O que é Ceratite? Tratamento e Recuperação!

Ceratite é uma inflamação na região mais externa do olho, nomeada córnea.

0 66

A ceratite, também conhecida por queratite ou certamalácia, é uma doença que afeta o globo ocular. Várias causas ocasionam a sua ocorrência, que pode ser ou não infecciosa.

Se tratada corretamente e de forma precoce, a ceratite não apresenta riscos graves à saúde da visão do paciente, mas caso a doença possua um quadro avançado e com o tratamento equivocado ou tardio, existe a possibilidade de consequências perigosas como úlcera da córnea e redução da visão, de forma temporária ou definitiva.

Você quer saber mais sobre esse assunto? Então confira, no artigo abaixo, maiores informações sobre a doença.

O que é ceratite?

Ceratite é uma inflamação na região mais externa do olho, nomeada córnea, que surge por diversos motivos, sendo o mais famoso deles pelo mau uso das lentes de contato, gerando a infecção de microrganismos.

Os sintomas são visão borrada, sensibilidade à luz, vermelhidão decorrente do acúmulo de sangue, sensação de que existe um corpo estranho grudado no globo ocular, lacrimejamento e uma dor intensa, devido ao número alto de nervos na córnea.

A principal causa da ceratite é mesmo a por infecção de vírus, bactéria, fungo e ameba. São três os tipos que envolvem a inflamação devido a um microrganismo:

  • Ceratite herpética: muito comum, causada por vírus, principalmente em decorrência de infecções como herpes.
  • Ceratite bacteriana ou fúngica: bactérias e fungos que são adquiridos através de contato em lentes ou em águas contaminadas, por exemplo.
  • Ceratite por Acanthamoeba: é uma infecção grave, causada por um parasita que pode se desenvolver em lentes de contato.
Ceratite é uma inflamação na região mais externa do olho, nomeada córnea.

Popularmente, o paciente contrai esses corpos por conta do uso de lentes de contato e de produtos específicos para a sua limpeza, mas não se limita somente a isso. É comum que pessoas com imunodeficiência (que possuam sistema imunológico débil devido a doenças e tratamentos) apresentem a doença, assim como em casos em que há um cenário pós-cirúrgico.

A inflamação da córnea também pode ser adquirida por meio de outros distúrbios que ocorrem na superfície do globo ocular, como xeroftalmia, que atinge pessoas que portam a síndrome de Sjögren. Pacientes com dificuldade para piscar e fechar os olhos, movimentos que lubrificam a região, também estão sujeitos a contração da inflamação.

Existe, ainda, a ceratite traumática, resultante de agressões externas, como contato acidental com a superfície dos olhos com substâncias invasivas, assim como a medicamentosa, que ocorre em casos em que há alergia a algum medicamento. Expor o globo ocular de forma desprotegida aos raios ultravioleta ou luz em excesso também pode causar inflamação da córnea.

Por último, é possível que a contração do problema esteja relacionada com alguma doença autoimune, casos em que o corpo possui alguma disfunção no sistema imunológico, fazendo com que as células de defesa do organismo se voltem contra o próprio paciente e o ataquem.

Fatores de risco

Qualquer pessoa está sujeita a desenvolver a inflamação na córnea se não tiver o cuidado necessário, mas existem fatores que aumentar as chances da ceratite acontecer:

  • Uso de lentes de contato;
  • Ambientes úmidos e quentes;
  • Baixa imunidade;
  • Lesão no globo ocular;
  • Uso de corticoides (comumente encontrado em colírios).
Fique sempre de olho nos sintomas e procure um médico a qualquer sinal estranho.

Ceratite x Conjuntivite

Assim como a ceratite, a conjuntivite também é uma inflamação nos olhos, mas a diferença é que ela acontece em uma região diferente. Ao invés de a córnea ser infectada, nos casos de conjuntivite é a conjuntiva, membrana transparente e fina que envolve a porção frontal do globo ocular e o interior das pálpebras, que sofre uma anomalia.

Geralmente, ela ataca os dois olhos, leva de sete a 15 dias para ser curada e dificilmente deixa sequelas. Ela ainda pode ser aguda ou crônica. Suas causas são semelhantes a da ceratite, assim como os seus sintomas, o que pode causar confusão no paciente.

As duas ainda possuem certa ligação, sendo que a ceratite pode ser uma das consequências de alguém que contraiu conjuntivite algum tempo antes. Outra doença que também causa essa confusão é a blefarite, inflamação que acontece nas bordas das pálpebras.

Diagnóstico

Normalmente, o diagnóstico da anomalia no globo ocular se dá através de consulta ao oftalmologista, após uma avaliação especializada e realizada através de uma luz especial (lâmpada de fenda). Porém, identificar as causas do problema só é possível depois de exames mais detalhados, como a biomicroscopia, que avalia a camada externa do olho por meio de lentes especiais. Nela, é possível identificar as características da lesão.

Outro procedimento realizado para colher informações sobre a infecção é a microscopia especular da córnea, um exame que possibilita quantificar e qualificar as células que estão presentes nos vasos sanguíneos do olho.

Em alguns casos, o oftalmologista pode requerer um exame de cultura de raspado da córnea para isolar o agente infeccioso, permitindo que se diferencie a origem bacteriana de outras inflamações provocadas por vírus e protozoários importantes. Esses resultados podem fazer com que o especialista exija exames laboratoriais mais complexos para entender se existe ligação da infecção da córnea com doenças autoimunes.

Tratamento caseiro

A ceratite é um problema complexo e delicado que pode ser contraído de diversas formas. Por isso, é altamente recomendado que se procure um médico especialista nos primeiros sintomas da doença.

Sendo assim, é praticamente impossível fazer um tratamento caseiro que seja efetivo e o mais certo é que a sua tentativa resulte em escolher um método simples, como apenas dar suporte ao organismo com o auxilio de colírios, soro e lavagem, e pouco efetivo.

O tratamento mais indicado é aquele realizado com um profissional.

Tratamento natural

Assim como o tratamento caseiro, o tratamento natural só deve ser escolhido após uma avaliação médica. Isso porque os diferentes tipos de infecção pedem métodos exclusivos para tratar o problema.

Sendo assim, o tratamento natural só é recomendado em casos em que haja inflamação decorrente de ação viral, mais facilmente combatida pelas células de defesa do organismo.

Tratamento profissional

É o tratamento mais indicado para ceratites e cada uma das causas é tratada de forma diferente. Quando as inflamações acontecem devido a bactérias, fungos e amebas, medicamentos antimicrobianos são o suficiente para combater os agentes causadores.

       

Quando o problema decorre de ação viral, o corpo precisa apenas de suporte para combater sozinho o vírus. Exceção a regra nos casos em que ela é desencadeada pelo Herpes simplex, que requer medicamento antiviral e outros que evitam a progressão da doença e o controle do corpo estranho.

Os pacientes que apresentam xeroftalmia são submetidos a um tratamento que envolve o uso de colírios lubrificantes de forma regular. Elas agem como lágrimas artificiais, mantendo a córnea lubrificada. Quando ela se agrava para quadros mais profundos com úlceras, cicatrizes ou até mesmo uma perfuração na córnea, a única forma de reparar o problema é com transplante.

Para inflamações resultantes de agressões traumáticas ou medicamentosa, assim para os casos em que há exposição excessiva aos raios ultravioletas, o tratamento consiste no uso de anti-inflamatórios, lavagens regulares e até mesmo a oclusão o olho. Essas medidas podem ser adotadas de forma conjunta ou individual.

Se o problema é motivada por doenças autoimunes, é necessário que um reumatologista seja acionado, pois seu tratamento envolve o uso de medicamentos imunossupressores, que controlam a resposta dos sistema imunológico contra a córnea.

Prevenção

Mesmo pessoas que possuam hábitos saudáveis podem desenvolver uma inflamação no globo ocular. Porém, existem algumas atitudes que devem ser tomadas para que se evite ao máximo a ocorrência do problema.

A principal delas é o cuidado com as lentes de contato. Por isso, é necessário estar atento às recomendações do oftalmologista e do fabricante quanto ao uso, manutenção, manuseio e o prazo de validade, tanto das lentes como dos produtos que serão usados para higienização e desinfecção.

Piscinas e lentes de contato não formam uma boa parceria. Então, evite ao máximo que elas entrem em contato, que favorece muito a infecção pela ameba Acanthamoeba, que tem desenvolvimento facilitado na água.

Esquecer de tirar as lentes na hora de dormir também é um problema. A atitude é pouco higiênica para a córnea e aumenta muito suas chances de desenvolver o problema.

Nunca durma com lentes de contato!

Se você apresenta aftas na boca ou herpes pelo corpo, também evite de ficar esfregando os olhos com seus dedos. Pode parecer bobagem, mas está é uma forma comum de se desenvolver a infecção no globo ocular.

Para as pessoas que trabalham expostas a fogo, faíscas e substâncias tóxicas, resguardar as córneas através do uso de equipamentos protetores é fundamental.

Por fim, faça visitas regulares ao oftalmologista, pelo menos uma vez a cada seis meses, e nunca faça automedicação ou use colírios e outros medicamentos por um período diferente daquele que foi recomendado por profissionais.

Colírios para ceratite

Assim como os tratamentos para a inflamação são diversificados, os colírios usados durante estes processos também é e dependem da causa que lesionou a córnea.

Para casos em que existe infecção por vírus, ameba, bactéria ou fungo, os colírios possuem princípios específicos para combater cada um dos tipos de microrganismos malignos.

Quando o problema é decorrente de agressões traumáticas, lentes de contato ou doenças autoimunes, o tratamento passa pela aplicação de colírios com corticoides.

Tempo de recuperação

Os tempos de recuperação são subjetivos e dependem de fatores como gravidade, causa e organismo do paciente.

Em casos mais leves, o próprio sistema imunológico pode tratar de cuidar do problema em alguns poucos dias. Em outros casos, que necessitem intervenção médica, a ceratite pode ser curada em um tempo similar a conjuntivite (entre uma e duas semanas).

Em quadros mais graves, onde a inflamação está em estágio avançado, o tempo de recuperação depende dos agravantes que podem ou não ser causados, como a cegueira parcial, e do tipo de tratamento que será recomendado.

No pior dos cenários, quando há cegueira irreversível, não há tempo que consiga corrigir os efeitos causados pelo problema.

Quanto antes você procurar um oftalmologista, melhor será sua recuperação.

Ceratite em cães

Os cães possuem uma visão quase 10 vezes superior aos seres-humanos e também estão sujeitos a desenvolverem inúmeras doenças oftalmológicas como nós, entre elas a Ceratite Superficial Canina (CSC).

Ela é muito semelhante àquela que atinge os seres-humanos. Suas causas são as mesmas, a progressão e o agravamento do quadro seguem a mesma fórmula com os mesmos resultados e o tratamento também consiste no uso de medicamentos específicos para o combate da causa e em cirurgias nos pacientes que possuem um estado mais avançado da inflamação.

As raças que mais são afetadas pela inflamação são Pastor Alemão, Pastor Belga e seus cruzamentos mestiços. Geralmente acomete cães entre três e seis anos de idade, mas também pode ocorrer em animais mais velhos. Quando este for o caso, o problema costuma ser mais benigno e pode ser tratado de forma menos invasiva.

Ainda que a etiologia não tenha sido totalmente estabelecida, sabe-se que normalmente é resultado de doença autoimune e exposição a luz ultravioleta e poeira carregada pelo vento.

Os sintomas envolvem a vermelhidão dos olhos do cão assim como muita irritação, o que faz com que ele passe o dia esfregando o globo ocular com as patas. Sensibilidade à luz e dificuldade para manter as pálpebras abertas também são sinais de que o cachorro desenvolveu CSC.

Considerações finais

A ceratite é um condição ocular que pode trazer muito incômodo ao indivíduo. Pode trazer diversos problemas para a córnea e o olho, de um modo geral. Dependendo da gravidade, riscos maiores podem surgir.

A melhor recomendação é fazer pelo menos uma ou duas visitas anuais ao oftalmologista para manter em dia a saúde dos olhos. Além disso, ao sinal de qualquer irritação ou algum (ou alguns) dos sintomas descritos nessa matéria, procure imediatamente um médico.

Atente-se para o fato de que esta matéria tem caráter meramente informativa. As sugestões e dicas fornecidas não substituem uma consulta com um profissional.

Saúde é coisa séria! Não menospreze a saúde dos olhos. Não realize a automedicação (em nenhum caso) – isso é muito perigoso.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.