Celulite Infecciosa: Sintomas, Tratamento, Causas

0 44

Normalmente, quando falamos em celulite, logo pensamos naqueles furinhos de gordura local na pele com aspecto ondulado e depressões. No entanto, existe um tipo de celulite bem mais grave que apenas um problema estético, e que acomete não só mulheres, mas também homens e crianças. Isto é, a celulite infecciosa ou bacteriana que infecta as camadas mais profundas da pele e traz sérios riscos para a saúde.

Ao contrário da celulite fibroedema gelóide, tão temida pelas mulheres, a celulite infecciosa pode causar graves complicações como infecção geral do organismo (septicemia) ou até mesmo a morte, caso não seja devidamente tratada. Dessa forma, ao menor sinal de infecção na pele, consulte um médico o mais rápido possível para que el possa fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

Nesse artigo vamos explicar o que é celulite infecciosa, como identificá-la e quais as suas causas e sintoma. Além disso, vamos indicar os melhores tratamentos, assim como aliviar seus sintomas e preveni-la.

Celulite infecciosa: O que é?

pé com celulite infecciosa
Celulite infecciosa: é uma infecção bacteriana na pele.

A celulite infecciosa é uma infecção dermatológica, ou seja, de pele, causada por bactérias que atacam as camadas mais profundas da pele. Normalmente, a infecção é causada por bactérias do grupo Streptococcus pyogenes B, hemolítico do grupo A ou Staphylococcus aureus, raramente uma consequência da atuação de outras bactérias.

Essas bactérias são comumente encontradas na parte externa da derme e não costumam trazer problemas, a menos que encontrem uma porta de entrada para o organismo. Isto é, ao encontrar um orifício, a proliferação bacteriana destrói a camada externa que protege a pele deixando-a desprotegida. Dessa forma, micro-organismos entram por meio de feridas, cortes, picadas de insetos, e causando problemas ainda mais sérios.

Ou seja, uma das consequências mais graves da celulite bacteriana é a septicemia, uma infecção generalizada do organismo que pode até levar a pessoa à morte se não houver tratamento adequado.

Normalmente, as pernas são as áreas mais atingidas, mas a infecção também pode se manifestar no rosto e na a região ocular, onde costuma se agravar com mais rapidez, podendo levar à meningite e convulsão. A infecção acomete tanto mulheres quanto homens em qualquer idade, inclusive crianças, em que a condição é ainda mais preocupante, pois, a situação pode complicar em poucas horas.

Sintomas de celulite infecciosa

perna com celulite infecciosa
Celulite infecciosa: os principais sintomas são vermelhidão, inchaço e dor.

Os sintomas mais comuns de celulite infecciosa incluem dor, vermelhidão, inchaço e aumento da temperatura no local por conta da inflamação dos tecidos. Na maioria das vezes, observa-se também feridas ou cortes na região, normalmente a porta de entrada para a proliferação das bactérias. No entanto, em casos mais graves pode haver febre acima de 38ºC, náuseas, mal-estar, tremores, calafrios, dificuldades respiratórias, vômitos, arrepios, fadiga, tonturas, transpiração excessiva e dores musculares. Outros sintomas incluem:

  • Dor de cabeça;
  • Sonolência;
  • Inflamação das ínguas próximas à região;
  • Bolhas vermelhas ou raios vermelhos na pele;
  • Sensação de calor na pele;
  • Pequeno inchaço na pele com produção de pus;
  • Mancha no local afetado, com sensação de queimação;

É importante ressaltar que todos estes sintomas também podem ser sinais de outros tipos de infecções na pele. Como por exemplo, a erisipela, uma doença que afeta as camadas mais superficiais da pele. Assim, recomenda-se consultar um dermatologista para diagnosticar o problema da forma correta, e iniciar o melhor tratamento. Pois, a celulite infecciosa se não tratada rapidamente pode se espalhar pelo corpo, contaminando a corrente sanguínea e causar graves complicações.

Celulite infecciosa vs Erisipela

Enquanto a celulite infecciosa atinge as camadas mais profundas da pele, a erisipela é uma infecção que acomete mais a superfície da pele, sendo as principais diferenças:

Erisipela Celulite Infecciosa
Infecção superficial Infecção profunda e tecido subcutâneo
Fácil de identificar o tecido infectado do não infectado Difícil de identificar o tecido infectado do não infectado
Mais frequente nos membros inferiores e na face Mais frequente nos membros inferiores

No entanto, vale ressaltar que os sinais e os sintomas de ambas as condições são extremamente parecidos, tornando o diagnóstico mais difícil de fazer. Dessa forma, o dermatologista pode pedir vários exames diferentes para identificar a causa correta e iniciar o tratamento mais eficaz.

Celulite infecciosa: Causas e fatores de risco

perna com celulite infecciosa
Celulite infecciosa é mais frequente após cirurgias devido aos cortes cirúrgicos.

A incidência da celulite infecciosa é de 10 a 100 casos a cada 100.000 habitantes por ano, sendo mais frequente entre pessoas com 50 e 60 anos, de ambos os sexos e até crianças.

A celulite infecciosa surge quando as bactérias conseguem penetrar na pele. Por isso, este tipo de infecção é mais comum em pessoas com feridas cirúrgicas onde houve a penetração por cateter ou cortes, feridas ou picadas que não foram corretamente tratadas.

Além disso, pessoas com problemas de pele que possam causar eczema, dermatite ou micose, também têm maior risco de desenvolver um caso de celulite infecciosa. Assim como pessoas com sistema imune enfraquecido como tratamento com corticoide, câncer e quimioterapia ou diabetes, por exemplo.

Certas enfermidades preexistentes também aumentam a chance de alguém ter celulite infecciosa. Como por exemplo, ulcerações, alterações vasculares como a insuficiência venosa (varizes), infecções nos ossos, assaduras, poliomielite, inchaço devido retenção de linfa (linfedema), etilismo e obesidade.

O aumento dos hormônios na puberdade, especialmente o estrogênio, também pode facilitar o aparecimento da doença. Pelo mesmo motivo, as gestantes também têm predisposição ao problema.

Fator de risco é a capacidade de influenciar as chances de adquirir a doença, mas isso não significa que é um fator determinante para o desenvolvimento dela.

Celulite infecciosa: Contágio e riscos

Apesar da celulite infecciosa não ser contagiosa em pessoas saudáveis, ou seja, não é passada de uma pessoa para outra, ela ainda pode ser pegada por alguém com alguma enfermidade da pele. Ou seja, se alguém tiver uma ferida ou doença de pele, como dermatite, por exemplo, e entrar em contato direto com o local afetado pela celulite, existe um risco mais elevado da bactéria penetrar a pele e causar celulite infecciosa.

Quando a doença não é tratada da maneira adequada e rapidamente, as mesmas bactérias que causaram a celulite infecciosa podem migrar para outras partes do corpo através da corrente sanguínea. Assim, atingindo outros órgãos, a infecção é intensificada podendo evoluir para uma infecção generalizada com riscos de morte.

Celulite infecciosa: Diagnóstico

O diagnóstico da doença é feito pelo dermatologista ou infectologista. Sendo que, para evitar maiores complicações, recomenda-se procurar um especialista logo nos primeiros sintomas da doença.

Normalmente, o médico fará um exame clínico para analisar o local da infecção e observação dos sintomas. Em alguns casos, o médico também poderá solicitar exames de sangue para verificar a contagem de leucócitos — células brancas de defesa que respondem à infecção. Assim como uma avaliação em laboratório de um pedaço da pele afetada, para confirmar o tipo de bactéria e receitar o antibiótico mais adequado.

Em casos de celulite infecciosa no rosto, também podem ser solicitados exames de imagem — como a tomografia computadorizada e a ultrassonografia. O médico também pode recomendar que você faça os exames necessários para verificar se existe alguma outra doença associada com a celulite infecciosa. Por exemplo, um ultrassom das veias das pernas ajuda muito na detecção de coágulos. Um raio-x também pode ajudar a determinar se a infecção de pele se alastrou para os ossos.

Celulite infecciosa: Tratamentos

celulite infecciosa antibióticos
Celulite infecciosa: o tratamento é feito com antibióticos

Por ser causada por bactérias, o tratamento da celulite infecciosa dever ser feito através do uso de antibióticos. Como por exemplo, a cefalexina ou amoxicilina por 10 a 21 dias, que devem ser tomados seguindo à risca a recomendação do dermatologista no horário indicado. É extremamente importante observar a evolução da vermelhidão na pele. Pois, se ela aumentar ou outro sintoma piorar, recomenda-se voltar ao médico para trocar o antibiótico.

Em casos mais leves da doença, a dose oral é suficiente e pode ser feita em casa. Além disso, recomenda-se manter a pele limpa e hidratada para evitar rachaduras e tratar as feridas adequadamente, já que facilitam a entrada da bactéria na pele.

Já os casos mais graves, podem ser receitados antibióticos intravenosos ou intramusculares, como as injeções de penicilina. Nestes casos, pode ser necessária a internação, para o tratamento intravenoso a fim de evitar que a infecção se espalhe pelo corpo ao cair na corrente sanguínea e seja controlada.

Normalmente os sintomas já começam a melhorar dentro de 1 a 3 dias após o início dos antibióticos, ficando mais visíveis com 10 dias. No entanto, é importante que, ao mesmo tempo, a pessoa fique de repouso mantendo o membro afetado elevado, para reduzir o inchaço e a dor.

O médico pode também aconselhar remédios analgésicos para reduzir a febre como dipirona e o paracetamol. Sendo que o tratamento dura 14 dias, dependendo da gravidade da celulite bacteriana, dos sintomas do paciente e da presença de outras doenças crônicas, como diabetes.

Celulite Infecciosa: Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do tratamento para celulite infecciosa são problemas digestivos leves, como dor de estômago, náuseas ou episódios de diarréia, em função do uso dos antibióticos.

Celulite infecciosa: Tratamento caseiro

Além dos antibióticos, existem alguns tratamentos caseiros que podem ajudar no tratamento da celulite infecciosa melhorando os sintomas de dor, vermelhidão e inchaço. Assim como muitos deles também podem auxiliar na sua prevenção e na rapidez da cura.

       

Consumo de vitaminas

O consumo de vitaminas é essencial para uma vida saudável. Por esta razão, as vitaminas são os remédios naturais mais efetivos contra a celulite infecciosa. A vitamina A, por exemplo, possui efeito anti-infeccioso que pode ajudar no tratamento da doença de pele. O consumo diário de vitamina C também pode ajudar a curar irritações e feridas na pele. Além disso, é excelente para fortalecer o sistema imunológico.

A vitamina E também é extremamente importante para reduzir o desenvolvimento da celulite infecciosa. Os alimentos como sementes de girassol, manteiga de amêndoas, óleo de germe de trigo, produtos lácteos, nozes, óleo de oliva, laranja e cenoura possuem todas essas vitaminas.

Suco e óleo de Neem

A planta neem ou nim (Azadirachta indica) que pertence à família “Meliaceae” é um excelente remédio caseiro para o tratamento da celulite infecciosa. Você pode ingerir o suco feito da folha de neem diluído em água regularmente para ajudar no alívio dos sintomas da celulite infecciosa.

Uma outra opção é usar o óleo essencial extraído da árvore do neem para aplicar diretamente na pele e para matar as bactérias. Além disso, o mesmo óleo também pode ser diluído em água para para lavar a área infectada.

Consumo de abacaxi

O abacaxi é uma fruta excelente no combate à celulite infecciosa, pois ele possui uma enzima conhecida como bromelina que ajuda na cura rápida e efetiva. Você pode consumir a fruta in natura, ingerir o suco ou integrá-lo à suas refeições diárias para prevenir e curar mais rapidamente a celulite infecciosa.

Compressas de chá camomila

Um ótimo tratamento caseiro para celulite infecciosa são as compressas de camomila. Para o tratamento, basta fazer o chá de camomila, deixar esfriar e depois, com uma luva limpa, umedecer uma compressa esterilizada no chá frio e aplicar no local afetado, durante alguns minutos.

Compressas de chá de calêndula

A flor calêndula possui uma propriedade calmante para a pele inflamada e dolorida. Assim, ela também auxilia no combate da celulite infecciosa. Além disso, a calêndula possui a habilidade de aumentar o fluxo sanguíneo para a área afetada, estimulando a produção de colágeno o que leva a uma cura mais acelerada.

Misture 2 colheres de chá de flores de calêndula num copo de água quente por 10 minutos. Em seguida, faça compressas da infusão na área afetada por 15 a 20 minutos. Depois, repita o processo de 3 a 4 vezes por dia por 2 a 3 semanas. Outra opção é aplicar creme de calêndula de 2 a 3 vezes por dia até que os sintomas desapareçam.

Pasta de Hidraste

O Hidraste é uma planta nativa da américa do norte também conhecida como Raiz-Amarela, Raiz-Laranja, Hidraste e Framboesa-de-Chão. Nos EUA, vários produtos de beleza são vendidos com o nome de goldenseal. O hidraste possui propriedade anti-inflamatória e um alcalóide com fortes propriedades antibacterianas, por isso é recomendado para o tratamento da celulite infecciosa.

A planta pode ser aplicada em forma de pasta diretamente na pele infectada para aliviar a irritação, inflamação e a vermelhidão. A pasta é feita misturando uma quantidade suficiente de água com pó de hidraste. Aplique na área afetada e deixe por 4 a 5 horas, para obter o melhor resultado. Você também pode embeber algodão no extrato de goldenseal e aplicá-lo diretamente na pele afetada várias vezes por semana. Em seguida, cubra a área afetada usando uma bandagem frouxa para inibir o alastramento da infecção.

Óleo de Funcho e Alecrim

A combinação do óleo de funcho (ou erva-doce) e óleo essencial de alecrim (Rosmarinus officinalis) age como um lubrificante para a pele. Por causa da lesão na pele, normalmente a celulite infecciosa costuma coçar, causando uma irritação maior na região afetada.

Por esta razão recomenda-se aplicar 2 a 5 gotas da mistura do óleo de funcho e alecrim diretamente na pele afetada, para reduzir o risco de irritações e a infecção estar completamente curada.

Óleo de côco

O óleo de coco contém cadeias médias de ácidos graxos e láuricos que podem ajudar à combater as bactérias. Além disso, o óleo de coco possui propriedades calmantes e curativas para a pele.

Para o tratamento da celulite infecciosa, basta aplicar o óleo de coco na área afetada e deixar por algumas horas. Em seguida lave bem a área e reaplique várias vezes por dia até estar curado.

Celulite infecciosa: Tratamento com remédio homeopático

Os tratamentos homeopáticos também podem ser excelentes aliados no tratamento e na cura da celulite infecciosa. São eles abaixo:

Pyrogenium

O Pyrogenium é um ótimo remédio para septicemia em celulite infecciosa. Normalmente é administrado quando há a presença de febre com calafrios, temperatura corporal entre 39 e 42 graus, com aumento rápido e a presença de pulso acelerado anormal, deixando os pacientes sem descanso. Além disso, pode ser necessário pela presença de septicemia, que costuma ocorrer após o parto ou cirurgias.

Silicea

O Silicea é um medicamento homeopático para celulite infecciosa que costuma apresentar sinais de melhora desde o momento em as primeiras protuberâncias aparecem na pele. Além disso, o remédio também pode ser utilizado quando ocorre transpiração excessiva e calafrios associados ao problema.

Ledum Palustre

O Ledum Palustre é outro medicamento homeopático que auxilia na cura da celulite infecciosa causada por mordidas de insetos. Ele pode ser usado em casos de sensação de frio na área infectada, somada a terríveis dores. Normalmente, o remédio é usado contra casos de cura mais demorada de celulite infecciosa, quando a cor da pele já se tornou esverdeada.

Apis Mellifica

O medicamento homeopático Apis mellifica é muito usado em casos de celulite infecciosa quando existe muito inchaço da região infectada com a presença de dor pungente e queimação. Além disso, pode também ser usado em casos em que a pele apresenta coloração rosada, exibindo uma maior sensibilidade ao toque. Recomenda-se o uso da medicação em casos de celulite infecciosa causada por ferroadas de abelhas.

Belladona

O remédio homeopático Belladona é usado para curar celulite infecciosa quando a pele avermelhada é mais evidente, com aparência brilhante. Nestes casos há inchaço e a dor costuma piorar ao toque.

Sinais de melhora e piora

Os sinais de melhora da celulite infecciosa incluem a diminuição e o desaparecimento da vermelhidão da pele, dor e inchaço. Já os sinais de piora da celulite infecciosa surgem quando o tratamento é iniciado tarde ou incorretamente. Neste caso, podem aparecer bolhas no local afetado, escurecimento da pele e perda de sensibilidade no local. Além disso, em casos mais graves, pode ocorrer septicemia seguida de óbito.

Celulite infecciosa: Prevenção

É possível prevenir a celulite infecciosa tomando algumas medidas muito simples, tais como:

  • Evitar andar descalças;
  • Tomar banho quente regularmente;
  • Manter uma boa higiene evitando micoses;
  • Cuidar devidamente de machucados, sempre os protegendo com bandagens;
  • Prestar atenção especial às feridas, cuidando delas logo que apareçam e durante o tempo de cura;
  • Hidratar a pele para prevenir rachaduras;
  • Atenção aos sinais de infecção em acnes e picadas de inseto;

A celulite infecciosa exige acompanhamento médico especializado. Por isso, se apresentar qualquer sintoma da doença, procure imediatamente um especialista.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.