Como salvar um casamento desgastado: Veja agora estas dicas!

2 3.141

Não é de um dia para o outro que o casamento fica desgastado, mas você pode, sim, aprender a como salvar um casamento desgastado desde já. É uma junção de coisas que se amontoam no emaranhado das discussões, da convivência e, às vezes, até da falta de diálogo. Entretanto, há sempre uma luz no fim do túnel e, se você chegou até aqui, é porque quer saber como salvar um casamento desgastado, porque já cansou dasconqui brigas e da infelicidade que um relacionamento frustrado pode trazer a sua vida.

É claro que, para que você inicie esse processo de salvamento da sua relação, você deve ter em mente todas as dificuldades e necessidades para que aquilo que já funcionou um dia, volte a fazer sentido. Faça essa leitura acompanhado ou acompanhada da pessoa com quem você deseja melhorar a relação. Se não for possível, encaminhe a página para que este alguém saiba também o que fazer para solucionar as questões e como salvar um casamento desgastado.

Uma atitude muito comum dos casais com problemas é, simplesmente, conceder a separação e seguir em frente. O que, obviamente, nunca funciona quando ainda existe muito amor. Vamos começar eliminando essa opção: se vocês ainda se amam, a separação não será a solução.

Existem diversos valores perdidos no caminho do relacionamento que levam ao desgaste. Se o casamento chegou a essa situação, a primeira coisa a se fazer é analisar onde está o erro, o que exatamente aconteceu no decorrer dos anos para que vocês, enquanto casal, encontrassem caminhos opostos ao da felicidade.

O amor precisa ser protegido, cuidado, despertado todos os dias. Um casamento é ainda mais delicado que um namoro: este, para que dê certo, é preciso uma conquista diária; o casamento para que dê certo, é preciso de um compromisso diário em manter tudo o que já foi conquistado.

 

Casamento desgastado frases

Dentre as principais frases dos casais que estão em um casamento desgastado, existe uma diversidade de pensamentos frustrados e impensados. É comum que as brigas e discussões se tornem parte do cotidiano quando alguns valores são ignorados. São eles:

  • Amor
  • Respeito
  • Carinho
  • União
  • Gratidão
  • Fidelidade
  • Lealdade

Não existe relacionamento sem respeito. Um dos maiores erros dos casais é estar junto para satisfazer a própria felicidade. É claro que você se casa para ser feliz, porque a outra pessoa lhe faz feliz. Mas essa não é – e não deve ser – a principal razão para se estar junto de alguém. Se você ama realmente, o que deve importar a você é a felicidade do outro. A partir do momento em que você está num relacionamento para fazer feliz e, não somente, ser feliz, a vida a dois se torna muito mais prazerosa e sincera.

Isso não significa que você tenha que fazer tudo pelo o outro, ainda mais se não existe um sentimento mútuo. O casal deve compreender que as duas partes precisam pensar dessa mesma maneira. Não adianta um se doar completamente ao casamento, se o outro ainda mantém o pensamento errôneo da felicidade mencionada ali.

Quando não há amor, ou quando ele acaba se apagando em meio ao dia-a-dia conturbado, do estresse com problemas profissionais ou financeiros, o respeito também acaba sendo danificado: é comum que, durante as discussões e brigas, o casal se exceda, passando dos limites cordiais da relação, utilizando um vocabulário baixo, jogando situações um na cara do outro, como se reavivar alguns erros fosse realmente solucionar alguma coisa. O que acontece é a competitividade de quem machuca mais. É muito triste.

O amor em defasagem, desencadeia a falta de respeito e, com a ausência deste, não há carinho. Quando não há carinho numa relação, a falta de toques, a falta de sexo, do interesse em satisfazer, de dedicar atenção e demonstrar afeto, o sentimento vai se perdendo cada vez mais. Uma vez que são ditas coisas ruins um para o outro, a lembrança disso também desencadeia a falta de vontade de ser afetuoso com o parceiro ou parceira.

Em seguida, um casal que já não se sustenta pelo carinho, torna-se desunido. Não conseguem fazer muitas coisas juntos e se isolam, enquanto casal. A falta de união também torna o casal incapaz de ser grato pelas atitudes comuns, como fazer um almoço, ter cuidados com a saúde e bem-estar do outro, preocupar-se em diversos sentidos. Nesse momento do desgaste, o casal não consegue ver as boas atitudes, um do outro, e ser grato.

E os problemas aumentam ainda mais quando o respeito está cada vez mais desfalcado com a perda desses valores. Um dos piores sinais de desrespeito é a infidelidade. A traição é a maior prova de que não há respeito no relacionamento, o que de fato, é o estágio final dos valores perdidos, acompanhado da falta de lealdade, quando não há mais confiança e motivos para ser leal ao parceiro ou parceira.

Para consertar e saber como salvar um casamento desgastado é importante saber lidar com algumas das frases comuns, que precisam de um cuidado maior do casal:

Impaciência e críticas dispensáveis

Muitos acabam cometendo erros gravíssimos quando o assunto é amar o outro. Todos somos humanos e erramos, e muita gente acaba esquecendo disso. E, é nessas situações que os defeitos e os erros do parceiro ou parceira acabam sobressaindo-se. Nem tudo deve incomodar, mas se existe algum defeito que te preocupa vindo do companheiro ou companheira, converse com ela. Mas se a questão é algo que pode ofender e machucar seu cônjuge, ignore. Simplesmente, ignore. O segredo de uma relação estável e paciente é, muitas vezes, ignorar detalhes que não agregam e podem ferir o outro.

 

Levar em consideração o que outras pessoas dizem

“Fulana me disse que eu deveria fazer isso em relação a você. Beltrano também pensa o mesmo.”

Não há nada mais terrível num relacionamento, do que ser alvo de pessoas invejosas e fofoqueiras. Sempre haverá situações como esta, quando o seu relacionamento é comentado por outras pessoas. Não considere a opinião de ninguém – ninguém mesmo. O que acontece dentro da sua casa só você e seu cônjuge sabem. Não há razões para deixar uma pessoa “de fora” opinar em algo que ele não vivencia. Isso pode destruir, com certeza, o seu casamento.

Não cuidar do relacionamento

“Não quero conversar agora, trabalhei o dia inteiro, tô cansada(o)”
“Amanhã, a gente conversa”

Quando o trabalho consome muito ou ainda quando é cômodo não fazer mais nada para cultivar a conquista e manter a chama da relação, cria-se um problema injustificável. É preciso reservar um tempo para o casal, antes que haja um esgotamento do relacionamento e do sentimento. Triste mesmo é quando o casal se dá conta que não precisa mais, um do outro, para encontrar a felicidade.

Traição

Não é necessário falar muito sobre isso. Quando as coisas começam a dar errado, algumas pessoas tendem a fugir dos problemas, sem pensar que podem estar criando outros. A infidelidade é a principal razão pelas separações. Arrepender-se e tentar ser melhor, é uma maneira de buscar o perdão e mudar a situação do casamento. Mas é importante saber que, uma vez que a traição existiu, o relacionamento nunca mais será o mesmo. Confiança é a base de todo e qualquer relacionamento. Sem ela, não há estrutura para a edificação de qualquer relação.

Ausência de afeto e romantismo

Quando as pessoas querem saber como salvar um casamento desgastado, o ideal é que elas percebam o que elas já fizeram, fazem ou deixam de fazer pelo companheiro ou companheira. Existem diversas formas de demonstrar afeto e romantismo: mimos, bilhetinhos ou recados carinhosos, escrever cartas, trazer chocolates, passar no mercado depois do trabalho e preparar um momento a dois com vinho e algo diferente, só para sair da rotina, enviar mensagens – no celular mesmo – são diferenciais que auxiliam, e muito, a manter o relacionamento mais romântico e afetuoso.

Não dialogar e tentar solucionar os problemas

“Deixa pra lá…”

Ainda que sejam os menores problemas possíveis, não se pode ignorar nenhum deles. É importante compreender que aquilo que é nada para você pode ser muito para o outro. É preciso conversar e tentar resolver a situação de maneira agradável, mesmo que não entenda completamente as razões do outro, mas saber que aquilo é importante para ele e dialogar. Quando isso não acontece, os problemas vão se transformando em uma bola de neve, e uma hora ou outra, ela acaba explodindo na pior crise de casamento.

Convivência exagerada

“Sozinha(o), você não vai.”

Viver em função do outro, 24h por dia, e ainda não sair com familiares ou amigos, visitar entes queridos ou as amizades mais próximas, pode se tornar num pesadelo, ao invés de algo bom. Proibir seu companheiro ou sua companheira de fazer isso, também é um fator potencializador do excesso de convivência. Estar com a pessoa amada o tempo inteiro não significa ter um casamento saudável.

Excesso de ciúmes

Ciúme é o sentimento mais comum do mundo. É normal sentir ciúmes, mesmo que muita gente diga o contrário. O que não é normal é sentir ciúmes das saídas ao shopping, do futebol, das amizades, do tempo no cabeleireiro, da família e principalmente dos amigos. Isso não é nada normal! Se existe um caminho fácil de destruir uma relação é tendo ciúmes absurdos. Em último caso, se não está conseguindo evitar sentir isso, é importante propor situações que auxiliem o processo da confiança, como sair juntos. Mas não esqueça que ninguém é feliz convivendo 24h por dia, sem a presença de amigos e pessoas queridas.

Ausência da confiança

“Onde você estava? Com quem? Quem são essas pessoas? Por quê?”

Ficar procurando motivos para grandes discussões, questionar demais, proibir situações, vasculhar o celular e redes sociais, ficar preso ao passado, são condições adversas ao bom relacionamento. Esse tipo de atitude revela a falta de confiança do casal, e pode ser um desencadeador da separação. Se o problema é o passado, é simples: já foi, já passou. A melhor atitude a se fazer é ocupar a mente quando os pensamentos em relação a coisas passadas, em que você não tem domínio nenhum, para evitar discussões desnecessárias e tentar esquecer problemas ou histórias que não fazem mais parte da vida do casal.

Objetivos diferentes

Quando as intenções e planos dos dois se encaixam e são até mesmo muito parecidos, todos ficam satisfeitos e felizes, motivados a prosseguir o caminho pretendido aliado ao casamento. Em outros momentos, quando as metas acabam entrando em conflito, sem um encaixe necessário, o relacionamento acaba sofrendo o desgaste e o casal se desencoraja e se desmotiva a continuar o percurso. É muito importante que ambos tenham apreço pelas mesmas intenções em relação a vida.

Autoconfiança exacerbada

Muitos acreditam que depois de casados, o sentimento e relacionamento está ganho, sem precisar mais se esforçar para manter a boa convivência e a admiração do outro. É importante fazer surpresas e continuar a conquista, de forma diária, para que se mantenha o acalento do que se sente. Descuidar das coisas que prezava anteriormente é uma forma de ir esfriando a relação. Por isso, quando o casamento está desgastado é válida qualquer atitude a fim de se obter a recuperação do carinho e admiração do companheiro ou companheira.

Agora que você já entendeu os principais erros que podem desencadear problemas gravíssimos na relação, já pode se considerar mais preparado em como salvar um casamento desgastado.

 

Carta para relacionamento desgastado


Uma maneira doce e sincera de reavivar o casamento desgastado pode ser através de uma carta. Nada mais bonito do que escrever com suas próprias palavras, mas se as ideias faltarem, tome como exemplo, o seguinte:

“Você sabe o quanto tenho dificuldades para escrever esse tipo de carta, ainda mais porque estou começando ela pedindo desculpas. Eu acho que você tem razão, sou um pouco exagerado(a), e posso estar fazendo exigências demais, querendo coisas que eu sei que você sempre me dá.

Por isso, a verdade é que eu queria te fazer uma proposta, para que a gente parasse de brigar tanto, e que tentássemos uma trégua, para voltar aquela época em que a gente se dava bem, e se entendia. Aquela época em que o nosso amor era intenso, o carinho verdadeiro e nos desejávamos toda a hora.

Você é muito amada(o) por mim, e nem faz ideia disso. Por isso, quero voltar a ser teu (tua) completamente, sem as brigas, sem os desentendimentos, querendo também que você volte a ser minha(meu) completamente, como já fomos um para o outro, e não faz tanto tempo.

Acredito que tenha razão, que eu ando cobrando demais, que preciso melhorar. Você pode me ajudar, e eu me comprometo a manter o controle, antes que eu acabe te perdendo, e tendo que aprender a lidar com essa dor que deve ser não ter você. Quero satisfazer suas vontades e te fazer mais feliz, todos os dias, começando por este escrito, em que eu posso confessar meus erros e defeitos, que acontecem de vez em quando por eu simplesmente ser apaixonado(a) por você.

Meu amor, vamos reencontrar os momentos maravilhosos que já tivemos, quando tudo o que importava a nós eram as sintonias que os nossos corpos tinham, a vontade de ter você para sempre, o carinho que tínhamos um com o outro, sem brigas, sem se magoar, sem perder a cabeça.

Lembre-se de que tudo aquilo que eu te desejo é verdade, vindo do coração, para te sentir minha (meu) de novo. Não medirei esforços para me transformar no melhor de mim para você, e que logo, possamos voltar a nossa felicidade que era rotina.”

Recuperar casamento perdido

Casamentos que já buscaram todas as possibilidades que podiam para o trabalho com os problemas e não conseguiram a melhora tão esperada, acabando desistindo de tentar. Acontece que, de repente, eles estão emparedados em uma mágoa profunda, com erros e palavras acumuladas, ou ainda por uma crise turbulenta no relacionamento.

Estes casais estão em esgotamento, as ferramentas e energias estão muito baixas, e isso é muito perigoso. Em diversos momentos, eles se sentem machucados, fracassados, e tentam buscar os conselhos de amizades e pessoas que entendam do assunto para acalmar o desespero por uma solução O que se questiona é se eles devem mesmo continuar procurando melhorar o casamento ou se é importante que eles se distanciam, ou até mesmo desistam. É por isso que, os casais em crise que querem recuperar o casamento necessitam de um trabalho cooperativo, aliado a questões de extrema relevância para a saúde do relacionamento.

Casamento desgastado pela rotina

Geralmente, quando a rotina é marcada por estresse e situações monótonas, o casal acaba criando momentos maiores de angústia, o que pode ser ponto propício a hostilidades, que vão dominando a relação. Discussões por razões fúteis surgem, há a incapacidade de encontrar no outro algo que seja importante ouvir. Há uma interrupção da fala do outro, tornando inválidas as conversas, e ainda deixando de lado o respeito em situações de gritos um ao outro.

Então, a melhor maneira para trabalhar com essa característica hostil vinda pelo desgaste da rotina, é trazer a lembrança dos momentos bons. Sair da rotina parece clichê, mas é o óbvio a se fazer. Estabeleçam momentos prazerosos para concluírem juntos. Lembrar daquilo que foi vivido – e que foi bom – reaviva as emoções boas que guardamos. Aquilo que incomoda, aos poucos vai se afastando, e de repente, ao olhar um para o outro, de forma imediata, a boa lembrança se encarrega de guia-los aos momentos bonitos e satisfatórios de suas histórias, tornando o momento difícil, simplesmente, mais um desafio que pode ser concluído e deixado para trás. Ainda que, em alguns momentos, essa situação se repita e se reinicie, é possível sempre resgatar essas lembranças boas para que fique em evidência aquilo que uniu o casal, e que, por ventura, está um pouco esquecido na memória. É importante sempre lutar por quem se ama de verdade.

Como salvar um namoro que está quase no fim

É natural que as pessoas sem muita maturidade retomem aos erros de muito tempo passado. O que ocorre é que o problema já passou, e não deve ser trazido para questões presentes. O erro cometido no passado deve ficar no passado, simples assim. Problemas sempre surgirão, mas devem ser solucionados no momento em que ocorrem, sem ficar remoendo ou guardando mágoas, rancores.

Seja maduro, perdoe, e pense que os erros também podem construir um relacionamento de maior força.

 

Confiança

Ainda que existam mágoas, irritações e discussões irrelevantes, sempre existirá uma pequena chama de confiança que pode resgatar o relacionamento. Fazer com que essa chama continue acessa é que se torna um desafio para a maioria dos casais.

Caso exista, por exemplo, uma infidelidade por parte de alguém, este deve iniciar um processo de reconstrução da confiança de forma lenta, com pequenos passos:

  • Recordar uma tarefa diária;
  • Confiar uma atividade prática da casa para o outro;
  • ter momentos juntos fazendo algo que seja de interesse mútuo ao casal;
  • confiar segredos
  • agir de forma paciente;

O tempo sempre será um aliado nesses casos, até porque não tem como aguardar por um relacionamento recuperado de um dia para a noite. É preciso muita calma, compreensão, tranquilidade e paciência.

Responsabilidades ao invés de culpados

Dizer que ele ou ela é culpado é muito fácil e perturbador. Esse tipo de atitude corresponde a pessoas com mágoas, e não de pessoas que gostariam de permanecer juntas. Brigas são eventos corriqueiros de casal que gosta de apontar seus erros um para o outro. É importante que se assuma a responsabilidade. Ambos conseguem um cenário melhor da convivência quando contribuem individualmente no momento de assumir os erros. Em alguns casos, leva-se tempo para alcançar esse patamar. Mas é preciso chegar até esse ponto.

Como recuperar um relacionamento em crise

 

Ouça o seu companheiro/companheira

Quando um dos dois está falando, não importa o tom que utilize, o outro deve olhar e ouvir atentamente. Ainda que não haja um acordo, é claro que o que o outro está dizendo ainda é relevante. Os casais podem interromper, falar mais um que o outro, descartar ou minimizar problemas. Entretanto, esses comportamentos param no momento em que o casal fica estagnado e reflete a atenção para o que o outro está falando. É preciso saber escutar, falar no momento correto, e não extrapolar as conversas aos berros, destorcendo as frases e comentários, disparando uma briga. Quando um dos dois está chorando e não consegue falar, o outro tende a acalmar o companheiro(a) até que possam voltar o diálogo. Portanto, o autocontrole é possível e fácil para quem tenha vontade de melhorar.

Preocupações com o parceiro/parceira

Aos parceiros que não conseguem confiar e se apoiar no outro, sem importar o tempo dessa ocorrência, ainda se importam com o outro. Isso demonstra a capacidade de considerar e revelar isso ao companheiro(a), por meio da linguagem corporal ou expressões do rosto. Compaixão e empatia são fundamentais para que quaisquer problemas tenham resolução e sejam diferenciais na trajetória do casal.

Eliminando os graus agressivos da tensão

Qualquer tipo de agressão é imperdoável. Se as discussões chegaram ao limite das agressões físicas, cuidado. Nada justifica nenhum tipo de agressão. O fato é que, a gente sabe quando deve parar. A agressão começa pelas atitudes que ofendem, pelas palavras pesadas na intenção de ferir. Não deixe que isso desencadeia agressões maiores. Infelizmente, saber que existe esse limite nem sempre consegue evitar que o casal se estenda nos impulsos agressivos. A tentativa de reduzir atos agressivos deve ocorrer antes de um mencionar ao outro algo que tenha o intuito único de promover mágoas. O casal precisa ter em mente as mesmas memórias compartilhadas em relação ao carinho, ao cuidado, que determinadas palavras podem ofender, ferir ao ponto de nunca terem o perdão, ou que algumas atitudes do passado podem provocar machucados muito, mas muito profundos.

 

Como salvar um casamento em 40 dias

Algumas atitudes diárias devem ser aplicadas no decorrer desses 40 dias. Utilize-as sabiamente, mantendo um pensamento positivo em todas as suas ações, a fim de compreender que os seus atos auxiliarão de forma efetiva a salvar o seu casamento. Siga as instruções, de coração aberto, sem deixar que alguma atitude se perca no meio do processo:

1º ao 7º dia – a primeira semana é a mais difícil, quando você terá que mudar radicalmente alguns hábitos como a falta de paciência, o egoísmo e circunstâncias que tanto atrapalham a convivência; esse é o momento em que é preciso deixar para trás quaisquer mágoas; durante essa primeira semana, todos os dias, dedique-se, todo o dia, a fazer algo novo para você e sua parceira (ou parceiro); pode ser um elogio, perceber uma atitude simples, e reconhece-la; e sobretudo, tente fazer algo corriqueiro junto com ela/ele – assistam um filme juntos; façam alguma coisa que ambos tinham costume de fazer no começo do namoro, por exemplo;

8º ao 14º dia – a segunda semana é marcada pelo aprimoramento do seu pensamento; a partir do momento em que você muda a maneira como pensa, tornando os pensamentos todos positivos, ao invés de reclamar e pensar que nada vai dar certo, as coisas melhoram de uma maneira incrível; nessa segunda semana, você pode continuar com os hábitos da primeira, acrescida de pequenos recados ou bilhetes demonstrando afeto e atenção, revelando as razões pela qual estão juntos;

15º ao 22º dia – na terceira semana; convide o seu parceiro ou parceira para uma conversa, em um ambiente legal, diferente, em que vocês possam dialogar sem perder o foco dos objetivos pretendidos com isso; recordem os bons momentos, as vitórias, as conquistas enquanto casal, e relembrem partes do futuro que ainda estão planejando; se precisar voltar em algo que aconteceu de ruim, lembre-se apenas de dizer que está disposto ou disposta a esquecer tudo o que foi ruim e começar do zero;

23º ao 30º dia – a quarta semana pode ser o momento em que vocês planejem e realizem uma pequena viagem ou passeio num fim de semana; simplesmente, para relembrar a importância de estarem juntos e o quanto vocês fazem bem um ao outro; relembrem o quanto é bom estarem juntos; e façam, todos os dias dessa semana, um plano diferente para o futuro;

31º ao 38º dia – a quinta semana se destaca pelo maior cuidado com o carinho, o afeto e a segurança que cada um precisa passar para o outro; o toque, durante todos os dias dessa semana, deve ser imprescindível, cauteloso e com o intuito de satisfazer o outro, e não apenas a si mesmo;

39º dia – o penúltimo dia pode ser marcado por uma carta de compromisso e lealdade escrita por ambos; vocês podem anotar algumas necessidades diárias para a mudança da rotina, tanto atitudes quanto maneiras de melhorar a convivência, alertando pontos a serem cuidados e pontos a serem feitos sempre, pois agradam aos dois;

40º dia – Realizem um dos planos escritos durante as semanas anteriores; e prossigam a caminhada de forma consciente, paciente, compreendendo sempre a atitude do outro, e procurando sempre as melhores formas de solucionar os problemas;

Como recuperar um casamento acabado

São 5 passos muito simples e sinceros que podem recuperar um casamento acabado. É preciso, em todo o caso, ter em mente que os passos a seguir auxiliaram apenas se você estiver determinado(a) a salvar o casamento. Tentar, muitas vezes, não é conseguir. Por isso, busque compreender todos os pormenores da situação e queira, verdadeiramente, atingir o seu objetivo. Mantenha o pensamento positivo e atitudes positivas, sempre.

1º passo – Tenha atitude

Essa iniciativa deve partir das duas pessoas envolvidas nesse casamento a ser recuperado. Lembre-se que, possivelmente, vocês estão afastados e desgastados, e, portanto, têm muito o que fazer por aqui. Combinem um encontro, e que este seja o ponto de partida. Você ou o seu parceiro(a), dê o primeiro passo, ligue, marque. Conversem, encontrem-se em um lugar novo, diferente, bonito para tentar se entender. Tenham em mente que a intenção é solucionar e não acarretar ainda mais a situação. Por isso, destaquem-se pelas atitudes boas.

2º passo – Não relute em fazer esforços

Nem sempre será logo na primeira tentativa que vocês conseguiram solucionar os problemas acumulados em vários anos. Nem teria como isso acontecer. Lembre-se que este é um momento delicado para ambos, e que a única coisa a se fazer é manter a paciência e não desanimar. O casal tem que entender que devem, cada um, fazer a sua parte. Não adianta um ceder, apenas. Se você achar que está trabalhando nessa relação sozinho, dê-se um descanso, reflita, mas não desanime. O orgulho pode ser o motivo de muito problema, e não deve ser maior que o sentimento bonito que vocês já sentiram intensamente, e que poderá, sim, ser reanimado.

3º passo – Livre-se do egoísmo

Como já dito, é preciso ceder. O egoísmo só desgastará ainda mais o relacionamento. Portanto, pensar apenas em você mesmo, sem olhar as atitudes e tentativas do outro é uma forma de atrapalhar, e muito, o andamento da recuperação do casamento. Tenha em mente a família, os planos, e a vontade de ser feliz novamente. Compreenda, esteja disposta(o) e converse. Faça elogios, relembre as qualidades do outro e demonstre importância em todas as questões relacionadas a vocês.

4º passo – É importante ceder, algumas vezes

Ao tentar o resgate da relação e do sentimento, será preciso ceder, em algum momento, ainda que o outro esteja errado. Em pouco tempo, será possível que o outro mesmo entenda onde está errando e admita os erros.

5º passo – Arrependimento

Sempre que errar, reconheça as atitudes ruins e defeitos que te levaram a tomar algumas atitudes. Mostre esforço para resolver situações e mudar comportamentos que são ruins para o outro. Logo, o outro também reconhecerá tudo aquilo que está fazendo e, consequentemente, fará também.

Recomendados Para Você:

2 Comentários
  1. Paulina Magalhães Pessoa Diz

    Maravilhosa esta reportagem.Obrigada, por transmitir tanto conhecimento e esperança.

    1. Equipe Terceira Idade Diz

      Agradecemos seu comentário Paulina!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.