Como curar herpes labial em 1 dia

0 19.853

O herpes que acomete os lábios pode ter duas razões específicas, que são destacadas pelo vírus tipo 1 e o vírus tipo 2. Aqui, você entenderá a diferença entre as categorias e como curar herpes labial em 1 dia. São eles:

TIPO 1 – Herpes simples (HSV-1)

De forma geral, este vírus se associa a infecções labiais, do rosto e da boca. É um elemento comumente em ataque a diversas pessoas, principalmente na infância – com o seu primeiro contato.

O HSV1 é de forma frequente o motivo de ferimentos na boca, podendo acometer os lábios e o interior da região bucal, em sintomas de aftas ou, ainda, infecções nos olhos – como as de córnea ou conjuntivite. Também podem desencadear infecções cerebrais como a meningoencefalite.

É possível ter transmissão através de contato com infecções salivares. Grande parte das pessoas têm a contração do herpes labial ainda em fase infantil, ao receber um beijo de familiares ou amigos.

TIPO 2 – Herpes simples (HSV-2)

De modo geral, a transmissão acontece pelo sexo. O HSV-2 acomete o organismo com pruridos, bolhas e até mesmo ferimentos nos genitais e úlceras. Contudo, determinadas pessoas que portam o HSV-2, não destacam nenhum sintoma da patologia – a latência.

O cruzamento de infecção do vírus tipo 1 com o 2, pode ter seu acometimento caso ocorra contato oral com as partes sexuais. Portanto, é possível ter o contágio do herpes dos genitais nos lábios e boca ou vice e versa – oral em região dos genitais.

Herpes labial: o que é?

O herpes que acomete os lábios trata-se de uma infecção por vírus que é contagioso, prejudicando os lábios, gengivas e boca.

O vírus que gera essa condição é denominado herpes simples. A patologia se caracteriza, de modo geral, pelo aparecimento de pequenas e doloridas bolhas nas regiões em questão.

Ainda que muitas pessoas portem o vírus do Herpes, é possível que a patologia não se manifeste em determinados públicos. Ao passo que a patologia tem manifestação, é possível acometer condições de picos da patologia em várias vezes por ano.

Fases de infecção

Posteriormente ao vírus acometer o organismo com a infecção, ele está propenso às seguintes etapas:

Infecção primária

Este é o momento em que o vírus penetra a mucosa ou a pele e faz sua reprodução. Ao longo dessa etapa, é possível acontecer o desenvolvimento de sinais ou ferimentos na boca, além de febre.

Entretanto, este vírus pode não acometer nenhuma lesão ou sinais, e dessa forma tendo a denominação de infecção assintomática. Infecções assintomáticas acontecem 2x mais que a patologia com os sinais característicos.

Latência

Nessa situação, o vírus se movimenta para as regiões de tecidos nervosos, denominada de gânglio da raiz do dorso. Este elemento faz sua reprodução, na coluna, de novo e permanece sem atividade.

Recorrência

Ao passo que você esteja submetido a determinados estresses físicos ou emocionais, o vírus pode estar em atividade novamente e desencadear novos ferimentos e sinais.

Fatores que causam o problema

O herpes labial é motivado pelo vírus denominado herpes simples 1 em grande parte das situações, porém, o vírus do herpes simples 2 (HSV-2) que é o motivo primordial do herpes dos genitais, é possível também acometer o organismo com o herpes dos lábios.

Infecções iniciais possibilitam a não apresentação de sinais ou aparecimento de bolhas nos lábios e boca. Entretanto, o parecer comum do vírus é continuar de forma latente em tecidos nervosos da face, em uma variação de tempo.

Grande parte da sociedade disponibiliza anticorpos que agem em combate ao vírus e, raramente, desencadeiam sinais clínicos. Em determinados indivíduos, o vírus retorna a atividade e faz a produção de ferimentos com recorrência que surgem de modo geral em mesma região.

O que pode elevar os riscos da condição que faz com que o herpes surja, têm a inclusão de:
Manter contatos íntimos e o compartilhamento de peças de roupas e objetos com aqueles que já disponibilizem o herpes dos lábios;

  • Patologias que tornam o sistema imunológico debilitado, assim como o câncer e o HIV – AIDS
  • Relações sexuais sem o uso de preservativos;
  • Menstruação;
  • Muito tempo exposto ao sol;
  • Fatores estressantes;
  • Diversas infecções

Sinais do Herpes labial

É comum que o vírus da herpes labial acometa as seguintes condições adversas:

Prurido

Diversos indivíduos costumam sentir pruridos, ardências e formigamentos em volte da região dos lábios, momentos antes – ou até mesmo um dia – de que se inicie o processo de erupção de bolhas pela boca.

Bolhas

As bolhas que acometem o organismo são pequenas e cheias de líquidos, aparecendo, de modo geral, na região labial. Os ferimentos causados pela herpes dos lábios também possibilitam a ocorrência das bolhas em volta da região das bochechas e do nariz.

Cicatrização

Essas pequenas bolhas iniciam o seu desaparecimento, causando úlceras em aberturas rasas para, em seguida, cicatrizarem.

Os sinais principais do herpes de lábios são, também, o fator primordial de aparecimento de pequenas bolhas, vermelhas e incômodas em volta da boca.

Infecções do herpes dos lábios possibilitam a semelhança de mesmos a cenários de herpes dos genitais. Os primeiros momentos da herpes dos lábios podem ter reflexo leve ou gravíssimo e, de forma geral, acontece em crianças de faixa etária entre 1 a 5 anos.

Esses primeiros sinais ocorrem em primeiros 15 dias e permanecem dias posteriores ao contato com o seu desencadeador.

Dores de gargantas e febres em até 5 dias são possíveis de acontecer anteriormente ao surgimento de bolhas, assim como gânglios na região do pescoço.

Sinais como prurido, queimação, formigamentos ou sensibilidades maiores que possibilitam a ocorrência em uma média de dois dias anteriores ao surgimento de ferimentos, que geralmente surgem logo na boca, gengiva, garganta ou na face. Algumas pessoas também podem ter a sensação de dor ao engolir.

Situações após o herpes dos lábios ocorrerem têm o hábito de serem mais brandas, e os sinais acontecem com menor intensidade. Expor-se ao sol, menstruar, fatores estressantes, são desencadeadores de crises do herpes dos lábios.

Erupções, de forma geral, têm o envolvimento de:

  • Ferimentos ou erupções nas peles da boca, gengiva e também nos lábios;
  • Bolhas em regiões com elevação, doloridas e avermelhadas;
  • Bolhas que se compõe, rompem-se e promovem a liberação de fluidos;
  • Crostas amareladas que costumam soltar e disponibilizar uma pele rosada após cicatrizarem;
  • Diversas bolhas em tamanho pequeno que fazem a união para compor bolhas maiores;

Tratamentos para Herpes nos lábios

Caso não exijam tratamentos, os sinais de modo geral, surgem entre 7 a 14 dias. Remédios antivirais que são ingeridos oralmente possibilitam o auxílio dos sinais que são eliminados de forma mais rápida e alívio de dores.

As lesões de herpes reaparecem de forma corriqueira. Os remédios antivirais têm seu funcionamento de forma aprimorado caso sejam ingeridos ao passo que o vírus esteja iniciando seu retorno, anteriormente ao surgimento de feridas. Caso o vírus retorno frequentemente, o especialista fará a recomendação ainda de que faça a ingestão de remédios de forma constante.

Herpes labial tratamento aciclovir

Pomadas antivirais tópicas possibilitam o tratamento da condição, porém devem ter a aplicação a cada 2h. Algumas têm o costume de fazer a redução de tempo de erupção entre várias horas até dias, em situações de herpes.

Fazer compressas com soluções antissépticas que não agridam a pele, caso haja necessidade, cuidando para não eliminar as crostas, é uma forma de tratar o herpes, visto que desencadeiam retardo de cicatrização e sangramentos.

Os remédios mais utilizados para tratar a herpes labial correspondem a:

       
  • Canditrat
  • Aciclovir
  • Nistatina – solução
  • Ezopen – creme

Apenas um especialista é capaz de receitar o melhor remédio para a situação. De mesmo modo, só ele é capaz de receitar a posologia e dose a ser consumida adequadamente, bem como o tempo de tratamento. Seguir à risca as recomendações do especialista e jamais se automedicar são dicas imprescindíveis para o tratamento.

Não existe uma cura específica para infecções motivadas pelo vírus da herpes. Como em determinadas situações, a patologia não apresenta sinal algum, é possível que dificultem o tratamento. Contudo, ao passo que tenha o tratamento de modo correto, o portador do vírus pode ter uma vida tranquila, sem dificuldades ou complicações.

Possíveis fatores de complicações

Caso não tenha o tratamento adequado, é possível que o herpes nos lábios desencadeie as condições de:

  • Recorrências da patologia nos lábios;
  • Herpes espalhado para outras regiões da pele – como olhos;
  • Bactérias que infeccionam a pele de forma secundária;
  • Infecções generalizadas – que devem ter o diagnóstico de forma rápida pelo especialista
  • Morte – para pessoas que disponibilizem de imunossupressão; dermatite atópica, HIV e câncer;
  • Cegueira.

Adesivo para herpes labial funciona?

Tratamentos com adesivos para o herpes labial são discretos, geralmente em embalagens transparentes com elementos hidrocoloide-075, que permite que o ferimento do herpes fique escondido e protegido. Ele tem seu disfarce por baixo da medicação adesiva, cicatrizando de maneira natural.

A lisina, componente de alguns adesivos, trata-se de um aminoácido que age naturalmente em nosso organismo, responsável por uma diversidade de funcionalidades, também proporciona o desligamento do herpes.

Como secar ferida na boca rápido?

A partir de truques simples cientificamente comprovados, e de forma natural, é possível acabar com o herpes dos lábios em somente uma noite. Essa dica corresponde a como curar herpes labial em 1 dia, sendo que o paciente terá apenas de fazer uso do alho – antibiótico natural – que tem a capacidade de desligar a ação do elemento desencadeador, que pode ser fungos, vírus e bactérias.

O alho disponibiliza elementos nitrogenados, vitamina C, D, B, magnésio, selênio, sódio, sulfuro de hidrogênio, potássio, silício, ácido fosfórico e óleos essenciais. Ainda, ele compõe alicina, conforme investigações, que possui efeito contra as bactérias e auxilia a cura rápida de infecções.

Várias pesquisas, trazem a segurança de que o alho pode ter o funcionamento melhor que elementos antibióticos de farmácias, com a inclusão do fato de não possuir efeito colateral.

O alho auxilia também a aprimorar a circulação do sangue, fazendo a prevenção de problemas do coração. A recomendação é para portadores de diabetes, auxiliando na redução do colesterol, em combate aos radicais livres, para o auxílio da prevenção de uma diversidade de patologias.

A dica é picar ou triturar bem o dente do alho. Depois disso, colocar o alho moído direto no herpes labial ou lesão. Caso o herpes seja extenso, deve ser reiterado a maneira de trata-lo, diversas vezes, com fragmentos do alho.

É importante deixar o alho moído em ação por 10min e depois enxaguar com água em temperatura morna. Há a possibilidade de que o medicamento natural provoque pruridos, ardências ou sintomas que podem desaparecer rapidamente. Ainda, o alho possibilita o alívio da dor de forma imediata e ainda elimina o herpes nos lábios em poucas horas.

Caso não haja a eliminação, a recomendação é repetir a mesma ação em períodos noturnos, até que se obtenha resultados positivos.

Outra alternativa é composta pela aplicação da pasta do alho, cobrindo-a com gazes e deixando em ação ao longo da noite. No dia seguinte, é importante fazer a lavagem do herpes e perceber como estará seco de forma significativa.

Outra dica interessante que pode auxiliar a como curar herpes labial em 1 dia  é fazer o uso de bicarbonato, misturando o produto em água e aplicando-o sobre a pele prejudicada pelo vírus.

Para secar o herpes dos lábios, o interessante é também utilizar água oxigenada. Isso fará com que o herpes seja eliminado da região labial.

Como disfarçar herpes labial?

As lesões da herpes nos lábios podem ter aspecto bem feios, promovendo sensações desconfortáveis ou constrangimentos, de forma principal, quando está próximo a alguma data importante, como encontros ou reuniões específicas.

Ainda que grande parte dos ferimentos suma em virtude do tempo – após semanas – é possível fazer o uso de maquiagens e outros elementos estéticos para o disfarce completo.

Primeiro passo

Aguarde pelo fechamento parcial da feridade, com casquinha para que possa passar maquiagens. As lesões com aberturas liberam pus e outras substâncias do procedimento da cura. Se você passar os produtos de maquiagens por cima do ferimentos antes de criar a casca, é possível que elas piorem e demorem tempo maior para se curar.

Segundo passo

Faça uso de corretivos na cor amarela, grossa e cremosa e outro do tom da pele. Estes elementos corretivos não são da forma líquida, e se destacam em pequenas porções e concentrações. O produto de correção em amarelo é utilizado para a neutralização dos vermelhos da condição, ao passo que o tom da pele auxilia a esconder o ferimento.

Terceiro passo

Utilize esponjas descartáveis para a aplicação do corretivo em tom amarelo de forma direta na lesão. Inicie com quantitativos pequenos e prossiga fazendo acréscimos de corretos, de acordo com a necessidade.

Quarto passo

Utilize pincéis descartáveis em tamanho pequeno ou, ainda, uma bola pequena de algodão para espalhar o pó por cima do corretivo. O pó compacto irá tornar a cor mais neutra e auxiliará o assentamento.

Utilize outra esponja limpa e descartável para a aplicação do corretivo da cor de pele de forma direta na lesão. É importante passar o corretivo em movimentações curtas e rápidas.

Quinto passo

Utilizar o pincel para a passagem de nova camada em cima do corretivo do tom da pele auxilia a disfarçar com melhor resultado. E depois de todo esse procedimento, elimine todos os materiais que foram utilizados, de forma imediata. Isso evitará que o herpes retorne.

Disfarçando o herpes nos lábios

Aguarde até que a lesão esteja curada de forma parcial ou já sendo composta por cascas para que maquiagem seja passada. As lesões com aberturas liberam pus e demais fluidos, como já mencionado.

Opte pelo batom em coloração natural da boca. Os produtos com colorações artificiais em tons mais escuros chamam muito a atenção e desencadeiam a elevação da lesão.

Se a lesão estiver avermelhada ou em tom escurecido, tente utilizar um batom que se assemelhe ao tom da ferida.

Depois, é importante passar o batom de forma delicada em cima da mão. Dessa forma, você pode aplicar a cor na boca com o auxílio de um cotonete, de modo a evitar que o vírus contamine o produto.

Elimine o cotonete, de imediato.

Dicas para cobrir o herpes

  • Passar o lápis, o rímel e as sombras para o desvio de atenção nas lesões da face ou dos lábios é uma ótima ideia. boca. Em grande parte das situações, utilizar maquiagens chamativas na região dos olhos pode ser um truque para disfarçar as possíveis falhas no restante do rosto.
  • Comprar adesivos para herpes é sempre uma ótima dica. Eles conseguem disfarçar e, ao mesmo tempo, tratar a ferida do herpes. Alguns modelos são próprios para que se passe a maquiagem por cima deles.
  • É possível utilizar bandaids líquidos para o disfarce das lesões. Passar um pouco de spray na parte não aderente, como papel de cera, plástico filme ou a parte interna do band-aid. Após isso, faça a remoção do aparato e disponibilize o spray por cima e em volta da lesão.

Alimentação que ajuda a eliminar o Herpes labial

Os alimentos para herpes são aqueles produzidos, geralmente, com elementos fonte de aminoácidos em lisina, assim com o frango, a carne, o leite e derivados e o peixe.

A lisina auxilia na redução do vírus multiplicado e, em virtude disso, a redução da gravidade e redução do surgimento de lesões motivadas pelo vírus da herpes.

Para a prevenção de herpes, é importante consumir menos os alimentos com arginina, que é um aminoácido para o estímulo de réplicas do vírus, promovendo o aumento de crises frequentes.

Algumas dessas alimentações são a granola, aveia, amendoim, amêndoas, gérmen de trigo e castanhas.

Outro parecer relevante é não consumir o café e alimentação rica em açúcar ou farinhas como pães brancos, chocolates, refrigerantes e afins.

Ainda, além de alimentação que é proibida nesses casos, é relevante que se evite o fumo, a ingestão de álcool e exposição ao sol em excesso, pois fazem com que o sistema imunológico enfraqueça e torna a pele frágil, favorecendo que o vírus se manifeste.

Os suplementos nutricionais de lisina são opções para tratar de forma preventiva o herpes, ao passo que os alimentos não tenham suficiência para a redução da recorrência dos sinais da patologia.

Nessas situações, o consumo de 500mg de lisina, todos os dias, possibilitam a supressão do elemento que desencadeou a patologia e é, geralmente, receitado pelo especialista de Nutrição.

Pode ainda ser receitado 1000 a 6000mg, todos os dias, para tratar fatos recorrentes. Ainda, o especialista poderá complementar o receituário com suplementação que tenha vitamina E e C, ômega 3 e zinco, conforme a faixa etária e detalhes em relação ao organismo do portador da patologia.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.