Cisto sebáceo: Virilha, Rosto, Tratamento Caseiro

Um cisto sebáceo não é considerado, na maior parte dos casos, um sério problema de saúde, mas mesmo assim merece a devida atenção.

0 2.499

No artigo de hoje queremos falar sobre cistos sebáceos. Se você sofre com isso, é bastante provável que sua primeira dúvida seja: “eles são perigosos?” Nesse caso, ficará feliz em saber que um cisto sebáceo não é considerado, na maior parte dos casos, um sério problema de saúde.

Os cistos sebáceos geralmente são inofensivos. E, embora desagradáveis e antiestéticos, podem causar um grande desconforto e dar lugar a outras moléstias se estiverem infectados. Portanto, é necessário ter o máximo cuidado quanto à sua manipulação indevida, à medida que isso poderia provocar infecções e causar complicações ainda maiores.

O que é um cisto sebáceo?

O cisto sebáceo pode ser definido como uma cavidade que se forma no interior da pele e que se encontra coberta por ela, apresentando um conteúdo líquido ou semi-sólido proveniente da formação de substâncias proteicas secretadas pelas células, além de outros detritos celulares.

Há uma enorme variedade de cistos neste grande grupo etiológico. Os cistos sebáceos (ou epidérmicos) conformam o tipo mais comum, embora possamos encontrar outros, tais como cistos triquilemais ou pilares, milium sebáceo etc.

A diferença entre todos esses tipos só é possível determinar mediante um estudo de anatomia patológica, pois, é necessário identificar a natureza da camada que o cobre para, assim, poder, denominá-lo.

Quanto à suspeita diagnóstica de uma lesão com indícios de ser um cisto sebáceo, é preciso mencionar os chamados pseudocistos.

Tratam-se de cavidades dentro da pele que não se encontram revestidas ou cercadas por tecido epitelial, lipomas, tumorações ou proliferação de tecido adiposo (tipo benigno) que formam pequenas protuberâncias.

Causas

A epiderme, ou seja, a superfície da pele, é composta por uma camada de muito fina de células que são, continuamente, eliminadas pelo corpo. A maioria dos cistos epidermoides são formados à medida que, por não se esfoliarem naturalmente, se multiplicam e penetram profundamente na pele.

Isso ocorre com mais frequência em regiões onde há glândulas sebáceas maiores e folículos pilosos, como na virilha, costas, pescoço e rosto.

Fatores de risco

Não há pessoa que esteja inteiramente livre da possibilidade de desenvolver um cisto sebáceo. Todavia, os fatores a seguir podem facilitar o seu desenvolvimento:

  • embora ocorram em qualquer idade, o cisto sebáceo não costuma aparecer antes que o indivíduo atinja a puberdade;
  • sexo masculino;
  • histórico de acne;
  • exposição prolongada ao sol;
  • lesões cutâneas. Qualquer lesão que venha a causar um trauma, como, ficar com a mão presa na porta de um automóvel, eleva os riscos de desenvolver um cisto sebáceo;
  • o cisto sebáceo não causa problemas funcionais, a não ser que seja deixado sem tratamento.
Cisto sebáceo

Como os cistos sebáceos se formam?

O cisto sebáceo pode ter uma origem congênita ou associada a alterações no desenvolvimento embrionário. Por outro lado, ele pode ser adquirido, isto é, sua formação ocorre ao longo da vida por diversas razoes.

O cisto sebáceo congênito ocorre, geralmente, em áreas próximas à boca e na região genital, devido a possíveis alterações em certos detritos epidérmicos que ficam presos durante o desenvolvimento do organismo nas fases iniciais do período embrionário.

O cisto sebáceo adquirido vai se formando com o desenvolvimento do organismo humano e respondem a várias causas. Considera-se, na atualidade, que qualquer obstrução de uma parte do folículo pilossebáceo pode ser suscetível de progredir rumo a formação de um cisto sebáceo.

O mecanismo de produção se origina pela obstrução da saída do conteúdo da glândula sebácea que acompanha o folículo piloso. Com essa obstrução, acumula-se material sebáceo no interior da pele que, por sua vez, forma uma pequena cápsula envolta por células epiteliais e, por fim, o cisto sebáceo.

A aparência externa dos cistos sebáceos é uma pequena protuberância que assoma fora da pele e pode ter ou não um pequeno poro no centro com o qual se comunica com o exterior.

Eles tendem, em geral, a ser firmes ao toque, móveis e flutuantes em planos profundos da pele, de modo que não são encontrados presos a camadas mais distantes da superfície da pele.

O que é um cisto sebáceo infectado?

Um cisto sebáceo infectado é a consequência da invasão de microrganismos através da pele no conteúdo do cisto. Essa entrada de microrganismos no conteúdo do cisto sebáceo permite a proliferação de agentes infecciosos, promovendo o seu crescimento.

O organismo humano detecta a existência desses corpos infecciosos e ativa o sistema imunológico, produzindo uma inflamação da área ao redor do cisto. Portanto, ante a presença de um cisto que, nas últimas horas, emita calor, se tenha avermelhado, ampliado em tamanho e se tornado doloroso nas últimas horas, é preciso suspeitar da presença de um cisto sebáceo infectado.

Cisto sebáceo na virilha

Se você detectar um nódulo interno em sua virilha que não cause dor, então, provavelmente, se trata de um cisto sebáceo. Geralmente, esses cistos são benignos. Todavia, se estiverem infectados, estourarem ou apresentam incômodos relevantes, eles podem ser removidos por cirurgia.

Os cistos distinguem-se de outras protuberâncias por serem pequenos e redondos, sendo facilmente movimentados com os dedos. Embora possam ser de tamanho variável, geralmente variam de milímetros a alguns centímetros.

Cisto sebáceo no rosto

Conforme mencionado, o cisto sebáceo é uma protuberância que se desenvolve na pele, e como o próprio nome indica, é formado por uma substância gordurosa. Ainda que, na maioria das vezes, não provoque dor, ele pode ser facilmente infectado, tornando-se mais sensível a região em que está alojado.

Quando o cisto sebáceo está localizado no rosto, o incômodo assume maiores proporções, à medida que essa condição dermatológica pode ser feia e desconfortável.

A despeito do fato de que os pacientes não são normalmente tratados com um remédio específico – pois o cisto sebáceo tende a desaparecer com o tempo – nos casos em que ele aparece no rosto o tratamento cirúrgico é mais acessado.

Cisto sebáceo

A melhor forma de fazer isso é por meio de um corte na pele onde o cisto está localizado. Em seguida, é realizada a drenagem do líquido que o compõe. A partir dessa prática, o cisto sebáceo desaparece, em um número significativo de casos, ainda que os nódulos possam reaparecer futuramente.

Se isso ocorrer, o médico deverá refazer esse método a fim de remover completamente qualquer traço do cisto sebáceo. Além da remoção cirúrgica do cisto sebáceo, o médico especialista pode prescrever um tratamento baseado em antibióticos para eliminar qualquer possibilidade de infecção ou inflamação.

Essa condição pode ser encontrada em todas as partes do globo terrestre (com maior incidência sobre pessoas adultas), logo, não há fatores externos ou ambientais que causem ou facilitem o seu desenvolvimento. Quando o cisto sebáceo é gerado após inflamação dos folículos pilosos ou trauma cutâneo, não há prevenção.

É altamente recomendável, ainda que se trate de uma condição dermatológica de menor importância, procurar auxílio de um médico dermatologista. Essa é uma excelente alternativa para evitar a infecção do cisto sebáceo e, também, descartar possíveis alterações secundárias que requerem tratamento específico e, de outra forma, poderiam passar desapercebidas.

Tratamentos

O cisto sebáceo pode desaparecer sem a necessidade de aplicar um tratamento médico ou farmacológico, mas, quando, ele aparece na face ou drenam fluídos espontaneamente, o mais indicado é preceder à remoção cirúrgica do nódulo.

Desse modo, será feito um corte no próprio cisto e todo o seu conteúdo será extraído, além da bolsa que o protege. Se o cisto sebáceo for corretamente eliminado, nunca mais aparecerá na mesma área do corpo. Entretanto, se houver qualquer traço remanescente, o cisto se desenvolverá novamente.

Injeções de corticoides

O médico pode prescrever uma injeção de corticoide para um cisto sebáceo inflamado (mas, sem infecção) para ajudar a reduzir a inflamação e, consequentemente, o desconforto e a dor do paciente.

Recomendações

Os médicos recomendam fortemente a manutenção de bons hábitos de higiene diária; não só no cisto sebáceo, mas também em seu entorno e, sobretudo, nas mãos. É crucial evitar tocar, arranhar ou pressionar essas protuberâncias, uma vez que essas ações podem causar infeção e alterar seu bom prognóstico.

Tratamento caseiro para cisto sebáceo

É possível eliminar o cisto sebáceo sem recorrer à cirurgia por meio da utilização de produtos naturais que tenham a capacidade de dissolver a gordura ou drenar seu líquido, fazendo com que seja reabsorvido pela corrente sanguínea ou pelo sistema linfático.

Os cistos sebáceos, felizmente, são mais incômodos do que perigosos. Tratá-los com remédios naturais e mudar o seu estilo de vida é, na maioria das vezes, tudo o que é necessário fazer para aliviar os sintomas.

Entretanto, tenha em mente que uma cura natural para o cisto sebáceo não funciona para todos os casos, há circunstâncias que fazem com que alguns cistos não respondam aos remédios naturais e, desse modo, exigem um tratamento do tipo convencional.

Se você tem um cisto sebáceo que não lhe causa dor ou desconforto severo, tente usar o calor úmido, suplementos à base de ervas, remédios homeopáticos ou mudança em seus hábitos antes de recorrer a procedimentos cirúrgicos.

Entre os tratamentos caseiros mais eficazes para o cisto sebáceo, listamos, a seguir, algumas das opções mais eficazes. Confira.

Compressas quentes

A água morna é um excelente desinflamante, ajudando a drenar o cisto sebáceo na pele. Para remover um cisto sebáceo que esteja localizado, por exemplo, no pescoço, mergulhe um pano bem limpo em água morna e o aplique diretamente por cerca de 10 minutos.

Repita este procedimento 3 vezes ao dia ou até perceber que o nódulo começa a desaparecer.

       
Cisto sebáceo

Vinagre de maçã

Rico em ácido acético, o vinagre de maçã é um composto que, além de ser natural, pode eliminar infecções bacterianas. Para fazer uso de suas características curativas, aplique-o sobre o cisto sebáceo e cubra-o com um curativo.

Refaça essa operação todos os dias, trocando a bandagem para eliminar os nódulos. Após 7 dias de tratamento, você perceberá o aparecimento de uma crosta enrijecida sobre o cisto sebáceo, então, a retire para possibilitar a drenagem do seu conteúdo.

Óleo de mamona

O óleo de mamona (também conhecido como óleo de rícino) esquenta quando entra em contato com a pele. Essa característica é, de fato muito útil para reduzir as dimensões do cisto sebáceo.

Para acessar seus benefícios, você deve:

  • umedecer, no óleo de rícino, uma bola de algodão;
  • deixar agir por 5 minutos;
  • coloque uma bolsa de água quente sobre o algodão umedecido com o óleo de mamona por mais cerca de 10 minutos.

Iodeto de potássio

Agente desinfetante e excelente antisséptico natural, o iodeto de potássio pode extinguir as bactérias que infeccionam o cisto sebáceo.

Aplique-o sobre a região afetada e deixe agir por 6 minutos ou use um creme com uma quantidade significativa de iodeto de potássio em sua composição.

Bicarbonato de sódio

O bicarbonato de sódio – produto natural muito popular, fácil de encontrar e com múltiplos benefícios para a saúde – apresenta características capazes de manter o nível de pH da sua pele, elemento fundamental para controlar o nível de crescimento de bactérias.

Para se beneficiar de suas características bactericidas, misture 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio em um copo de água e 1 colher de chá de sal, até que a mistura forme uma pasta. A seguir, espalhe essa pasta diretamente sobre o cisto sebáceo.

Folhas de repolho

Devido às suas características antissépticas e anti-inflamatórias, as folhas de repolho são comumente utilizadas para preparar inúmeros remédios caseiros.

Para utilizá-las com o intuito de remover cistos sebáceos – infectados ou não – nas axilas ou em qualquer outra área do corpo, ferva 2 folhas de repolho em água e, com um pano seco e limpo, aplique a loção resultante no local.

Aloe Vera

A Aloe Vera é um dos remédios naturais mais eficazes para tratar o cisto sebáceo. Além de possuir propriedades analgésicas, se você aplicar um gel à base dessa planta medicinal diretamente sobre a região afetada perceberá uma gradativa melhora quanto ao tamanho do nódulo e seu inchaço.

Beber o suco de Aloe Vera em uma base regular é, também, uma excelente alternativa para eliminar todas as impurezas do seu organismo e impedir que novos cistos sebáceos se formem em outras áreas do corpo.

Pólen de abelha

O pólen de abelha atua como um purificador natural do sangue, sendo muito eficaz para tratar problemas relacionados à pele. Ao consumi-lo por duas semanas, diariamente, você notará uma sensível diminuição do tamanho dos nódulos.

É possível encontrar o pólen de abelha em farmácias e em lojas de suplementos alimentares e de produtos naturais.

Cirurgia

Quando o cisto sebáceo começa a se infectar, é necessário tomar medidas para controlar tanto a inflamação quanto a infecção e, assim, evitar que o problema adquira maiores proporções.

As soluções cirúrgicas mais comuns envolvem, como veremos, pequenas incisões e drenagens. Independentemente da alternativa escolhida por seu médico, a intervenção é mínima e pode ser realizado em um ambulatório com aplicação de anestesia local.

Nesse sentido, o paciente pode voltar para casa imediatamente após a intervenção, todavia, dependendo da área em que a intervenção cirúrgica foi realizada, o indivíduo possa precisar de alguns dias de descanso antes de retomar suas atividades normais, a fim de evitar a dor e a deiscência, isto é, a abertura dos pontos da sutura.

Cisto sebáceo

Incisão e drenagem

No processo de incisão e drenagem, o médico faz uma pequena incisão no cisto sebáceo a fim de extrair o seu conteúdo. Embora tanto a incisão quanto a drenagem sejam, em si mesmas, relativamente rápidas e fáceis, os cistos geralmente retornam após passado algum tempo desde a finalização do tratamento.

Excisão total

A técnica cirúrgica de excisão total elimina todo o cisto sebáceo e, assim, impede a sua reprodução. A excisão é mais fácil quando o cisto ainda não está inflamado.

O médico pode recomendar, primeiro, um tratamento para a inflamação com antibióticos e esteroides ou, até mesmo, recorrer ao tratamento de incisão e drenagem descrito acima. Após um período de espera (que pode variar entre 4 a 6 semanas ou até que a inflamação tenha sido resolvida), o médico realiza a excisão total.

Como uma excisão requer sutura, a remoção dos pontos tende a ocorrer após transcorridas uma ou duas semanas do fim do tratamento.

Excisão mínima

Alguns médicos preferem a técnica de excisão mínima, pois essa alternativa permite, além de eliminar toda a parede do cisto sebáceo, causa uma cicatriz pequena e quase imperceptível.

Durante esse procedimento, o médico faz uma pequena incisão no cisto sebáceo, extrai o conteúdo e, em seguida, remove a parede do cisto através da incisão. Em condições normais, a pequena ferida resultante se cura sozinha.

Laser

Para minimizar, ainda mais, as cicatrizes, o médico pode usar um laser de dióxido de carbono para vaporizar o cisto sebáceo localizado no rosto ou em outra área sensível do corpo. A cicatriz resultante é ainda menos perceptível do que na técnica de excisão mínima.

Por isso, a utilização do laser de dióxido de carbono oferece uma grande vantagem estética em relação à intervenção cirúrgica convencional.

Cuidados pós-operatórios após a remoção de um cisto sebáceo

Quando o paciente já estiver em casa se recuperando de uma intervenção cirúrgica, é necessário tomar uma série de cuidados com os pontos que houverem sido colocados. É muito importante cuidar adequadamente da sutura para que os pontos não sejam infectados.

Se (ou quando) você se encontrar nessa situação, lave a área diariamente com água e sabão neutro e seque com cuidado, evitando esfregar e procurando realizar suaves pulsações com uma tolha limpa ou gaze (de preferência) até que a área esteja completamente seca.

Posteriormente, uma vez que a pele esteja devidamente limpa e seca, você deve aplicar algum tipo de solução de iodopovidona e colocar um curativo para proteger a região de solavancos, esbarrões e, até mesmo, da fricção ocasionada pelo movimento dos tecidos de suas roupas.

Cisto sebáceo estourou: o que fazer?

Em primeiro lugar, é preciso saber que o fato de o cisto sebáceo estourar pode provocar uma infecção e, nesse caso, você precisará de tratamento imediato. Na maioria das vezes, porém, não ocorrem complicações ou efeitos colaterais após o tratamento para drenar ou remover o cisto sebáceo cirurgicamente.

Contudo, mesmo após uma cirurgia bem-sucedida para remover o cisto sebáceo, ele pode aparecer de novo. Para preservar sua saúde e tomar, sempre, as medidas mais adequadas nesse assunto:

  • nunca estoure o cisto sebáceo Esse tipo de cisto seca naturalmente e se você tentar rompê-lo por conta própria correrá o risco de adquirir uma infecção adicional, além de provocar cicatrizes permanentes em sua pele. Resista à tentação – se o cisto sebáceo o incomoda, garanta que ele seja eliminado, o quanto antes, por um médico competente e de sua confiança;
  • se o cisto sebáceo estourou devido à cicatrização ou choque acidental e, assim, gerou uma ferida (de maior ou menor intensidade) sobre a pele, lave bem a área com água corrente e em abundância, usando um sabonete antimicrobiano que não irrite a sua pele;
  • procure imediatamente auxílio médico se houver uma infecção perceptível. Se ocorrerem sinais de infecção – tais como dores, inchaços, vermelhidão, irradiação de calor (sensação de que a área está “queimando”) – informe o quanto antes ao seu médico para receber o tratamento mais apropriado. Lembre-se de que, nessas situações, se você não fizer nada e deixar o cisto se desenvolver sozinho, ele pode se tornar séptico, o que é uma condição muito séria;
  • ainda que o cisto sebáceo não aparente estar infectado, talvez você deseje visitar um médico. Desse modo, uma incisão muito simples será feita e o cisto sebáceo pode desaparecer em questão de minutos! Você acabará se perguntando por que esperou por tanto tempo antes de tomar essa decisão.
Cisto sebáceo

Quando procurar auxílio médico

Um cisto sebáceo que, com o passar do tempo, não desaparece sozinho pode exigir a intervenção de um médico. Logo, você deve procurar auxílio médico se uma entre as opções a seguir se manifestar:

  • o cisto sebáceo cresce muito;
  • o cisto sebáceo fica pesado;
  • o cisto sebáceo provoca dor;
  • o cisto sebáceo mostra sinais externos de infecção, como inchaço e vermelhidão, ou fica quente demais – condição perceptível pelo toque.

Um cisto sebáceo infectado, muito grande ou doloroso, indica claramente a necessidade de ser removido cirurgicamente. Tais procedimentos são considerados extremamente simples, realizáveis diretamente no consultório médico sob anestesia local e, em geral, não leva mais tempo do que uma consulta médica típica.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.