Benefícios do pilates na Terceira Idade

Faz bem para a coluna? Ajuda a emagrecer? Quais são seus benefícios?

0 734

Parece mágica, mas é Pilates!

O menino frágil, asmático e raquítico que sofreu com severas doenças crônicas na infância foi o responsável por desenvolver um método revolucionário que hoje leva seu nome. Joseph Pilates, alemão nascido em 1880, é o pai da prática que conquistou milhares de adeptos em todo o mundo. Por sua condição limitada quando criança, desde muito cedo se interessou pelo estudo da anatomia humana, da fisiologia e da medicina oriental. Foi da união de todos esses conhecimentos que ele desenvolveu uma série de exercícios e movimentos que fortalecem o corpo e, ao mesmo tempo em que oferecem todos os benefícios de uma atividade física comum, garantem a segurança de ossos, músculos e articulações.

Contrologia é o nome original do método Pilates. Sua base, como o título sugere, propõe o controle do corpo pela mente. Não por acaso, as premissas principais da prática giram em torno da respiração, concentração e precisão. Como exercício, essa é uma atividade benéfica para todos: homens, mulheres, crianças, adultos e idosos. Mas é também uma ótima alternativa para pessoas com problemas pontuais – postura, dores, sobrepeso, estresse, indisposição, transtornos do sono, reabilitação, entre outros.

A fisioterapeuta Bruna Soares explica que a prática, assim como outros métodos, opera na prevenção, reabilitação e manutenção de um corpo saudável. A diferença é que o pilates atua também na área psicológica e ajuda no exercício de uma mente equilibrada, com mais facilidade de concentração, paciência, persistência, etc. É uma atividade completa com foco na melhoria da qualidade de vida de quem a pratica.

9 benefícios do pilates

  1. Correção da postura

Dores e patologias na coluna são comuns nos dias de hoje. O estilo de vida contemporâneo costuma ser o grande vilão quando o assunto é postura e estresse. Os exercícios de pilates trabalham com alinhamento e consciência corporal, o que, a médio prazo, reflete em consideráveis correções de postura e dores amenizadas. É importante que um profissional da saúde acompanhe a prática quando se trata de uma patologia.

  1. Flexibilidade

Você não precisa ser atleta ou bailarino para trabalhar sua flexibilidade. Músculos alongados previnem lesões graves, ajudam no relaxamento e na diminuição do estresse e melhoram qualquer prática de exercícios físicos, sejam eles dentro ou fora do pilates. No caso dos idosos, a flexibilidade é uma aliada na prevenção de quedas, tão comuns com a chegada da idade avançada.

  1. Controle da respiração

Muitas pessoas não sabem, mas respiram errado. Isso tem a ver com o estilo de vida que levamos hoje. A ansiedade, o estresse e até a postura inadequada resulta em uma respiração interrompida, o que bloqueia o músculo do diafragma. Todos os exercícios de pilates são associados a um tempo preciso de inspiração e expiração. Esse esforço ajuda no reaprendizado dessa função básica do corpo humano.

  1. Fortalecimento muscular

Os exercícios de pilates trabalham diversos músculos do corpo ao mesmo tempo. Além de tonificar a musculatura, ativá-los simultaneamente contribui para o funcionamento do funcionamento do corpo como um sistema completo. É como treinar um time que precisa de cada jogador ativo e eficiente no mesmo jogo.

  1. Equilíbrio

O fortalecimento muscular, a flexibilidade e a melhora postural, quando somadas, ajudam na manutenção do equilíbrio do corpo. A concentração, palavra-chave na prática do pilates, também auxilia no desenvolvimento do equilíbrio físico e emocional.

  1. Baixo impacto

O método usa exercícios progressivos para atuar em todo o corpo durante uma sessão. Por isso, não é necessário o uso de atividades bruscas que podem gerar impacto negativo nas articulações e podem causar doenças como artrite e reumatismo. Esse é um dos maiores benefícios do pilates.

  1. Qualidade do sono

Como qualquer atividade física, o pilates ajuda o corpo na liberação de endorfina que causa a sensação de bem estar e alivia o estresse. Esse estado de relaxamento aliado à tranquilidade dos movimentos do pilates e a reeducação da respiração promovem noites de sono melhor aproveitadas.

  1. Controle do peso

Quando combinado a uma alimentação saudável e a regularidade de prática, o pilates é um aliado no controle do peso porque seus movimentos atuam na queima de calorias e ajudam a tonificar os músculos. Além disso, o equilíbrio mental e o controle dos impulsos exercitados no métodos podem se refletir na relação com a comida.

  1. Reabilitação do corpo

       

Por ser uma prática controlada, de baixo impacto e com objetivo principal de fortalecimento da musculatura, o pilates é uma atividade muito procurada por pessoas lesionadas e operadas. A atividade ajuda na recuperação mais rápida e eficaz de músculos e ossos, retoma a força, a flexibilidade e, claro, a confiança.

Power House – o centro de tudo

Joseph Pilates também desenvolveu um conceito que auxilia no aproveitamento total da prática do pilates. Power House ou Centro de Força é considerado por muitos profissionais e praticantes a essência do método e, junto dos outros cinco princípios, é um termo ouvido com frequência durante as aulas. Também conhecido como Core ou Centramento, o Power House se refere ao conjunto de músculos que sustentam e estabilizam o principal eixo do corpo humano: a coluna. Os músculos em questão são o diafragma, o assoalho pélvico, o TRA (Transverso do abdome), os multífidos, glúteos, oblíquos e quadrado lombar.

Essa região chamada por Pilates de Power House é, segundo ele, o local de origem de todos os nossos movimentos. Como a nascente de um rio, é de lá que sai toda a força para controlarmos nosso corpo e a intensidade do movimento. O conceito se aplica ao método porque, quando ativados, esses músculos nos permitem controle total da atividade e evitam (ou diminuem) episódios de dor. Aplicando corretamente as técnicas do pilates, os resultados são muito mais satisfatórios e o Power House é o segredo para a eficiência da atividade.

Ativar o Power House significa contrair a região e, por consequência, melhorar a postura, organizar a respiração, encaixar a lombar, estabilizar a coluna e gerar força. Muitos instrutores brincam que esse é o movimento de “segurar o xixi ou encolher a barriga”. Essas são boas figuras de linguagem, mas é importante que o praticante entenda o funcionamento do Power House para, de fato, ativar a região corretamente.

Esse conceito ajuda muito no desenvolvimento da consciência corporal, tão importante para a prática do pilates e de outros exercícios físicos. Ao contrair a região do Power House corretamente é possível sentir a diferença de um corpo concentrado versus uma situação de relaxamento total. Para descobrir como ativar seu Centro de Força peça ajuda a um instrutor, fisioterapeuta ou educador físico.

Os seis princípios do Método Pilates:

Agora que você já conhece o conceito de Power House, listamos os outros cinco princípios idealizados por Joseph Pilates para alcançar todos os benefícios que o método promete. São eles:

Controle:

Esse princípio age em duas frentes: sua mente toma conta de cada músculo e ensina ao seu corpo que é você quem conduz seus movimentos e, fisicamente, esse é o momento em que você aprende a padronizar velocidade, intensidade e ritmo para realizar cada exercício de maneira correta e eficiente.

Precisão:

Movimentos precisos garantem que nenhum músculo ou articulação seja sobrecarregado ou lesionado uma vez que diversas partes do corpo trabalham juntas no método pilates. O uso de aparelhos é feito justamente para conduzir e equilibrar a movimentação do praticante.

Centro:

É o Power House, conceito central do método que consiste em centralizar toda a força e concentração na região do tronco, sobretudo no abdome, para garantir o alinhamento da postura.

Concentração:

Por mais que a atividade seja baseada em movimento, força e equilíbrio, a concentração é, possivelmente, a ferramenta mais poderosa do método para que todos os movimentos sejam feitos simultaneamente com eficiência.

Respiração:

No pilates, a respiração deve estar sempre sincronizada ao movimento. Respirar corretamente ajuda os músculos a se adaptarem às posições e à intensidade do movimento. É também uma das partes mais desafiadoras do processo porque, apesar de parecer uma tarefa simples, corrigir a respiração errada não é fácil.

Fluidez:

Trata-se da finalização do processo, com movimentos leves, contínuos e controlados. Mesmo que você esteja praticando força, o exercício deve fluir como uma dança. É também uma forma de se proteger de lesões: evitando movimentos bruscos e de alto impacto.

‘’Um corpo livre de tensão nervosa e fadiga é o abrigo ideal fornecido pela natureza para abrigar uma mente bem equilibrada, totalmente capaz de atender com sucesso todos os complexos problemas da vida moderna.’’

– Joseph Pilates

O criador do pilates nos deixou de herança não apenas seu método, ele compartilhou com o mundo um estilo de vida que prioriza o equilíbrio físico e emocional e o cuidado com aquilo que é a casa de cada um de nós: o nosso corpo. Nos deixou um convite para repensarmos a forma como nos preparamos para a idade avançada e uma inspiração – não devemos nos satisfizer com o desconforto e com a dor. Nossa qualidade de vida deve estar sempre em primeiro lugar.

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.