Descubra os problemas que afetam a relação sexual em idosos

0

Não é possível retardar ou interromper a passagem do tempo que acontece com homens e mulheres. O envelhecimento é um processo natural que ocorre desde o nascimento e estende-se gradativamente ao longo dos anos de vida de cada pessoa.

Ao chegar à terceira idade, que acontece em período igual ou superior a 60 anos, ambos os sexos sofrem com diversos preconceitos e tabus. Um deles que é cercado de muita polêmica é em relação à sexualidade do idoso. Há quem acredite que nessa fase, homens e mulheres esquecem-se das atividades sexuais por causa das limitações do corpo recorrente da faixa etária. De fato, algumas doenças podem interferir na vida sexual de pessoas em qualquer faixa etária.

Nos idosos, entretanto, os problemas provenientes da idade avançada comprometem o desempenho da atividade. O exemplo disso está as artrites, que sobrevém da inflamação na cartilagem responsável pela proteção das articulações.

Um outro produto que é natural e tem ajudado muitos idosos a ter um pouco mais ativo sua vida sexual é o X Max Grow. Pessoas de diversas idades, incluindo os idosos, estão tendo ótimos resultados com esse produto.

No público feminino, a mastectomia (tratamento que consiste na remoção completa de um dos seios associada ou não à retirada dos gânglios linfáticos) costuma comprometer a sexualidade da idosa devido à vergonha e o medo de ser rejeitada pelo parceiro. Já nos homens, a ressecção transuretral parcial ou total da próstata é um procedimento que traz complicação erétil.

Leia Também:

       

Veja outros problemas que afetam ambos os sexos na terceira idade e que pode comprometer a libido:
Em mulheres:
– Doenças emocionais como depressão e ansiedade;
– Doenças físicas entre elas osteoartropatias e doenças cardíacas;
– Alterações genitais como atrofia vaginal, falta de lubrificação e estreitamento;
– Comportamento do parceiro com ausência de preliminares, falta de carinho e estímulo pelo toque.

Em homens:
– Impotência ou disfunção erétil;
– Dificuldades no coito;
– Problemas emocionais;
– Hipertensão;
– Complicações com a próstata.

Essas mudanças fisiológicas e anatômicas são progressivas e variam de intensidade em cada indivíduo. Porém, atualmente é cada vez mais comum o número de idosos que permanecem com plenas condições físicas para exercerem a sua sexualidade. Cerca de 75% dos idosos permanecem sexualmente ativos, como aponta uma pesquisa realizada pelo Datafolha.

 

Alguns deles optam pela utilização de medicamentos que ajudam na ereção, como o Viagra, mas embora o medicamento seja seguro, sua utilização deve ser mediante uma orientação médica. Além disso, vale lembrar mesmo após os 65 anos e com parceiro fixo é importante utilizar preservativo para prevenir a incidência de doenças como DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e da AIDS.

 

GOSTOU DESSE TEXTO? Deixe o seu comentário abaixo e compartilhe com seus amigos. Agradecemos a atenção!

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.