Creatinina: Alta, Baixa, O que fazer?

0 260

O aumento do nível de creatinina no sangue é um dos principais indicadores de que os rins podem não estar funcionando como deveriam. Isso porque a creatinina é uma substância normalmente presente na corrente sanguínea em quantidades constantes.

O nosso organismo produz no fígado, rins e pâncreas, uma proteína chamada creatina, que é transportada para o músculo e o cérebro, onde sofre um processo de fosforilação e se transforma em fosfocreatina, um composto de enorme reserva energética, essencial na contração muscular.

Assim, durante o consumo desse composto para desempenhar suas funções, os músculos produzem a creatinina, que nada mais é que um resíduo que, em condições normais, seria filtrado pelos rins e excretado na urina.

Portanto, quando o sangue apresenta uma dosagem de creatinina alta ou baixa, isso indica possíveis problemas no funcionamento dos rins, principalmente no caso da creatinina alta.

Normalmente, é o exame de clearance de creatinina que vai determinar se esses níveis estão altos ou baixos e avaliar o desempenho dos rins na desconfiança de mau funcionamento.

Para entender melhor como tudo isso funciona, vamos explicar abaixo o que é creatinina, o que acontece no caso de uma dosagem alta ou baixa, e como o exame funciona para ajudar a identificar possíveis problemas de saúde.

Como os rins funcionam?

Os rins filtram os níveis de creatinina no sangue.
Os rins filtram os níveis de creatinina no sangue.

Os rins fazem parte do nosso sistema renal e são órgãos essenciais para o desempenho de inúmeras funções vitais no organismo, muito além da produção e excreção de urina.

Como por exemplo, produção de hormônios relacionados ao controle da pressão arterial, formação de hemácias e regulação do metabolismo ósseo. Além disso, os rins também regulam o equilíbrio de água e sais minerais no corpo através dos processos de filtração e reabsorção.

Da mesma forma, os rins são os principais responsáveis pela eliminação de substâncias tóxicas resultantes do nosso metabolismo através da filtragem do sangue. Assim, quando os rins trabalham de forma inadequada e a sua capacidade de filtrar o sangue fica afetada, podem haver sérias consequências para a saúde do indivíduo.

Por esta razão, o monitoramento do seu funcionamento e das suas funções deve ser realizado constantemente, através da observação de diversos sinais e sintomas no organismo e pelo exame de sangue ou clearance de creatinina.

O que é Creatinina?

A creatinina é uma substância obtida a partir da creatina.
A creatinina é uma substância obtida a partir da creatina.

Para entender o que é creatinina e o seu papel no organismo, precisamos primeiro entender como os músculos desempenham suas funções. Assim, para que os músculos funcionem, é necessário uma grande quantidade de energia.

Essa energia é obtida através de uma proteína chamada fosfocreatina ou creatina fosfato, durante um processo de fosforilação da creatina, produzida no fígado, rins e pâncreas ou a partir de outras proteínas absorvidas durante a nossa alimentação (alimentos ricos em proteína, como carnes e peixes).

Após ser sintetizada, a creatina fosfato é produzida no fígado e posteriormente armazenada nas fibras musculares como forma de energia para a contração muscular.

Mesmo em repouso, o sistema muscular está em permanente atividade consumindo creatina fosfato em tempo integral. Após esse consumo, os músculos produzem a creatinina como uma espécie de lixo metabólico, sendo lançada na corrente sanguínea para depois ser filtrada pelos rins e excretada pelo organismo na urina.

Assim, a creatinina é um produto da degradação da fosfocreatina muscular, produzida e excretada pelo organismo em taxa constante, sendo diretamente proporcional à massa muscular da pessoa. Ou seja, quanto maior a massa muscular, maior essa taxa de creatinina.

Por isso, a quantidade de creatinina produzida pelo corpo depende da massa muscular da pessoa, e como em condições normais, é praticamente toda excretada, quando observa-se níveis altos ou baixos de creatinina no sangue, isso pode indicar problemas renais como uma deficiência na filtração dos rins.

Creatinina: Valores de referência

A creatinina é calculada com base na massa corporal.
A creatinina é calculada com base na massa corporal.

Em geral, além dos valores normais de creatinina estarem diretamente relacionados à quantidade de massa muscular de cada pessoa, eles podem variar de acordo com o laboratório. Assim, o médico irá avaliar os resultados com base na saúde do paciente e outros fatores.

Sendo assim, o nível de creatinina normal pode variar entre:
  • Valores de referência em Homens: 0,6 a 1,3 mg/dL
  • Valores de referência em Mulheres: 0,5 a 1,1 mg/dL

Devido a creatinina ser uma substância produzida no organismo de acordo com o nível de massa muscular da pessoa, é normal que os valores de referência nos homens sejam maiores, já que eles possuem músculos mais desenvolvidos que as mulheres, e por isso produzem mais creatinina.

Como funciona os níveis de creatinina no organismo

A creatinina é produzida produzida diariamente pelos músculos e eliminada de forma constante pelo organismo na urina. E já que é encontrada na corrente sanguínea, ela pode ser dosada para uma melhor avaliação do funcionamento dos rins.

Quando produzida, é jogada na corrente sanguínea e levada aos rins para ser filtrada e o seu excesso excretado na urina. Portanto, quando há uma deficiência nos rins sua capacidade de filtrar o sangue é afetada, fazendo com que essas toxinas permaneçam na corrente sanguínea, aumentando suas concentrações.

Quando massa muscular se apresenta estável, porém os níveis de creatinina sanguínea altos, isso indica que o processo de eliminação está comprometido. Ou seja, os rins estão tendo dificuldades para excretar o excesso de creatinina.

Neste caso, se os rins não conseguem eliminar a creatinina, provavelmente eles também não conseguirão excretar diversas outras substâncias metabólicas, como toxinas prejudiciais ao organismo. Portanto, altos níveis de creatinina no sangue indicam insuficiência renal.

Quando a disfunção renal deve ser investigada?

Normalmente, as disfunções renais não costumam apresentar sintomas aparentes. Por isso, a maneira mais eficiente de se diagnosticar precocemente as alterações e deficiências no funcionamento do rim é através da dosagem dos níveis de creatinina no sangue.

Uma insuficiência renal crônica, por exemplo, não causa sintomas até fases bem avançadas da doença. Assim, a dosagem da creatinina é importante para se detectar a insuficiência renal em fases iniciais, a fim de evitar maiores complicações.

Sendo assim, o teste de dosagem de creatinina pode ser indicado quando houver:

  • Histórico familiar de doença renal crônica;
  • Presença de doenças como a diabetes, hipertensão arterial, obesidade, rins policísticos, glomerulonefrite;
  • Casos de infecções urinárias de repetição e cálculos renais de repetição;
  • Uso crônico de anti-inflamatórios;
  • Inchaços sem causa definida;
  • Anemia sem causa aparente;
  • Doenças cardíacas;
  • Sangramentos persistentes pela urina ou espuma durante a micção;
  • Uso de medicamentos que comprometem a função renal;
  • Idade acima de 50 anos;
  • Casos de fumantes;
  • Perda de peso não intencional;
  • Perda de apetite e fraqueza sem causa aparente;
  • Dificuldade de crescimento em crianças;
  • Gravidez com suspeita de pré-eclâmpsia.

Sinais e Sintomas de problemas renais

Os principais sinais e sintomas que podem indicar problemas renais incluem:

  • Inchaço ou edema, em especial em torno dos olhos ou na face, nos pulsos, no abdômen, nas coxas ou nos tornozelos;
  • Urina turva, com sangue ou mudança de coloração (cor de café);
  • Diminuição do volume urinário;
  • Problemas durante a micção, como dor ao urinar, queimação, secreção anormal ou alteração da frequência, especialmente à noite;
  • Dor no meio das costas (flanco), abaixo das costelas, próximo da localização dos rins;
  • Sangue e/ou proteínas na urina.

Creatinina alta: Sintomas e Causas

Como já dissemos, quando os rins não conseguem filtrar a creatinina, seus valores no sangue se apresentam acima do normal, podendo indicar uma lesão nos vasos sanguíneos dos rins, doença ou infecção renal, redução do fluxo de sangue para os rins, por exemplo.

       

Outros sintomas comuns apresentados em casos de creatinina alta, podem incluir também:

  • Cansaço excessivo;
  • Inchaço das pernas ou braços;
  • Sensação de falta de ar;
  • Confusão mental frequente;
  • Náuseas e vômitos.

Creatinina baixa: Sintomas e Causas

Apesar de índices de creatinina baixa no sangue não serem preocupantes, eles são mais frequentes em mulheres grávidas e em pacientes com doenças hepáticas, já que o fígado também é responsável pela produção de creatinina.

No entanto, o nível baixo de creatinina no sangue também pode indicar doenças nos músculos, como distrofia muscular, por exemplo. Porém, seus sintomas podem se apresentar como forma de fraqueza, dor muscular ou dificuldade para movimentar os braços e pernas.

Creatinina: Exame

O exame de creatinina é feito através da comparação entre o exame de sangue e urina.
O exame de creatinina é feito através da comparação entre o exame de sangue e urina.

Em geral, o exame de creatinina é feito através de um exame de sangue para avaliar a quantidade da substância no organismo.

No entanto, é através da dosagem da creatinina no sangue e na urina que podemos calcular a taxa de filtração glomerular, um parâmetro utilizado em exames médicos para avaliar a função renal.

Sabemos que a creatinina é filtrada principalmente nos rins, não sendo reabsorvida e eliminada pela urina. No caso de uma filtração deficiente, os níveis de creatinina no sangue aumentam, e por isso é utilizada como um indicador da função renal.

No entanto, esses níveis só se alteram quando as estruturas responsáveis pela filtração renal já tenham sido destruídas (néfrons).

Dessa forma, o teste não pode ser feito para detectar uma doença renal em seu estágio inicial. Assim, o teste de depuração ou clearance de creatinina oferece uma melhor estimativa da função renal.

Isso porque o clearance de creatinina pode estimar a concentração de creatinina no sangue usando outras variáveis, como sexo, idade, peso e raça, para comparar a quantidade de creatinina obtidos no sangue e também na urina.

Dessa forma, no caso de um problema nos rins, a quantidade de creatinina no sangue deverá ser superior à quantidade na urina, já que os rins não estão eliminando a substância.

Como o clearance de creatinina é calculado?

Os resultados obtidos no exame são usados para calcular a quantidade de creatinina retirada do sangue e eliminada na urina.

O valor obtido é comparado com a taxa de creatinina produzida no sangue, permitindo avaliar a quantidade de sangue filtrado em 24 horas.

A comparação entre a creatinina produzida e a quantidade de creatinina excretada é utilizada para avaliar a taxa de filtração glomerular (TFG) dos rins, a primeira etapa de formação da urina, para medir a função renal.

Todas versões desse cálculo incluem a medida da creatinina no sangue logo antes ou após a colheita de urina e a medida do volume de urina de 24 horas.

Como a quantidade de creatinina produzida depende da massa muscular, alguns cálculos levam em conta a área de superfície corporal, calculada a partir do peso corporal e da altura da pessoa.

A amostra de urina de 24 horas é necessária porque a quantidade de creatinina na urina varia durante o dia. Com isso, a dosagem de creatinina na urina de 24 horas fornece uma média capaz de indicar algo de errado no corpo. Da mesma forma, o exame de sangue para comparação deve ser feito no mesmo intervalo de tempo.

Sendo assim, o clearance de creatinina é calculado a partir da fórmula:

Dcr = (Ucr x V) / Pcr

  • Dcr = depuração de creatinina;
  • Ucr = níveis urinários de creatinina (medido em mg/dL);
  • V = volume de urina colhido em 24 horas;
  • Pcr = creatinina plasmática (presente no sangue).

Exame de creatinina no sangue

Na maioria dos casos, para fazer esse exame é necessário avisar o médico sobre medicamentos que estiver tomando, como cimetidina, aspirina, ibuprofeno ou cefalosporinas. Além disso, deve-se fazer jejum mínimo de três horas antes da coleta de sangue.

Exame de creatinina na urina

Neste caso, o exame é feito durante 24 horas, devendo armazenar toda a urina eliminada dentro do frasco dado pelo laboratório. Não sendo recomendável realizar o exame durante o período menstrual.

Durante a coleta, o paciente deve desprezar a primeira urina da manhã, anotar o horário em que ocorreu esta micção e a partir deste horário, coletar todas as urinas emitidas durante as próximas 24 horas no mesmo frasco (sem perder nenhum volume), mantendo refrigerada durante a coleta (não congelar).

O frasco deve ser encaminhado no período de 24 horas ao Laboratório no prazo máximo de 4 horas após o término da última coleta.

Resultados do exame de creatinina

Os resultados devem ser analisados pelo médico especialista que pediu os exames. Em casos de níveis de creatinina acima do normal, as causas podem ser as seguintes abaixo:

  • Obstrução do trato urinário;
  • Infecção nos rins;
  • Insuficiência renal;
  • Desidratação;
  • Lesão muscular grave (rabdomiólise);
  • Pré-eclâmpsia.

Resultados alterados

Alguns resultados podem ser alterados durante o exame nas seguintes situações abaixo:

  • Pessoas que utilizam suplementos contendo creatina podem apresentar níveis altos de creatinina no sangue, já que é um subproduto da creatina;
  • Atletas e pessoas saudáveis de massa muscular elevada podem apresentar taxas maiores de creatinina no sangue naturalmente, devido uma maior atividade muscular;
  • Idosos possuem menos massa muscular, sendo assim, a dosagem de creatinina pode estar naturalmente próxima ou abaixo do valor inferior da normalidade nessa faixa etária.

Referências externas:

Mayo Clinic

National Kidney Foundation

Labtestesonline

Sociedade Brasileira de Nefrologia

MSD Manuals

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.