Aposentadoria: tempo de resgatar interesses adormecidos?

0

Qual atividade você faz que te conecta à vida com real satisfação? Pra quem não tem essa resposta, saiba que todos nós possuímos interesses que são pontes para a qualidade de vida. Porém, muitas vezes eles se perdem pelo “caminho” em função de demandas mais urgentes. Como por exemplo: a criação de filhos, o trabalho e o estudo.

Nessa rápida entrevista com Rosilene Salomé, artista plástica, 53 anos, ela conta um pouco sobre sua trajetória de vida. Aos 13 anos ela percebeu uma conexão e habilidade com a arte. Mas a necessidade de ter um retorno mais rápido do trabalho e demandas de família, não permitiram que ela colocasse em prática suas habilidades artísticas naquele momento.

Após 40 anos, a partir de uma mudança de fase, ela se viu livre para estar em contato com o que sempre quis: aulas de fotografia, xilogravura, monotipia, formas variadas de produzir arte. Rosilene foi, inclusive, premiada no “Concurso Nacional de Presépio de Ouro Preto”!

Se você se aposentou e está em busca de uma atividade que preencha a sua rotina com significado, busque na sua infância e adolescência os interesses daquela época. Aquilo que te atraía pois, muitas vezes, existem pistas guardadas nessas fases que indicam a direção que você deve tomar.

       

A aposentadoria é uma nova chance para resgatar um projeto que não pôde ser realizado anteriormente. Se você está vivendo um momento como este, escreva sua experiência nos comentários ou conte-nos qual atividade você precisou deixar de lado, mas gostaria de colocar em prática hoje.

Untitled design

Cecília Xavier – terapeuta Ocupacional

email: cecilia@trampolim60mais.com

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.