21 MOTIVOS PARA APOIAR O CUIDADOR PROFISSIONAL DE IDOSOS

uma rede de cuidados se faz urgente no Brasil

0 321

No dia 8 de julho de 2019 o governo federal vetou uma lei esperada há pelo menos 12 anos que regulamenta a profissão do cuidador no Brasil. Percebendo o impacto negativo que este tipo de veto causa, abaixo estão listados ao menos 21 motivos para apoiarmos o cuidador profissional:

idoso fragil

1. Perfil do Brasil

O Brasil já pode ser considerado um país de idosos (devido aumento da sobrevida das gerações entre década 40 a 80)

2. Sustento da Previdência

Alta taxa de mortalidade dos jovens e/ou buscas alternativas como fonte de renda (trabalho informal) não contribuindo com a previdência

3. Estilo de vida

Alta competição no mercado e estilo de vida acelerado influenciando negativamente as estruturas familiares

4. Aumento da violência

Altíssimas taxas de violência contra a pessoa idosa em 2018 (motivos principais: falta de paciência e problemas financeiros)

5. Redução da contribuição social

Deslocamento do potencial de contribuição social e familiar da mulher para uma jornada de 24hs por dia, 7 dias por semana em função das tarefas do cuidar de um idoso com deficiência.

6. Adoecimento das famílias

Surgimento da figura do Cuidador Familiar (familiar que cuida) adoecendo e cada vez mais aumentando taxas de mortalidade (antes mesmo do idoso cuidado) devido estresse por altíssima sobrecarga de trabalho

7. Sobrecarga em casa

O mercado competitivo, a desestrutura das famílias, problemas financeiros e de convívio faz a divisão de tarefas do cuidar entre todos da família não acontecer, sobrecarregando ainda mais o familiar “emocionalmente mais sensível” que na maioria das vezes é eleito pelos outros membros sem chances de recusa, por questões culturais.

8. Falta de preparo

O idoso que necessita de cuidados (reconhecido como idoso frágil) bem como pessoas portadoras de deficiências ou doenças raras necessitam de cuidados especiais os quais devem ser assegurados por pessoas capacitadas com exercício da função fiscalizado e regulamentado.

idoso com dor

9. Vulnerabilidade das famílias e dos idosos

A não regulamentação e não fiscalização do cuidador profissional torna familiares vulneráveis a chantagens, extorsões e abusos financeiros de falsos profissionais, além de inúmeros casos de subtração de bens da família ou do próprio idoso.

BEM COMO colocando em risco a qualidade de vida, a saúde e a própria vida do idoso/pessoa com necessidades especiais (ex: uso de bucha para banho é comum em nossa cultura mas em determinados idosos pode abrir ferida; uso de certas práticas caseiras para se tratar “escaras” pode causar um quadro infeccioso generalizado com natureza muitas vezes mais agressivo para organismos mais jovens em contato etc)

10. Adoecimento do familiar que cuida

Familiares que cuidam, agravam seu quadro de saúde aumentando estresse ao não terem ajuda de outro familiar e nem de um profissional que o possa ajudar a aliviar sobrecarga de trabalho

11. Estresse

Estresse é doença comum entre cuidadores familiares e estresse mata.

12. Abusos

Pessoas que oferecem seus trabalhos para cuidar de alguém em troca de um salário frequentemente são alvos de abusos familiares seja atribuindo-lhes funções ou carga horária indevidas, seja remunerando-os mal

 

13. Risco de morte

A não qualificação profissional de uma pessoa que oferece serviços de cuidado pode agravar a saúde do indivíduo frágil, retirar-lhe direitos à qualidade de vida e até mesmo matar por imprudência ou negligência por desconhecimento.

14. Irregularidades

Há mais de 12 anos a sociedade geral vem demonstrando a importância de um profissional do cuidar ao contratar mesmo de forma irregular constantemente essas pessoas

15. Falta de conhecimento técnico

O cuidador profissional é uma pessoa que deve se reconhecer com habilidades para o cuidar (tais como resiliência, empatia, segurança pessoal, estrutura emocional e autoestima) sendo que tais habilidades devem ser percebidas e praticadas através de exercícios  constantes, averiguações da eficácia e utilidade da função via estudos e capacitações

mãos

16. Profissão em alta

Nos últimos 3 anos é a profissão que mais cresce no Brasil (cerca de 500%)

17. Capacitação de qualidade

O Brasil vem demonstrando potencial para capacitação de cuidadores de alto nível devido centenas de cursos formadores e profissionais dedicados ao aprimoramento técnico desta categoria, já no mercado há muitos anos

18. Direitos assegurados

A regulamentação da profissão de cuidador assegura a prática do bem comum e concessão de direitos ao idoso, à família e ao próprio cuidador

19. Novos empregos

A geração de emprego se beneficia com a regulamentação, contribuindo com o país no momento de alta taxa de desemprego.

20. Suporte à família

Um cuidador preparado profissionalmente pode ser um importante suporte para a conquista da harmonia entre famílias e suporte ao cuidador familiar que poderá manter seus sonhos de autorrealização, ao ter mais tempo para cuidar de si.

21. Redução de doenças

O cuidador profissional pode ajudar a reduzir o quadro de que “cuidar adoece”, fato que vem acontecendo com muitos cuidadores familiares.

Há um movimento que se inicia de forma organizada chamado VOZ AO CUIDADOR e que pode ser acessado pelo link:  #EUAPOIO  (basta clicar, entrar e se identificar) e o manifesto que está sendo assinado: bit.ly/manifestodocuidador 

 

———————————-

REFEêNCIAS:

http://insepe.org.br/revistainsepe/index.php/2018/08/24/in06-09-fatores-que-contribuem-para-o-adoecimento-do-cuidador-familiar-de-idoso-um-paradoxo-passivel-de-causar-impacto-social/

http://www.facenf.uerj.br/v19n3/v19n3a25.pdf

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5619307/

http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n3/pt_0104-0707-tce-23-03-00600.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672009000100009&script=sci_abstract&tlng=pt

http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v17n3/1809-9823-rbgg-17-03-00525.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1983-14472015000100014&script=sci_arttext&%20tlng=pt

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n4/pt_0104-1169-rlae-21-04-0935.pdf

https://journals.openedition.org/configuracoes/491

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.