O idoso fica chamando por quem faleceu? Compreenda mais a demência de alzheimer

existem vários tipos e experessões

0 2.935

Quando o idoso desenvolve uma demência, ele acaba se esquecendo das histórias mais recentes de sua vida e detalha muito bem as mais antigas. Isso ocorre devido a forma como arquivamos as memórias

Muitas vezes as pessoas costuma dizer ” é incrível como que papai sabe coisas do passado. Ele tem uma memória… nossa! Maravilhosa. Mas para as coisas do dia a dia, tem sempre que ser lembrado.”

VAMOS ENTENDER COMO FORMAMOS MEMÓRIA

A memória nada mais é do que um estímulo externo que adentra em nossa mente sempre conduzida por um órgão do sentido.

Sendo assim, olhos (visão), nariz (olfato), ouvidos (audição), boca (paladar) e pele (tato) são nossas ferramentas de captura para ela. Alguns estudiosos até mesmo dizem que os canais vestibulares (equilíbrio) constituem nosso sexto sentido.

E assim, o que entra com a ajuda de tais ferramentas, segue um caminho que poderá se transformar num registro. Mas antes, tal estímulo passa por um reconhecimento: se for algo novo, entra. Mas se já for algo que tenho em minha memória… pra que entrar de novo se já está guardado?

Daí, não há arquivamento. Há apenas um reconhecimento de algo que já foi visto e portanto  já arquivado de um jeito ou de outro na memória.

Chamamos este processo da formatação. Após formatada, o estímulo é arquivado. E somente após arquivado é que pode ser recordado. À forma do estímulo recordada chamamos de memória. Memória é lembrança, algo passível de ser trazido à tona por ter sido guardado. caso contrário… não há memória!

E a falta de memória pode ter sido uma interrupção em algumas das fases iniciais, até mesmo em alguma dificuldade sensorial que nem mesmo deixou o estímulo entrar.

AS FASES DE FORMAÇÃO DA MEMÓRIA

Portanto dizemos que uma memória passa por 4 etapas até ser formada:

1. captação

2. formatação

3. arquivamento

4. recordação

Tais caminhos acontecem tanto pra memórias boas e ruins. Pois memórias são memórias. Não importa se são boas ou ruins pois tais conceitos quem dá sou eu, a minha consciência, o meu ponto de vista sobre aquilo que estou guardando.

CONSOLIDAÇÃO DE MEMÓRIAS

Para que uma memória se fortaleça é preciso que ela seja consolidada e se possível “crie raízes”.

Para criar raízes em uma memória, a mesma deve ser repetida inúmeras vezes. Quanto mais se repete, mais se fortalece. Imagina o quanto um idoso como boa memória para coisas passadas não deve ter repetido estas memórias? Quantas vezes repetindo os mesmos casos em diversas situações?

O suficiente para fortalecer tais memórias. E quanto mais se vive, mais se conta, mas raízes crescem.

Já as memórias mais recentes, são memórias novas, brotinhos, com raízes frágeis. É por isso que facilmente desaparecem em caso, por exemplo, de quadros demenciais.

COMPREENDENDO SOBRE DEMÊNCIAS

“Todo mundo fica com problema de memória com a idade?”
“Se meu pai teve Alzheimer eu também vou ter?”
“Tem algum remédio pra prevenir demência?”

Costumo responder estas perguntas da seguinte maneira:
– demências acontecem por algum motivo que não se relaciona com a idade de forma direta. Porém, diretamente, pode se relacionar com diversos acometimentos ligados à saúde e integridade física, com O NÍVEL de desgaste físico que ocorre com o passar dos anos e a qualidade de vida que se teve, antes de seu surgimento. A genética também pode contribuir para o surgimento de demência, sem sabermos se de fato ela se manifestará. POR QUÊ?

Porque há muitos e muitos fatores que levam à perda de neurônios podendo originar um quadro demencial, como por exemplo:

• falta de suprimento sanguíneo o qual leva nutrientes para estas células (isquemias ou infartos cerebraisconstantes levando à demência vascular cerebral);

• carência ou descontrole de suprimentos para o bom funcionamento dos neurônios (como no caso da diabetes onde a falta ou descontrole da glicose pode afetar as células do cérebro levando às falhas da memória e baixo nível de atenção devido índice alterado da glicose, muito importante fornecedora de energia para o funcionamento neuronal);

• intoxicação pelo excesso de álcool de forma constante bem como substâncias alucinógenas (alcoolismo, adicção);

• intoxicação celular através de resíduos acumulados por mau funcionamento do metabolismo ao utilizar as substâncias de manutenção e nutrição das células (acúmulo progressivo de substâncias proteicas de forma desorganizada, como no Alzheimer levando à falha progressiva de memória e suas habilidades gerais);

• episódios convulsivos (“queima neuronal” como nas epilepsias levando às falhas de memória proporcionalmente à intensidade das crises);

• traumatismo craniano levando à destruição de tecidos cerebrais, os quais são formados pelos neurônios (acidentes que podem resultar desde falhas de memória até alterações comportamentais);

• má formação celular ou alterações da anatomia cerebral (síndromes congênitas, doenças genéticas que podem resultar desde falhas de memória até alterações comportamentais e dificuldades motoras);

• morte celular por desgaste de células neuronais (devido stress, fadiga, uso abusivo de medicamentosestimulação precária das funções mentais que podem resultar desde falhas de memória até alterações comportamentais);

• alterações psíquicas (como no caso da depressão que leva a um desinteresse do mundo externo empobrecendo os estímulos importantes para manutenção dos neurônios podendo levar a uma pseudodemência).

O IDOSO CONFUSO

Por vezes o idoso com alguma fragilidade cognitiva para reter informações recentes, dos últimos dias, semanas ou alguns poucos anos atrás se desorienta. Dependendo da reação de seu cuidador familiar ou formal, ele pode se desorientar mais ainda. Isto acontece caso o familiar vá contra alguma colocação do idoso ou tenta mentir de forma pouco convincente para o idoso.

       

Algumas dicas sobre como responder ou como desviar o foco do idoso das situações de falecimento

Muitas vezes o idoso pode se desorientar por ter esquecido que tal pessoa querida já falecida. Ela descobre sobre o falecimento e reluta em acreditar, pois não é isto que tem em sua memória.

Sendo assim:

  • evite confirmar falecimento
  • desvie sua atenção para um outro cômodo da casa
  • proponha uma caminhada
  • veja álbuns de fotografias da família
  • conte um caso da pessoa falecida de forma entretenedora e prazerosa
  • ofereça uma sobremesa ou uma fruta que aprecie

Doença De Alzheimer – 10 Perguntas E Respostas

Estima-se que existam no mundo cerca de 35,6 milhões de pessoas com a Doença de Alzheimer. No Brasil, há cerca de 1,2 milhão de casos, a maior parte deles ainda sem diagnóstico, é o que diz a ABRAz(Associação Brasileira de Alzheimer).

Uma preocupação que atualmente atinge a todos é o que fazer com essa doença? o importante é se cuidar, mesmo que não queira acrescentar em sua rotina, é importante se consultar com o médico.

Muitas perguntas são feitas, apesar de lermos constantemente sobre assunto ainda sim, temos dúvidas. Então vamos esclarecer um pouco mais sobre esse assunto que prende tanto nossa atenção.

    1. O que é o Alzheimer?
      Uma doença neuro-degenerativa que se agrava com o tempo também conhecida como demência ou perda de funções cognitivas( memória, orientação, linguagem, atenção) causada pela morte das células cerebrais.

 

Quando diagnosticada no início é possível retardar o seu avanço e ter um controle  melhor sobre os sintomas. Atenção, não confunda o Alzheimer com loucura.

2. Qual a diferença entre Demência e a loucura?

– A loucura ou insânia, segundo a psicologia é uma condição da mente que está relacionada a doenças psiquiátricas como  a esquizofrenia, psicose, transtornos psicóticos. As alterações de pensamento como delírios, novas realidades como a pessoa dizer que é Deus ou outra pessoa,  de percepções como as alucinações sejam visuais ou aditivas.

– A demência é a perda das funções cerebrais como memória e  raciocínio. Faz com que a pessoa fique confusa podendo não lembrar de nomes, pessoas, podendo ocorrer também alterações de personalidade e convívio social.

Provocam alteração da memória de curta( refere-se ao que a pessoa fez nos último dias ou horas) ou longa duração (diz respeito ao aprendizado, as lembranças de infância e dos últimos anos) esses fatores estão associados ao raciocínio, capacidade de calcular, escrever.

4. Qual a causa da Doença de Alzheimer (DA)?
Infelizmente não se conhece bem a causa, geralmente costuma atingir pessoas com idade mais avançada, mas ela pode desenvolver-se precocemente, por volta dos 50 anos. As pesquisas continuam.

5. Como identificar os sintomas da DA?

    • Perda de memória;
    • Dificuldade de atenção;
    • Problemas de linguagem;
    • Dificuldade nas funções motoras;
    • As habilidades como: panejamento, organização, observação e resolução de um problemas ficam comprometidas;
    • Apatia;
    • Depressão;
    • Distúrbios do sono podendo apresentar dificuldades em dormir;
    • Ansiedade;
    • Alteração de apetite.(podendo esquecer as principais refeições);
    • Irritabilidade/agitação/agressividade;
    • Delírios e alucinações;
    • Imitação ou o comportamento infantil;
    • Descuido com a aparência e higiene pessoal;
    • Dificuldade em se vestir

 

 

6. Quais exames podem ser  solicitados para diagnosticar a Demência de Alzheimer?

Geralmente os exames variam de caso a caso. Estes são solicitados de acordo com a avaliação clínica do indivíduo. Os exames mais solicitados são:

  • Exames laboratoriais: hemograma completo, sódio, potássio, ureia, creatinina, vitamina B12, dosagem dos hormônios da tireóide, fígado.
  • Exames de imagem: tomografia computadorizada, ressonância magnética, eletroencefalograma, Spect.

7. Como se prevenir?
Os médicos recomendam  manter a mente ativa, uma boa vida social, ter hábitos saudáveis. Você pode estimular sua memória lendo constantemente intercalando os tipos de leitura: história, literatura, reflexiva. Os jogos de concentração ajudam muito e divertem também , além da convivência com grupos de pessoas para troca de experiências.

8. Existe uma alimentação específica para a Doença de Alzheimer?
Não existe uma dieta restritiva . O que se indica é uma alimentação saudável, consumo de nutrientes para preservar os neurônios e alimentos antioxidantes que combatem os radicais livres.

9. O que fazer para lidar com a agressividade?
Tentar identificar os fatores do ambiente que podem estar causando a agressividade e minimizá-los. Algumas situações que podem colaborar com a irritabilidade: ruídos excessivos, ambiente onde as pessoas falam muito alto ou gritam. O importante é manter a tranquilidade, calma.

10. Ter esquecimentos significa estar com Alzheimer?
Não. Lembre-se sempre que  a Demência de Alzheimer tem como caraterística a perda de memória, dificuldade com a fala ocorrendo repetição da mesma pergunta ou ideia, dificuldades nos movimentos, entre outros fatores.

Existe cura para a doença?

Pesquisas continuam mais ainda não foi encontrada a cura. O tratamento ajuda a minimizar os sintomas caudados pela doença. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença será menos difícil ter controle sobre ela.

Com tudo isso, vamos fazer nossa parte cuidando de nossa saúde e das pessoas que amamos. Compartilhem essa leitura para ajudar outras pessoas.

 

COMENTE COM OS AMIGOS DO SITE: Use a caixa de comentários abaixo para trocar idéias com os leitores do site. Muitas pessoas podem interagir com você.

 

gal

Gal Rosa

Terapeuta Ocupacional Gerontóloga

social media do www.aterceiraidade.net

email: gal@aterceiraidade.com

Youtube: A Terceira Idade com Gal Rosa

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.