5 Mandamentos para uma boa convivência com os filhos

0 267

Sabemos que é no ambiente familiar que os filhos constroem sua identidade, formam seus valores, amadurecem e desenvolvem suas estruturas psíquicas para lidar com as adversidades diárias.

Porém, a convivência familiar nem sempre é fácil e, muitas vezes, requer certa paciência para lidar com a confrontação de gerações. Afinal, muitos dos conflitos que ocorrem dentro do lar são provenientes da visão de mundo diferenciada entre os jovens e as pessoas mais velhas, já que em alguns casos, os filhos acham que a visão do pai está ultrapassada demais ou vice versa, os pais acreditam que os filhos estão muito avançados com as ideias e opiniões.

Mas isso não significa que a convivência precisa ser sempre conturbada. Com algumas atitudes simples no dia a dia é possível encontrar um ponto de equilíbrio para um bom convívio. Selecionamos cinco atitudes que contribuirão para que você tenha dias mais proveitosos e menos conturbados com os filhos. Acompanhe:

1. Adquira uma mente aberta: as diferentes gerações tendem a levar em consideração uma abordagem de vida de acordo com a situação do mundo atual. Compreenda e respeite a diferença e lembre-se que assim como você tem muito a ensinar ao seu filho, também tem muito a aprender com ele.

Leia Também:

2. Não interfira no relacionamento amoroso: o ideal é agir de maneira sensata e apenas aconselhar o filho a respeito do relacionamento. Normalmente, quando duas pessoas se unem em um relacionamento amoroso, é normal que alguns conflitos ocorram já que pensam de maneiras diferentes e trazem experiências adquiridas no seu ambiente familiar. Com exceção de situações em que o parceiro seja controlador e possessivo, neste caso você precisa conversar sobre os prós e contras da relação com o filho e ajudá-lo a decidir o que é melhor.

3. Tenha um bom diálogo: embora os pais possuam mais experiência de vida, é importante ouvir os filhos e saber a opinião deles a respeito de determinados assuntos. Para um bom diálogo é preciso existir uma escuta atenta e a possibilidade de ter livre expressão de sentimentos.

4. Respeito é fundamental: é importante que haja um respeito mútuo de pai para o filho e vice versa. Mesmo que eles não concordem com algum posicionamento, é importante tomar cuidados com a maneira como um determinado tema é abordado. Sendo assim, nada de discussões acesas, vozes elevadas, palavrões e cenas deploráveis. O ideal é esclarecer todos os pontos ou opiniões com calma e sensatez.

5. Crie momentos proveitosos: mesmo com a correria enfrentada diariamente, é importante criar momentos para realizar conversas descontraídas e compartilhar situações juntos. Isso ajuda a fortalecer o relacionamento e estimula a confiança entre ambos.

 

COMENTE COM OS AMIGOS DO SITE:
Use a caixa de comentários abaixo para trocar idéias com os leitores do site. Muitas pessoas podem interagir com você.