Acido Urico Alto: Remédios e Sintomas!

0 339

Existem milhares de pessoas que sofrem com dores e inchaços nas articulações. Esses sintomas podem indicar inúmeros problemas de saúde diferentes, como por exemplo, um nível de ácido úrico alto no sangue, também chamado de hiperuricemia. Apesar de muita gente às vezes apresentar nível de ácido úrico alto no sangue, nem sempre essas pessoas irão desenvolver outros problemas.

No entanto, o ácido úrico alto no sangue é o principal fator de risco para o desenvolvimento de uma forma de artrite conhecida por Gota. Além disso, dores, inchaços e desequilíbrios na saúde nunca foram bons sinais. Sem falar que, mesmo tendo ácido úrico alto sem que outros sintomas sejam desenvolvidos, há sempre uma dúvida quanto ao risco que isso pode acarretar à saúde.

Por isso, buscar a ajuda médica é essencial para que o especialista possa avaliar a saúde do indivíduo, a fim de evitar que os sintomas piorem ou prevenir maiores problemas irreversíveis ao organismo.

Neste artigo vamos explicar o que é ácido úrico, quais as causas que levam ao aumento de ácido úrico no organismo, os sintomas que isso traz e o que fazer para baixar os níveis de ácido úrico alto no sangue.

O QUE É ÁCIDO ÚRICO?

Ácido úrico alto: esquema mostrando ácido úrico nas articulações dos dedos dos pés
Ácido Úrico Alto é uma substância naturalmente produzida pelo fígado após a metabolização das moléculas de purinas

O ácido úrico (AU) é uma substância naturalmente produzida pelo fígado após a metabolização das moléculas de purinas, depois de utilizadas no organismo. Depois de utilizadas, as purinas são degradadas e transformadas em ácido úrico. Parte desse ácido úrico é eliminado pelos rins e outra parte permanece no sangue.

As purinas são um conjunto de compostos orgânicos obtido a partir da ação de enzimas chamadas xantina oxidase e hipoxantina, presentes em diversos tipos de alimentos como proteína, principalmente nos de origem animal. Cerca de 40% das purinas são obtidas através dos alimentos e 60% são produzidas pelo nosso próprio organismo.

Portanto, apenas uma dieta rica em purina pode aumentar significativamente a quantidade de ácido úrico no organismo. Por esta razão, uma dieta equilibrada é uma das principais formas de evitar a hiperuricemia e outros problemas decorrentes do ácido úrico alto no sangue.

Isso porque o ácido úrico é uma substância que possui baixa capacidade de solubilização. Por causa disso, os níveis de AU no sangue precisam estar abaixo de 6,8 mg/dl para que ele possa ser totalmente diluído. Quanto maior a quantidade de ácido úrico no sangue, maior é o risco de formação de cristais de urato (tipo de sal produzido com a solidificação do ácido úrico) nas articulações.

Como o ácido úrico é depositado nos tecidos

Normalmente, os níveis de ácido úrico no sangue podem subir devido ao aumento da sua produção, por não estar sendo eliminado na urina com eficiência ou por interferência de certos medicamentos.

A concentração de ácido úrico no sangue é decorrente de um equilíbrio entre a produção pelo fígado e a capacidade dos rins, e em menor parte dos intestinos, de excretar o ácido úrico em excesso. Portanto, a maioria dos pacientes com ácido úrico alto apresenta uma dieta rica em purinas e/ou uma redução da sua capacidade renal de excretar o ácido úrico.

Assim, como já vimos, o ácido úrico apresenta maior risco de formar cristais de urato quando o seu nível no sangue estiver acima de 7,0 mg/dl. Porém, ácido úrico alto não é o único fator que interfere na sua diluição.

Ou seja, o AU é mais solúvel em temperaturas elevadas e menos solúvel em temperaturas baixas. Ao contrário do sangue, que possui uma temperatura média de 37ºC, as articulações são sensivelmente mais frias, apresentando uma temperatura média de 32ºC. Por isso, o ácido úrico tem essa tendência a formar cristais e a precipitar ao redor das articulações.

Assim, esses pequenos cristais de urato de sódio semelhantes a agulhinhas, se depositam de preferência nas articulações, mas em vários outros locais do corpo, como nos rins e sob a pele, entre outros.

ÁCIDO ÚRICO ALTO: PRINCIPAIS SINTOMAS

ácido úrico alto: médico examinando inflamação no punho do paciente
O ácido úrico alto traz inflamações e dores nas juntas

Em geral, o depósito dos cristais de urato nas articulações causado pelo ácido úrico alto no sangue, provoca dor e inchaço nas articulações. Sintomas mais graves acarretam crises dolorosas de artrite aguda secundária, podendo comprometer qualquer articulação, inclusive os punhos e dedos das mãos. Mas principalmente, os membros inferiores como os joelhos, tornozelos, calcanhares e dedos dos do pés.

       

No entanto, nem todas as pessoas com hiperuricemia ou ácido úrico alto desenvolvem esse tipo de artrite secundária também conhecida por gota. Uma doença de caráter genético e hereditário, que acomete mais os homens adultos.

Além disso, o teor de ácido úrico alto no sangue pode causar vermelhidão e dificuldade de movimento na articulação afetada, calafrio, febre baixa e descamação na pele na região afetada. Os sintomas também podem estar relacionados ao mau funcionamento dos rins, causando dores nas costas e ardência ao urinar.

Ácido úrico alto: Incidência

Estima-se que cerca de 25% dos homens possuem níveis de ácido úrico acima de 7,0 mg/dl. Já as mulheres, o risco de desenvolver a hiperuricemia é mais baixo, pois o estrogênio aumenta a capacidade renal de excreção ácido úrico do organismo, sendo o limite da normalidade de 6,0 mg/dl.

Assim, a maioria dos pacientes com doenças relacionadas ao ácido úrico alto são homens, sendo que somente após a menopausa é que as mulheres costumam ser assombradas pelo ácido úrico alto.

ÁCIDO ÚRICO ALTO: QUANDO TRATAR

ácido úrico alto nas articulações do dedo do pé
Ácido úrico alto pode ser tratado com uma dieta saudável e rica em água.

Normalmente, o ácido úrico alto no sangue é uma consequência do estilo de vida e opções alimentares por alimentos processados e industrializados em excesso que contém muito açúcar, como xarope de milho de alta frutose.

O ácido úrico deve ser tratado pois está associado a diversas doenças e outras complicações mais graves de saúde. Sem tratamento adequado, o ácido úrico alto pode causar hipertensão arterial, obesidade, aumento dos triglicerídeos, cálculos renais (pedra no rim), insuficiência renal aguda ou crônica (nefropatia úrica) ou falência renal e gota.

O aumento do ácido úrico no sangue também pode aumentar a resistência à insulina, aumentando o risco de diabetes. O excesso de peso também podem causar, ou piorar o quadro do paciente.

Ácido úrico alto em nível assintomático

É importante ressaltar que 2/3 ou mais das pessoas com ácido úrico alto são assintomáticas, ou seja, não costumam apresentar nenhum sintoma, e não desenvolvem outras doenças.

Já o ácido úrico baixo (hipouricemia) não costuma provocar sintomas e é uma condição mais rara de acontecer. Normalmente, o ácido úrico baixo está associado a determinadas doenças hepáticas ou renais, exposição a substâncias tóxicas, uso de alguns medicamentos ou a um problema metabólico hereditário.

Sendo assim, não há indicação para tratar os pacientes com ácido úrico alto assintomático, a não ser que:

  • Valores sanguíneos de ácido úrico persistentemente acima de 13 mg/dl nos homens ou 10 mg/dl nas mulheres;
  • Pacientes com hiperuricemia acima de 8 mg/dl, com excreção urinária de ácido úrico maior que 1100 mg por dia.

Assim, o tratamento para ácido úrico alto é feito através do controle da dieta e de outras doenças associadas, além do uso de medicação específica para eliminar ácido úrico, quando necessário. Pois, ao controlar essas doenças, o nível de ácido úrico no sangue é automaticamente normalizado. Portanto, a hiperuricemia deve ser tratada sempre que o paciente tiver alguma doença relacionada com a deposição de cristais de urato.

ÁCIDO ÚRICO ALTO: MAIORES RISCOS

médico examinando ácido úrico alto nas mãos
Ácido úrico alto podem estar associado a outras doenças e também desenvolver problemas de saúde mais sérios.

Nem todo mundo que tem o ácido úrico elevado desenvolve gota. Como vimos, é perfeitamente normal encontrarmos pacientes assintomáticos com níveis de AU ao redor de 9,0 ou 10 mg/dl. Porém, isso não significa que não hajam riscos elevados de desenvolver outras doenças como:

  • Gota;
  • Gota tofácea;
  • Cálculos renais;
  • Nefropatia por urato;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Hipertensão;
  • Diabetes;

Risco de gota

A gota é uma doença que ocorre quase que exclusivamente nos seres humanos. Isso porque o ácido úrico é o produto final da metabolização das purinas. No caso de outros mamíferos, o AU é transformado pelo fígado em alantoína, uma substância bem mais solúvel e mais fácil de ser excretada.

Geralmente, a transformação do AU em alantoína é feita através de uma enzima chamada uricase, que há cerca de 13 milhões de anos atrás sofreu uma mutação. Com isso, toda a linhagem dos primatas, incluindo os seres humanos perdeu a capacidade de metabolizar o ácido úrico. A gota é, portanto, uma herança evolutiva dos primeiros hominídeos.

Como nós seres humanos costumamos ter uma dieta rica em purinas, nos tornamos a única espécie capaz de desenvolver níveis de ácido úrico alto no sangue acima da sua capacidade de diluição.

Assim, o risco de desenvolver gota vai se tornando cada vez maior conforme os níveis sanguíneos de AU vão ficando acima de 7,0 mg/dl. Para se ter uma ideia, 10% dos pacientes desenvolvem gota após cerca de 15 anos com ácido úrico alto entre 7,1 e 8,9 mg/dl. Além disso, o risco de gota começa a se tornar ainda maior a partir de valores acima de 9,0 mg/dl. Isto é, após apenas 5 anos de ácido úrico maior que 9,0 mg/dl, cerca de 1/4 dos pacientes desenvolve crises de gota.

As chances de ácido úrico alto evoluir para gota aumentam ainda mais quando:

  • A pessoa consome bebidas alcoólicas em excesso;
  • A pessoa está com sobrepeso ou obesa;
  • A pessoa tem diabetes mellitus;
  • A pessoa é medicada com diuréticos ou outros medicamentos para hipertensão arterial;
  • A pessoa tem uma dieta rica em carnes.

Risco de gota tofácea

A deposição dos cristais de urato nas articulações provoca uma intensa reação inflamatória, conhecida como artrite gotosa, uma forma de artrite extremamente dolorosa. Caso os níveis de ácido úrico alto permanecem elevados por longos períodos de tempo, esses cristais começam a serem depositados em locais mais quentes, como a pele e os rins.

Após cerca de 20 anos de gota e ácido úrico alto sem tratamento, o paciente passa a desenvolver tofos nas suas articulações e na pele. Essas lesões são provocadas pela inflamação e pela deposição crônica de cristais de urato nestes locais. O tofos podem ser múltiplos, grandes e provocam deformidades, principalmente nas mãos, cotovelos ou pés.

Risco de cálculo renal

A hiperuricemia crônica também pode estar relacionada ao surgimento de cálculos renais compostos por ácido úrico. Ao contrário da gota, que é decorrente dos níveis altos de ácido úrico no sangue, as pedras nos rins são decorrentes do pH da urina e da quantidade de ácido úrico excretado pelos rins.

Os pacientes que apresentam maior risco de desenvolver cálculo renal são aqueles com pH da urina persistentemente abaixo de 5.5 e uma excreção urinária de ácido úrico maior que 1100 mg por dia (o valor normal é menos que 800 mg/dia). Esse valor tão elevado de ácido úrico na urina só ocorre em pacientes com ácido úrico alto de 9,0 mg/dl ou mais.

Risco de nefropatia por urato

Uma outra doença renal provocada pelo ácido úrico alto no sangue é quando ocorre a deposição de ácido úrico nos rins, provocando inflamação renal e risco de insuficiência renal crônica. No entanto, isso só ocorre em pacientes com valores de ácido úrico maiores que 13 mg/dl nos homens ou 10 mg/dl nas mulheres.

Risco de outras possíveis doenças relacionadas

Alguns estudos apontam para uma relação entre os níveis de ácido úrico alto a uma maior incidência de doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes. No entanto, não há como estabelecer uma relação causal entre esses fatores no momento.

Em outras palavras, pacientes hipertensos costumam ter ácido úrico alto, mas isso não significa que isso seja a causa da hipertensão. Além disso, a redução dos valores do ácido úrico com medicamentos não alteram em nada a hipertensão do paciente. Ou seja, sabemos que um teor de ácido úrico alto colabora para a hipertensão, mas a sua diminuição não colabora para alterar esse quadro.

ÁCIDO ÚRICO ALTO: TRATAMENTO E PREVENÇÃO

O tratamento para diminuir o nível de ácido úrico alto no sangue faz parte de um programa de prevenção e pautado em mudanças no estilo de vida e hábitos como uma alimentação equilibrada, saudável e natural, sem glúten, e ingestão de muita água. Além disso, com a adição de exercícios físicos diariamente.

Quem possui ácido úrico alto deve evitar o estresse físico, o uso de diuréticos e de anti-inflamatórios, assim como a ingestão excessiva de alimentos e bebidas ricas em purina. O leite e seus derivados costumam melhorar a eliminação do ácido úrico, portanto, devem ser incluídos na dieta. Além disso, deve-se controlar a obesidade e a hipertensão.

Além da alimentação saudável, equilibrada e pouco calórica, alguns medicamentos são também indicados para inibir a produção de ácido úrico (alopurinol) ou para aumentar sua excreção (probenecide e sulfinpirazona). Em alguns casos, há pacientes que precisam dos dois tipos de medicamentos, pois sofrem com o excesso de produção de ácido úrico junto a uma dificuldade de excreção da substância.

Ácido úrico alto: Alimentos para evitar

Todo mundo que apresenta níveis de ácido úrico alto maiores que 7,0 mg/dl, sejam homens ou 6,0 mg/dl nas mulheres devem evitar alimentos ricos em purinas. Para isso você precisa cortar ou evitar o consumo de certos alimentos que contém purina como por exemplo:

  • Carnes: carne bovina, bacon, porco, vitela, cabrito, carneiro, miúdos (fígado, coração, rim, língua);
  • Peixes e frutos do mar: salmão, sardinha, anchova, truta, bacalhau, ovas de peixe, caviar, marisco, ostra, camarão;
  • Aves: peru e ganso;
  • Bebidas alcoólicas: principalmente a cerveja que aumenta a produção do ácido úrico e a toxicidade do fígado;
  • Vegetais: cogumelos, ervilhas, lentilhas, grão-de-bico, aspargos e espinafre;
  • Alimentos fritos e óleos hidrogenados: óleo de soja, vegetal, milho e óleo de canola podem agravar a gota;
  • Sódio: a dieta rica em sódio causa inchaço do tecidos, e aumenta os sintomas da gota;
  • Carboidrato refinado: açúcar e outros carboidratos refinados, podem aumentar a resistência à insulina e o ácido úrico.

Além de evitar alimentos ricos em purinas, a pessoa deve tentar perder ou manter o peso (se estiver com IMC acima de 25). Além disso, deve ingerir pelo menos de 10 a 12 copos (250 ml) de água por dia (1,5 a 2,0 litros), para ajudar a eliminar o ácido úrico do organismo.

Ácido úrico alto: Como baixar

Como parte do tratamento para baixar o ácido úrico, as mudanças no estilo de vida são essenciais e devem ocorrer antes de optar por produtos farmacêuticos ou outros métodos. Os medicamentos específicos para baixar o ácido úrico são indicados apenas em alguns casos. Portanto, para baixar o ácido úrico alto no sangue você pode passar a consumir os seguintes alimentos ricos em:

  • Fibras: frutas, legumes, nozes e sementes;
  • Potássio: abacate, leite de kefir, água de coco, salmão, abóbora, banana e damasco;
  • Bagas frescas e cerejas;
  • Omega 3;
  • Vitamina C: laranja, goiaba, acerola e abacaxi;
  • Magnésio;
  • Propriedade diuréticas naturais: agrião, salsão, pepino, cenoura, beterraba, berinjela, pimentão, tomate, cebola, alho, maçã, laranja, pêra, melancia, melão, mirtilo, limão, dentre outros.

ÁCIDO ÚRICO ALTO: RECOMENDAÇÕES FINAIS


Como vimos, o teor de ácido úrico alto no sangue, basicamente é causado pela ingestão inadequada de alimentos ricos em purinas. Portanto, além de uma dieta saudável com preferência por alimentos não industrializados e rica em frutas, verduras, leite e derivados; inclua em sua rotina os exercícios físicos, como uma caminhada, corrida, musculação, esportes, yoga, pilates. Os exercícios são a melhor maneira de manter o corpo saudável e a forma física.

Procure orientação médica caso os sintomas persistam e não se automedique. Consulte sempre um médico para orientar o tratamento e peça ajuda ao nutricionista para adequar uma dieta a sua rotina a fim de controlar a taxa de ácido úrico e a manter o peso em níveis adequados.

Lembre-se que prevenir doenças e manter uma maior qualidade de vida vai depender da sua determinação em manter um estilo de vida com hábitos saudáveis.

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.