Saia da posição de bruços para sentado com muita facilidade
  • Pronuncia as palavras “mama” e “papa”

12 meses

  • Já consegue andar apoiando-se nas paredes ou quando seguram nas mãos dos seus pais
  • Começa seus primeiros passos sem apoio
  • Consegue ficar de pé sem se apoiar em nada e se mantém assim por alguns segundos
  • Diz “mama” e “papa” para as pessoas corretas
  • Aprende beber no copo
  • Faz o sinal de tchau e bate palmas
  • Começa a pronunciar novas palavras

Marcos dos 12 meses aos 6 anos de idade

Idade Habilidades motoras grossas Habilidades motoras finas
18 meses ·         Anda bem;

·         Consegue subir escadas se apoiando.

·         Desenha uma linha vertical;

·         Faz uma torre com 4 cubos;

·         Vira várias páginas de um livro ao mesmo tempo;

·         Fala cerca de 10 palavras;

·         Puxa brinquedos em cordas;

·         Consegue comer algumas coisas sozinho.

2 anos ·         Tem coordenação motora o suficiente para correr bem;

·         Sobe em móveis.

·         Manuseia bem talheres;

·         Vira páginas individuais dos livros;

·         Faz uma torre com 7 cubos;

·         Forma frases com 2 ou 3 palavras.

2,5 anos ·         Salta;

·         Sobre e desce escadas sem ajuda.

·         Faz rabiscos em padrão circular;

·         Abre portas;

·         Consegue vestir roupas simples sozinho;

·         Fala quando precisa ir ao banheiro.

3 anos ·         Possui boa coordenação motora para andar bem (marcha madura);

·         Anda de velocípede.

·         Prefere usar uma mão à outra;

·         Copia um círculo;

·         Consegue se vestir sozinho, mas ainda não sabe fechar os botões ou amarrar cadarços;

·         Conta até 10 e usa plurais;

·         Reconhece pelo menos 3 cores;

·         Faz perguntas constantemente;

·         Consegue comer sozinho;

·         Grande parte das crianças nessa idade já conseguem usar o banheiro sozinhas.

4 anos ·         Sobe e desce as escadas alternando os pés;

·         Salta sobre um pé;

·         Consegue lançar bolas.

·         Copia uma cruz;

·         Consegue se vestir;

·         Lava as mãos e o rosto.

5 anos ·         Pula;

·         Pega uma bola arremessada.

·         Copia um triângulo;

·         Desenha uma pessoa em 6 partes;

·         Conhece 4 cores;

·         Consegue se vestir e se despir sem ajuda.

6 anos Anda em linha reta usando toda a superfície do pé. Escreve seu próprio nome.

Fases do desenvolvimento segundo Piaget

 

Jean Piaget foi um grande pesquisador do desenvolvimento infantil. Interessou-se pelas crianças após ver suas respostas incorretas quando questionados por seus professores.

Realizou um estudo pioneiro neste sentido e com isso conseguiu delinear as fases do desenvolvimento. Observou de perto os seus próprios filhos para obter dados inda mais precisos sobre cada uma das etapas.

Com este estudo Piaget concluiu que há 4 fases muito importantes no desenvolvimento cognitivo das crianças. Sendo os dois primeiros estágios muitos extensos e cheios de aprendizado.

O último estágio é uma fase muito importante para formação do raciocínio. Esta etapa é fundamental para a formação do pensamento que será utilizado basicamente por toda a vida adulta.

Então vamos conhecer o desenvolvimento do ponto de vista de Piaget.

Sensório motor de 0 a 2 anos

 

A capacidade sensório motor não é inata e precisa ser desenvolvida com o tempo. É nesta fase que os bebês começam a descobrir as sensações e o que elas significam bem como os movimentos a sua volta.

Nas fases iniciais do desenvolvimento infantil o bebê não tem consciência das capacidades sensório motoras e vai adquirindo-as aos poucos com base nos estímulos que vai recebendo ao longo do tempo.

Aos poucos o bebê percebe que consegue mexer seus braços para onde quer, suas pernas, rosto e ainda os seus olhos. Esta fase é uma grande descoberta para o bebê por isso é natural vê-lo se movimentando lentamente e apreciando cada movimento.

Isto porque ele experimenta sensações com estes movimentos e vai descobrindo capacidades que nem mesmo o bebê poderia imaginar. Essa é a descoberta d corpo e a familiarização com as sensações.

Outro aspecto muito intrigante desta etapa da vida é que o bebê ainda não tem a ideia de permanência do objeto. Sendo assim quando sua mãe sai do campo de visão começa aquela choradeira toda.

Isso ocorre porque para o bebê sua mãe não foi apenas ali e já volta. Quando sai do seu campo de visão seja uma pessoa ou objeto passa simplesmente a não existir para o bebê.

É justamente por isso que quando um bebê perde de vista determinado objeto que tinha nas mãos não volta a procurá-lo. Isso porque para ele o objetou deixou de existir.

Sendo assim tudo que não está no campo de visão da criança nesta fase não existe para ela. É por isso que a brincadeira “cadê o neném” é sempre tão divertida para eles mesmo que para os adultos pareça algo sem sentido ou repetitivo.

Pré operatório de 2 a 7 anos

 

Neste estagio a criança esta desenvolvem o pensamento representativo. Nesta fase a criança passa a ver o mundo de outra forma, embora seja um mundo particular e completamente voltado a si mesmo.

Esta é uma etapa da vida extremamente egocêntrica. Para a criança tudo que importa é a si mesmo. Isso não é um indicativo de desvio de caráter e sim uma forma do seu cérebro se organizar para perceber a realidade. Na verdade grande parte deste tipo de visão pessoal de mundo continua também nas fases adulta.

Também surge neste momento necessidade de “dar vida” as coisas, por exemplo, uma bola girando por aí não é vista pela criança como um objeto sendo movido por alguma força e sim pela sua própria vontade da bola.

Nesta fase também as funções da linguagem são ampliadas devido ao inicio e desenvolvimento do dialogo interno. Sim é isso que você leu, conversamos com nós mesmo através de diálogos internos.

Esta função não é exclusiva da fase infantil, o dialogo interno permanecerá no individuo por toda a sua vida. Estima-se que um adulto tenha até 40.000 palavras por dia de dialogo interno, ou seja, é muita conversa consigo mesmo dentro da cabeça.

Pensamento representativo

desenvolvimento infantil

As brincadeiras de “faz de conta” são também grande marcos nesta fase do desenvolvimento infantil. Esta é uma forma de organizar e também criar a sua própria visão da realidade que a cerca.

A título de curiosidade nós humano não percebemos a realidade tal como ela é e sim uma representação pessoal da realidade com base nos estímulos que recebemos. De forma clara o seu mundo é diferente do mundo de todas as pessoas do planeta, pois cada um criou sua própria maneira de viver e lidar com a realidade.

Outro aspecto intrigante desta fase é a análise de números e medidas. Um bom exemplo é um copo fino mais alto e um copo mais baixo. Embora haja em ambos os copos a mesma quantidade de alimentos a criança sempre vai preferir o que tem o nível mais alto, ou seja, o copo fino para ela tem mais.

O mesmo se aplica a outras situações, por exemplo, se eu tenho dois biscoitos e dou apenas um para a criança ela se sente injustiçada, bom e realmente está. Mas ainda na mesma situação se eu pego o biscoito da criança e parto ao meio e dou-lhe duas parte do mesmo biscoito e eu ainda fique com 2 ela sentirá que a partilha foi justa.

Por mais que duas metades sejam menores que um biscoito inteiro na mente da criança ela e eu temos dois biscoitos.

É preciso ter muita paciência nesta fase já que criança não pode perceber por si mesma o que é certo ou errado e acaba sempre aprontando.

Operatório concreto de 8 a 12 anos

 

É nesta fase que o córtex pré frontal passa a ser utilizado massivamente. Sendo assim começa a desenvolver o raciocínio lógico. Nesta etapa da vida também começa a fazer sentido as regras e convenções sociais impostas pela sociedade.

Voltando ao exemplo do copo mais fino agora essa regra não se aplica mais, pois a criança pode realizar conversões mentais e agora sabe que ambos possuem a mesma quantidade.

O exemplo anterior do biscoito não se aplica mais, pois a criança sabe que duas metades de um biscoito não representam dois biscoitos. Agora você vai ter que dividir de forma mais justa os biscoitos com seu filho.

A compreensão dos valores morais já está em pleno desenvolvimento e as crianças agora podem perceber o que é o certo e também o que é errado. Isso nos conceitos básicos da palavra, porque até mesmo adultos têm grandes dificuldades para saber o que é certo ou errado.

Mas como assim adultos não sabem o que é certo ou errado? Isso é uma grande verdade, nós adultos não sabemos exatamente o que é certo ou errado. Nosso filtro é a maioria, se a maioria faz é porque é certo, mas sabemos que isso não se aplica.

Visto que em muitas das vezes a maioria opta por determinado caminho e condena o outro como errado. Um bom exemplo é se a maioria é cristã considera as outras religiões como erradas, isso não se aplica apenas as religiões como a uma série de fatores.

Outro exemplo é se a maioria é destra ser canhoto é errado, quando na verdade não é errado. Essa associação da maioria é conhecida como efeito manada.

Operatório formal: a partir dos 12 anos

 

No operatório formal a criança começa a entender conceitos abstratos e com isso pode experimentar o mundo do ponto de vista de outras pessoas. O conceito abstrato é uma forma de compreender o mundo e outras pessoas sem ter que passar pela experiência pessoalmente.

Conceitos matemáticos e filosóficos podem ser aprendidos daqui para frente. Isto porque o cérebro agora é capaz de lidar com informações abstratas ao invés de apenas conceitos concretos como fazia antes.

O desenvolvimento de ideias e ideias como também de objetivos de vida é realizado nesta etapa da vida. Aqui a mente passa por uma guinada em suas funções e com isso pode despertar alterações comportamentais.

Entender o conceito abstrato é muito importante para os humanos. É uma capacidade de se colocar em situações que jamais vivenciou. No entanto nem todo mundo desenvolve muito bem este conceito e com isso têm grandes dificuldades para se colocarem no lugar de outras pessoas.

É sabido que quando menor a capacidade abstrata maior o egocentrismo do individuo. Isso porque não consegue formular raciocínios onde se coloca na posição de outra pessoa.

Este também é o último marco na escala de Piaget.

Desenvolvimento da linguagem

 

A linguagem é muito importante para as comunicações e para uma vida plena humana. No entanto capacidade de comunicação não significa apenas verbalização.

A comunicação vai muito além da verbalização e esta é uma parte especifica do cérebro que produz a capacidade de entender sobre diversos pontos de interpretação o que a outra pessoa deseja expressar.

Veja também este artigo de como estimular os seus netos a lerem mais

Como nós não entendemos a linguagem dos bebês eles precisam aprender a nossa para se comunicar bem. É por isso que aprendem a utilizar os padrões de palavras, gestões e ainda expressões.

A comunicação é dividida em dois estágios que são o pré-linguístico e o linguístico. Cada um caracterizado por suas etapas que veremos abaixo.

Pré-linguístico

 

O estagio pré-linguístico é a fase que antecede o uso de palavras para se comunicar. Nesta fase da vida o bebê se comunica com a mão através do choro ou mesmo de grunhidos.

Qualquer desconforto que sinta seja de forme ou dor para o bebê é a mesma coisa e sabe intuitivamente que precisa chorar para comunicar que algo não vai bem com ele para sua mãe.

Com o desenvolvimento o repertório de sons vai aumentando e todos eles são utilizados como forma de comunicação rudimentar. Embora não haja verbalização isso ainda sim é uma capacidade lingüística de comunicação.

Estágio linguístico

 

O estágio linguístico é caracterizado pela verbalização para expressar o que está sentindo e assim estabelecer comunicação com seu interlocutor. As primeiras palavras serão tentativas de estabelecer esta comunicação.

Aos 18 meses de idade uma criança já consegue se expressar para os pais e assim estabelece breves comunicações. Embora ainda exija muita interpretação já é uma forma de comunicação linguística.

Como a verbalização ainda está em suas fases iniciais é muito natural ter pronúncias incorretas e omissões de letras nas palavras, mas isso se corrige com o tempo e maior experiência linguística da criança.

O que fazer quando seu filho não apresenta os marcos de desenvolvimento

 

Primeiramente devemos levar em consideração que estes marcos são aproximados para cada idade. O desenvolvimento humano não é uma ciência exata como a matemática.

É possível que alguns marcos surjam até mesmo antes da etapa ou que surjam depois.  Tendo isso em mente é preciso ter certa maleabilidade quando ao desenvolvimento infantil.

Agora quando se percebe um atraso claro nos marcos e que já passou muito tempo e ainda não se manifestou é importante consultar um pediatra. O pediatra por sua vez vai analisar as condições da criança e determinar se o desenvolvimento apenas apresenta lentidão ou se algo mais grave pode estar acontecendo.

Então na dúvida consulte sempre o pediatra e assim você receberá as melhores orientações e poderá acompanhar de forma ainda mais técnica o desenvolvimento infantil do seu filho.

Este foi o nosso guia completo de hoje sobre o desenvolvimento infantil em suas diversas fases e etapas. Agora você pode analisar o seu bebê e comparar com os parâmetros básicos da escala de Piaget, curta e compartilhe este artigo com seus amigos e familiares e também deixe seu comentário.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.