Benefícios do Café

Mito ou Realidade?

0 3.129

Bebida tradicional na primeira refeição da maioria dos brasileiros, o café conquista admiradores por seu aroma e sabor único e por garantir dose extra de pique e energia para encarar a correria do dia a dia.

O café é uma das matérias-primas com maior importância no comércio internacional. É igualmente uma das bebidas mais apreciadas em todo mundo.

Da conotação nefasta ao endeusamento, vamos compreender porque esta bebida é a queridinha de milhares de pessoas?

A comunidade científica vem descobrindo potenciais efeitos benéficos e protetores ao nível da

saúde dos consumidores desta bebida.

No nosso cérebro, a cafeína, substância base da bebida, interage diretamente com neurotransmissores e promovem grande impacto no órgão.

Confira o que acontece com seu cérebro quando você toma café:

CAFÉ X CÉREBRO

  • sensação de bem-estar e euforia. A bebida, resumidamente, pode combater a depressão.
  • A ação estimulante pois inibe os receptores sedativo natural. Ao impedir a ação dessa substância, o cérebro fica mais atento e capaz de afastar o sono.
  • “despertador olfativo”: o cheiro típico do café é capaz, de fato, de fazer você acordar do sono.
  • poder de proteger o cérebro contra demências
  • ação analgésica, já que a cafeína pode auxiliar no tratamento de alguns tipos de dores devido a seu efeito vasoconstritor, que combate incômodos e desconfortos causados pela dilatação súbita das artérias, como a enxaqueca.
  • tão poderoso que teria ação semelhante à da morfina, amenizando dores e afastando ansiedade

EFEITO ESTIMULANTE

A cafeína é a grande estrela dos efeitos do café.

Doses baixas ou moderadas são suficientes para demonstrar efeitos positivos, como:

Melhor performance cognitiva e psicomotora (estado de alerta, da energia, da capacidade de concentração, do desempenho em tarefas simples, da vigilância auditiva, do tempo de retenção visual e diminuição da sonolência e do cansaço)

Uma boa notícia é que o seu consumo moderado  não parece ser prejudicial à saúde. Mas doses elevadas podem provocar efeitos negativos como taquicardia, palpitações, insônias, ansiedade, tremores, dores de cabeça e náuseas.

Tais efeitos também podem acontecer em indivíduos que consomem baixas doses, porém são intolerantes à cafeína.

É interessante observar que “a ansiedade causada pela ingestão de café é mais marcada em indivíduos naturalmente ansiosos ou que sofrem de ataques de pânico”.

DEPENDÊNCIA

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) dependência é um estado em que ocorrem pelo menos três das seguintes manifestações: forte desejo ou compulsão para usar a substância; dificuldade em controlar o seu consumo; abstinência fisiológica; tolerância; abandono progressivo de interesses alternativos; persistência no uso apesar das consequências prejudiciais.”

Assim, o fato do café causar dependência tem sido bastante discutido, pois de acordo com as definições da OMS a bebida parece não desencadear tais comportamentos em seus consumidores.

Como somos seres complexos, alguns poucos casos de abstinência do café demonstram tais sintomas. O incrível é que tais sintomas também surgem em casos de uso abusivo da bebida. Não é louco?

Mas… os cientistas continuam analisando.

Os sintomas são: dores de cabeça, disforia, sensação de cansaço, fraqueza, sonolência, concentração diminuída, dificuldade em trabalhar, depressão, ansiedade, irritabilidade, tensão muscular aumentada, dores musculares, e mais raramente, tremores, náuseas e vômitos.

CEFALÉIAS 

A cafeína alivia dores de cabeça (cefaléia) por ter ação vasoconstritoras nos vasos cerebrais.

Cefaléias caudas por tensão também parecem melhorar com a cafeína, independente da dose ingerida, devido sua ação analgésica, sem prejuízo de funções vasculares.

PARKINSON

O consumo de café está inversamente associado ao risco de doença de parkinson (DP) especialmente nos homens.

Ou seja, o consumo de pelo menos 3 a 4 xícaras de café por dia podem apresentar um risco 5 vezes menor de desenvolver a doença, do que os não consumidores.

ALZHEIMER

Por estudos, acreditamos que o estresse oxidativo seja a origem desta doença. E o que o café faz? Uma espécie de faxina no cérebro!

Alguns estudos apontam para um papel neuroprotetor do café (cafeína) em relação ao desenvolvimento de Alzheimer, independentemente de outros fatores. Mas ainda há muito que esclarecer sobre isso.

Não somente a cafeína mas outros compostos com ação antioxidante existentes no café poderão ter um papel essencial  contra esta doença, reduzindo o stress oxidativo celular, através da neutralização de radicais livres.

DEPRESSÃO/SUICÍDIO

Vários estudos associam o uso do café e a redução do risco de suicídio. Mas isto ainda não é muito claro.

Sabemos dos efeitos psicoestimulantes e positivos para o humor do café mas também calcula-se que há substâncias responsáveis que metabolizam  serotonina e noradrenalina (neurotransmissores associados ao bem-estar e boa disposição).

Mas o mais legal de tudo é chamar um amigo pra bater aquele papo e tomar um cafezinho, não é? Tira qualquer um da deprê, principalmente se tiver chocolate!

Agora, quer saber mais? Vejam estas conclusões científicas:

EFEITOS GASTROINTESTINAIS

Vira e mexe alguns consumidores de café (até mesmo descafeinado) relatam desconforto gastrointestinal após a ingestão desta bebida. Assim, seu consumo é desaconselhado em determinadas situações clínicas.

A queixa principal é azia. Mas… Não foi demonstrada qualquer associação entre o consumo de café e o desenvolvimento de úlcera péptica. Porém verificou-se que pessoas com úlcera duodenal alteraram os seus hábitos de consumo de café devido à ocorrência de dispepsia.

Bem, é melhor entender um pouco mais sobre isso.

ABSORÇÃO DE FERRO

Esta questão é nutricionalmente relevante. Ao ingerir café durante ou 1h após uma refeição, há uma dificuldade de absorção do ferro em 40%, em especial por indivíduos com anemia.

O curioso é que não se constatou esta ação negativa quando a ingestão é feita 1h antes da refeição. E que os efeitos para o chá são ainda piores. E saiba que a adição de leite ao café pode não alterar em nada seus efeitos inibitórios para o ferro.

PESO CORPORAL

Vários estudos em humanos sugerem que o consumo de café induz a perda de peso por aumento da termogénese, uma vez que se verifica um aumento do gasto energético após a ingestão de cafeína. Ou seja, café descafeinado não tem o mesmo efeito.

DIABETES

A maioria das investigações indica que indivíduos que consomem pelo menos 6 a 7 xícaras de café por dia parecem estar sujeitos a um risco bem menor de desenvolver diabetes tipo II, quando comparados com indivíduos que consomem 2 xícaras ou menos.

O fato do consumo de café descafeinado está igualmente associado a um menor risco de desenvolvimento desta doença.

SAÚDE DO CORAÇÃO

Estudos evidenciam que a cafeína provoca aumento agudo da pressão arterial. E esta sensibilidade é ainda aumentada em indivíduos hipertensos, fumadores e/ou sujeitos a situações de stress psicológico.

Porquê? Porque a vasoconstrição da cafeína é um dos seus principais efeitos.

Me um modo geral, não existe uma clara relação causal entre o consumo de café e hipertensão.

Mas… não abuse!

COLESTEROL

O aumento dos níveis de LDL pode estar associado ao consumo de café, importante fator de risco para doença cardiovascular.

Este aumento não se encontra associado ao consumo de todas as bebidas de café, sendo o seu método de preparação crucial no efeito hipercolesterolêmico: o café fervido provoca mais esse aumento do que o café filtrado. Mas se o café fervido for filtrado em seguida, este aumento não acontece. Curioso, não acha?

OSSOS

O consumo de café/cafeína foi associado, em alguns estudos, a um ligeiro efeito negativo sobre o balanço de cálcio.

Contudo, observa-se que a cafeína pode interferir negativamente (embora em pequena extensão) em indivíduos que ingiram quantidades diárias de cálcio inferiores às recomendadas.

Por fim, acompanhe sua alimentação junto ao médico e ao nutricionista para efeitos benéficos de seu consumo. Pesquise, entenda e converse com eles a respeito.

Abraços  mil!

Gal Rosa

Terapeuta Ocupacional Gerontóloga

social media do www.aterceiraidade.net

email: gal@aterceiraidade.com

Youtube: A Terceira Idade com Gal Rosa

 

———————————————————————————————

E se desejar ver mais detalhes deste assunto procure no google acadêmico:
BENEFÍCIOS DO CAFÉ NA SAÚDE: MITO OU REALIDADE? Serviço de Bromatologia,
Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Portugal; publicado na web em 22/9/09

*e-mail: rita.c.alves@gmail.com

 

Leia também:

A demência vista por outro ângulo

O primeiro passo para ter corpo são e mente sã

Alimentos que ajudam o cérebro

       

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.