10 coisas que você deve saber para cuidar de idosos dependentes

uma cartilha rápida para o Cuidador Familiar

0 509

A tarefa do cuidar de um idoso, principalmente se executada por um membro da família, não é tarefa fácil pois soma-se às necessidades de atenção com as relações afetivas.

Como se não bastasse Cuidadores Familiares não costumam fazer curso para esperar seus pais ou esposos adoecerem e se tornarem dependentes. Ninguém pensa assim pois não é isso que desejamos.

No entanto, com a sobrevida prolongada, aumenta-se também s limitações em idade avançada uma vez que ainda precisamos aprender mais sobre “viver com qualidade e saúde”.

Sendo assim, escrevi para quem já cuida de um ente querido ou quem ainda não cuida (e até mesmo cuidadores profissionais) estas dicas práticas que podem amenizar o impacto negativo da situação de dependência, manter o idoso mais saudável e o familiar mais tranquilo por sentir que “está cuidando bem”. Vamos conferir?

10 DICAS (IMPRESCINDÍVEIS) E PRÁTICAS

PARA SE CUIDAR DE UM IDOSO DEPENDENTE

HIDRATAÇÃO DO IDOSO

Ofereça água a cada meia hora!

A percepção de sede é mais reduzida.  A dica é NÃO ENCHER O COPO mas sim colocar 2 a 3 dedos para que o idoso “não se espante” com o tanto de água que “poderá fazer com que vá ao banheiro mais vezes”, coisa que não gostam muito.

Tanto a alimentação quanto a hidratação em pessoas idosas têm um forte impacto sobre a qualidade de vida e bem estar. Porém, o estado nutricional em faixas elevadas da idade é condicionado por diversos fatores que influencia diretamente na ingestão de alimentos e bebidas.

Assim, facilmente o idoso pode se desnutrir e/ou desidratar. ATENÇÃO PARA ISSO!

ALTERAÇÕES HOMEOSTÁTICAS

Sensação para frio ou calor são geralmente alterados. Acredite e respeite.

Os sistemas homeostáticos são processos de auto-regulação do nosso corpo que nos ajudam a manter um equilíbrio quando há alterações externas (temperatura, pressão, níveis metabólicos como sal e açúcar…).

Esta é uma das maravilhas da natureza para nosso organismos lidar com tantas mudanças ou agressões externas.

Esses sistemas estão intimamente relacionados ao sistema neuroendócrino, enviando sinais para os sistemas cardiovascular, respiratório, genitourinário, digestivo e renal.

A descompensação de um sistema produz desequilíbrios em vários outros.

A questão é que o sistema homeostático se compromete com o avançar da idade. Assim o organismo pode, frente a um fator estressor, entrar em desequilíbrio completo frente a muitas situações cotidianas.

Cuide com atenção da temperatura da água do banho, das bebidas, da comida pois poderão estar frio demais ou quente demais.

HIPOTENSÃO POSTURAL

Acostume o idoso a levantar da cama devagar.

Levantar da cama rápido demais pode dar tonteira e gerar quedas. A hipotensão postural (ou ortostática) aparece em mudanças de posição. Muitas vezes pode estar relacionado como uma hipoperfusão sanguínea (menos volume, menos velocidade), distúrbios visuais, déficits neurológicos, enfim.

É muito importante o Cuidador Familiar conseguir perceber se a frequência desta hipotensão é relevante de tal forma que um geriatra deva ser consultado.

VELOCIDADE PARA AGIR

Respeite seu ritmo e velocidade, cooperando com ele quando viável e necessário.

A velocidade para agir do ser humano é a forma correta e econômica através da qual ele se movimenta pelo tempo e espaço e reage a determinadas situações.

Tal velocidade implica funções do sistema nervoso central (SNC) e quantidade de fibras musculares de contração rápida, as quais reduzem com o envelhecimento, principalmente em um organismo sedentário.

É por isso que a pessoa idosa tende a ter movimentos mais lentos.

DIVERSIDADE AO SE ENVELHECER

       
Jamais compare um idoso com outro.

Já basta sermos únicos para sermos diferentes. Ao sermos únicos, traçamos uma vida única com escolhas únicas!

Decidimos por estilos próprios de vida e assim, também envelhecemos de forma peculiar.

São muitas diferenças envolvidas: genéticas, culturais, ambienteis e pessoais. Como não respeitar o estilo de ser e de expressar de cada um?

PELE RESSECADA

Mantenha a pele do idoso hidratada com gotas de óleo mineral ou de girassol, o que poderão estar misturados ao creme hidratante. Isso evitará rupturas dérmicas.

 

A pele é divida em 3 camadas:

  • Epiderme: externa. Como o ritmo de renovação diminui com a idade, nota-se o surgimento de manchas e possível alteração de cor, que fica mais amarelada. A textura vai ficando mais áspera e ganhando um aspecto translúcido que nos dá a impressão de fragilidade.
  • Derme: intermediária que sustenta a pele. Rica em colágeno e elastina que se “atrofia” por perda das fibras colágenas e elásticas. Desta maneira surgem as rugas mais profundas!
  • Hipoderme: camada mais interna. Basicamente feita de células de gordura. Tem a função de unir a derme ao corpo e de manter a temperatura corporal. A tendência é a diminuição da espessura desta camada durante o envelhecimento.

 

FRAGILIDADE DA PELE

Não utilize tanta força ao segurar o idoso em partes vulneráveis à lesões como braços e pernas.

Com o aumento da idade as células do corpo como um todo ficam mais secas (com menos água), como as células da pele que devido a isso se achatam favorecendo ao surgimento de bolhas e lesões.

Devido a pele se tornar mais fina e seca pela perda de água, gordura e hormônios, a pele das pessoas idosas de fato (como já dito acima) merece atenção especial. Temos a sensação de que a pele das pessoas mais velhas fica mais “fina” e frágil. Mas como vemos há motivos de atenção além da fragilidade.

FRAGILIDADE DOS OSSOS E LIGAMENTOS

Ao oferecer suporte físico ao idoso procure segurar em partes mais estáveis como o tórax ou quadril.

Devido fragilidade do corpo como um todo, todo cuidado é importante. Uma fratura por pressão ou uma ruptura de ligamentos pode ser algo fácil de acontecer.

Exercícios físicos orientados pelo fisioterapeuta podem assegurar um cuidado de mais qualidade.

BANHO DE SOL

De olho na quantidade e horário!

Sol em quantidade ideal (até 10 minutos, no máximo por dia) e em horários adequados (entre 8h e 10h, após 16h é o que indico) devido a pele sensível do idoso dependente. Mas vale a pena consultar um dermatologista especialista em pele idosa.

As células protetoras dos raios ultravioletas (conhecidas como melanócitos) também estão reduzidas no idoso. Proteja-o do sol em excesso e em horários inadequados.

VIGÍLIA E SONO

Permita pequenos cochilos durante o dia.

O ritmo de sono e vigília se altera com o avanço da idade, fazendo com que o idoso tenha sono durante o dia e durma mal durante a noite. Ajude o idoso a ter um sono mais reparador evitando que durma durante o dia em sua cama. Caso seja importante para ele, permita que tire pequenos cochilos em uma poltrona na sala, até mesmo com um som ligado ao fundo. Isso o ajudará a não confundir o dia com a noite.

Abraços Mil!

Gal Rosa – Terapeuta Ocupacional Gerontóloga

Desenvolvedora do Projeto Cuidador Familiar

social media do www.aterceiraidade.net

email: projeto@cuidadorfamiliar.com.br

Recomendados Para Você:

       

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você sabe o que é um Cuidador Familiar?

Clique no botão abaixo para fazer parte de uma rede de suporte entre famílias e profissionais
EU QUERO!
Fique tranquilo, não enviamos spam!
close-link